menu
Partilhar

Como começar uma conversa

Por Ricardo E. Combariza. 28 janeiro 2021
Como começar uma conversa

Anote em um papel as atividades que você realiza em um dia e em quais você investe a maior parte de seu tempo. É provável que palavras como: dirigir, gerir, facilitar, ordenar, corrigir, organizar, resolver, etc. se encontrem nesta lista. A principal diferença que existe entre o trabalho de um executivo e uma pessoa que trabalha como maquiadora ou montando partes de um aparelho, é que o executivo emprega a maior parte de seu tempo em conversar. Mais ainda se se trata de um diretor. O que são as reuniões, encontros e ligações se não conversas?

Continue lendo este artigo de Psicologia-Online se você está interessado/a na liderança conversacional e suas lições sobre como conversar uma conversa.

A importância de saber conversar

Para dirigir, corrigir, guiar, gerenciar, facilitar, mandar, etc., é necessário conversar. Por que então dedicamos tão pouco tempo à forma em que se conversa em uma organização? São muito poucas empresas que dedicam tempo a estas reflexões, e até mesmo existem organizações onde conversar abertamente é considerado uma falha.

Normalmente, quando encontramos falhas que devem ser solucionadas, nos voltamos diretamente ao processo para ver o que falhou e quem errou: o processo é correto ou deve ser melhorado? Mesmo diante de situações nas quais os processos se quebram, refletimos pouco sobre a maneira em que as pessoas envolvidas interagem, isto é, a forma em que conversam.

A função principal de um líder é facilitar os processos que produzem certos resultados e permitirão que um negócio seja ou não bem-sucedido. Mas em cada processo existem pessoas envolvidas. Portanto, não há maneira mais poderosa de dirigir e facilitar do que através da conversação. Quanto mais efetivas nossas conversas, mais efetivos somos.

A palavra conversa vem do latim "conversus" que significa "tornar-se". Ou seja, à medida que vamos conversando nos tornamos em alguém diferente, nos transformamos através da palavra. Uma pessoa nunca será a mesma depois de ter conversado com outra, uma equipe de trabalho se transforma de acordo com as conversas entre seus membros. Isto porque as conversas não somente modificam as ações e os resultados, modificam também a própria pessoa. Uma organização é o que é porque as pessoas que a formam são quem são.

Como começar uma conversa

Muito bem. Eu posso fazer um esforço consciente para motivar os colaboradores de meu grupo para obter melhores resultados através de conversas de caráter positivo, de me aproximar deles, de mostrar a eles o lado amável da moeda. Mesmo assim, isto não garante que os resultados obtidos melhorem ou que minha tentativa de aproximação seja frutífera. Frequentemente contratamos consultores que cobram grandes quantidades de dinheiro para motivar os colaboradores. Na maioria dos casos, os sucessos são momentâneos e com o passar de alguns meses a situação se reverte e vem a frustração.

Conversas privadas e públicas

Do meu ponto de visa, a resposta está no fato de que existem conversas não abertas que são opostas às conversações que você, através do consultor ou pessoalmente, quer inserir no grupo. Pense em uma pessoa em seu trabalho que realmente não te agrade. Agora imagine que esta pessoa se aproxima com uma caixa de chocolates no dia de seu aniversário. Esta pessoa vem com as melhores intenções de te agradar, mas você realmente sente um desagrado por ela, "cai mal".

É provável que nesta situação você pense: "Quer me comprar, precisa de algum favor", "certamente interessa a ele se dar bem comigo e por isso me traz chocolates". No fim das contas, você recebe o presente e amavelmente agradece (conversação pública) pois é de bons modos fazê-lo, mas a sensação de desagrado não desaparece (conversação privada), mesmo quando se trata dos chocolates mais caros e saborosos. Agora imagine esta mesma situação com uma pessoa em seu trabalho na qual você confia e tem consideração. É diferente? Aposto que sim. Sua conversação privada, o que você não fala quando diz algo, é positiva e os julgamentos que você tem sobre esta pessoa também são.

Se você deseja conseguir melhores resultados em sua equipe de trabalho, procure manter novas e melhores conversas com sua gente. Para isto, é necessário entender e se fazer responsável das conversas privadas, tanto da equipe como das suas, pois são as conversações privadas que dominam todo sistema conversacional. Isto pode ser conseguido através da abertura, da interação onde não se distorcem os pensamentos e emoções e se é consciente dos próprios julgamentos, medos e rigidez. Enquanto mais próximas estão nossas conversas públicas de nossas conversas privadas, mais aberto será nosso diálogo e por consequência, mais potente.

Eis aqui um exercício que uma pessoa que admiro muito me recomendou e que pode ser útil para identificar quão próximas estão nossas conversações públicas com as privadas:

  • Traga à sua mente uma conversa de trabalho que seja recente e que você considere como tóxica e pouco produtiva. Localize qual foi a emoção que reinava na conversação e reviva-a.
  • Escreva em um papel com linhas (qualquer folha de caderno pode servir) e escreva exatamente como você a recorda, como uma obra de teatro:

Exemplo:

  • Eu: "Olá, terminou o relatório?"
  • Ele/Ela: "não, não tive tempo de fazê-lo."

É importante que deixe uma ou duas linhas entre cada interação para poder fazer o exercício.

  • Como se fosse uma obra de teatro, dê um título à conversação. Leia cuidadosamente o que você escreveu e reflita: Quais são meus julgamentos sobre esta pessoa? Qual era meu estado emocional prévio à conversação?
  • Até agora, você escreveu sua conversação pública com essa pessoa.
  • Nas linhas vazias e com uma cor diferente escreva, entre cada interação, a conversação privada, isto é, o que realmente queria dizer com essa frase. Da mesma maneira, anote debaixo das interações de seu interlocutor, o que você pensa ou sente que essa pessoa queria te dizer na verdade. Sinta-se livre para escrever o que quer que venha à sua mente.

Exemplo:

  • Eu: "Olá, terminou o relatório?" Nunca faz as coisas no tempo certo, aposto que não terminou o relatório: vou perguntar
  • Ele/Ela: "não, não tive tempo de fazê-lo." Outra vez perguntando sobre o relatório, quer controlar tudo!
  • Dê um nome à "obra paralela" e compare uma com a outra. Reflita sobre isto. É muito provável que agora você conheça o motivo pelo qual sua conversa com esta pessoa não foi efetiva.
Como começar uma conversa - Como começar uma conversa

Recorde que:

  • 80% da efetividade em uma conversa é baseada na escuta. Não é em vão que temos duas orelhas e apenas uma boca.
  • Você pode obter melhores resultados e processo mais efetivos se modificar sua forma de conversar, inclusive consigo mesmo.
  • Conversar efetivamente não é simples, você deve treinar e praticar. Procure cursos, artigos e livros sobre o tema. Pessoalmente recomendo o livro "Ontologia da Linguagem" de Rafael Echeverría, onde você encontrará informações extensas e completas sobre este tema.
  • Evite forçar as conversas em sua equipe de trabalho, coloque-se na função de escutar e entender as conversas privadas que dominam o grupo.
  • A abertura começa com você mesmo, de nada servirão seus esforços se você não aprender primeiro a observar suas próprias conversas e trabalhar em si mesmo.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como começar uma conversa, recomendamos que entre na nossa categoria de Coaching.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
A sua avaliação:
Leticia Farias
Um dos melhores artigos sobre conversas que li. Muito simple e prático!

Como começar uma conversa
1 de 2
Como começar uma conversa

Voltar ao topo da página