menu
Partilhar

O que é assédio moral no trabalho e suas consequências

 
Por Equipe editorial. 14 julho 2021
O que é assédio moral no trabalho e suas consequências

O fenômeno mobbing, uma forma de pressão psicológica e/ou moral no trabalho, ganhou importância especial ao se evidenciar como causa de depressão, ansiedade generalizada, e até mesmo distúrbios de estresse pós-traumático, que geram absenteísmo, abandono do posto de trabalho, aumento de acidentes, diminuição da quantidade e da qualidade do trabalho, etc. Isso produz elevados custos para a sociedade industrializada e para a vítima de mobbing, que vê sua carreira ou profissão, sua situação social e financeira, e até mesmo sua saúde ameaçadas (Carreras e outros, 2002). Por isso, neste artigo de Psicologia-Online respondemos o que é assédio moral no trabalho e apresentamos as suas consequências.

Também lhe pode interessar: Como lidar com pessoas tóxicas no trabalho

Consequências do assédio moral no trabalho

Para Hirigoyen (2001), os primeiros sintomas que aparecem são muito parecidos com os do estresse: cansaço, nervosismo, problemas de sono, enxaquecas, problemas digestivos e dor lombar, mas se o assédio continua por muito tempo, então pode se estabelecer um estado depressivo maior.

De acordo com a pesquisa realizada por Hirigoyen (2001), 69% das pessoas que responderam ao questionário haviam sofrido de um estado depressivo maior e 52% apresentavam transtornos psicossomáticos variados.

Para tal autora, o assédio moral no trabalho deixa marcas inapagáveis que podem ir desde estresse pós-traumático, até a experiência de vergonha recorrente ou até mesmo mudanças duradouras de sua personalidade. A desvalorização persiste mesmo que a pessoa se afaste de seu assediador. A vítima leva uma cicatriz psicológica que a leva a viver com medo e a duvidar de todo mundo. Piñuel y Zabala (2001) estruturam as consequências do mobbing (ou assédio no trabalho) no trabalhador afetado nos seguintes tópicos:

Consequências físicas do assédio moral no trabalho

Ocorre um amplo espectro de somatizações:

  • transtornos cardiovasculares (hipertensão, arritmias, dores no peito, etc.)
  • transtornos musculares (dores lombares, cervicais, tremores, etc.)
  • transtornos respiratórios (sensação de sufoco, ondas de calor, hiperventilação, etc.)
  • transtornos gastrointestinais (dores abdominais, náuseas, vômitos, boca seca, etc.)
O que é assédio moral no trabalho e suas consequências - Consequências físicas do assédio moral no trabalho

Consequências psíquicas do assédio no trabalho

O trabalhador assediado pode apresentar as seguintes consequências psíquicas:

  • Ansiedade
  • Estado de humor depressivo
  • Apatia ou perda de interesse por atividades que antes te interessavam ou produziam prazer
  • Alterações do sono (insônia e hipersonia)
  • Sentimentos profundos de culpa
  • Aumento de apetite
  • Distorções cognitivas (fracasso, culpa, ruína, inutilidade, etc.)
  • Hipervigilância
  • Suspeita
  • Instabilidade emocional com choro frequente
  • Ideias de suicídios não estruturadas, sem plano nem tentativas de suicídio
  • Sentimentos de impotência e indefesa
  • Medo do ambiente de trabalho, de anteder o telefone, de se deparar com seu chefe
  • Medo de voltar a trabalhar e de não ser capaz de desempenhar seu trabalho adequadamente
  • Medo de sair na rua
  • Expectativas negativas sobre seu futuro
  • Atenção seletiva por tudo aquilo relacionada com o fracasso
  • Diminuição da capacidade de memória e dificuldades para manter a atenção e pensamentos recorrentes sobre a situação de assédio moral no trabalho

(García e Rolsma, 2003; Fornés, 2002).

