menu
Partilhar

Breadcrumbing: o que é, sinais e como agir

 
Por Equipe editorial. 5 novembro 2021
Breadcrumbing: o que é, sinais e como agir

Possivelmente muitos escutaram nos últimos anos o termo breadcrumbing, que faz menção a quando uma pessoa gosta de receber atenção, mas não tem intenção de levar a relação a outro patamar nem a se comprometer de verdade com a outra pessoa.

Neste artigo de Psicologia-Online, falaremos com profundidade sobre este tema, já que muitas pessoas podem se sentir identificadas com este novo termo ou pensar que estão em uma relação de casal quando, na verdade, estão sendo afetadas por este fenômeno. Descubra o que é o breadcrumbing, os sinais para identificar e como agir.

Também lhe pode interessar: Sinais de uma pessoa apaixonada por mim

Breadcrumbing, o que é?

A palavra breadcrumbing em sua tradução para o português faz referência a "ir deixando migalhas". Objetivamente, consiste em uma pessoa que não possui intenção de levar a relação adiante, mas gosta de receber atenção. Desta maneira, seu comportamento se baseia no flerte constante e em enviar sinais de interesse afetivo, sabendo que permanecerá solteiro ou solteira por um bom tempo.

Esta modalidade se baseia em ir deixando migalhas de carinho ao potencial parceiro para manter a ilusão sem a menor intenção de compartilhar uma relação com a outra pessoa. A pessoa que se dedica a fazer breadcrumbing se encarrega de mandar mensagens enganosas para manter a outra pessoa na fase inicial da paixão e do interesse.

Algumas pessoas que possuem uma autoestima inadequada procuram demonstrar a si mesmas que possuem capacidades e habilidades para captar a atenção do outro, para seduzir. Têm a necessidade de se sentirem desejados/as e assim se mostrar interessantes ou especiais. O breadcrumbing é a estratégia para alimentar inadequadamente a autoestima.

Como fazer breadcrumbing

As redes sociais facilitam o breadcrumbing, é mais acessível lançar migalhas devido a resposta rápida que obtém e deixar mensagens esperando que a outra pessoa responda à solicitação. Antes das redes sociais, o breadcrumbing era feito através de olhares e gestos.

O breadcrumbing geralmente é bastante cruel, assim como o ghosting, já que deixa uma pessoa se perguntando e esperando uma relação que nunca irá acontecer, o que afeta a saúde mental de quem está esperando.

A psicóloga Molina, C.(s.f)[1], relata que é uma forma de sedução perigosa. Está comprovado que ir dando estas pequenas migalhas aos poucos é uma das formas que mais prende o ser humano. As pessoas são muito mais sensíveis e apegadas diante do variável do que diante do constante.

Causas do breadcrumbing

Existem duas hipóteses que explicam as causas do breadcrumbing. Veremos a seguir:

  • Medo de finalizar ou terminar um relacionamento: medo de enfrentar a situação e ser sincero com a outra pessoa. Dessa forma, o medo de prejudicar à outra pessoa comunicando o que realmente sente e pensa da relação.
  • Alimentar o próprio ego: ter uma pessoa na fase da paixão e interesse pela relação, a qual não ocorrerá, para se sentir melhor consigo mesmo.

Um estudo publicado por Zamorano, E. (2021)[2], menciona que o breadcrumbing aumentou nos últimos anos, tanto o breadcrumbing romântico como o breadcrumbing laboral, no qual se mantém um suposto empregado iludido de que é o candidato ideal para a empresa, criando expectativa de que em um tempo curto fará parte da equipe de trabalho, o que não acontecerá.

Por outro lado, a mesma autora afirma que o ser humano vive constantemente conectado à internet, aumentando de 2015 até 2021. A pandemia aumentou as horas de exposição na internet, 44% das pessoas entre 18 a 49 anos estão constantemente conectadas e online, o que faz referência a um maior número de relações digitais estabelecidas com outras pessoas e maior fluidez no momento de conhecer outras pessoas.

