menu
Partilhar

Constelação familiar é perigoso?

 
Por Anna Rafaela Pires. 2 setembro 2022
Constelação familiar é perigoso?

Você já ouviu o termo constelação familiar? Já se perguntou o que é isso? Ou então viu em algum lugar um grupo de pessoas ao redor de um indivíduo fazendo uma "terapia em grupo?" Pode ser que você tenha visto ou tenha tido algum contato com um trabalho de constelação familiar. A constelação familiar é uma técnica na área de psicoterapia breve com vínculo com as terapias sistêmicas.

A psicoterapia breve é um tratamento mais curto que os demais. A constelação busca fazer uma "sessão" com um foco. Muitos profissionais que fazem a constelação familiar com seus clientes, fazem de maneira errada por não terem preparo prévio com o envolvimento emocional que causa. E é devido a isso e outras situações que a constelação familiar pode, sim, ser perigosa.

Vamos entender um pouco mais o que é constelação familiar e se sua prática é perigosa. Neste artigo de Psicologia-Online vamos te responder se constelação familiar é perigoso.

Constelação familiar: prós e contras

Quais são os prós e os contras da constelação familiar?

Prós

  • Ajuda no equilíbrio familiar;
  • Impede que aconteçam "movimentos interrompidos";
  • Apoio depois de situações de estresse e luto.

Contras

  • Não possui evidências empíricas comprovadas;
  • Muitos profissionais que realizam não estão aptos para a prática.

O que é constelação familiar

A teoria da constelação foi criada por Bert Hellinger (alemão) e possui alguns embasamentos na Teoria de Milton Erickson (pai da regressão) e surge com os princípios sistêmicos familiares com o auxílio do psicodrama e da fenomenologia (linha da filosofia).

A fenomenologia basicamente retrata que o corpo está sempre manifestando o que o inconsciente quer e não quer. O corpo aparece com sintomas físicos e características vinculadas ao estado emocional inconsciente e consciente.

Sabendo disso, no meio da prática da constelação familiar os indivíduos conseguem ver as reações físicas e principalmente o profissional conseguirá ter uma noção melhor do que a pessoa está sentindo ou passando.

Ela está vinculada ao conceito das constelações das estrelas - elas no céu, vivem em harmonia - vivem em um sistema. Apesar disso, nós reconhecemos que as constelações familiares são usadas geralmente em famílias desarmoniosas e com problemas - exatamente para buscar a sincronia desse sistema.

A constelação familiar é fortemente ligada ao pensamento sistêmico e dentro desse pensamento estamos ligados a algumas características como:

  • Não existem vítimas;
  • Não existem vilões;
  • Nós erramos, pois deixamos de fazer algo que não teve indicação;
  • Repetir o que nossos "anteriores" fizeram;
  • "Me dá um pedacinho da sua dor, a gente divide e eu vou levar comigo" - essas dinâmicas ocultas são o que muitas vezes está ligado aos distúrbios psicológicos segundo a constelação familiar.

Esse último ponto é extremamente importante pois, na teoria sistêmica quando não temos vontade ou capacidade para mudar alguma coisa "errada" - quer dizer que ela é sistêmica, pois veio de outros ambientes, veio dos seus parentes ou de suas vivências, então, assim como muitas teorias, precisamos "olhar para trás".

Constelação familiar - Pseudociência

Na revista "Questão de Ciência" é relembrado que apesar do que muito se acredita, a constelação não possui evidências empíricas, ou seja, com experimentos comprovados. E isso é sua principal desvantagem.

Mas sendo comprovada ou não empirícamente, é muito fácil você encontrar pessoas que participaram de constelações e tiveram ótimos benefícios.

Então, apesar de não ser comprovada, existem várias testemunhas de sua efetividade. Logo, aceitando que ela pode funcionar, em quais casos a constelação pode ajudar?

  • Conflitos familiares (foco);
  • Luto;
  • Estresses pós-traumáticos;
  • Dificuldades sociais (como a fobia social).

Outro ponto negativo importante da constelação familiar, é que o CFP (Conselho Federal de Psicologia) não autoriza o uso dessa prática por psicológos na psicoterapia, logo muitos instrutoresnão são preparados para utilizá-la, com isso, também podem não estar preparados para a situação emocional que a constelação pode trazer para cada pessoa.

Como fazer constelação familiar

A constelação familiar pode ser aplicada em grupo ou individualmente, no caso é necessário um intermédiario para realizá-la

  • É necessário um tema específico para fazer a constelação familiar;
  • A constelação familiar é feita com pessoas desconhecidas;
  • Uso de frases com poder de cura;
  • Movimentos sistêmicos curativos;
  • Compreensão e liberação do "peso" das coisas que você "carregou" devido ao seu sistema.

Quase sempre o tema é escolhido pelo profissional que irá realizá-la. Não é adequado que uma pessoa sem preparo realize a constelação. Hoje em dia existem diversos cursos profissionalizantes para aplicá-la de maneira correta. Afinal, a prática envolve situações de envolvimento emocional intenso - é necessário estar preparado para dar o auxílio que esses indivíduos podem e vão precisar.

Constelação familiar é perigoso?

Dito tudo isso, a constelação familiar pode ser perigosa, pois não há comprovação cientifíca empiríca - tanto que não é reconhecido pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP). A prática possui diversas controvérsias e para muitos ela é considerada um conjunto de comprovações pseudocientíficas.

Constelação é enganação?

Vamos pensar de uma maneira mais prática, ok?

Saber que a constelação familiar é uma pseudociência não quer dizer que você não deva fazer. Você apenas deve se atentar quando seu terapeuta começar a falar de comprovações científicas empíricas, pois, até o momento, elas não existem.

O ideal seria um terapeuta que explique que apesar de haver resultados - não há comprovação. Pois se seu terapeuta lhe indicou constelação e está falando sobre evidências empíricas que são validadas, ele está falando uma inverdade para comprovar seu argumento de que a constelação é a melhor opção.

Então é a constelação familiar só é perigosa se o terapeuta que vai realizá-la disser falácias e exagerar sobre as evidências - porque, por mais que a terapia realmente funcione para algumas pessoas, suas evidências não são científicas. Caso queira realizar a constelação familiar porque achou válido para você, procure um bom profissional que vá te orientar com verdade.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Constelação familiar é perigoso?, recomendamos que entre na nossa categoria de Conflitos familiares.

Bibliografia
  • CONSTELAÇÃO Familiar: Desfaça os emaranhados da sua vida para criar laços. [S. l.: s. n.], 2019;

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
Constelação familiar é perigoso?
Constelação familiar é perigoso?

Voltar ao topo da página