menu
Partilhar

Pessoas controladoras: características e como lidar com elas

 
Por Gianluca Francia, Psicólogo. 13 fevereiro 2021
Pessoas controladoras: características e como lidar com elas

Algumas personalidades necessitam, para manter seu equilíbrio, exercer um controle estreito sobre o que as rodeia: a empresa entraria em colapso se a confiassem a um diretor, a esposa ou o marido se perderiam se os deixassem fazer as compras sozinhos, é certo que as crianças sairiam feridas se não fossem supervisionadas o tempo todo. Por que alguns são obcecados com a necessidade de controle? Por que estão profundamente convencidos de ter que ditar regras sobre tudo? Por que acreditam que sua ordem do dia deve prevalecer sobre a dos demais? Por que insistem tanto em que tudo seja feito de sua maneira, até mesmo quando mostramos que nosso método é tão eficaz quanto o dela, senão mais?

Como são as pessoas controladoras? Com este artigo de Psicologia-Online revelaremos 10 características das pessoas controladoras, e como lidar com elas. Veremos como as pessoas controladoras, manipuladoras, possessivas e ciumentas são, tanto nos relacionamentos como no trabalho, e como agir com pessoas assim.

Traços, comportamentos e características das pessoas controladoras

As principais características das pessoas controladoras e manipuladoras são:

  1. Necessidade de controle: vários fatores (temperamento, experiências de vida diferentes, motivação, ...) podem provocar esta necessidade urgente de controle: a tendência ao controle não é um traço inato, mas sim um estilo de adaptação.
  2. Ansiedade: quando uma pessoa se descreve como "maníaca por controle", na verdade não existe uma propensão humana inata a possuir o controle: o que existe em uma personalidade que controla é uma profunda ansiedade. O recém-nascido e a criança que percebem que suas necessidades não estão sendo satisfeitas podem desenvolver um estilo de adaptação obsessivo, ansioso por cada detalhe. De fato, a personalidade controladora se protege da ansiedade se mantendo o mais longe possível desta criança perdida, insegura e envergonhada que era ou desse trauma do qual carrega as marcas. Para evitar que essa ansiedade a oprima, a ataque repentinamente ou, pior ainda, se manifeste um pouco, tentam controlar as pessoas e os acontecimentos que as rodeiam.
  3. Rigidez: os controladores terão grandes dificuldades para negociar, porque são totalmente incapazes de tolerar a imperfeição.
  4. Cumprimento estrito de suas normas interiores: os indivíduos com um tipo de personalidade dominante procuram gerir cada detalhe da existência, incluindo às pessoas ao seu redor. Estes sujeitos, como adultos, fundam sua autoestima em satisfazer as suas exigências interiorizadas e as dos pais, às custas de quem se transforma em seu objeto de projeção.
  5. Pouca tolerância ao estresse: quando uma pessoa controladora e manipuladora teme não poder controlar os acontecimentos, sente muito estresse; inconscientemente acredita que apenas controlando cada aspecto de sua vida e de seu entorno será capaz de garantir a satisfação de suas necessidades.
  6. Esgotamento: uma vida difícil a das pessoas controladoras e possessivas, que com a ilusão de manter tudo sob controle se sentem serenas, e enquanto se encarrega continuamente de cargas, de responsabilidades, incluindo tarefas absurdas que poderiam ser feitas por qualquer um.
  7. Problemas com a autoestima: estas pessoas precisam do "controle" porque sem ele, geralmente se sentem invadidas pelo medo de que as coisas acabarão superando e minimizando elas e, portanto, serão desvalorizadas ou não reconhecidas, logo sua vida pode ser arruinada.
  8. Sentimentos de inferioridade: em um nível mais profundo, o frequente Ego grandioso da personalidade dominante, dialoga em um sentido de inferioridade e de uma autoestima precária que somente podem ser mantidas através da ilusão de poder controlar e de poder prevalecer sobre tudo.
  9. Vulnerabilidade: na verdade, as pessoas que possuem uma grande necessidade de controle são frequentemente vulneráveis: ou são seus chefes, os organizadores, ou se sentem muito incômodas. Não estamos falando da necessidade narcisista de estar no centro, mas sim da convicção de que apenas se ela faz e organiza ficam seguras, do contrário quem sabe o que poderá acontecer.
  10. Crenças contraditórias: há pessoas, por exemplo, que voam em seus pequenos aviões, mas nunca pisariam em um avião comercial, porque não podem pilotá-lo. Conseguem chegar a estes paradoxos e também a encontrar uma aparente explicação lógica para comportamentos que para os outros, por outro lado, representam evidentemente uma contradição.

Por que existem pessoas controladoras?

A causa principal para que as pessoas tenham traços controladores e queiram controlar os outros, é ter vivido uma infância "controlada". As origens da formação de uma personalidade controladora e manipuladora devem ser procuradas na primeira infância: a partir de uma certa rigidez no ritmo de lactação, de um treinamento para a limpeza excessivamente severo e de horários para dormir muito bem definidos; seguindo uma programação minuciosa de todas as atividades cotidianas, as famílias das pessoas que controlam, frequentemente são dominadas pelo tema controle. Os pais, geralmente, foram irrazoavelmente pretensiosos, prematuramente exigentes e/ou muito reprovadores: toda atividade espontânea foi fortemente desencorajada, por medo de que traria caos e desordem, criando assim pessoas controladoras e ciumentas.

