menu
Partilhar

Autoconsciência emocional: o que é, importância e exercícios

 
Por Iván Piquero, Psicólogo. 24 agosto 2021
Autoconsciência emocional: o que é, importância e exercícios

Ao longo do dia enfrentamos diferentes situações que influenciam nas emoções que sentimos. As emoções nos acompanham durante toda a vida e estão presentes em nosso dia a dia com mais intensidade do que podemos perceber. Elas nos protegem, cuidam e nos ajudam a interpretar o que está acontecendo no nosso entorno, o que é imprescindível para o ser humano.

É provável que muitos de nós não estejamos conscientes de nossas próprias emoções, mas isso não quer dizer que não estamos as vivenciando. Ser conscientes de nossas emoções é algo que oferece muitas vantagens, entre elas a possibilidade de controlá-las melhor. Neste artigo de Psicologia-Online abordaremos em detalhes a autoconsciência emocional: o que é, importância e exercícios.

Autoconsciência emocional: o que é

A autoconsciência emocional está relacionada ao conhecimento e reconhecimento de nossas próprias emoções. Conhecer nossas emoções, as sensações que podem estar associadas a elas, bem como suas causas e consequências nos ajuda a poder reconhecê-las assim que surgirem.

A importância da autoconsciência emocional está no fato de que o conhecimento de nossas próprias emoções é o primeiro passo e/ou o passo fundamental para o processo de regulação emocional. Por isso, estar consciente de nossas emoções nos permite conhecer nosso estado mental, analisá-lo e trabalhar nele.

Por trás de muitos transtornos mentais como a ansiedade e a depressão encontramos problemas de regulação emocional. Se levarmos em conta o exposto no parágrafo anterior, a autoconsciência emocional é a chave para o tratamento desses transtornos.

Autoconsciência emocional e seus efeitos

Os estados emocionais possuem uma série de efeitos que envolvem diferentes áreas:

  • Mudanças psicofisiológicas
  • Efeitos subjetivos/experienciais: correspondem aos sentimentos e efeitos subjetivos derivados das emoções.
  • Efeitos motores/condutores: refere-se às ações que nós mesmos fazemos para mudar as condições produzidas por uma emoções.

De acordo com Daniel Goleman[1], a consciência emocional implica em conhecer quais emoções sentimos e o porquê de as sentirmos, saber seus vínculos com nossos sentimentos, pensamentos, palavras e ações, como nossos sentimentos influenciam em nosso desempenho e também conhecer nossos valores e objetivos.

Exemplos de autoconsciência emocional

As emoções nos acompanham ao longo de toda nossa vida e estão presentes em nosso dia a dia. Estamos tão acostumados a conviver com elas que, às vezes, é difícil ter consciência do que estamos sentindo e por que estamos sentindo. Se pensarmos em exemplos cotidianos de nossas emoções, provavelmente encontraremos aqueles momentos em que as sentimentos com mais intensidade. Vejamos alguns exemplos de autoconsciência emocional:

  • A raiva: costumamos estar mais conscientes dessa emoção. Quando nos aborrecemos e sentimos raiva temos muita facilidade de reconhecê-la em seu todo, inclusive quanto às causas que nos levaram até ela.
  • A alegria: emoção que também conseguimos identificar facilmente. Trata-se de uma emoção agradável que surge em situações gratificantes como celebrações, reencontros com pessoas queridas, realização de atividades que consideramos prazerosas, etc. É bem provável que a maioria de nós tenha consciência de estar sentindo alegria.
  • O medo: um dos exemplos de autoconsciência emocional vinculada ao medo seria, por exemplo, quando temos fobia de algum animal e acabamos nos deparando com ele. Nessa situação hipotética com certeza não seria difícil reconhecer nossa emoção em todas suas dimensões.
  • Emoções simultâneas: nem sempre o reconhecimento de nossas emoções é tão fácil. Durante o isolamento social que vivenciamos por causa da pandemia da Covid-19, com certeza sentimos diversas emoções ao mesmo tempo: tristeza, frustração, raiva, etc. Experimentá-las todas de uma vez faz com que não possamos identificá-las com tanta facilidade, dificultando assim o processo de regulação emocional.

Como trabalhar a autoconsciência emocional com exercícios

Aprender a reconhecer as próprias emoções não é uma tarefa fácil, mas não é impossível. A seguir, propomos alguns exercícios para trabalhar a autoconsciência emocional.

Psicoeducação

Como já apontamos anteriormente, as emoções nos acompanham em nosso dia a dia. Contudo, como outras coisas que são tão cotidianas para nós, às vezes é difícil defini-las e saber exatamente o pano de fundo dessas emoções. Por isso, estudar as nossas emoções pode ser um bom caminho para reconhecê-las. O conhecimento teórico sobre nossas emoções irá nos permitir:

  • Saber o que é uma emoção.
  • Conhecer suas funções.
  • Ter um guia para identificar corretamente as emoções.
  • Aumentar nosso vocabulário emocional, de forma que nos ajude no processo de classificar nossas próprias emoções.

Observação

Outro dos exercícios para trabalhar a autoconsciência emocional consiste em observar nosso estado mental para tomar consciência dele. A auto-observação nos ajudará a localizar onde e como sentimos as emoções, quais pensamentos conduzem a elas ou que estão causando-as, bem como quais consequências têm em nosso comportamento.

Classificando emoções

Ao documentarmos nossas emoções, nosso vocabulário emocional estará mais rico, o que irá ajudar a nomear aquilo que estamos sentindo. Este exercício para trabalhar a autoconsciência emocional nos ajudará a nos conectar com o que estamos sentindo e a dar início ao processo de regulação emocional.

Contudo, às vezes - principalmente se não estamos acostumados a classificar as emoções - a tarefa pode ser complexa, sobretudo em situações em que várias emoções aparecem simultaneamente. Neste outro artigo você encontrará informações sobre controle emocional: estratégias, técnicas e exemplos.

Situações

Para praticar a autoconsciência emocional, podemos pensar em determinadas situações hipotéticas e quais emoções poderíamos sentir nessas situações. Também podemos pensar em situações pelas quais já passamos e tentar lembrar quais emoções sentimos nesses momentos, além de como sentimos e onde as sentimos.

Da mesma forma, outro exercício para trabalhar a autoconsciência emocional que podemos fazer é elaborar uma lista de emoções e lembrar de situações em que nos sentimos dessa ou daquela forma.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Autoconsciência emocional: o que é, importância e exercícios, recomendamos que entre na nossa categoria de Emoções.

Referências
  1. Goleman, D. (1998). La práctica de la Inteligencia Emocional. Barcelona: Kairós.
Bibliografia
  • Iriarte Redín, C., Alonso-Gancedo, N. y Sobrino, A.(2006). Relaciones entre el desarrollo emocional y moral a tener en cuenta en el ámbito educativo: propuesta de un programa de intervención. Revista Electrónica de Investigación Psicoeducativa, 4,1 (8), 177-212
  • Lane, R.D., Quinlan, D.M., Schwartz, G.E., Walker, P.A. y Zeitlin, S.B. (1990). The Levels of Emotional Awareness Scale: A Cognitive-Developmental Measure of Emotion. Journal of Personality Assessment, 55(1 y 2), 124-134.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Autoconsciência emocional: o que é, importância e exercícios
Autoconsciência emocional: o que é, importância e exercícios

Voltar ao topo da página