Partilhar

Crise dos 30 anos: o que é e como superá-la

 
Por Equipe editorial. 16 julho 2020
Crise dos 30 anos: o que é e como superá-la

Você já ouviu falar da crise dos 30 e não sabe o que é? Geralmente ouvimos sobre as crises que ocorrem em certas idades, como a dos 40 ou 50, mas só paramos para pensar no que elas são quando estamos próximos delas.

Nos últimos anos, se começou a discutir a crise dos 30 anos na psicologia. Você quer saber o que é, por que acontece e como enfrentá-la? Neste artigo de Psicologia-Online, vamos tentar clarear algumas dúvidas e tentar fornecer uma ferramenta eficiente para gerenciar esta fase.

Por que passamos pela crise dos 30 anos?

Você está perto dos 30 anos, ou já os tem, e está preocupado de passar pela crise dos 30? Na verdade, mesmo que esse conceito exista, não significa que, com certeza, passará por uma crise ao chegar aos 30 anos.

Em primeiro lugar, temos que entender ao que nos referimos quando usamos o termo crise. A definição dada pela academia real espanhola é: "mudança profunda e com consequências importantes em um processo ou situação, ou na forma como estas são percebidos."

Isto quer dizer que uma crise é, principalmente, uma mudança. Há pessoas que administram ou aceitam melhor as mudanças do que outras. Devido a capacidades inatas ou adquiridas, sabemos gerir melhor ou pior as mudanças pelas quais temos que passar ao longo da vida.

Atualmente, as gerações que se encontram perto dos 30 anos, incluindo também os que já atingiram esta idade, vivem uma situação de incerteza constante, tanto econômica, quanto social, espiritual e de valores. Isto nos leva a repensar o estilo de vida, as metas ou objetivos que queremos alcançar, constantemente.

A tudo isso, precisamos somar a pressão sob a qual crescemos. Em geral, desde pequenos foi nos "dado" tudo o que nossos pais foram privados, como educação, estabilidade econômica, falsa segurança de um caminho "correto" a seguir. Nos encontramos pressionados a ter que "ser" o que eles não puderam, nos sobrecarregando com títulos e estudos, que em muitos casos não servem, pois não contam com experiência, tanto profissional como da realidade do mercado de trabalho.

Nos concentramos em nos capacitar, porque nos disseram que esse era o caminho para conseguir um emprego estável, e com isso poder ter recursos suficientes para ter uma vida independente e que dessa forma alcançaríamos a felicidade. Porém as coisas não foram assim: passamos anos estudando, licenciaturas, mestrado e/ou doutoramento, com sorte terminamos nossa formação com quase 30 anos, com a esperança de entrar no mercado de trabalho, cada vez mais cruel e impiedoso com as emoções humanas, que nos coloca como simples peças de empresas sem alma que utilizam a vitalidade que podemos oferecer, oriunda de nossa juventude. Matam nossa capacidade de sentir e nos submetem a ciclos de estresse e ansiedade constantes. Além disso, a parte econômica raramente compensa todo o esforço, todos os anos e os gastos que dedicamos em nossa formação.

 

Sintomas da crise dos 30 anos

A idade é simplesmente um lembrete. Quando completamos 30 anos, o aumento do número nos faz mais conscientes da realidade do tempo, nos leva a parar por um momento e fazer um balanço dos últimos dez anos, como esperávamos que fosse nossa vida e como ela é. Se suas lembranças destes últimos dez anos são agradáveis, se compensaram a realidade que você vive hoje, se você é feliz com sua vida, provavelmente não irá passar por nenhum conflito ou crise. Por outro lado, é possível que os seguintes sintomas e sinais indiquem crise:

  • Não se sente satisfeito(a)
  • Você sente que lhe falta algo
  • Você sente um vazio interior
  • Você sente ansiedade, vontade de fugir, ou até mesmo um estado depressivo
  • Você não sente estabilidade emocional nem felicidade própria

Acreditamos que a felicidade tem um caminho marcado, mas a realidade é que cada pessoa constrói sua própria felicidade, de acordo com suas necessidades, inquietações ou ambições.

Se você está perto dos 30 anos e sente inquietação, instabilidade, vazio ou incongruência em sua vida, não se preocupe, como a palavra crise define, é um momento de mudança. As mudanças sempre assustam porque implica abandonar o conhecido por algo ainda desconhecido. Mas lembre-se que uma crise significa a oportunidade de construir algo novo e mais a ver com você. Lembre-se que não existe crise se você vive do seu jeito.

Iniciar um caminho de conhecimento interior e pessoal lhe ajudará a aceitar esta mudança, e dará ferramentas para construir uma nova trajetória que lhe permita crescer segundo suas necessidades individuais. Os profissionais da saúde emocional, como psicólogos e terapeutas, são especialistas neste tipo de situação. A terapia acompanha as mudanças e fornece ferramentas pessoais. Não tenha medo nem vergonha de fazer uso de qualquer serviço profissional que possa oferecer clareza e apoio no seu próprio processo de mudança.

