Partilhar

As 5 fases do amor e sua duração

 
Por Equipe editorial. 14 abril 2020
As 5 fases do amor e sua duração

Na atualidade, existem muitas teorias que pretendem explicar um conceito tão abstrato e complicado como é o amor. Isso é uma consequência da grande quantidade de experiências que as pessoas têm diante do amor. Ou seja, duas pessoas não viveram o amor da mesma maneira e até a mesma pessoa pode viver o amor de forma completamente diferente com uma pessoa e com outra.

No entanto, ao longo deste post de Psicologia-Online, nos basearemos na teoria triangular do amor de Stemberg e as fases definidas pelo psicólogo Jed Diamond para explicar as 5 fases do amor e sua duração.

Inicialmente, resta definir o conceito de amor a partir do ponto de vista psicológico. A Associação Americana de Psicologia descreve esse termo como uma emoção complexa que envolve fortes sentimentos de afeto e ternura pelo objeto de amor, sensações agradáveis em sua presença, devoção ao seu bem-estar e sensibilidade às suas reações a si mesmo.

Premissas da teoria triangular de Stemberg

Essa teoria parte da ideia de que o amor é criado a partir da interação de três componentes e que é o grau que cada um possui que determina o tipo de amor que vai experimentar. Esses três componentes a saber são:

  • Intimidade: sentimentos de proximidade, conexão e vínculo, que dão lugar à experiência do calor em um relacionamento amoroso.
  • Paixão: impulsos que dão origem ao romance e à atração física.
  • Compromisso: decisão de amar alguém e desejar manter esse amor. Neste componente inclui aqueles elementos cognitivos envolvidos na tomada de decisões sobre o compromisso à longo prazo de um relacionamento.

Fases do amor explicadas pela neurociência

Do ponto de vista neurocientífico, foi determinada a existência de 4 fases diferentes dentro dos relacionamentos amorosos:

1. Atração

Dentro dessa primeira fase, as pessoas sentem a necessidade de estar sempre próximas, não querem parar de se ver em nenhum momento. Experimentam uma série de mudanças fisiológicas agradáveis na presença da outra pessoa, como o aumento da frequência cardíaca, a dilatação das pupilas, aumento da sudoração. Essas respostas são chamadas químicas e ajudam a pessoa que as experimenta a perceber a conexão que está criando com a outra pessoa.

No entanto, não pode ser considerado amor como tal, pois é praticamente baseado em uma atração física e sexual. Do ponto de vista de Stemberg, os dois conceitos que mais se inter-relacionam nessa fase são a Intimidade e a Paixão.

2. Citação

Durante essa fase, os membros do novo relacionamento tentam determinar se a outra pessoa gosta de você de tal maneira que possam se apaixonar. É aqui que produzem uma série de mudanças químicas nos níveis de dopamina, ocitocina, vasopressina e hormônios sexuais, as quais aumentam ainda mais as sensações experimentadas durante a atração. Essas mudanças funcionam como indicadores para continuar com a outra pessoa, pois são sinais de que começam a se apaixonar.

3. Paixão

Muitas pessoas consideram que o verdadeiro relacionamento com uma pessoa tem seu início nessa etapa e que as duas anteriores agem como fases independentes. No entanto, os pesquisadores consideram que sem a experiência dessas duas anteriores, a fase da paixão não pode ser alcançada.

Com relação a isso, as pessoas tendem a experimentar um aumento de seu estresse, chegando inclusive a ter dificuldades para dormir. Mas, por sua vez, é a fase em que os membros do casal estão mais felizes, pois, embora o “hormônio da felicidade” diminua, a parte do cérebro que o regula é desativada, por isso que não somos conscientes dessa diminuição.

4. Amor verdadeiro

É a última das fases de amor. Durante ela, o corpo entra em um estado de estabilidade e o julgamento da pessoa retorna, por isso é a fase em que ocorrem mais rompimentos. Isso é a consequência de que ambos membros do casal começam a conhecer os defeitos do outro e realizam uma balança entre o bem e o mau. No seguinte artigo, nos aprofundamos sobre as diferenças entre amor e paixão.

Se os casais conseguem superar essas diferenças, é quando decidem se concentrar nos benefícios de compartilhar uma vida juntos. Nos baseando na teoria de Stemberg, poderíamos indicar que é nessa fase que é criado o equilíbrio perfeito entre os três componentes da pirâmide.

5 fases da paixão

Segundo Mora (2007), a paixão é o estado de uma pessoa dominada por um sentimento vivo em relação à outra, a quem considera seu maior bem, com quem gostaria de estar unida para sempre e pela qual sacrificaria, se necessário, a sua própria vida.

Dentro da paixão encontramos que ela pode ser dividida em uma série de fases, as quais, como você pode ver, estão intimamente ligadas às fases previamente nomeadas no amor, pois sem elas não seria capaz de desenvolver esse sentimento final.

