menu
Partilhar

Como reconhecer uma pessoa mentirosa

 
Por Gianluca Francia, Psicólogo. 5 março 2021
Como reconhecer uma pessoa mentirosa

Quantas vezes você se perguntou se alguém mentiu para você? Saber se seu interlocutor é sincero pode ser muito útil em diversas situações da vida, sobretudo quando se trata de tomar decisões. Ou para ver se a pessoa que vamos escolher como colaborador/a, empregado/a ou cuidador/a está nos falando a verdade sobre si mesmo/a. É muito importante saber se o parceiro, um amigo ou um colega de trabalho são sinceros ou estão mentindo. Neste artigo de Psicologia-Online, te sugerimos 6 dicas sobre como detectar uma pessoa mentirosa. Veremos porque as pessoas mentem, quem são os mentirosos patológicos e as atitudes de uma pessoa mentirosa.

Também lhe pode interessar: 5 características de uma pessoa boa

Por que mentimos?

Todos falamos mentiras de vez em quando, e por vários motivos; até mesmo para evitar ferir os sentimentos de uma pessoa ou para fugir de uma situação embaraçosa. Saber quais são as motivações dos diferentes tipos de mentiras nos ajuda a descobrir quando uma pessoa está mentindo.

Antes de tudo, é preciso ter cuidado para não confundir as mentiras ditas em determinadas circunstâncias nas quais estas são necessárias, com as mentiras ditas em todas as situações, até mesmo quando, na verdade, não servem para nada.

Uma das causas pode ser a mitomania, a tendência de dizer mentiras de forma sistêmica e patológica. Mas nem todos os que falam mentiras são mentirosos/as patológicos, se fosse assim, o mundo estaria lotado de doentes. A variedade de mentiras e tipos de mentiras é muito ampla, mas vejamos alguns exemplos de possíveis motivações. Se você se pergunta "por que ele/a mente para mim?", aqui você tem as respostas mais prováveis:

  • Para não ofender a sensibilidade dos outros;
  • Para respeitar as fantasias infantis;
  • Para não magoar o/a parceiro/a;
  • Para melhorar sua imagem;
  • Por timidez;
  • Para se eximir e evitar punições;
  • Para defender a privacidade.

Observar a expressão facial

As marcas da mentira aparecem na face. A prova de que um sentimento expressado pelo rosto é realmente autêntico, também pode ser encontrada avaliando a coerência entre todos os sinas de expressão facial (olhos, nariz, boca, etc.) e a coerência com os gestos involuntários realizados por outras partes do corpo (mãos, braços e pernas) para comprovar se são congruentes entre si ou não. Os gestos mais sinceros são aqueles que não se podem controlar e que são realizados involuntariamente. Alguns exemplos são:

  • Evitar o olhar;
  • Olhos olhando para baixo ou se esquivando;
  • Olhos que olham para longe;
  • Pestanejar;
  • Mover de repente a cabeça;
  • Respirar de forma grave;
  • Desobstruir a garganta ou engolir;
  • Esconder os lábios.

Ficar atento às frases típicas ditas nas mentiras

A comunicação mentirosa é reconhecível. De fato, quem mente é lacônico e reticente; suas afirmações são frequentemente construídas e esquemáticas, mas excessivamente peremptório. As frases são, na maioria das vezes, ditas em tons que se levantam e se abaixam. O mentiroso assume posições claras e precisas, aponta com energia, de modo que a linguagem e o tom de voz reforçam a fraqueza do que afirma. As frases de pessoas mentirosas mais típicas são:

  • "Eu nunca mentiria...". Em geral, aqueles que reagem de forma excessiva e se colocam em posições rígidas demais, têm algo para ocultar.
  • Se defende com acusações. O mentiroso fala pouco, não se desequilibra, e toma posições firmes contra quem mente, com um excesso de ênfase, colocando sobre o outro a responsabilidade da acusação.
  • Não faz perguntas lógicas. Por mais que o mentiroso possa responder habilmente, te manipular e desviar, não terá energia suficiente para fazer perguntas críveis durante sua obra. Neste artigo, você encontrará mais informações sobre um manipulador.
  • "A verdade é que...". Se a intenção de contar a verdade é declarada e enfatizada, há motivos para suspeitar que quem fala tal verdade não quer dizê-la.
  • Utiliza escrúpulos falsos. Tenha cuidado quando alguém falar "não quero te dizer isto, mas..." e fala, ou "não quero te prejudicar, mas..." e o faz. Seu verdadeiro propósito é dizê-lo, mas sem sofrer as consequências.
  • O mentiroso habitual se controla mais. As pessoas que geralmente mentem falam muito rápido e em um tom bastante agudo; os que falam mentiras esporádicas e ocasionais se sentem mais incomodados, e preferem mentir em voz baixa; o mentiroso não preparado, por outro lado, fala lentamente porque procura as palavras adequadas.
  • Se nega a responder. Em alguns casos, pode ser uma maneira de evitar responder usando frases como "não creio que eu seja a pessoa mais adequada para falar disso".
  • Apenas repete a pergunta. O silêncio em resposta a uma pergunta é universalmente percebido como sinal de mentira; assim, para evitar estas suposições, o mentiroso repete a pergunta para ganhar tempo para pensar.
  • Faz afirmações sem resposta. A psicologia subjacente a este comportamento é a mesma que a anterior: evitar silêncios desconfortáveis.
  • Dá respostas muito detalhadas. As pessoas que mentem, frequentemente dão respostas ricas em detalhes de duas maneiras: respondendo de forma muito técnica ou muito lenta.

