Partilhar

Tipos de testes psicológicos: funções e distinções

Por Equipe editorial. 6 março 2019
Tipos de testes psicológicos: funções e distinções

Não existem duas pessoas no planeta que sejam exatamente iguais em relação ao caráter e personalidade. Podemos encontrar indivíduos que se pareçam conosco, que tenham pontos em comum e que, inclusive, possam ser considerados nossas almas gêmeas, mas a realidade é que sempre haverá algum traço da nossa personalidade que nos diferencie dos outros e que nos torne únicos e inigualáveis.

A personalidade de alguém, com todos os seus componentes, é algo de difícil definição já que são muitos os fatores que a compõem. Mas para isso existem os testes psicológicos e os testes de personalidade, que são ferramentas que podem nos ajudar a descobrir um pouco mais como somos. Assim, nesse artigo de Psicologia-Online te explicaremos quatro diferentes tipos de testes psicológicos: funções e distinções.

Também lhe pode interessar: Teste psicológico do bosque

Testes psicológicos

O que são testes psicológicos?

Testes psicológicos são provas que se utilizam como instrumento experimental para medir ou avaliar a psique das pessoas ou os traços mais gerais da personalidade de um indivíduo. Dessa maneira, pode-se compreender o comportamento de um indivíduo e a que deve esse comportamento.

Os testes de psicologia são realizados principalmente por especialistas da área, como psicólogos ou psiquiatras, mas também por outros profissionais que foram devidamente treinados. Após essa breve e pequena introdução, conheça quatro tipos de testes psicológicos importantes que ajudam a melhor compreender a personalidade de cada pessoa.

Tipos de testes psicológicos: funções e distinções - Testes psicológicos

Testes psicométricos

Os testes psicométricos são um dos tipos de testes psicológicos. Mas o que são testes psicométricos? Essas avaliações são aquelas que procuram colocar um valor determinado a uma qualidade psicológica. Nesse caso, o que esses testes fazem é medir, dentro de uma escala de valores, vários aspectos que podem ser:

  • O Coeficiente Intelectual (CI)
  • A atenção
  • A memória
  • A compreensão de leitura

Esse tipo de teste psicológico tem como finalidade avaliar, selecionar e, em muitos casos, dividir a amostra de pessoas escolhidas segundo suas capacidades intelectuais. Por isso, ele é geralmente usado em escolas, para saber que alunos têm um maior rendimento escolar, e em entrevistas de emprego, para saber quem são os melhores candidatos para o cargo.

Em algumas ocasiões, os testes psicométricos também são utilizados no âmbito clínico para que um diagnóstico possa ser realizado.

Testes projetivos

O que são testes projetivos?

Esses, por outro lado, são testes menos estruturados que colocam à prova a individualidade e a resposta aberta de cada indivíduo para poder conhecer seus traços de personalidade mais íntimos. Os testes projetivos são muito comuns em âmbitos escolares, clínicos e até de medicina legal forense e, por sua vez, também contam com subtipos ou categorias.

Uma delas são os testes projetivos expressivos, nos quais quem estiver o realizando deve desenhar um elemento concreto que será analisado depois pelo profissional da área de psicologia. Um exemplo é o bastante utilizado teste de personalidade HTP (Casa - árvore - pessoa), no qual através do desenho de uma criança ou de um adulto pode-se descobrir algumas das partes mais ocultas de sua personalidade.

Outro subtipo de teste psicológico projetivo é o dos testes estruturais, nos quais um material visual, como desenhos e outras imagens, têm que ser analisados e organizados por quem estiver fazendo a prova. Nesse caso, o teste de Rorschach, mais conhecido como o teste das manchas de tinta é um dos mais conhecidos. Nele, o indivíduo tem que interpretar o significado das manchas de tinta que são mostradas a ele em diversas lâminas.

Já uma terceira categoria desses testes são os associativos. Como o próprio nome já fala, neles a pessoa deve associar imagens ou palavras que são apresentadas pelo psicólogo ou psiquiatra. O teste de associação de palavras é um deles.

É importante ressaltar, no entanto, que esses tipos de testes psicológicos contam com uma alta liberdade de respostas, já que elas são dadas por quem está fazendo o teste e não são pré-determinadas pela prova. Por isso, costumam a ser mais demorados e mais complexos de serem analisados.

Testes psicológicos objetivos

Já os testes psicológicos objetivos, o que são?

Esses testes se baseiam em respostas fisiológicas para medir um determinado elemento. Diferentemente dos testes projetivos, os objetivos contam com respostas já prontas, como em testes de verdadeiro ou falso ou de múltipla escolha, que devem ser elegidas pela pessoa que for realizá-lo e não com percepções do inconsciente, que são os resultados, por exemplo, do teste de Rorschach.

Para o estudioso Raymond Cattel, esses testes são aqueles nos quais "o comportamento do sujeito é medido, para definir sua personalidade, sem que ele saiba de que maneira seu comportamento poderá afetar sua interpretação"[1]. Entre esses testes também podem-se encontrar subcategorias:

  • Testes objetivos motores, nos quais as respostas motoras e musculares a diversos estímulos são medidas.
  • Testes objetivos psicofisiológicos, nos quais é analisada a relação entre o comportamento do sujeito e aspectos fisiológicos do mesmo, como respiração, temperatura e velocidade dos batimentos cardíacos.
  • Testes cognitivos, nos quais elementos como a percepção, a rapidez e a atenção envolvidas durante o teste são analisados.

 

Testes psicológicos subjetivos

E o que são testes psicológicos subjetivos?

Esses últimos trabalham novamente sem respostas pré-determinadas, mas sim com perguntas com espaços abertos para respostas pessoais e opiniões. Por isso, eles costumam demorar mais para serem criados e depois avaliados por profissionais, que devem medir as respostas com diferentes escalas.

Geralmente, os testes subjetivos são realizados quando se deseja medir um elemento concreto das vivências e da personalidade da pessoa através de perguntas de autodescrições ou valorações.

Importância dos testes psicológicos

Depois de ter lido um pouco sobre quatro dos principais tipos de testes psicológicos, por que não saber por que eles são tão importantes hoje em dia?

Em primeiro lugar, os testes psicológicos são indispensáveis no âmbito clínico, já que eles podem ajudar a diagnosticar patologias e distúrbios psicológicos que podem afetar negativamente a vida de um indivíduo como, depressão, ansiedade, dificuldade na retenção de conteúdo e problemas na aprendizagem, transtorno do déficit de atenção, dislexia, autismo, problemas de memória e até demência.

Nesses casos, crianças com problemas de aprendizado ou que sofreram abusos e outros eventos traumáticos, por exemplo, podem ser diagnosticadas e tratadas corretamente.

Além disso, além de diagnosticar patologias, quando usados em outros ambientes, como o do mercado de trabalho, os testes psicológicos podem ser ótimas ferramentas para saber que candidato tem os melhores qualidades e personalidade para se juntar à empresa.

 

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Tipos de testes psicológicos: funções e distinções, recomendamos que entre na nossa categoria de Testes Psicológicos.

Referências
  1. SCHEIER, H, I. What is an Objective Text. Laboratory of Personality Assessment and Group Behavior, University of Illinois. Psychological Reports: Southern Universities Press, 1958. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.2466/pr0.1958.4.g.147?journalCode=prxa. Acesso em: 05/03/2019.

Escrever comentário sobre Tipos de testes psicológicos: funções e distinções

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
girlene Gomes
Que profissional poderá aplicar estes testes?

Tipos de testes psicológicos: funções e distinções
1 de 2
Tipos de testes psicológicos: funções e distinções

Voltar ao topo da página