menu
Partilhar

Não consigo gozar, o que fazer?

 
Por Marissa Glover, Psicóloga. 22 janeiro 2021
Não consigo gozar, o que fazer?

Quando falamos de orgasmos, nos referimos àquela fase dentro da sexualidade humana que geralmente é associada ao momento de maior prazer. Para a grande maioria das pessoas, não conseguir experimentar um orgasmo durante o ato sexual pode ser algo extremamente frustrante. Devido ao fato de que o orgasmo é uma resposta física que o corpo produz em determinado momento, a primeira coisa para a qual as pessoas voltam a atenção é averiguar o que é que está acontecendo e se possuem algum tipo de problema orgânico que possa estar afetando a elas. No entanto, apesar de ser importante considerar e fazer a avaliação médica necessária, também é fundamental avaliar o componente psicológico ou mental. É por isso que neste artigo de Psicologia-Online amos nos concentrar no aspecto psicológico da anorgasmia: não consigo gozar, por quê?

Também lhe pode interessar: Dificuldade para gozar: o que é a anorgasmia

A anorgasmia: dificuldade para gozar (chegar ao orgasmo)

A anorgasmia é a ausência de orgasmo, isto é, não alcançar o clímax nas relações sexuais quando nestas existe uma fase de excitação normal. Sobre a anorgasmia é importante saber que é uma questão mais habitual do que geralmente se imagina. Na grande maioria dos casos, a anorgasmia tem uma causa emocional e psicológica, e são muitos os fatores que podem influenciar na dificuldade para chegar ao clímax. A anorgasmia pode ser de diferentes tipos de acordo com o momento que tenha iniciado e as situações nas quais aconteça.

Características de pessoas que têm dificuldade em gozar

A seguir te contamos quais são as principais características que as pessoas com dificuldade para chegar ao clímax possuem:

  • Não se masturbam ou o fazem muito pouco: são pessoas que geralmente não praticam a masturbação e se preocupam pouco em dar prazer a elas mesmas.
  • Têm dificuldade de se deixar levar nas relações sexuais: pessoas que têm dificuldade de se soltar e, logo, de relaxar diante de seu/sua parceiro/a, o que dificulta a relação sexual e a chegada do orgasmo.
  • Falta de assertividade sexual: tratam-se de pessoas inseguras na hora de manter relações sexuais com outra pessoa. Geralmente, também mantêm o foco da atenção em fazer com que o/a parceiro/a tenha prazer, apesar deles mesmos não terem, e se preocupam tanto para que "tudo saia bem" que se esquecem de aproveitar o momento.
  • Crenças irracionais: pode ser que a pessoa ao longo do tempo, seja devido a ter tido uma educação ineficiente, por atitudes negativas sobre a sexualidade, por exigências, etc., foi adotando uma série de crenças negativas e irracionais que não permitem que ela desfrute na hora de manter relações sexuais, nem na hora de dar prazer a si mesma.
  • Baixa autoestima: pessoas que possuem pouco apreço a elas mesmas e que se sentem indignas de receber amor, e assim não se permitem aproveitar nem sentir prazer sexual. É uma boa opção conhecer a origem da baixa autoestima e trabalhar em uma autoestima sadia e adequada, já que ajuda muito.

Por que não consigo gozar?

Entre as principais causas psicológicas da anorgasmia, ou dificuldade para gozar, se encontram as seguintes:

  • Traumas na infância: as pessoas que tiveram certos tipos de traumas na infância como, por exemplo, ter sofrido abusos sexuais ou violações, ter sido vítima de maltrato físico e/ou psicológico, abandono, negligência, entre outro tipo de situações traumáticas, são mais propensas a sofrer de anorgasmia.
  • Transtorno mentais: existem algumas doenças ou transtornos da personalidade nos quais a sexualidade da pessoa pode ser afetada, como por exemplo na esquizofrenia.
  • Transtornos de apego: quando na infância a relação de apego que tinha com os pais não foi adequada. Isto pode trazer consequências na hora de se relacionar com os/as parceiros/as na idade adulta.
  • Abuso sexual ou violação na idade adulta: casos onde a pessoa foi abusada ou violada na idade adulta.
  • Estresse: encontrar-se extremamente estressada, o que é muito comum na sociedade atual, que é cada vez mais exigente e onde geralmente é preciso ter cargas de trabalho elevadas, entre outros tipos de fatores estressantes.
  • Medo de perder o controle: pessoas que estão muito acostumadas a ter o controle da situação ou delas mesmas o tempo todo, e assim não se deixam levar facilmente por nenhum tipo de emoção ou sensação que experimentam.

Não consigo gozar, o que fazer?

Uma vez que se tenha descartado que o problema tenha causa orgânica, o que se recomenda é buscar ajuda de um profissional, neste caso um sexólogo. O tratamento vai se focar primeiramente em ajudar a pessoa a modificar todas as crenças irracionais e negativas que pode estar tendo sobre a sexualidade e mudá-las por outras mais positivas e racionais. Isto irá ajudar a melhorar as crenças que a estão limitando nesta área e, dessa forma, mudar suas atitudes a respeito de aproveitar as relações e do prazer sexual. Ainda que cada caso seja especial e, portanto, o tratamento com cada pessoa seja diferente, o que normalmente recomendam os/as sexólogos/as para facilitar o orgasmo é, por exemplo, no caso das mulheres, que fortaleçam seu assoalho pélvico por meio dos exercícios de Kegel. Nesta prática o/a parceiro/a (no caso de haver um/a) se encarrega de uma série de exercícios que favorecem as zonas erógenas. No caso de não ter parceiro/a, os exercícios recomendados são parecidos, mas são direcionados para os autoestímulos. Trabalha-se também com a melhoria da autoestima da pessoa que sofre com esta dificuldade, já que pode estar muito ferida e é possível fazer com que a pessoa adquira cada vez mais segurança e confiança nela mesma.

Também são solucionados os problemas ou traumas que aconteceram há pouco tempo ou na infância. No caso do vínculo de casal ter sido afetado, trabalha-se com exercícios de terapia de casal também para conseguir repará-lo. Evidentemente, é importante mencionar que a mesma terapia ajuda a trabalhar com o estresse e a ansiedade que a pessoa pode estar apresentando, os quais não permite que ela se sinta mais relaxada e se deixe levar pela situação.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Não consigo gozar, o que fazer?, recomendamos que entre na nossa categoria de Sexologia.

Bibliografia
  • Cepsim, Madrid. (s.f.). Tratamiento de la Anorgasmia. Recuperado 8 febrero, 2019, de https://www.psicologiamadrid.es/psicologo-tratamiento-de-la-anorgasmia-en-madrid.html
  • Guillén, J. G. V. (2018). No tengo un orgasmo: ¿qué puedo hacer? Recuperado 8 febrero, 2019, de https://cuidateplus.marca.com/sexualidad/pareja/2018/09/27/orgasmo--167202.html

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Não consigo gozar, o que fazer?
Não consigo gozar, o que fazer?

Voltar ao topo da página