Partilhar

Misofobia: significado, sintomas, causas e tratamento

 
Por Equipe editorial. 21 setembro 2020
Misofobia: significado, sintomas, causas e tratamento

Ter respeito pela sujeira e pelos germes é algo muito comum entre a sociedade, e ainda mais hoje em dia. Mas o que acontecerá se esse respeito se transformar em um medo paralisante? É aí que nos encontramos diante da misofobia, também conhecida como germofobia. Em Psicologia-Online, explicaremos o que é a misofobia, seus sintomas, causas e o tratamento psicológico mais eficaz para superar esse medo.

O que é a misofobia

Trata-se de uma fobia específica que é caracterizada por um medo excessivo e irracional em relação à sujeira e outros germes provocando dificuldades na vida da pessoa que a sofre. O indivíduo ficará o dia todo pensando em estratégias para evitar se sujar ou entrar em contato com germes, sendo esses pensamentos incômodos, já que irrompem no dia a dia.

Por exemplo, muitas das pessoas afetadas evitarão ir ou se aproximar de lugares que considerem pouco limpos ou evitarão comportamentos que consideram que possam colocá-las em risco, como pedir comida em casa.

A misofobia ou bacilofobia, como dito anteriormente, é uma fobia específica e, como tal, trata-se de um transtorno de ansiedade. Em várias ocasiões, a misofobia ocorre junto ao transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Aqui você pode ver os diferentes tipos de transtornos de ansiedade.

O TOC é um transtorno psiquiátrico em que a pessoa apresenta pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes e persistentes, que carregam um desconforto significativo. Para tentar aliviar ou diminuir essa ansiedade causada pelas obsessões, estabelecem comportamentos ou ações mentais como: lavar as mãos várias vezes, rezar ou contar até X número. Essas são as chamadas compulsões.

Na misofobia, o medo só aparece quando a pessoa se depara com uma situação onde está em contato com algo sujo. Ao contrário, no transtorno obsessivo compulsivo, o medo está presente praticamente todo o tempo em que a pessoa está acordada. Por exemplo, no caso da misofobia ou germofobia, se uma pessoa que sofre disso convida alguns amigos para sua casa e eles se oferecem para lavar alguns pratos e colocá-los na lava-louças, quando eles saírem, ela os tira e os mergulha na pia para uma desinfecção adequada que esteja à altura dos padrões. Também pode sentir a necessidade de limpar a parte da casa onde estiveram depois de saíram.

Neste ponto, podemos nos perguntar quais são os sintomas da misofobia, o que causa a misofobia e se existe tratamento para ela.

Antes de começar com os sintomas, cabe destacar que ser cuidadoso com os germes e tentar manter as coisas e o nosso ambiente o mais limpo possível responde a um comportamento saudável, aprendido e que nos fez avançar como sociedade. O problema aparece quando esses comportamentos se tornam obsessivos, extremos e incapacitantes.

Sintomas da misofobia

Os sintomas principais da misofobia são os seguintes:

Medo excessivo da sujeira ou de germes

A pessoa que vivencia a misofobia apresenta um medo exagerado da sujeira e dos germes, bem como de todos os objetos ou lugares que percebem como contaminados ou sujos. O medo interfere nas atividades da vida diária e costuma causar muito sofrimento. De acordo com diferentes estudos, as pessoas afetadas por misofobia costumam lavar as mãos cerca de 40 vezes por hora e trocam de roupa até cinco vezes por dia.

Embora as pessoas que apresentam misofobia ou germofobia possam ter em comum o medo da sujeira e dos germes, cada pessoa pode apresentar medos ligeiramente diferentes. Existem aqueles que podem ter medo dos micróbios ou existem outras pessoas que só podem apresentar medo do que eles percebem como sujo: vassouras, esfregões, mesas de bar, etc. Também pode ocorrer fobia à contaminação, fobia às bactérias (bacteriofobia) ou fobia de micróbios (bacilofobia).