Na vítima ocorrem mudanças de personalidade com predomínio de traços obsessivos (atitude hostil, e suspeita, sentimento crônico de nervosismo, hipersensibilidade a respeito de injustiças), traços depressivos (sentimentos de indefesa, anedonia, indefesa aprendida) (Gómez, Burgos e Martín, 2003) e alteração do desejo sexual (hipoatividade sexual, etc.).

Consequências sociais do assédio moral no trabalho

Os efeitos sociais do assédio moral no trabalho se caracterizam pela aparição na vítima de comportamentos de isolamento, evasão e retraimento (INSHT, 2001); assim como a resignação, o sentimento de alienação com a sociedade e uma atitude cínica com o entorno (Gómez, Burgos y Martín, 2003).

Geralmente surge um isolamento progressivo ao redor da vitima devido, em parte, à retirada de alguns de seus amigos, que ao ver a situação, dão as costas e desaparecem, junto com o isolamento ativo que a vítima exerce.

Não quer ficar com outras pessoas para não ter que dar explicações sobre sua saída da organização, e devido a sua sensação de fracasso e falta de confiança pensa que o resto das pessoas o consideram um fracassado, e tem medo de enfrentar as possíveis críticas.

O que é assédio moral no trabalho e suas consequências - Consequências sociais do assédio moral no trabalho

Consequências profissionais derivadas do assédio no trabalho

As consequências na área profissional causam a destruição progressiva da vida profissional da vítima. Devido ao assédio no trabalho pode ser solicitada uma licença por estresse, durante a qual a empresa pode executar a demissão ou negar o pagamento do salário, difundir rumores sobre a vítima e mentir sobre sua saída da empresa.

Com isso consegue apresentar uma imagem negativa da vítima, o que contribui para diminuir sua empregabilidade, e que acaba considerando a si mesma incapaz de trabalhar, e mostrando expectativas negativas sobre seu rendimento e desempenho profissional. A vítima geralmente do que Piñuel y Zabala (2001) denomina 'prostração econômica'. Desde o primeiro mês após a demissão, a empresa não paga seu salário, o que faz com que diminua consideravelmente seu nível econômico.

De qualquer forma, seria possível dizer que as consequências sobre a saúde da vítima dependem da duração do assédio, a intensidade da agressão assim como sua própria vulnerabilidade. O impacto do assédio é mais forte se se trata de um grupo contra apenas uma pessoa do que se trata de um indivíduos contra uma pessoa, também parece que o assédio de um superior é mais grave que o assédio de um colega. Foram descritos sintomas clínicos que o assédio produz na vítima entre os quais cabe distinguir diferentes estágios (Suárez e outros, 2009):

  • Estágio de autoafirmação. A vítima detecta o conflito ou o tratamento desrespeitoso, interpretando que a razão está do seu lado e que existe um mal entendido.
  • Estágio de desconcerto. A vítima se sente desconcertada, duvida, não sabe o que está acontecendo e começa a pensar que provavelmente é sua responsabilidade o que está ocorrendo.
  • Estágio de vulnerabilidade. Nesta fase, a vítima se esforça para agradar e para que tenham melhor consideração por ela, este esforço acaba desencadeando um sentimento de impotência e indefesa que culmina em um estado depressivo.
  • Estágio traumático ou de ansiedade. Se o assédio persiste, a vítima geralmente se sente vulnerável e apresenta um estado de ansiedade, sendo frequentes os comportamentos impulsivos e a perda de controle.
  • Estágio de estabilização crônica. É provável que perdure um sentimento de desvalorização e falta de autoestima, podendo-se estabelecer um estado ansioso-depressivo e o transtorno de estresse pós-traumático.

Veja também os nossos artigos sobre O que é assédio psicológico e O que é violência psicológica.

O que é assédio moral no trabalho e suas consequências - Consequências profissionais derivadas do assédio no trabalho

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a O que é assédio moral no trabalho e suas consequências, recomendamos que entre na nossa categoria de Coaching.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

O que é assédio moral no trabalho e suas consequências
1 de 4
O que é assédio moral no trabalho e suas consequências

Voltar ao topo da página