Partilhar

Falta de desejo feminino: o que fazer

 
Por Equipe editorial. 10 dezembro 2019
Falta de desejo feminino: o que fazer

“Hoje não, minha cabeça dói”, “Estou muito cansada”... De repente ficamos surpresas ao inventar desculpas para não fazer algo que costumávamos gostar. O que aconteceu? Não é que você tenha deixado de gostar de sexo, mas você não tem mais o mesmo desejo de antes. A realidade é que essa falta de desejo é muito mais comum do que pensamos e existem muitas causas possíveis que podem provocá-la, mas também muitas soluções eficazes. Se você quer saber mais sobre falta de desejo feminino: o que fazer, continue lendo este artigo de Psicologia-Online.

Também lhe pode interessar: Não sinto mais desejo pelo meu marido

Falta de desejo feminino e DSH

A falta de desejo feminino pode ser algo específico (de algumas vezes ou de algum determinado período de tempo) ou de algo mais crônico, como o transtorno do Desejo Sexual Hipoativo (DSH).

Como explicado no artigo sobre parar de pensar em sexo, as alterações do desejo sexual não têm porque implicar em um transtorno, pois deve-se levar em consideração fatores como a frequência com que aparece o desejo ou a intensidade deste com base na pessoa. Ou seja, se a pessoa tem uma frequência baixa de desejo sexual, não significa que ela tenha algum transtorno e é perfeitamente normal.

O DSH ou o Transtorno do Interesse/Excitação Sexual Feminino, de acordo com o DSM-V, é um transtorno caracterizado pela falta de motivação para buscar estimulação sexual e iniciar uma relação. As mulheres que sofrem com isso, embora não tenham iniciativa sexual, podem aceitar a aproximação da outra pessoa e tolerar o contato com o parceiro. O DSM-V estabelece que, durante pelo menos 6 meses, deve haver uma ausência ou redução significativa:

  • Da atividade sexual
  • Dos pensamentos ou fantasias sexuais/eróticas
  • Da iniciativa na atividade sexual e baixa receptividade às tentativas do parceiro
  • Da excitação/prazer sexual durante os encontros sexuais (75-100% das vezes)
  • Do interesse/excitação em respostas a indicadores sexuais/eróticos externos (textos, imagens, vídeos…)
  • Das sensações genitais e não genitais durante a atividade sexual (75-100% das vezes)

Esse transtorno não está relacionado com a falta de sincronia do desejo do casal ou com diferenças nos níveis de desejo respectivos. Ou seja, se um dos membros do casal tem mais desejo sexual que o outro não significa que o segundo sofra do transtorno.

Estima-se que o DSH afeta entre 30-50% das mulheres (e aumenta na menopausa) que tendem a apresentar deterioração da imagem corporal, diminuição da autoconfiança e da autoestima. Além disso, podem experimentar o transtorno com angústia, ansiedade, depressão ou fadiga.

Causas da falta de desejo feminino

A que se deve a falta de libido feminina? As causas que explicam ou influenciam na falta de desejo feminino podem ser múltiplas e geralmente são classificadas em psicológicas, sociais e biológicas.

  • Psicológicas: pensamentos e atitudes negativas em relação ao sexo, histórias de transtornos mentais, baixa autoestima, ansiedade, estresse, depressão, etc.
  • Sociais: dificuldades no relacionamento, estresse como crianças pequenas, etc.
  • Biológicas: condições médicas como diabetes mellitus ou disfunção tireoidiana, alterações hormonais como níveis baixos de testosterona, fatores genéticos de vulnerabilidade aos problemas sexuais, ingestão de medicamentos que podem diminuir o desejo sexual como a pílula ou alguns depressivos, etc.

As causas mais comuns da falta de desejo feminino em mulheres jovens são geralmente psicológicas e sociais, enquanto que a falta de desejo em mulheres na menopausa geralmente se deve mais à fatores biológicos por culpa das alterações hormonais próprias dessa etapa.

Além disso, deve-se ter em mente que o fator cultural que ao longo da história tem negado a sexualidade feminina também pode influenciar na falta de desejo sexual.

Falta de desejo feminino: o que fazer

Como solucionar a falta de desejo feminino? É importante entender bem o conceito do transtorno e as causas da falta de desejo na mulher antes de procurar soluções para ter o desejo de fazer amor. Talvez você descubra que não sofre nenhum tipo de transtorno e simplesmente aceita que tem um nível baixo de desejo, o que não tem nada de errado. Também é possível que confirme que está em uma temporada em que sofreu uma diminuição notável do desejo sexual e quer pôr um fim nisso.

De qualquer forma, deve-se prestar atenção às possíveis causas para atacar aquelas que tenham mais chances de estar causando a falta de desejo. Por exemplo, se acreditamos que a causa pode ser o estresse, podemos tentar realizar exercícios de relaxamento, encontrar espaços e horários para relaxar, etc. Se você suspeita que o problema está na falta de comunicação do casal, pode tentar conversar com a outra pessoa, propor soluções, ir a terapia, etc.

No entanto, se você não tem claro quais são as causas exatas, pode tentar algumas soluções naturais que ajudam a aumentar a libido feminina:

  • Fazer exercícios físicos, especialmente exercícios de Kegel que ajudam a fortalecer o abdômen e os músculos da pelve.
  • Mudar a rotina das relações sexuais: prestar mais atenção às preliminares, utilizar óleos ou lubrificantes, brinquedos sexuais, etc.
  • Tomar alimentos e infusões afrodisíacas: gengibre, abacate, figos, morangos, amêndoas, ostras, etc. Existem inúmeros alimentos que ajudam a aumentar o apetite sexual da mulher.
  • Tomar pílulas naturais: existem remédios para aumentar o desejo feminino com efeitos estimuladores fabricados à base de produtos naturais.

Como aumentar o desejo feminino

Quando a falta de desejo feminino se deve a um transtorno e você deseja receber tratamento, deve sempre procurar um profissional para avaliar o caso e que possa dar a atenção mais adequada. Os principais tratamentos são:

  • Psicoterapia (terapia cognitivo-comportamental): concentra-se na modificação de pensamentos, crenças, comportamentos, emoções, comunicação do casal e, finalmente, qualquer variável que interfira no desejo.
  • Tratamento farmacológico: o desejo sexual pode ser estimulado pelos medicamentos como a flibanserina. Esse tipo de fármacos apenas deve tomado sob prescrição médica, pois afetam diretamente ao sistema nervoso central e podem ter contraindicações e efeitos colaterais importantes. Além disso, ao contrário do viagra masculino, o efeito deste não é imediato, mas deve ser tomado durante semanas para perceber os resultados.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Falta de desejo feminino: o que fazer, recomendamos que entre na nossa categoria de Sexologia.

Bibliografia
  • American Psychiatric Association (2014). Manual Diagnóstico y Estadístico de los Trastornos Mentales. 5a edición. Editorial Médica Panamericana
  • De Charnay, M. & Henríquez, E. (2003). Prevalencia del deseo sexual inhibido en mujeres en edad fértil. Ciencia y Enfermería IX (1), 55-64.
  • Gregoire, S. W. (2008). Cariño, esta noche no me duele la cabeza: Reavive la intimidad en su matrimonio. Portavoz.

Escrever comentário sobre Falta de desejo feminino: o que fazer

O que lhe pareceu o artigo?

Falta de desejo feminino: o que fazer
Falta de desejo feminino: o que fazer

Voltar ao topo da página