Partilhar

Como sair da depressão amorosa

 
Por Marissa Glover, Psicóloga. Atualizado: 3 maio 2019
Como sair da depressão amorosa

A depressão amorosa é uma das situações mais difíceis de superar para quase todas as pessoas, já que, com um parceiro ou parceira, se compartem tantas histórias e, depois de uma separação, fica difícil às vezes até se lembrar como éramos antes do relacionamento. Também é comum que não queiramos deixar a outra pessoa ir e, mesmo meses depois da relação ter terminado, ainda nos encontramos sem aceitar o rompimento. Mas então, dor de amor tem jeito? E depressão por amor: é possível superar?

Para superar a depressão amorosa não existe nenhum antídoto ou remédio com o qual de um momento para o outro deixamos de nos sentir mal. No entanto, podemos fazer algumas coisas para que essa depressão que sentimos não acabe conosco. Por isso, nesse artigo de Psicologia-Online te contaremos como sair da depressão amorosa com ajuda de seis conselhos.

Também lhe pode interessar: O que é amor incondicional

Depressão amorosa: por que acontece

Os relacionamentos de casal contêm um alto componente afetivo. Em um relacionamento, os apaixonados costumam a ficar muito tempo juntos - às vezes em um espaço compartilhado pelos dois, compartilham amigos, conhecem as famílias dos amados e, muitas vez começam a própria família, com animais de estimação e filhos.

Além disso, durante todo esse processo, o casal também se torna companheiro na vida, ao mesmo tempo amigos íntimos e amantes. Por isso, é normal que quando uma relação chegue ao seu final, isso ocasione um impacto emocional bem forte em uma ou ambas partes do casal, o que pode resultar na depressão amorosa.

Outro aspecto importante a ser levado em conta é que muitas vezes a depressão por amor surge por que na relação os dois haviam estabelecido metas e objetivos em comum para o futuro que podem ter substituído planos pessoais que cada um tinha individualmente, o que pode causar uma sensação de não ter mais rumo na vida.

Sem mencionar que o estilo de vida e a rotina diária a qual estavam acostumados também tem que mudar. Há casais que depois que terminam uma relação não sabem o que fazer com o seu tempo livre e custa muito iniciar uma nova rotina de maneira individual.

Leia também: "Como superar o fim do relacionamento".

Como sair da depressão amorosa - Depressão amorosa: por que acontece

Quanto tempo leva para esquecer um amor

A ruptura de um casal implica uma perda já que, mesmo que a pessoa não tenha morrido, a separação causa uma sensação parecida a de quando morre um ente querido. Mas quanto tempo leva para esquecer um amor?

A pessoa amada deixa de estar ao nosso lado e perdemos totalmente a comunicação com ela, motivo pelo qual é necessário que iniciemos um processo de crescimento, no qual temos que atravessar uma série de fases, algumas dolorosas, para que no final consigamos a aceitação total da situação.

Quando conseguimos finalmente aceitar que a pessoa amada foi embora e que não voltará, podemos continuar com as nossas vidas mesmo com a dor, que irá diminuindo com o passar do tempo.

Logo, quando perguntamos quanto tempo leva para superar um amor e sair de uma depressão amorosa, a resposta pode ser genérica, mas verdadeira: com o tempo. Não é à toa que dizem que o tempo cura tudo, até mesmo depressão de amor: por que há situações que só mesmo o tempo consegue curar.

O melhor que podemos fazer é nos conformar com a perda, aceitar a dor como parte de um processo normal e natural e não tentar ficar no passado para que possamos avançar e conseguir nos sentir melhor como queremos. Assim podemos minimizar os sintomas de depressão.

