menu
Partilhar

Como identificar um homem potencialmente violento

 
Por Marina Fernández. 3 fevereiro 2021
Como identificar um homem potencialmente violento

Ao longo da história, a violência sempre desempenhou um papel, dependendo da época, mais primordial que em outras, sendo tomada como a principal medida para resolver conflitos. No caso dos homens, o número de crimes violentos e de delinquência em geral, sempre foi muito mais alto que o das mulheres. Neste artigo de Psicologia-Online responderemos às perguntas: como identificar um homem potencialmente violento? O que fazer se você se encontra diante de um homem violento? Veremos também os sintomas que nos levarão a reconhecê-lo e suas principais características. Ressaltamos que trataremos, especificamente, dos homens violentos dentro de um relacionamento amoroso.

Também lhe pode interessar: O que fazer quando um homem te ignora

Primeiros sinais de um homem violento

Como identificar um homem potencialmente violento? Alguns dos sintomas mais característicos são os seguintes:

  • Falta de empatia;
  • Baixa autoestima;
  • Restrição emocional e racionalização dos sentimentos;
  • Dependência / insegurança;
  • Ciúmes;
  • Comportamentos controladores e manipuladoras;
  • Pouca assertividade:
  • Poucas habilidades comunicativas.

Características de um homem violento

Encontramos as seguintes características como as principais de um homem violento, embora deva ser levado em consideração que não constituem um grupo homogêneo e as características variam de acordo com o indivíduo específico e com a maneira de exercer a violência:

  • Alterações psicológicas: falta de controle da raiva e impulsividade, estresse diante de conflitos, eixo controle-descontrole (controle sobre o cônjuge, descontrole em termos de seus impulsos agressivos).
  • Falta de empatia e falta de expressão das emoções. Aqui, estereótipos de gênero entrariam em jogo, que dificultariam a adequada expressão emocional. Ao se sentirem vulneráveis, poderiam não aceitar e reagir através da violência.
  • Dependência e ansiedade em relação ao abandono do seu cônjuge. Instabilidade emocional.
  • Distorções cognitivas: crenças distorcidas que se referem aos papéis da mulher, acredita que são inferiores etc... aqui você encontrará mais informações sobre as distorções cognitivas.
  • Poucas habilidades de comunicação e de resolução de problemas, embora nem todos os casos sejam assim. Dificuldade de tolerar a frustração.
  • Baixa autoestima.
  • Utilização de estratégias de enfrentamento para evitar a responsabilidade de seus atos violentos.
  • Podem ter sido testemunhas ou vítimas de violência em sua família de origem. Em muitos casos é assim.
  • Consumo de álcool e outras substâncias em alguns casos.

Um homem violento pode mudar com terapia?

Um homem violento muda ou não muda? Os tratamentos de homens violentos sempre foram questionados por duas questões principais:

  • Os abusadores não reconhecem nem se responsabilizam por seu comportamento violento, portanto, não estão motivadas para procurar um tratamento e se o fizerem, é difícil de aderir ao programa.
  • Por outro lado, a eficiência da intervenção é criticada: muda o comportamento violento? A princípio aparentemente sim, mas, essas diretrizes são mantidas ao longo do tempo?

Os tratamentos devem garantir que essas questões sejam respondidas para alcançar um maior número de sucessos. Normalmente, se os critérios que vamos apresentar forem levados em consideração, há uma chance de fazer com que um homem violento mude. De qualquer forma, essa resposta dependerá de cada caso específico, pois os tratamentos são individualizados para cada indivíduo e suas necessidades específicas, de modo que também possam responder de maneiras distintas. O importante é melhorar como profissionais e alcançar um número maior de resultados positivos.

Critérios de qualidade a serem levados em consideração para a elaboração do tratamento terapêutico:

  • Princípios básicos na intervenção com agressores que praticam violência de gênero;
  • Critérios para a elaboração do procedimento terapêutico;
  • Critérios gerais: A) Programas inseridos dentro da rede de assistência. B) Profissionais capacitados e com perspectiva de gênero. C) Duração da intervenção baseada em objetivos. D) Programas de tratamento específicos que incluem procedimentos grupais e individuais. E) Avaliação integral e análise da motivação.
  • Eixos transversais da intervenção.

O que fazer diante de um homem violento?

Se você estiver em uma situação diante de uma pessoa violenta, de acordo com os especialistas, os passos a seguir seriam os seguintes:

  • Mantenha uma distância segura: evite qualquer tipo de contato e reação violenta, carregue um objeto que possa feri-lo ou não.
  • Avalie a pessoa: causas de comportamento agressivo ou violento, característica, estado da pessoa, tom de voz, a quem ou a que se dirige suas palavras, estado de nervos...
  • Conheça bem o lugar sua distribuição espacial: forma física, acessibilidade, segura e rápida para escapar do comportamento violento.
  • Avalie o grau de perigo da situação.
  • Decida se você pode se aproximar da pessoa e agir melhor ou pedir ajuda especializada: não hesite em pedir ajuda necessária se você achar que não pode agir sozinha ou que a situação está ficando fora de controle e se tornando muito mais perigosa.
  • Primeiro contato: planeje um plano de ação com base nas informações obtidas. Não improvise, pois você pode gerar situações piores. Seja claro: o que você quer que a outra pessoa faça?, o que você quer que ela pare de fazer? e como você vai fazer isso?
  • Aproximação física e psicológica: sempre de uma forma progressiva, esperando um mínimo de calma e salvaguardando sua segurança. Nunca deixe de olhar as mãos da pessoa e mostre as suas. Evite olhar nos olhos dela, você pode comentar algo sobre um assunto trivial que ajuda a desviar a atenção. Tom calmo, gestos tranquilos. Invista tempo e mostre interesse no que eles perguntam ou explicam.
  • Atender aos pedidos razoáveis que ela faça: lembre-se que o que você quer é parar o comportamento agressivo, então escute o que a pessoa pede e se é razoável para acalmar a situação. Depois você poderá sair ou fazer outra coisa.

Para o caso específico de homens abusadores, aqui está um artigo que fala sobre violência doméstica: maus-tratos contra mulher e filhos.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como identificar um homem potencialmente violento, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia social.

Bibliografia
  • Quinteros, A. (2010). Tratamiento Psicológico a Hombres que Ejercen Violencia de Género: Criterios Básicos para Elaborar un Protocolo de Intervención. Clínica Contemporánea(2)1, 129-139.
  • Romero, S. (2015). Características Psicológicas de los hombres agresores a la pareja: clasificaciones y aproximaciones terapéuticas. Psicología, Conocimiento y Sociedad. Universidad de la República.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Como identificar um homem potencialmente violento
Como identificar um homem potencialmente violento

Voltar ao topo da página