Sinais para identificar o breadcrumbing

A psicóloga Paoli, G. (citada por Gálvez, M. 2020)[3], relata que as pessoas que praticam o breadcrumbing o fazem porque tem uma necessidade de aprovação de forma constante, sentem necessidade de que alguém esteja pensando nelas ou neles constantemente, buscam alimentar seu ego e tendem a ter traços narcisistas.

Um hábito das pessoas que praticam breadcrumbing é se levantar uma hora antes para escrever mensagens a toda sua lista de conquistas e desta maneira se mantém entretido ou entretida em sua reafirmação de autovalorização.

A especialista faz menção à existência do breadcrumbing passivo, que se baseia em um comportamento sutil que pode ser interpretado como uma simples timidez. A autora relata que são pessoas que sentem dificuldade de se posicionar e não têm motivação a serem honestas. De forma geral, são pessoas que estão à espera de que a outra pessoa as abandone, já que não se atrevem a fazer por si mesmas, mas tampouco param de deixar suas migalhas românticas.

Como evitar o breadcrumbing

Se você se pergunta como acabar com o breadcrumbing, a primeira coisa a se fazer é analisar a situação de fora. De forma geral, é possível que se experimente um sentimento de culpa pela experiência que se viveu. Colocar em retrospectiva tudo o que aconteceu, ajuda a não repetir padrões ou comportamentos do passado.

Outra forma de evitar o breadcrumbing é analisar as possíveis causas do que se experimentou. É importante se valorizar como pessoa e se questionar se isso era o que necessitava em sua vida sentimental. Você pode ir a um/a psicólogo/a se precisar.

Além disso, para sair do breadcrumbing, é importante estabelecer limites em qualquer tipo de relação. Deixar claro o que está disposto/a a tolerar e o que não, e expressar seu descontentamento e resolver uma situação ou relação que observa que não está avançando.

Como responder ao breadcrumbing

Para responder ao breadcrumbing, é necessário seguir os seguintes passos:

  1. Reconhecer que você está diante de uma pessoa que está te fazendo breadcrumbing.
  2. Verbalizar por meio da comunicação assertiva e se fazer entender que não é a maneira adequada de levar o relacionamento.
  3. Valorizar a presença física, a proximidade, os jantares e saídas que ajudam a estabelecer melhores relações interpessoais.
  4. Ressaltar o amor próprio e a estima. Neste artigo, te contamos como melhorar a autoestima.
  5. Estabelecer limites quando forem necessários: mais ainda quando se observa que a confiança nos outros está sendo desempenhada por um papel que não desejamos.

Se de alguma maneira você sente que não é suficiente, é aconselhável ir a um especialista para que te oriente sobre como responder ao breadcrumbing em seu caso específico.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Breadcrumbing: o que é, sinais e como agir, recomendamos que entre na nossa categoria de Sentimentos.

Referências
  1. Molina, C. (s.f). Cepsim. Recuperado de: https://www.psicologiamadrid.es/blog/articulos/problemas-psicologicos/bread-crumbing-ser-victimas-de-este-modo-cruel-de-ligar-en-las-redes
  2. Zamorano, E. (10/08/2021). Alma, corazón y vida. Recuperado de: https://www.elconfidencial.com/alma-corazon-vida/2021-08-10/breadcrumbing-ghosting-relaciones-sociales-moviles_3223379
  3. Gálvez, M. (10/11/2020). El país. Recuperado de: https://elpais.com/buenavida/bienestar/2020-11-09/breadcrumbing-la-cruel-forma-de-ligar-con-la-que-los-narcisistas-e-inseguros-enganchan-a-sus-victimas.html

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Breadcrumbing: o que é, sinais e como agir
Breadcrumbing: o que é, sinais e como agir

Voltar ao topo da página