menu
Partilhar

TDAH na escola: como lidar com ele

 
Por Francielle Bechtold. 23 maio 2022
TDAH na escola: como lidar com ele

O TDAH é o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, sendo descrito como um transtorno neurobiológico de origem genética. As suas principais características são falta de atenção, hiperatividade, dificuldade de concentração e impulsividade.

Comumente o TDAH é descoberto na fase escolar, uma vez que, estes alunos apresentam algumas dificuldades no processo de aprendizagem, especialmente dentro de métodos mais rígidos e pouco estimulantes. É também comumente confundido com mau comportamento.

Portanto, como um dos objetivos centrais da Psicologia-Online é trazer conteúdo de qualidade, que traga informação e promoção de mudanças positivas na vida dos leitores, hoje vamos abordar este tema tão importante, TDAH na escola: como lidar com ele. Confira!

Também lhe pode interessar: Tipos de pensamentos na psicologia

O que é o TDAH

Para que possamos saber como lidar com alunos com TDAH e suas características comportamentais é fundamental antes, conhecermos mais detalhes sobre este transtorno.

A OMS[1] estima que o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) atinja cerca de 6% das crianças e 6,9% dos jovens em idade escolar, sendo a sua incidência maior entre os meninos. Além disso, é um transtorno que atinge cerca de 4% da população mundial, e apenas no Brasil o número de diagnósticos realizados em adultos ronda os 2 milhões de pessoas.

De modo geral, este é um transtorno identificado ainda no período da infância, o que facilita o processo de manejo dos sintomas e o tratamento adequado. Para isso, é essencial que os docentes tenham preparo para identificar os primeiros sinais e levantar a hipótese para os pais, que posteriormente encontrarão o diagnóstico juntamente a um psicólogo e psiquiatra.

O que chama a atenção dos docentes, e também dos pais, é a dificuldade da criança manter a sua atenção, além de poder apresentar inquietação motora, fala acelerada e outros comportamentos impulsivos. Portanto, estes comportamentos dificultam o processo escolar, uma vez que a retenção de conhecimento é afetada.

Além disso, existem diferentes graus em que o TDAH pode se apresentar:

  • Leve: são sintomas leves e os danos a nível escolar e social são mínimos. Nestes casos um acompanhamento psicoterapêutico consegue facilmente manejar os sintomas para que a pessoa tenha uma vida normal.
  • Moderado: nestes casos os sintomas se apresentam com mais intensidade, e dessa forma já é possível observar dificuldades nos processos de aprendizado, e também a nível social.
  • Grave: neste último é possível identificar muitos sintomas característicos do TDAH, além de afetar gravemente a socialização e o aprendizado. Em casos graves é altamente recomendado o acompanhamento do paciente por uma equipe multidisciplinar, a fim de avaliar também o uso de medicamentos.

Para além dos graus de gravidade em que o TDAH existe, há também uma distinção entre três tipos. Para os docentes, é essencial entender essa diferença para saber como lidar TDAH na escola e, assim, conseguir obter bons resultados no processo de ensino-aprendizagem.

Tipos de TDAH

Até este ponto conseguimos entender a importância dos educadores estarem preparados e atentos aos sinais, afinal, apenas dessa forma será possível concretizar o processo de ensino-aprendizagem entre os alunos.

Portanto, é importante destacar também, os diferentes tipos de TDAH existentes, para que assim, o docente possa encontrar formas mais adequadas de desenvolver suas aulas.

  • Hiperativo: a hiperatividade é uma característica marcante entre os pacientes de TDAH. Neste caso o comportamento mais marcante é a necessidade de se movimentar a todo momento, também é comum falarem constantemente, interrompendo o professor e dificultando o processo de raciocínio. Nestes casos é fundamental que os docentes saibam manejar estes alunos para que, tanto ele, quanto os demais alunos consigam reter o conteúdo a ser ensinado.
  • Desatenção: outra característica marcante do TDAH é a desatenção. Neste caso o paciente não consegue seguir orientações muito detalhadas, nem manter o seu foco de atenção por muito tempo, a distração também pode ser marcante nestes casos. Assim, o professor pode optar por colocar estes alunos mais afastados das janelas, nas primeiras mesas da sala, para tentar minimizar os seus impactos.
  • Misto: aqui encontram-se os casos mais graves de TDAH, e portanto ambas as características citadas acima são apresentadas de forma recorrente, portanto saber como lidar com alunos com TDAH é primordial para todos os envolvidos.

De modo geral, o TDAH impacta diretamente no processo de ensino-aprendizagem, uma vez que o docente precisa encontrar formas mais dinâmicas para garantir a retenção do conteúdo por todos os alunos, especialmente aqueles com o transtorno.

Além disso, para o aluno o processo de aprendizagem pode ser comprometido, uma vez que, apesar de aprenderem o conteúdo, este dificilmente se manterá por completo na vida desse aluno.

Como lidar com alunos com TDAH

O TDAH na escola é um grande desafio para os docentes, por isso, vamos listar abaixo algumas medidas que podem ser adotadas em sala de aula, para facilitar a convivência e o aprendizado para ambas as partes. São elas:

  • Atratividade: de modo geral, as aulas com abordagem monótona não interessam a nenhum tipo de aluno, através delas a retenção de conteúdo também é baixa. Para alunos com TDAH é essencial que o processo de ensino seja mais dinâmico e as aulas mais atrativas e interativas. Dessa forma, o aluno consegue manter mais a sua atenção na aula. Além disso, para saber como lidar com alunos com TDAH, é essencial que o professor opte pela prática de exercícios após a explicação de conteúdo, uma vez que a repetição é muito importante para a instalação do novo conhecimento. Por outro lado, essa também é uma forma de gastar a energia de alunos hiperativos;
  • Atenção às instruções: como citamos acima, alunos com TDAH têm dificuldades de seguir instruções com muitos detalhes e complexas, portanto, é essencial que o docente trabalhe com comandos simples, e sempre que possível, mantenha um contato visual com o aluno, para buscar reter a sua atenção;
  • Reforço positivo: dentro da abordagem psicológica Cognitivo-Comportamental, os psicólogos utilizam muito o reforço positivo. Através dele, todos os bons comportamentos são reforçados positivamente, permitindo assim, que o paciente perceba seus próprios comportamentos e volte a repeti-los no futuro.
    Portanto, é fundamental manter esta prática para saber como lidar com alunos com TDAH, além de evitar focar nos erros, e nunca trabalhar com punições.

As instituições de ensino têm o papel central de adaptar a sua metodologia, de forma a ser mais inclusiva, minimizar os impactos do TDAH na escola e permitir que o processo de ensino-aprendizagem ocorra de forma apropriada a todas às crianças e adolescentes, gerando mudanças importantes e significativas na vida dos alunos.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a TDAH na escola: como lidar com ele, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia cognitiva.

Referências

[1] Eleva, 2022. Saiba como lidar com TDAH na escola da melhor forma. Disponível em: <https://blog.elevaplataforma.com.br/lidar-com-tdah-na-escola/> Acesso em 19 de maio de 2022.

Bibliografia

Maria Helena Varella. TDAH. Disponível em: <https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/tdah-transtorno-do-deficit-de-atencao-com-hiperatividade/> Acesso em 19 de maio de 2022.

Escolas Exponenciais. 2019. TDAH na escola. Disponível em: <https://escolasexponenciais.com.br/desafios-contemporaneos/tdah-na-escola-tudo-que-o-gestor-escolar-precisa-saber/> Acesso em 19 de maio de 2022.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
TDAH na escola: como lidar com ele
TDAH na escola: como lidar com ele

Voltar ao topo da página