menu
Partilhar

O que é autoestima na psicologia

 
Por Anna Badia Llobet, Psicóloga e redatora. 16 julho 2021
O que é autoestima na psicologia

A autoestima é um termo muito utilizado e um conceito do qual muito se fala atualmente, no entanto, algumas vezes, de forma equivocada. A autoestima vai muito além da imagem, é uma avaliação subjetiva que se configura durante as experiências, principalmente da infância, mesmo que possa ir mudando ao longo da vida. Por isso, a autoestima pode ser trabalhada e melhorada.

Neste artigo de Psicologia-Online, veremos o que é a autoestima na psicologia com exemplos práticos, assim como os tipos de autoestima, a importância que ela tem e algumas estratégias para melhorá-la.

Também lhe pode interessar: Como aumentar a autoestima

O que é autoestima

Longe do que geralmente se pensa, a autoestima não é esboçar um físico atraente no espelho, tampouco é nos elogiarmos constantemente. É algo mais complexo que envolve diferentes componentes da relação com si mesmo/a. O que é autoestima afinal? Ela é a avaliação que uma pessoa faz de si mesma. É uma percepção subjetiva e emocional sobre nós mesmos/as baseada no autoconceito.

O autoconceito é a ideia que temos de nós mesmos, de quem somos e como somos. Poderíamos dizer que o autoconceito é uma lista de características, enquanto que a autoestima é a apreciação positiva ou negativa das características e da importância que possuem. Além disso, a autoestima pode se dar pela forma de agir com si mesmo/a e com os outros. Uma pessoa com uma autoestima sadia se respeita, se cuida, confia nela mesma, trata com respeito e amabilidade aos demais e espera um bom tratamento por parte dos outros.

Tipos de autoestima

Esta avaliação pode ser realizada nas diferentes áreas da vida de uma pessoa, por isso falamos da autoestima pessoal, acadêmica, profissional... Nos diferentes âmbitos, uma pessoa pode ter uma visão de suas características e realizar uma avaliação diferente. Além desta diferenciação, a classificação principal dos tipos de autoestima seria a seguinte:

  • Autoestima positiva e estável: A autoestima positiva se caracteriza por estar baseada em um autoconceito realista e realizar uma avaliação positiva deste. Isto é, a pessoa com uma autoestima positiva se conhece, reconhece suas características de forma realista e a a avaliação que faz disso é positiva. Pode ver as características de si mesmo que o agradam e características que gosta menos, mas a nível geral, se considera uma pessoa valiosa. Por outro lado, a autoestima estável é a que se sustenta no critério próprio e que tem fundamentos sólidos. Portanto, se mantém mais estável no tempo, apesar das circunstâncias externas e da opinião das outras pessoas. Este é o tipo de autoestima a que nos referimos quando falamos de autoestima sadia.
  • Autoestima positiva e instável: Como vimos, a autoestima positiva subentende uma boa avaliação de si mesmo/a. A autoestima instável é a que depende de fatores tanto internos como externos e que muda em função do contexto. A autoestima instável não é bem sustentada em critério próprio nem bem ancorada, isso significa que diante de algum evento, pode cambalear. Por exemplo, uma pessoa que deixa de se sentir valiosa ao falhar em uma prova ou após um comentário negativo de seu/sua parceiro/a.
  • Autoestima negativa e estável: A autoestima negativa é a que supõe uma avaliação negativa. A pessoa com uma autoestima negativa não se sente confortável com sua autoimagem, considera as características que vê em si mesmo/a como negativas. Não se conhece, não tem uma visão realista de si mesmo/a e não gosta da imagem que tem de si. Neste caso, ao ser estável, significa que esta avaliação negativa está fortemente estabelecida e que geralmente não varia em função dos acontecimentos.
  • Autoestima negativa e instável: Neste caso, como já vimos, a autoestima negativa é a avaliação negativa de si mesmo/a. Além disso, ao ser instável, é variável em função dos fatos.
  • Autoestima inflada: Este tipo de autoestima se caracteriza por um baixo nível de autoconhecimento que se disfarça de uma "autoestima alta". As pessoas com autoestima inflada não possuem um autoconceito realista, escondem a necessidade de reconhecimento externo, não fazem autocrítica e não admitem erros.

No seguinte artigo, você encontrará mais informações sobre Os 5 tipos de autoestima e suas características.

A importância da autoestima

A autoestima, o valor que damos a nós mesmos/as, é tão importante que é considerada a base da saúde psicológica. E não é para menos, pois em função de como nos sentimos com nós mesmos/as e com a importância que nos damos, trataremos nós mesmos/as e os outros de uma forma ou outra. Uma pessoa que se considera valiosa e importante, que tem uma autoestima sadia, se relaciona de forma saudável consigo mesma e com os demais. Em linhas práticas, a autoestima positiva e estável permite:

  • Ter uma imagem ajustada à realidade de si mesmo/a.
  • Saber quais conhecimentos, habilidades, capacidades, forças, etc., possui e quais não possui.
  • Amar a si mesmo/a apesar de cometer erros.
  • Ser consciente de que merece ser bem tratado/a pelos outros.
  • Tratar os outros corretamente, com empatia, compreensão e honestidade.
  • Cuidar de si mesmo/a: alimentar-se de forma nutritiva e saudável, dar-se o descanso necessário, realizar atividades que favoreçam o corpo.
  • Tratar bem a si mesmo/a, cuidar do diálogo interno.
  • Dar ao físico apenas a importância que tem e nada mais.
  • Sentir-se valioso da forma como é, mesmo sabendo que sempre pode melhorar.
  • Escutar as opiniões dos outros e refletir antes de tomá-las como verdadeiras ou falsas.
  • Dar mais peso aos próprios critérios do que aos de outras pessoas ao se autoavaliar.

Se você quiser saber como aumentar a autoestima na prática, leia também o nosso outro artigo.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a O que é autoestima na psicologia, recomendamos que entre na nossa categoria de Crescimento pessoal e autoajuda.

Bibliografia
  • BRANDEN, N. (1993). Poder de la Autoestima. Paidos Iberica, Ediciones S. A.
  • CONGOST, S. (2015). Autoestima automática. Editorial Planeta, S. A.
  • QUINTILLA, H. G. (2018). Autoestima para vivir: Cómo confiar en ti mismo y lograr lo que deseas. Ediciones Paidós.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

O que é autoestima na psicologia
O que é autoestima na psicologia

Voltar ao topo da página