Neuropsicologia

Lóbulo parietal: função, partes, características e lesões

 
Alejandro Garcia Mingrone
Por Alejandro Garcia Mingrone. 8 agosto 2022
Lóbulo parietal: função, partes, características e lesões

O corpo humano possui uma ampla diversidade de órgãos que são vitais para as pessoas, cada um deles tem funções específicas. Se há algo que não funciona bem em algum destes órgãos, isto pode dar lugar a complicações.

Sabemos que o cérebro é o lugar no qual ocorre uma grande quantidade de processos internos que permitem que possamos desenvolver nossa vida sem pensar nem refletir sobre como isto ocorre, o certo é que isso não acontece por causa de magia.

Existe uma região situada no cérebro que é muito importante para o desenvolvimento das funções vitais do ser humano: estamos falando do lóbulo parietal. Neste artigo de Psicologia-Online, te daremos informações sobre o lóbulo parietal: função, partes, características e lesões.

Índice
  1. O que é o lóbulo parietal
  2. Função do lóbulo parietal
  3. Partes do lóbulo parietal
  4. Características do lóbulo parietal
  5. Lesões no lóbulo parietal

O que é o lóbulo parietal

O lóbulo parietal é uma parte do córtex cerebral que se encarrega da integração de diversos estímulos que provêm de diferentes regiões. Dito de outro modo, o lóbulo parietal unifica a informação de diferentes procedências, portanto é fundamental para que as funções vitais se desenvolvam de forma correta.

Esta parte se encontra no centro do cérebro e fica próxima do lóbulo occipital, do lóbulo temporal e do frontal.

Função do lóbulo parietal

O que o lóbulo parietal faz? Em linhas gerais, a função principal do lóbulo parietal é a integração de dados sensoriais, que corresponde com a união de informações provenientes tanto do interior como do exterior do organismo.

Por um lado, aí se localizam os neurônios que permitem o processamento de informações simbólicas: palavras, gestos, frases, entre outros. Este fato está relacionado com os canais de comunicação social que o ser humano possui.

Por outro lado, o lóbulo parietal se encarrega de traduzir os dados que se originam no corpo humano. Como exemplo, podemos mencionar que os movimentos corporais, o tato ou a visão, entre outros, podem ser compreendidos graças ao trabalho do lóbulo parietal. Dito de outra forma, o lóbulo parietal tem a qualidade de unificar a informação originada em diferentes setores do corpo humano.

Partes do lóbulo parietal

O lóbulo parietal se divide em cinco partes, cada uma com qualidades diferentes que respondem ao funcionamento do mesmo. A seguir explicamos cada uma delas:

  • Córtex somatossensorial primário: é a encarregada da recepção de dados associados ao rosto e ao lado oposto do corpo. Em outras palavras, a parte esquerda do lóbulo parietal está conectada à informação que chega do setor direito do hemisfério direito do corpo.
  • Córtex somatossensorial secundário: é o setor que traduz os sinais neuronais elétricos de todo o corpo.
  • Área de associação: esta parte estuda e relaciona os movimentos com as imagens, dimensões espaciais e a memória.
  • Parietal inferior: vinculado à interrelação de sons.
  • Sulco intraparietal: este setor intervém nos processos de aprendizagem.
Lóbulo parietal: função, partes, características e lesões - Partes do lóbulo parietal

Características do lóbulo parietal

Como já mencionamos anteriormente, o lóbulo parietal intervém em determinados processos complexos que se desenvolvem no ser humano. Neste tópico, destacaremos as características principais que se destacam:

  • Incidência na memória: a capacidade de armazenar informações pode ser conseguida graças à medicação do lóbulo parietal. Isto ocorre devido a que existam componentes neuronais que atuam dentro do hipocampo do cérebro, os quais ajudam na retenção de dados.
  • Regulação emocional: o estado de humor, se estiver bem condicionado majoritariamente pelas experiências que a pessoa viveu, ocorre devido a intervenção do lóbulo parietal. Por sua vez, a integração de dados sensoriais está relacionada com o modo de assimilação deles.

Lesões no lóbulo parietal

Podemos delimitar três tipos de lesões possíveis que possam ocasionar no lóbulo parietal. Mesmo que a gravidade delas esteja diretamente vinculada às consequências produzidas, existem critérios gerais para identificar as lesões do lóbulo parietal:

  • Lóbulo parietal direito: as alterações produzidas aqui podem dar conta de dificuldades para manter a atenção de estímulos situados no lado esquerdo do corpo. Um exemplo desta problemática é a negligência contralateral.
  • Lóbulo parietal esquerdo: as lesões produzidas nesta área interferem no desempenho do lado direito do corpo. Como exemplo, podemos mencionar a síndrome de Gersmann dada a dificuldade em levar a cabo atividades motoras e intelectuais.
  • Ambos lóbulos: o dano no lóbulo direito e esquerdo pode ocasionar deficiências nos dois hemisférios do corpo. Por causa disso, surgem dificuldades que correspondem à sensibilidade, ao tato, a temporalidade e à localização espacial, entre outros.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Lóbulo parietal: função, partes, características e lesões, recomendamos que entre na nossa categoria de Neuropsicologia.

Bibliografia
  • Stelzer, F., Cervigni, M. A., Martino, P. (2010). Bases neurales del desarrollo de las funciones ejecutivas durante la infancia y la adolescencia. Una revisión. Revista Chilena de Neuropsicología, 5 (3), 176-184.
  • Tornese, E., Mazzoglio y Nabar, M.J., Doglotti, C. G. (2015). Correlatos estructurales y funcionales del lóbulo parietal en femeninas con demencia tipo Alzheimer por resonancia magnética y tomografía por emisión de fotón único. Revista Argentina Anatomía, 6 (3), 128-147.
Escrever comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 de 2
Lóbulo parietal: função, partes, características e lesões