menu
Partilhar

Vício em celular ou nomofobia: sintomas e tratamento

 
Por Equipe editorial. 16 junho 2021
Vício em celular ou nomofobia: sintomas e tratamento

O telefone celular realiza cada vez mais funções para além da tradicional ligação. Muitas pessoas sentem que não conseguiriam viver sem esse aparelho, confessando uma certa dependência. O problema real desse vício vem marcado pelo sofrimento causado por qualquer tipo de dependência. Por isso, nesse artigo de Psicologia-Online iremos contar quais são as soluções para vício em celular ou nomofobia: sintomas e tratamento.

10 sintomas do vício em celular

Para saber se você sofre de vício em celular ou nomofobia é preciso conhecer os sintomas desse caso. Por isso, a seguir disponibilizamos uma lista completa com os 10 sintomas de vício em celular mais frequentes:

  1. Ansiedade intensa ao esquecer o celular em casa e não poder checar as atualizações em redes sociais ou no Whatsapp durante algumas horas. Ou seja, grau de dramatismo nessa situação cotidiana que causa angústia em quem sofre dessa dependência.
  2. Comunicação excessiva. O dependente se comunica mais com os amigos pelo celular do que em encontros presenciais. O celular também interrompe constantemente reuniões sociais e eventos nos quais seria mais adequado deixá-lo no modo silencioso, como no cinema ou no teatro, por exemplo.
  3. Tempo roubado. A pessoa passa tantas horas diante do celular que acaba afetando sua rotina e seus compromissos, visto que posterga muitas tarefas para outro momento. Na ordem de prioridades de quem sofre de vício em celular, consultar qualquer novidade é sempre uma urgência.
  4. Dificuldades para dormir. O celular altera inclusive a rotina de repouso de quem o utiliza à noite em mais de uma ocasião. Esse acúmulo de horas não dormidas cobra um preço a nível pessoal, na forma de alterações de humor e dificuldade em manter o foco.
  5. Angústia por uma falha técnica. O celular pode ser vulnerável a uma falha ou erro técnico. Esse tipo de imprevisto preocupa quem sofre de nomofobia, uma vez que seu estado de humor está condicionado a ter o celular por perto e poder usá-lo. Quando isso não é possível, a pessoa se sente inquieta.
  6. Alteração de hábitos básicos. O paciente se esquece inclusive de comer nas horas previstas por estar sempre atendendo uma ligação, ou sempre come com o celular por perto, por exemplo. Esse vício afeta o apetite simplesmente porque a atenção do paciente está voltada principalmente ao estímulo que limita sua própria liberdade. Dessa forma, ele não é capaz de imaginar a possibilidade de desligar todo dia o celular por um período de tempo para evitar interrupções.
  7. Começar e terminar o dia. Em outras palavras, a primeira coisa que a pessoa afetada por essa dependência faz assim que acorda é olhar o celular, e isso também é a última coisa que faz antes de dormir.
  8. Mente sobre sua condição. Por exemplo, a pessoa esconde a verdadeira quantidade de tempo que passa usando o celular diariamente.
  9. Dificuldades para estudar ou trabalhar. Esse vício afeta os resultados que a pessoa consegue ter nessas áreas de sua vida, por exemplo.
  10. Isolamento social. Mesmo estando em grupo, a pessoa tende a partir para a individualidade de seu celular. Desse modo, ela pode estar presencialmente no mesmo lugar que essas pessoas, mas sua mente está no celular na verdade.
Vício em celular ou nomofobia: sintomas e tratamento - 10 sintomas do vício em celular

Consequências do vício em celular

Esse vício traz consequências psicológicas e sociais ao afetado. A complexidade dessa dependência está na própria dificuldade em identificá-la, uma vez que o celular é um elemento de uso cotidiano em sociedade.

Entretanto, o celular não é só um meio de comunicação, é uma ferramenta que se utilizada de forma correta melhora a qualidade de vida das pessoas. Ele reduz a distância interpessoal com entes queridos que moram longe, por exemplo.

O que ocorre, por outro lado, quando surge uma dependência? O celular deixa de ser um meio e se converte em um fim em si mesmo. A pessoa precisa de ajuda psicológica para superar o vício porque sua liberdade de ação foi condicionada pelo uso do aparelho como núcleo essencial do seu dia a dia. Essa dependência influencia no comportamento do paciente.

As horas de lazer do afetado são cada vez menos variadas, tendo em vista que seus interesses foram substituídos pelo vício.

Tratamento para vício em celular

O melhor tratamento para vício em celular seria uma terapia especializada para ajudar o paciente a tomar consciência de seu vício, já que esse é o passo mais importante para continuar avançando. A terapia não tem por objetivo proibir o uso do celular, e sim oferecer recursos e ferramentas psicológicas ao paciente para que ele utilize o aparelho em uma dose correta.

O paciente enfrenta sua exposição ao celular de uma forma gradual, conforme o avanço em seu próprio processo de recuperação na terapia. Ou seja, a pessoa adquire maior autocontrole frente às situações que geram tensão e desconforto.

Se você quiser conhecer outros cinco tipos de vícios, entre eles em internet e redes sociais, e suas consequências acesse nosso outro artigo sobre o tema.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Vício em celular ou nomofobia: sintomas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Dependências.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Vício em celular ou nomofobia: sintomas e tratamento
1 de 2
Vício em celular ou nomofobia: sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página