  • 1ª Fase. A atração sexual. É a que inicia todo o processo, pode-se dizer que é o que, em temos mais informais, chamamos de “gostar”.
  • 2ª Fase. Hipervalorização. Projetará sobre a pessoa amada todas as boas qualidades que vemos. É na fase onde idealizamos a pessoa que nos atrai.
  • 3ª Fase. Apropriação do outro. Durante essa fase, a pessoa começa a ser consciente da possibilidade de tornar a outra pessoa sua, ou seja, de poder incorporá-la à sua vida. Trata-se de comprovar se a atração pelo outro é correspondida em reação à sua própria pessoa.
  • 4ª Fase. Reciprocidade na paixão. É uma fase em que ambas as partes sentem uma grande felicidade, pois sua paixão foi correspondida. Durante ela, os membros começam a se conhecer e a compartilhar tanto experiências passadas, como presentes e futuras.
  • 5ª Fase. Final da paixão. O sentimento de paixão e atração puramente física começam a declinar, assim como a idealização em relação ao outro membro do casal. Começam a reconhecer os defeitos e deficiências do outro. Durante essa etapa são produzidos o maior número de rompimentos, pois cada membro do casal para de se ocupar preferencialmente com o outro para prestar atenção em outros assuntos.

As 5 fases do amor em casal

Como indicamos anteriormente, nos basearemos nas fases descritas pelo psicólogo Jed Diamond para explicar a jornada de um casal ao longo do seu amor. As 5 fases pelas quais um casal passa:

1. Namoro

A primeira fase do amor é na qual as pessoas experimentam todas as emoções de uma maneira extremamente intensa, a consequência da liberação de neurotransmissores e hormônios por parte do nosso corpo. O casal está no que é chamada de etapa de “felizes para sempre”, pois consideram que não há nada nem ninguém que possa separá-los. Aqui você encontrará a química do amor detalhada.

2. Início do relacionamento

A segunda fase pode ser considerada a etapa de amor como tal, onde os dois membros do casal conhecem tanto as coisas positivas como as negativas do seu cônjuge. Certas responsabilidades e compromissos são adquiridos por parte dos dois.

3. Decepção

Os membros do casal criam em sua mente uma balança com as deficiências e imperfeições e com o positivo da outra pessoa. É na fase em que mais casais fracassam, pois nesses casos a balança não foi compensado e as imperfeições se tornam incompatíveis com o que a pessoa deseja de seu cônjuge.

4. Superação da crise e amor verdadeiro

A quarta etapa do amor como casal é o momento em que você pode superar as diferenças e construir um relacionamento mais estável. A idealização do casal já foi completamente eliminada.

5. Conexão e plano futuro

Nessa etapa, o casal usa o potencial de ambos para mudar o mundo, uma conexão profunda é criada entre ambos os membros, onde eles começam a definir objetivos futuros juntos.

Quanto tempo duram as fases do amor?

Cada pessoa é um mundo e, se reunirmos duas pessoas, é ainda mais. Por isso, não podemos especificar de madeira 100% concreta a duração de cada uma das fases do amor. Mas, sim, podemos realizar uma aproximação como visto em vários estudos de relacionamento e estudos do amor.

  • Paixão: considera-se que pode durar de dois a três meses até um ou dois anos, no entanto, não pode se estender muito mais que esse período.
  • Início do relacionamento e decepção: essas duas fases se unem quando se trata de indicar sua duração, pois depende novamente de cada casal, já que alguns necessitam de mais tempo para se abrir para o outro, por isso demorarão mais em mostrar suas imperfeições. Considera-se que geralmente dura de um a quatro anos, portanto, não é de surpreender que a maioria dos divórcios ocorra no quarto ano de casamento.
  • Superação da crise, amor verdadeiro e plano futuro: diz-se que essas etapas de superação e “tranquilidade” no relacionamento têm uma duração de no mínimo dez anos, após o quais podem continuar nessa última fase ou reiniciar o ciclo das etapas do amor.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a As 5 fases do amor e sua duração, recomendamos que entre na nossa categoria de Terapia de casal.

Bibliografia
  • American Psychological Association. 750 First St. NE, Washington, DC 20002-4242 Disponível em: https://dictionary.apa.org/psychology
  • Diamond, J. (2016). The Enlightened Marriage: The 5 Transformative Stages of Relationships and Why the Best Is Still to Come. Red Wheel/Weiser.
  • Mora Montes, J. M. (2007). Comprensión del enamoramiento. Cauriensia, Vol. II (2007) 363-388.
  • Serrano Martínez, G., & Carreño Fernández, M. (1993). La teoría de Sternberg sobre el amor. Análisis empírico.

Escrever comentário sobre As 5 fases do amor e sua duração

O que lhe pareceu o artigo?

As 5 fases do amor e sua duração
As 5 fases do amor e sua duração

Voltar ao topo da página