Psicologia clínica

Medo de cobra: o que é a ofidiofobia

 
Andrea Fernández García
Por Andrea Fernández García. 7 março 2022
Medo de cobra: o que é a ofidiofobia

Não podemos dizer que as cobras sejam animais agradáveis, de forma geral, com as quais a maioria das pessoas gostaria de compartilhar alguns dias, ou até mesmo alguns minutos. No entanto, atualmente, poucas são as pessoas que diariamente poderiam estar em contato com serpentes e poderiam sentir um medo real e uma ameaça à sua integridade física.

Historicamente nunca gozaram de boa fama entre os humanos, mas hoje em dia, um medo excessivo destes seres poderia ser disfuncional e gerar um mal-estar tão elevado à pessoa que pode nos fazer menos eficientes. É por isto que, neste artigo de Psicologia-Online, te explicamos mais sobre o medo de cobra: o que é a ofidiofobia. Continue lendo!

Índice
  1. Fobia de cobra: o que é a ofidiofobia
  2. Sintomas da ofidiofobia
  3. Causas da ofidiofobia
  4. Tratamento da fobia de cobra

Fobia de cobra: o que é a ofidiofobia

Como se chama o medo de cobra? O termo ofidiofobia faz referência a um tipo de fobia específica, especificamente, é uma das zoofobias mais comuns. Especificamente, é o medo de cobras ou semelhantes, de forma irracional ou exagerada.

Devemos diferenciar o medo natural que estes animais provocam, visto que a nível evolutivo é totalmente normal, e, inclusive, necessário que gerem uma resposta de medo. Na ofidiofobia observamos um medo injustificado e exagerado em comparação à situação de ameaça real, já que se falamos de fobia, este medo pode aparecer em situações nas quais o animal não supõe um perigo nem uma ameaça para a vida da pessoa em questão.

Medo de cobra: o que é a ofidiofobia - Fobia de cobra: o que é a ofidiofobia

Sintomas da ofidiofobia

É possível que você se pergunte "como saber se tenho medo de cobra?", por isso, a seguir, te mostraremos os principais sintomas da ofidiofobia:

  • Referências negativas de cobras e tudo referente à elas.
  • Evitação excessiva.
  • Fuga de tais estímulos.
  • Hiperventilação e palpitações.
  • Ansiedade intensa diante de estimativas erradas de ameaça, isto é, diante dos significados atribuídos ao estímulo e à resposta de medo gerada.
  • Aparição de outros transtornos derivados desta fobia.

Causas da ofidiofobia

A causa do medo de cobra não é unicamente um estressor ou uma experiência, ou a predisposição biológica do indivíduo, mas sempre teremos presente a interação entre genética e ambiente:

  • O sujeito que sofre de ofidiofobia certamente tem uma vulnerabilidade biológica generalizada que, junto com o estresse que vivencia, criará uma sensação de alarme falso, que terminará se convertendo em um alarme aprendido, gerando uma vulnerabilidade psicológica.
  • Esta vulnerabilidade é influenciada pelos aprendizados, sejam de forma direta ou vicária de outros alarmes reais. Este ciclo, dá lugar à aparição de transtornos de ansiedade e fobias.
  • Algumas hipóteses sustentam que as serpentes eram um perigo na antiguidade para a integridade física dos humanos. Este perigo era muito mais elevado, portanto a sensação de alerta e perigo por este réptil era muito mais intensa. Esta sensação haveria perdurado até a atualidade em algumas destas pessoas que sofrem de ofidiofobia.
Medo de cobra: o que é a ofidiofobia - Causas da ofidiofobia

Tratamento da fobia de cobra

Como superar o medo de cobra? A chave para curar a ofidiofobia é a exposição repetida ao estímulo temido em concreto, e a geração de um novo aprendizado em que o estímulo temido se mostra inofensivo.

Para começar o tratamento da ofidiofobia, é importante adquirir habilidades de controle da ansiedade e relaxamento, assim como criar um entorno de segurança no marco de uma aliança terapêutica apropriada para poder continuar avançando. A partir daqui, como com todas as fobias, o melhor tratamento seria a terapia de exposição ou dessensibilização sistemática.

Terapia de exposição

Segundo Wolpe, a dessensibilização sistemática funciona por contracondicionamento, isto é, por associar ou gerar uma resposta oposta, como o relaxamento, que seria gerado de forma inicial, como medo, e a ansiedade.

A terapia de exposição, a mais atual e usada, se fundamenta na teoria bifatorial de Maurer e os modelos de habituação e extinção. Agora, como superar a ofidiofobia com este tipo de terapia? Sua eficácia para curar o medo de cobras radica em impedir que a evitação se converta em um sinal de segurança. Esta terapia pode ser desenvolvida de várias formas:

  • Ao vivo (gradual ou intensiva): expondo-se diretamente à situação que o medo irracional gera como tocar cobras ou estar na mesma sala que elas.
  • Simbólica: através de estímulos visuais ou auditivos associados ou através de realidade virtual. Ver filmes na qual uma cobra aparece.
  • Em grupo: aumentando assim o apoio social e a motivação e aderência à terapia.
  • Interoceptiva: provocando as sensações corporais próprias do momento de aparição do medo como a hiperventilação.

Outras terapias cognitivo-comportamentais

Por último, também se conhecem outras técnicas que funcionam com algumas fobias como a terapia narrativa e o processamento e dessensibilização por movimentos oculares (EMDR). Todas estas terapias mencionais são englobadas na corrente cognitivo-comportamental da psicologia, da qual temos mais evidências científicas de sua eficácia. Neste artigo, te contamos o que é o behaviorismo na psicologia.

Como sempre, a escolha do tratamento mais adequado dependerá de muitos fatores, pessoais, sociais e ambientais, que farão que funcione melhor um tipo ou outro. Seja qual for o tipo de tratamento escolhido, as chaves do sucesso para superar a ofidiofobia são:

  • Que o terapeuta tenha conhecimento do modelo conceitual que aplica.
  • Que se tenha estabelecido uma boa relação terapêutica.
  • Que se transmita uma lógica consistente do tratamento.
  • Que se implantem de maneira efetiva as diferentes modalidades de exposição.

Se você pensa que pode sofrer de ofidiofobia e nota que isto está interferindo em seu dia a dia e te gera mal-estar, é importante que procure um/a psicológo/a que possa te fazer os testes pertinentes e realizar o tratamento que melhor se ajusta a seu caso.

Agora que vocè já conhece as caractrísticas da fobia de cobra, pode ser que você também queira conhecer as fobias mais comuns e suas definições.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Medo de cobra: o que é a ofidiofobia, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Bibliografia
  • American psychiatric association, (2014). Manual diagnóstico y estadístico de los trastornos mentales DSM – 5. Madrid, España. Editorial medica panamericana.
  • Belloch, A., Sandín, B., Ramos, F., (2009). Manual de psicopatología, volumen II. Madrid. McGraw Hill / Interamericana de España, S.A.U.
  • Labrador, F. J., (coord.) (2008). Técnicas de modificación de conducta. Madrid. Pirámide
Escrever comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 de 3
Medo de cobra: o que é a ofidiofobia