Como lidar com pessoas controladoras

Levando em conta este resumo das características básicas das personalidades controladoras, é bastante evidente que manifestam uma série de comportamentos que podem frustrar e provocar ressentimento, sobretudo nas pessoas com que se relacionam mais estreitamente. O problema de viver junto de pessoas controladoras e ansiosas é não ter um espaço e um tempo personalizados para expressar suas emoções e desejos. Frequentemente, quem sofre o controle do outro não sente a necessidade de inventar nada, nem de criar nada em sua vida cotidiana, porque é continuamente "roubado" pelo controle dos outros. No trabalho pode ter consequências desastrosas: um responsável hipercontrolador pode bloquear a criatividade de seus colaboradores e, no pior dos casos, desmotivá-los. A seguir veremos como tratar com pessoas controladoras no trabalho.

Como manejar uma pessoa controladora? Para não sofrer a ansiedade de controle, seria necessário tratar de decifrar estas mensagens ansiosas que chegam a sufocar. Segundo Viola (2019), em geral, estas são as sugestões para se relacionar com pessoas altamente controladoras:

  • Se esforce para manter a calma, a compostura e a assertividade: uma das características mais comuns dos indivíduos agressivos, intimidadores e controladores é que eles deliberadamente gostam (em alguns casos inconscientemente) de te incomodar e intimidar, manipulando suas decisões, suas ações ou processos de pensamento.
  • Na medida do possível, mantenha distância: outro conselho para lidar com uma pessoa controladora é manter a distância. A menos que haja algo importante em jogo na relação, não gaste seu tempo procurando lidar com uma pessoa que está negativamente entrincheirada e que rebate tudo como uma parede de borracha.
  • Mude da atitude reativa para a proativa: ser consciente da natureza das pessoas agressivas, intimidadoras e controladoras pode nos ajudar a desacreditar da situação e pararmos de ser receptivos, para nos tornarmos assertivos e proativos.
  • Defenda seus direitos: as pessoas agressivas, intimidadoras e controladoras tendem a te privar de seus direitos para que possam te controlar e se aproveitar de você.
  • Procure recuperar seu poder: um padrão recorrente destas personalidades é que elas gostam de se concentrar na pessoa-objetivo, para que esta se sinta incomodada ou inadequada. Uma forma simples, mas poderosa de mudar esta dinâmica é colocar o foco nelas.
  • Em situações leves, utilize um humor apropriado: se utilizado adequadamente e apropriadamente, o humor pode iluminar a verdade, desarmar certos comportamentos difíceis e demonstrar ao interlocutor que você tem uma maior compostura. O humor é uma boa estratégia para lidar com uma pessoa controladora no trabalho.
  • Em situações mais graves, tente explicitar quais são as possíveis consequências: a capacidade de identificar e afirmar quais são as consequências dos comportamentos de controle é uma das habilidades mais importantes que você pode utilizar para "desencorajar" uma pessoa rigidamente controladora, e provavelmente estimulá-la a ser mais flexível e, quem sabe, talvez até a mudar. É necessário colocar limites a uma pessoa controladora em uma relação.

Uma pessoa controladora pode mudar?

As ações das pessoas que controlam se movem por fatores psicológicos profundos, que tem a ver com a estrutura de sua personalidade, e mais superficialmente pela profunda convicção de que é necessário se comportar dessa maneira para satisfazer suas necessidades e alcançar seus objetivos. Por outro lado, é difícil que o maníaco por controle tenha consciência de possuir esta ansiedade: se comporta assim sem se dar conta. Um só se dá conta de que está sendo hipercontrolador quando chegam estímulos de estarem obsessivos por controle dos outros, como se fosse uma necessidade que não pode ser evitada.

Infelizmente, frequentemente as pessoas que vivem ao lado de um maníaco por controle se afastam, mesmo que não queiram causar dor, porque não resistem a ansiedade da perfeição. Como consequência de episódios deste tipo, também pode ocorrer que as pessoas superprotetoras e controladoras possam superar sua mania de controle. Melhor, no entanto, é receber ajuda profissional, já que por si mesmos não conseguem processar as causas profundas desta ansiedade perfeccionista que invade o outro. Portanto, a melhor opção para pessoas controladoras, é a psicoterapia.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Pessoas controladoras: características e como lidar com elas, recomendamos que entre na nossa categoria de Personalidade.

Bibliografia
  • Edizioni Il Punto d’Incontro, (2014). Control freak: le personalità controllanti. Recuperado de: https://www.edizionilpuntodincontro.it/articoli/benessere/control-freak-le-personalita-controllanti.html
  • Maté, G. (2003). When the bosy says No. The cost of the hidden stress. Canada: Random House.
  • Montelli, A. (2017). Che ansia la mania di controllo! Recuperado de: https://www.donnamoderna.com/salute/mania-controllo-ansia
  • Riva, M. G. (2019). Il lavoro pedagogico. Come ricerca dei significati e ascolto delle emozioni. Milán: Edizioni Angelo Guerrini.
  • Viola, A. (2019). Le personalità controllanti: come riconoscerle. Recuperado de: https://psicologicagliaridottantonelloviola.blogspot.com/2019/01/normal-0-14-false-false-false-it-zh-cn.html
  • Vinciguerra, P., Calabrese, G. (2012). Stress & Dieta. Consigli e rimedi per vivere al meglio. Milán: Kowalski.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Pessoas controladoras: características e como lidar com elas
Pessoas controladoras: características e como lidar com elas

Voltar ao topo da página