Partilhar

Transtorno explosivo intermitente: o que é, causas e tratamento

 
Por Marissa Glover, Psicóloga. Atualizado: 11 janeiro 2021
Transtorno explosivo intermitente: o que é, causas e tratamento

Como sabemos, nossas emoções estão diretamente relacionadas com nossas ações, é por isso que nossas emoções formam um papel importante na nossa vida psicológica. Quando temos uma boa gestão das nossas emoções, podemos chegar a compreender melhor nós mesmos e aos demais, assim como também podemos direcionar nossas ações de maneira consciente para algo positivo. Porém, existem ocasiões nas quais as emoções podem sair do nosso controle, principalmente quando a pessoa não tem uma boa gestão delas.

As pessoas que sofrem de transtorno explosivo intermitente não são capazes de controlar adequadamente suas emoções, principalmente a ira e a raiva. Isso os leva a explodir com facilidade, podendo desenvolver comportamentos violentos e agressivos, bem como fazê-lo verbalmente e ser extremamente doloroso. Neste artigo de Psicologia-Online, falaremos sobre o transtorno explosivo intermitente: o que é, causas e tratamento.

O que é transtorno explosivo intermitente segundo o DSM-V

Uma das emoções básicas que todos nós temos é a raiva, a qual é uma resposta natural a dor que experimentados de maneira emocional e/ou física. Todos em algum momento de nossas vidas experimentamos a raiva em alguma ocasião, principalmente quando nos sentimos ameaçados, traídos, rejeitados ou simplesmente quando vivemos algum acontecimento extremamente desagradável para nós.

Segundo o manual de diagnóstico da Associação Americana de Psiquiatria (APA), na edição mais recente do DSM-V, nos faz conhecer um novo transtorno: o Transtorno Explosivo Intermitente.

Definição e sintomas do Transtorno Explosivo Intermitente

O Transtorno Explosivo Intermitente é uma condição caracterizada pelo fato de que a pessoa diagnosticada sofre certas alterações em seu desenvolvimento e o funcionamento de seus processos cognitivos. As pessoas que sofrem deste tipo de transtorno reagem de maneira agressiva e desproporcional sem ter um motivo específico, então eles geralmente causam consequências ou graves alterações no ambiente no qual se desenvolvem e também se machucam de maneira direta ou indireta.

Se trata de pessoas que aparentemente se encontram dominadas pelo ódio, pois são incapazes de ver além dele e reconhecer novos e melhores sentimentos. Este tipo de comportamento impulsivo e agressivo costuma começar no final da infância ou na adolescência. Os comportamentos agressivos que são realizados geralmente incluem o abuso doméstico, atirar e jogar objetos, dar golpes na parede, portas e outros objetos, gritar, fazer graça, entre outros comportamentos que revelam sua ira irracional e descontrolada. As pessoas diagnosticadas com Transtorno Explosivo Intermitente também costumam agredir física e verbalmente aos demais, sejam pessoas ou animais.

Transtorno explosivo intermitente: causas

A causa exata que faz com que uma pessoa sofra de um Distúrbio Explosivo Intermitente é desconhecida, como na maioria dos transtornos mentais ou psicológicos. No entanto, foi descoberto que existe um conjunto de fatores como os biológicos, genéticos e psicossociais que estão relacionados com a aparição deste tipo de transtorno.

  • Fatores ambientais: muitas pessoas que sofrem deste transtorno cresceram em famílias onde se realizava com frequência o abuso físico e verbal. Ou seja, crianças viram toda a sua vida que em casa não existe respeito, que seus familiares se agridem uns aos outros e que ela própria nunca foi bem tratada, é mais provável que, com o tempo, vá adotando as mesmas atitudes, acabando por desenvolver esse transtorno.
  • Fatores genéticos: foram encontradas algumas evidências de que este tipo de doença pode ser herdada dos pais aos filhos.
  • Fatores biológicos: pessoas que sofreram traumatismos no parto, encefalite ou traumatismos cranianos podem desenvolver os sintomas característicos do Transtorno Explosivo Intermitente.

É necessário mencionar que existem outras doenças que podem levar a pessoa a agir de forma impulsiva e agressiva como, por exemplo, a doença de Parkinson. Porém, neste caso, não podem ser diagnosticadas com um Transtorno Explosivo Intermitente já que a causa se encontra em outro tipo de fator.

Transtorno explosivo intermitente: tratamento

O tratamento utilizado com mais frequência para curar o Transtorno Explosivo Intermitente consiste numa combinação entre a terapia psicológica e a farmacológica. A terapia que é utilizada com maior frequência é a cognitivo-comportamental. O objetivo da terapia psicológica é ajudar a pessoa a gerenciar melhor suas emoções e aprender a controlar seus impulsos como, neste caso, a ira e a raiva.

Para isso, o primeiro a ser feito é explicar detalhadamente à pessoa tudo relacionado com o transtorno que ela sofre, assim como também ensinar de que forma se desencadeiam esses tipos de comportamentos a partir dos seus pensamentos e emoções. Os terapeutas ensinam para a pessoa técnicas de relaxamento para reduzir o estresse, como a respiração diafragmática e o relaxamento muscular progressivo de Jacobson, que ajudará a evitar que se desencadeiem comportamentos agressivos. Geralmente, este tipo de terapia dá muita ênfase neste tipo de estratégia de relaxamento, já que é essencial para que a pessoa possa começar a gerenciar suas emoções.

Também é utilizado outro tipo de estratégia, como a reestruturação cognitiva, o treinamento em atenção e controle inibitório, entre outras. O tratamento sempre pode variar mais ou menos dependendo da situação individual de cada pessoa.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Transtorno explosivo intermitente: o que é, causas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Referências
  1. Bustamante, G. B. (2013, 13 septiembre). Revistas Bolivianas- Scientific Electronic Library Online. Recuperado 17 noviembre, 2018, de http://www.revistasbolivianas.org.bo/scielo.php?pid=S2304-37682013000800008
  2. Ortega, S. O. (2015). Trastorno Explosivo Intermitente (TEI). Recuperado 17 noviembre, 2018, de https://www.fundacioncadah.org/web/articulo/trastorno-explosivo-intermitente-tei.html

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Transtorno explosivo intermitente: o que é, causas e tratamento
Transtorno explosivo intermitente: o que é, causas e tratamento

Voltar ao topo da página