Perguntar com detalhes

O professor Edward Geiselman baseou sua carreira em estudar estes comportamentos mentirosos, sugerindo algumas técnicas para desmascará-los que vão mais além da observação de seu comportamento durante um interrogatório. Vejamos as perguntas para pegar um mentiroso:

  1. Peça à pessoa que você tem em frente que te conte a história ao contrário. Comece pelo final e leve-a em uma viagem emocionante para descobrir possíveis contradições. Peça para ser o mais completo, exaustivo e detalhado possível. Isto aumenta a carga cognitiva que empurrará a pessoa ao limite resultando em descobrir uma mentira em segundos.
  2. Comece com uma pergunta aberta e entre em detalhes. Fazer perguntas abertas e genéricas que, a princípio, não impliquem em um "sim ou não" claro como resposta e logo pressione com perguntas mais específicas, mas sempre com o fim de fazê-lo falar tanto quanto possível.
  3. Não interrompa o discurso. Deixe-o falar e concentre-se em suas pausas silenciosas para incentivá-lo a seguir em frente.

Reconhecer pessoas mentirosas patológicas

Mentir significa alterar a verdade, afirmar o falso com plena consciência e com a intenção de enganar. Mentir é um comportamento de todos e por diferentes razões, mas às vezes a mentira também pode indicar uma patologia. As pessoas que mentem patologicamente se reconhecem a si mesmas em seu íntimo, na realidade; não podem ser reconhecidas no mundo virtual, por exemplo, mediante troca de mensagens (chat ou sms).

São pessoas que mentem sobre tudo, não apenas sobre coisas relacionadas com as relações: mentem sobre coisas de sua família, inventam doenças graves ou mortes de parentes, histórias de ações que fizeram merecedoras de grandes elogios, outras identidades, outros estados civis, etc. O mentiroso patológico é manipulador, egocêntrico, narcisista e nada empático com respeito à dimensão psicológica de outras pessoas; é um roteirista de história nos confins da realidade.

Conheça seus antecedentes

Uma pessoa mentirosa pode mudar? Como qualquer outro comportamento que oferece comodidade e escape do estresse, a mentira pode gerar vício (tanto quanto a droga, o álcool, etc.) e, portanto, é um comportamento difícil de erradicar. Como no caso da dependência química, se não existe uma forte aliança por parte da pessoa e, sobretudo, uma forte motivação para deixar de consumir drogas, é difícil chegar a resultados realmente positivos.

Para complicar ainda mais a situação, pode se adicionar que frequentemente o quadro da mentira patológica está acompanhado, ou em poucas palavras, é a ponta do iceberg, de um transtorno de personalidade mais amplo e penetrante, em geral o transtorno de personalidade narcisista ou o transtorno de personalidade limítrofe. Em qualquer caso, nada é irresolvível, e o conselho é, uma vez reconhecido o problema, se dirigir a um profissional qualificado que saiba escutar tanto as verdades do mentiroso como as daqueles com quem o mentiroso está convivendo.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como reconhecer uma pessoa mentirosa, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia social.

Bibliografia
  • Andreozzi, L. (2015). Il bugiardo patologico. Come riconoscerlo e difendersi. Youcanprint.
  • Pedrazzi, A. (2018). Bugiardi patologici e partner nocivi. Menzogne e manipolazioni ordite da chi dice di amarci. Recuperado de: http://www.psicologoinrete.com/bugiardo-patologico.html
  • RIZA (2014). Smascherare i bugiardi. L’arte di scoprire chi sta mentendo e chi cerca di ingannarti o manipolarti. Milán: Edizioni Riza.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Como reconhecer uma pessoa mentirosa
Como reconhecer uma pessoa mentirosa

Voltar ao topo da página