Evitar as situações temidas

Como acontece na maioria das fobias, as pessoas evitam o que consideram prejudicial. Neste caso, a pessoa evitará entrar em contato com qualquer situação, objeto ou pessoa que veja como possível portadora de germes ou sujeira. Algumas das situações mais prováveis de serem evitadas são:

  • Visitar a casa de outras pessoas
  • Comer fora de casa
  • Utilizar lavabos, banheiros, vestiários públicos
  • Ir aos shoppings
  • Pegar o transporte público

E até não sair na rua para não se expor à sujeira, o que indiretamente leva ao isolamento social. Isso costuma ser muito incapacitante e causar todos os tipos de problemas no dia a dia, além de impossibilitar a pessoa de desfrutar de muitas atividades que se não fosse a misofobia, ela realizaria.

Dependendo da gravidade da misofobia ou germofobia que a pessoa experimenta, a fobia pode ser mais incapacitante ou menos.

Ansiedade

Quando a pessoa se depara com o estímulo temido, seu corpo reage com sintomas de ansiedade como:

  • Dificuldades para respirar
  • Dor ou pressão no peito
  • Sensação de tontura
  • Suor excessivo
  • Palpitações
  • Náuseas
  • Tonturas

Mesmo nos casos mais graves, pode-se chegar a ter a sensação de perder o controle ou de morrer.

A ansiedade experimentada diante da situação temida, medo de sujeira ou germes, é uma das principais causas que faz com que os indivíduos evitem todas aquelas situações em que percebem riscos.

Causas da misofobia

A misofobia geralmente é multicausal:

Causas biológicas

A maior parte dos transtornos de ansiedade tem um componente hereditário. Diversos estudos mostraram que certas diferenças biológicas fariam com que algumas pessoas tivessem uma maior predisposição a desenvolver transtornos de ansiedade, como as fobias.

Causas ambientais

Por sua vez, acredita-se também que é o resultado de uma interação entre a parte mais biológica e a ambiental, como ter vivido experiências traumáticas relacionadas ao assunto ou como resultado de uma educação muito exigente com a limpeza ou com muito medo de sujeira.

Tratamento da misofobia

Como vimos, a misofobia pode se tornar um transtorno muito incapacitante. No entanto, hoje em dia existem diversas técnicas psicológicas que demonstraram ser altamente eficazes no tratamento das fobias específicas.

Tratamento psicológico

Em primeiro lugar, encontramos o tratamento cognitivo-comportamental (TCC). Nesse tipo de tratamento, a pessoa vai aprendendo a se expor ao estímulo de maneira progressiva. Geralmente, uma hierarquia de medos é elaborada e começa por aquela situação ou objeto que dá menos medo e, aos poucos, vai avançando para aquelas situações ou estímulos que dão mais medos: é a chamada dessensibilização sistemática. Em muitas ocasiões, ela começa fazendo isso na imaginação e depois ao vivo. Expor-se de maneira gradual ao estímulo temido reduz a resposta de ansiedade e nos ajuda a mudar nossa percepção irracional sobre o medo e ajustá-lo à realidade.

Outras técnicas alternativas que também têm mostrado eficácia são a terapia de aceitação e compromisso (ACT) e a hipnoterapia.

Tratamento farmacológico

Nos casos mais graves nos quais a misofobia é muito incapacitante, primeiro deve-se contemplar o tratamento farmacológico para reduzir a resposta de ansiedade extrema. Uma vez que isso tenha sido reduzido, o tratamento cognitivo-comportamental começará. Quando os níveis de ansiedade são muito altos, é difícil realizar um TCC, pois a própria resposta ansiosa paralisaria a pessoa. O objetivo do medicamento é reduzir essa ansiedade para poder trabalhar os medos posteriormente.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Misofobia: significado, sintomas, causas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Bibliografia
  • American Psychiatric Association. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders. 5th ed. Arlington, VA: American Psychiatric Publishing. 2013:451-460.
  • Belloch, A., Sandín, B.,Ramos, F. (2008). Manual de psicopatología. Madrid: McGrawHill.

Escrever comentário sobre Misofobia: significado, sintomas, causas e tratamento

O que lhe pareceu o artigo?

Misofobia: significado, sintomas, causas e tratamento
Misofobia: significado, sintomas, causas e tratamento

Voltar ao topo da página