Ornitofobia (fobia de aves): sintomas, causas e tratamento

Ornitofobia (fobia de aves): sintomas, causas e tratamento

Muitas pessoas vivem em contato com a natureza e com as aves. Estas se comunicam através de sinais e sons que praticam para transmitir mensagens dentro das grandes cidades ou campos, apesar de estarem imersas na rotina das pessoas. É comum encontrar aves em diversos lugares, sejam parques, ruas, árvores, montanhas, serras, lagos, entre outros.

Em linhas gerais, a maioria das aves são seres inofensivos que não significam maiores complicações para a população. No entanto, existem pessoas que possuem um medo exagerado e intenso das aves e isso repercute no desenvolvimento de suas vidas cotidianas. Contar com dados concretos e valiosos pode nos fornecer ferramentas úteis na hora de abordar este problema. Neste artigo de Psicologia-Online falaremos sobre a Ornitofobia (fobia de aves): sintomas, causas e tratamento.

O que é ornitofobia

A ornitofobia é um transtorno de ansiedade que provoca um medo irracional e exagerado diante da presença de pássaros. Neste sentido, a ornitofobia se encontra dentro do grupo das fobias específicas do DSM-V[1] em função das particularidades que o quadro clínico apresenta.

Na hora de estabelecer um diagnóstico de ornitofobia, devem se cumprir os seguintes critérios diagnósticos para sua interpretação correta:

  • Medo e/ou ansiedade intensa de aves.
  • Evitar as situações específicas nas quais possam estar presentes as aves.
  • Medo e/ou ansiedade desproporcional ao perigo real que as aves representam.
  • Duração de seis meses ou mais.
  • Deterioramento das relações laborais, sociais e familiares em certos contextos.
  • Os sintomas não podem ser explicados pela presença de nenhum outro transtorno mental.

Causas da ornitofobia

Por que tenho medo das aves? Para poder definir os motivos da ornitofobia, é imprescindível conhecer as causas que se derivam do quadro clínico. A seguir, te mostraremos as principais causas da ornitofobia:

Fatores ambientais

Por um lado, as experiências desagradáveis acontecidas no passado deixam marcas que perduram no tempo. Em casos de ornitofobia, pode ter ocorrido alguma situação desagradável com pássaros no passado. Por exemplo: ter sido vítima de algum ataque de aves ou ter visto alguma pessoa querida envolvida nesta dificuldade.

Por outro lado, se pessoas importantes do entorno mostram um comportamento evitativo diante de aves, a imitação dessa forma de reagir pode provocar a ornitofobia.

Fatores genéticos

A herança genética desempenha um papel importante na hora de compreender os comportamentos e as emoções humanas. Existem diversos genes que estão vinculados ao processamento emocional dos estímulos do exterior. De modo geral, as pessoas que sofrem de ornitofobia possuem uma maior sensibilidade neuronal diante da presença de aves, já que estas geram respostas de medo e/ou evitação.

Sintomas da ornitofobia

A ornitofobia apresenta algumas manifestações tanto físicas como emocionais. Com o objetivo de aportar mais clareza ao tema, vamos te mostrar os sintomas de ornitofobia mais frequentes:

  • Dificuldades respiratórias.
  • Suor excessivo.
  • Tonturas.
  • Náuseas.
  • Tremores.
  • Palpitações.
  • Evitação de lugares nos quais poderia haver presença de aves.
  • Medo da morte.
  • Pensamentos catastróficos.

Cabe destacar que a presença de algum destes sintomas não implica necessariamente que estejamos diante de um quadro de ornitofobia. É fundamental que o diagnóstico seja feito por um profissional da saúde mental que avalie as características da pessoa, tendo em conta suas particularidades.

Tratamento da ornitofobia

Além das dificuldades que este transtorno de ansiedade implica, felizmente existem formas de tratar a ornitofobia e melhorar a qualidade de vida das pessoas que sofrem com ela. A seguir, te mostraremos os principais tratamentos do medo de pássaros.

Terapia psicológica

A terapia proporciona um espaço de reflexão pessoal que fornece ajuda às pessoas que sofrem conflitos em suas vidas cotidianas. Por um lado, se indica indagar sobre os pensamentos, emoções e comportamentos que ocasionam os sintomas. Por sua vez, este tipo de enfoque aborda os problemas em um número limitado de sessões e fornece ao paciente diversas ferramentas para enfrentar o medo dos pássaros. O tratamento mais utilizado e efetivo é a terapia cognitivo-comportamental.

Por outro lado, também se trabalha para situar a origem dos sintomas de ornitofobia através de recordações de vivências infantis. Quando se compreende a origem dos problemas, os sintomas se entendem melhor e podem ser resolvidos. Objetivamente, a pessoa aprende a enfrentar o medo das aves através de estratégias alternativas.

Medicação psiquiátrica

Nos casos de ornitofobia mais graves, a administração de ansiolíticos é uma ferramenta que permite diminuir a intensidade dos sintomas. No entanto, o uso de medicação psiquiátrica apenas deve se realizar sob a supervisão de um profissional da saúde mental.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Ornitofobia (fobia de aves): sintomas, causas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Referências
  1. Asociación Estadounidense de Psiquiatría. (2013). Manual Diagnóstico y Estadístico de los trastornos mentales (5ta ed.). Arlington: Editorial Médica Panamericana.
Bibliografia
  • Castro Beltrán, A.R. (2010). Referentes teóricos relacionados con el tratamiento de trastornos de ansiedad con técnicas de relajación. Revista información científica, 66 (2), 1-17.
  • Delgado Reyes, A.C., Sánchez López, J.V. (2019). Miedo, fobias y sus tratamientos. Revista Electrónica de Psicología Iztacala, 22 (2), 798-833.