Como sair da depressão amorosa: 6 conselhos

Em Psicologia-Online queremos te ajudar a superar essa depressão por amor não correspondido ou qualquer outro. Por isso, a seguir, confira seis dicas de como superar a depressão amorosa:

Expresse o que sente

Permita-se expressar toda a dor que a perda dessa pessoa amada te provocou da maneira que puder e quiser. Em muitas ocasiões, quando pedimos um conselho ou contamos a alguém o mal que estamos, geralmente, devido a que a maioria das pessoas não saber lidar com a dor, nos é recomendado que sejamos fortes e que continuemos em frente.

No entanto, em muitos casos, esse tipo de conselho pode ser contra-prudente. Para seguir em frente, necessitamos desafogar as mágoas, chorar, gritar e nos expressar da maneira na qual achamos certas para nós mesmos para começar a superar a dor que estamos sentindo.

Deixe de viver o passado

As pessoas costumam sofrer mais por lembrar continuamente do que aconteceu no passado ou por estarem preocupadas com o que acreditam que possa acontecer no futuro.

Então, mesmo que seja bom nos expressar para aliviar a dor, também é importante que não fiquemos nos torturando com memórias e pensamentos relacionados ao que vivemos com o nossos exs.

Ficar remoendo o passado só nos vai provocar mais sofrimento. O melhor que podemos fazer é tentar focar toda a nossa atenção no momento presente.

Quando começamos a experienciar plenamente o presente, nos damos conta que na maioria das situações não temos motivos concretos para sofrer e que podemos desfrutar mais da vida do que acreditávamos.

Uma ferramenta excelente que nos pode ajudar com a depressão amorosa é a meditação, que vale muito a pena conhecer e colocá-la em prática todos os dias se for possível.

Melhore a qualidade dos seus pensamentos

Em muitas ocasiões, especialmente quando estamos deprimidos, os pensamentos que mais nos rondam a cabeça são negativos. Nesses momentos, vemos tudo cinza e tendemos a ver as piores características das pessoas se sobressaindo.

Isso faz com que os nossos sentimentos, emoções e ações sejam sempre negativos e pessimistas. Por isso, é fácil nos encontrar fechados em um ciclo vicioso que parece não ter fim e nem saída.

Assim, é importante prestar atenção em nosso pensamentos e detectar aqueles que não estão nos beneficiando para que possamos mudá-los por outros mais positivos, que podem nos ajudar a sair mais rapidamente dessa onda de negatividade que nos encontramos.

Busque apoio de amigos e familiares

Nesses momentos tão difíceis, é necessário que busquemos o apoio das pessoas mais próximas a nós mesmos. As pessoas as quais geralmente recorremos ou com as quais sabemos que podemos contar para sermos compreendidos e escutados quando temos um problema são indispensáveis quando sofremos de uma depressão amorosa.

Além de nos sentirmos acompanhados e consolados por eles, também irão criar novos planos que servirão para nos distrair e divertir.

Não se isole

Quando nos encontramos com sintomas de depressão, é normal que não queiramos ter contato com ninguém e que fiquemos fechados dentro de casa por dias, meses ou até anos quando a situação é muito grave.

De começo, é normal dar um tempo a nós mesmos, descansar e refletir sobre a situação mais afastados das outras pessoas. No entanto, é necessário que, com o passar dos dias, comecemos a sair de casa e a voltar a nos conectar com os demais, principalmente com amigos mais íntimos e familiares.

Renove suas metas pessoais

Se os nossos principais objetivos e metas para o futuro estavam relacionados apenas com o parceiro e eram compartilhados apenas com ele, é necessário que comecemos a recuperar os sonhos que tínhamos ou a criar novos.

E a melhor maneira disso é começarmos a estabelecer pequenos objetivos a curto prazo, que podem ser realizados aos poucos, já que, se focamos apenas nas metas a longo prazo é provável que terminemos abandonado estas por que precisam de muito tempo para serem cumpridas.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como sair da depressão amorosa, recomendamos que entre na nossa categoria de Sentimentos.

Escrever comentário sobre Como sair da depressão amorosa

O que lhe pareceu o artigo?

Como sair da depressão amorosa
1 de 2
Como sair da depressão amorosa

Voltar ao topo da página