 

Crise dos 30 no homem e na mulher casada

Quando uma pessoa casada atravessa a crise dos 30 anos, é possível que este fato seja um dos principais motivos que usará como "desculpa", ou seja, se está casado ou em um relacionamento, talvez se prenda à ideia de que deixou de viver ou que "perdeu" experiências por estar comprometido com alguém.

Esta ideia é errada em certo sentido, o fato de estar compartilhando sua vida com outra pessoa não implica deixar de satisfazer suas necessidades, se sentir realizado e satisfeito com sua vida. Talvez você não se sinta "livre" e precise culpar alguém, mas é importante que, se você sente que está atravessando uma crise, não procure nenhum culpado externo. É essencial nos responsabilizar por nossas necessidades internas para poder resolver de forma positiva a mudança que estamos vivendo.

 

Crise dos 30 anos de idade em solteiros

Do mesmo modo, o contrário pode acontecer. As pessoas solteiras podem focar sua falta ou necessidade no fato de não ter com quem dividir sua vida, projetando o vazio que sentem na ideia de um relacionamento. Se alguma vez você pensou ou comentou "se estivesse em um relacionamento me sentiria melhor ou seria mais feliz", você está projetando seu vazio para fora. Esta é uma atitude muito comum nas pessoas, é difícil nos responsabilizarmos pelos sentimentos que nos machucam, mas é necessário adquirir esta responsabilidade para crescer emocionalmente e viver em sintonia com quem somos.

Seja qual for a sua situação, lembre-se que não é culpa de ninguém, nem mesmo sua. As crises são necessárias para crescermos e para nos conhecermos, deixando para trás comportamentos, crenças e atitudes que já não nos trazem benefício algum, para deixar espaço para novas ferramentas.

Como superar a crise dos 30: 5 passos

Para poder superar uma crise, seja de qual idade for, é fundamental se tornar consciente de vários aspectos de nossa vida:

1. Questionar-se

Primeiramente tirar um tempo para pensar se você realmente está passando por uma crise. Você pode anotar em um caderninho as seguintes perguntas:

  • Me sinto satisfeito?
  • Este tipo de vida é o que quero?
  • O que eu não gosto em minha vida neste exato momento?

É recomendado que, ao responder, você não se concentre no que lhe falta ou como gostaria que fosse, mas sim no aqui e agora.

2. Refletir

Em segundo lugar, para responder às perguntas anteriores, reflita sobre:

  • O que posso mudar?
  • O que quero mudar?
  • O que quero curar ou limpar?

Faça estas perguntas a si mesmo em diversos âmbitos de sua vida: profissional, familiar, emocional, etc. Se as suas respostas forem apáticas ou com a ideia de que você não tem o "poder" de mudar nada, provavelmente você precisa de ajuda de um profissional para recuperar a confiança em você e fazer um processo de empoderamento diante de sua própria vida.

3. Estabelecer metas

Depois de tirar um tempo para pensar e responder às perguntas anteriores, faça duas listas:

  1. Metas e objetivos a construir em sua vida. É bom que você se conecte com objetivos profundos que nutram as partes mais internas de você. Marque datas realistas para cumprir as metas ou objetivos que você se propôs, não pretenda resolver tudo de forma rápida e eficiente, as mudanças internas precisam de tempo e delicadeza.
  2. Coisas a tirar de sua vida. Sejam relacionamentos, atitudes, etc. que você não quer que continuem em sua vida.

4. Trabalhar sua confiança em você mesmo(a)

Confiar em nós mesmos é básico para poder crescer em uma direção saudável, lembre-se que você tem a sabedoria necessária para crescer nos pontos necessários e se sentir estável. Aprender a confiar em si ajudará no processo, tente não acreditar em tudo o que você pensa e escutar mais como você se sente.

5. Explique seu processo e peça apoio

É muito sadio compartilhar este processo com seu entorno, amigos, família ou pessoas que sejam importantes ou referências em sua vida. Pedir apoio não significa pedir conselhos, visto que a maioria dos conselhos que recebemos possuem implicações e medos das pessoas que nos dão. Quando passamos por mudanças internas, isso geralmente desperta o medo das pessoas que nos rodeiam, simplesmente por medo do desconhecido. Seja fiel ao que você sente e caminhe em direção a si mesmo, aprendendo a compartilhar a partir de quem você é.

Aqui você encontrará mais informações sobre como superar uma crise existencial. Lembre-se que atravessar uma crise fica muito mais fácil com ajuda profissional. Procure um psicólogo se você precisar de ajuda ou orientação.

 

 

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Crise dos 30 anos: o que é e como superá-la, recomendamos que entre na nossa categoria de Crescimento pessoal e autoajuda.

Bibliografia
  • Fromm, E. (2004). El miedo a la libertad. Barcelona: Paidós.
  • Fernández, O. (1999). Crisis Vital. Buenos Aires: Ediciones Nueva Visión.
  • De Rivera, L. (2012). Crisis emocionales. Estrés, trauma y resiliencia. Madrid: Instituto de psicoterapia de Madrid.

Escrever comentário sobre Crise dos 30 anos: o que é e como superá-la

O que lhe pareceu o artigo?

Crise dos 30 anos: o que é e como superá-la
Crise dos 30 anos: o que é e como superá-la

Voltar ao topo da página