Psicologia clínica

Algofobia (fobia de sentir dor): causas, sintomas e tratamento

 
Alejandro Garcia Mingrone
Por Alejandro Garcia Mingrone. 18 junho 2022
Algofobia (fobia de sentir dor): causas, sintomas e tratamento

A dor pode assumir uma multiplicidade de formas, dependendo do contexto em que ela surge e da pessoa que a experimenta. Muitas vezes podemos ter medos que surgem de várias situações, reais ou imaginadas por nós mesmos. Neste sentido, a dor faz parte da vida, porém, há pessoas que têm um medo intenso e duradouro de experimentar a dor.

Isto pode ter consequências desfavoráveis sobre as atividades a serem realizadas na vida cotidiana. Se você está lendo estas linhas, provavelmente tem sentimentos deste tipo ou conhece alguém com estas qualidades. Você quer saber mais sobre isto? Neste artigo de Psicologia-Online falaremos sobre a algofobia (fobia de sentir dor), suas causas, sintomas e tratamento.

Índice
  1. O que é a algofobia
  2. Causas da algofobia
  3. Sintomas de algofobia
  4. Tratamento de algofobia

O que é a algofobia

A algofobia é um distúrbio de ansiedade caracterizado pela presença de um medo intenso, irracional e exacerbado da ideia de sofrer dor. Esta condição clínica é colocada pelo DSM-V[1] dentro do grupo de fobias específicas, dadas as suas particularidades nas pessoas que sofrem com ela.

A fim de abranger adequadamente a fobia de sentir dor, é necessário situar os critérios diagnósticos para este problema:

  • Intenso medo e ansiedade de sofrer dor.
  • A reação à sensação de dor é geralmente imediata: medo ou ansiedade.
  • Evitação de qualquer aspecto ou situação que possa provocar dor.
  • Medo e/ou ansiedade desproporcionais ao perigo real de sentir dor.
  • Duração contínua de seis meses ou mais.
  • As alterações não podem ser explicadas pela presença de outro distúrbio mental ou devido à ingestão de qualquer medicamento ou substância.

Causas da algofobia

Por que temos medo da dor? O conhecimento da origem desta patologia oferece a possibilidade de desenvolver estratégias para tratá-la da melhor maneira possível. A seguir, falaremos sobre as principais causas da algofobia.

Fatores ambientais

O ambiente em que uma pessoa vive influencia a formação de sua personalidade. Portanto, as experiências vividas têm uma influência direta sobre as condições que se manifestam no presente. Neste sentido, a origem da fobia de sentir dor pode ser uma experiência desagradável na qual uma pessoa sentiu uma dor muito intensa, seja ela própria ou de alguém próximo a ela.

Além disso, a observação de padrões de comportamento de pessoas significativas no ambiente também produz a imitação de comportamentos. Em outras palavras, é possível sofrer de algofobia se um membro da família tiver tal diagnóstico.

Fatores genéticos

A herança genética tem um papel importante no diagnóstico de certas condições. De fato, vale a pena notar que partes do córtex cerebral estão ligadas ao processamento emocional de estímulos externos. Assim, é possível que as pessoas com medo da dor tenham uma sensibilidade neuronal maior que influencia o medo ou as respostas de ansiedade a certas situações dolorosas.

Algofobia (fobia de sentir dor): causas, sintomas e tratamento - Causas da algofobia

Sintomas de algofobia

A fobia de sentir dor tem uma série de manifestações físicas e psicológicas. Saber quais são elas nos permite identificar esta patologia e agir a tempo. Nos itens a seguir, mostraremos os principais sintomas de algofobia:

  • Medo de qualquer situação que envolva sentir dor física ou emocional
  • Pensamentos ligados à morte em relação à dor
  • Tonturas
  • Náusea
  • Palpitações
  • Aumento da pressão arterial
  • Suor excessivo
  • Mudanças de humor
  • Tristeza
  • Irritabilidade
  • Angústia
  • Sentimento de solidão

A presença de qualquer um desses sintomas não implica que estamos lidando com um caso de algofobia. O diagnóstico deve ser feito por um profissional de saúde mental que leve em conta as particularidades de cada pessoa ao determinar o melhor tratamento.

Tratamento de algofobia

Além das complexidades envolvidas na algofobia, a verdade é que existem abordagens que podem melhorar a qualidade de vida da pessoa que sofre com o medo de dor. Aqui estão os principais tratamentos indicados para a fobia de sentir dor.

Terapia psicológica

A ajuda de um profissional de saúde mental ajuda a resolver conflitos que afetam a vida diária. Vamos ver quais são os mais eficazes nestes casos:

  • Terapias de curto prazo: focalizam os pensamentos, emoções e comportamentos que geram os sintomas de algofobia. Desta forma, são estabelecidas metas e ferramentas para enfrentar as situações que provocam o medo ou a ansiedade. A terapia breve mais eficaz é a terapia cognitivo-comportamental.
  • Terapias de longo prazo: elas procuram a origem dos conflitos investigando as experiências traumáticas que desencadeiam os sintomas de algofobia. Isto torna possível encontrar novas maneiras de lidar com o medo da dor.

Medicação psiquiátrica

Quando a intervenção com terapia psicológica não é suficiente para alcançar melhorias, a medicação psiquiátrica pode ser indicada para reduzir a intensidade dos sintomas. Entretanto, deve-se observar que estas só devem ser tomadas sob a supervisão de um profissional de saúde mental.

Algofobia (fobia de sentir dor): causas, sintomas e tratamento - Tratamento de algofobia

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Algofobia (fobia de sentir dor): causas, sintomas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Referências
  1. Asociación Estadounidense de Psiquiatría. (2013). Manual Diagnóstico y Estadístico de los trastornos mentales (5ta ed.). Arlington: Editorial Médica Panamericana.
Bibliografia
  • Astudillo, W., Casado Da Rocha, A., Mendinueta, C. (2005). Alivio de las situaciones difíciles y del sufrimiento en la terminalidad. San Sebastián: Sociedad Vasca de Cuidados Paliativos.
  • López-Pérez-Díaz, A. G., Calero-García, M.D. (2008). Sensibilidad al dolor, autorregulación, afrontamiento y personalidad en mujeres adultas sanas. Revista Psicothema, 20 (3), 420-426.
Escrever comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 de 3
Algofobia (fobia de sentir dor): causas, sintomas e tratamento