menu
Partilhar

O que é inveja na psicologia

 
Por Bryan Longo. 18 outubro 2021
O que é inveja na psicologia

Quantas vezes nos perguntamos se tudo isso que os entusiastas de exercício físico fazem é saudável. Quantas vezes acabamos nos submetendo e cumprindo os preceitos morais de nossa cultura e transformamos, então, o monólogo "Me incomoda muito que meu amigo esteja indo melhor que eu" por um "Com certeza para ele foi tão fácil assim, porque recebeu ajuda ou por não ter tido que trabalhar tão duro quanto eu". Dessa e de outras tantas maneiras se apresenta a inveja. E é por isso que, nesse artigo de Psicologia-Online, te explicaremos o que é inveja na psicologia, suas consequências e como superá-la.

Também lhe pode interessar: O que é autoestima na psicologia

O que é inveja: definição

A definição de inveja que Melanie Klein (1957) utilizou se refere ao sentimento de indignação com outra pessoa que possui ou desfruta de algo desejável, frequentemente acompanhado por um impulso de tomá-lo.

A inveja implica, então, em desejar algo que os outros possuem: capacidades intelectuais, habilidades, dinheiro, beleza, poder ou bens que ao não poder possuí-los resulta em uma profunda alteração de humor (por exemplo, tristeza, indignação ou ira). Decorrente dessas emoções que a pessoa sente, a inveja cria a expectativa de que uma injustiça está sendo cometida contra ela, porque considera que o sucesso, os bens ou as qualidades do invejado deveriam ser seus.

O ser humano que sente inveja também manifesta uma sensação de prazer ou bem-estar quando o sujeito invejado está passando por um momento ruim, então não corresponde apenas à dor ou à tristeza de não possuir o que o outro tem, mas também que aprecia quando o outro perde mesmo que o invejoso não tenha conquistado ainda.

Inveja: significado na psicologia

A inveja vem, principalmente, da falta em não ter uma coisa, ver essa coisa em outra pessoa e querer isso para si. Na inveja existe um exorbitante lamento por descobrir que uma outra pessoa possui ou alcançou algo que acreditamos que deveríamos ter, mas que, no entanto, não podemos possuir.

A pessoa que sente inveja se chateia por existir um sucesso alheio junto a uma ideia de injustiça. "Por que ele e não eu?" O significado da inveja na psicologia expõe que essa sensação impede a criatividade e o desenvolvimento do estilo próprio ou da autoestima. Neste artigo você encontrará os diferentes tipos de autoestima e suas características.

A seguir, apresentamos algumas características de estilo próprio que fica com seu desenvolvimento limitado pela inveja:

  • O estilo próprio de enfretamento de situações adversas.
  • O estilo próprio na observação dos acontecimentos diários ou importantes.
  • A ordem de prioridades na vida da pessoa.
  • Os objetivos a serem alcançados.
  • O tipo de relação com os demais.

A pessoa criativa é original e fiel a si mesma. A pessoa que sente inveja quer ser outra (quer ser a pessoa por quem sente inveja) e ter o que ela tem. Na psicologia tem se observado que essas pessoas não conseguem apreciar o que possuem.

Diferença entre inveja e ciúmes

O ciúmes é a sensação que aparece quando temos medo de uma possível perda do objeto amado ou de algo que se possui. Na inveja não se mobiliza o medo de perder algo, mas sim o não possuir algo que nunca teve antes. Ainda que esses dois possam ter uma semelhança muito grande, seu toque social e a forma como afeta a autoestima, são muito diferentes.

O que é inveja na psicologia - Diferença entre inveja e ciúmes

Existe inveja saudável?

A primeira coisa que pensamos ao ler ou escutar algo relacionado à inveja é que não há como ela trazer algum benefício. Mas que pode acabar por ser produtiva, caso exista uma inveja saudável.

A inveja saudável pode nos ajudar a criar algo e a nos reinventar. "Se ele pode, eu também gostaria de tentar". "Se ela conseguiu sair dessa situação de precariedade, eu acredito que também posso tentar". O que é necessário avaliar com muito cuidado é a parte patológica a qual nos pode levar a sentir inveja.

Devemos explorar quais coisas influenciaram nosso próprio desenvolvimento psicológico que provocam esse sentimento para que possamos nos encaminhar para a parte patológica da inveja.

A seguir, compartilhamos alguns aspectos que te ajudarão a diferenciar a inveja saudável da inveja patológica:

  • Devemos saber se queremos crescer com o que é invejado ou se queremos destruir o que é invejado.
  • Observar se existe algum complexo de inferioridade que provoque esse sentimento de se sentir inferior e de não sentir-se capaz de alcançar e conquistar o que o outro possui.
  • Não conhecer a si mesmo/a (habilidades e capacidades próprias) e não reconhecer o sentimento de inveja.
  • Acreditar que possui qualidades que, na verdade, não possui e, quando as encontra em outras pessoas, sente um profundo desequilíbrio psicológico que não pode ser suportado.

Consequências da inveja

Abaixo apresentamos algumas das consequências mais frequentes da inveja:

  • Limitação da criatividade.
  • Pouco desenvolvimento pessoal, profissional ou acadêmico, familiar e social.
  • Transtornos mentais (por exemplo, um transtorno de ansiedade, transtornos depressivos ou um transtorno delirante).
  • Isolamento.
  • Conflitos intra e interpessoais.
  • Falta de desenvolvimento de estilo próprio (baixa autoestima). Aqui você encontrará as características de pessoas com baixa autoestima.

É possível trocar a inveja pela admiração?

Referindo-se à grande intervenção que o cristianismo promoveu nos valores morais, podemos destacar a premissa - Não cobiçarás os bens do próximo - com os que enfrentam a inveja. Essa expressão surge como um dos mandamentos que regularam a conduta por muitos anos, mas que lamentavelmente também foram usados por alguns como uma forma para repreender algo tão enraizado ao ser humano (a inveja).

As pessoas aprenderam algo que, às vezes, é reforçado pelas tantas frases de superação pessoal ou conselhos que ouvimos. Por exemplo, é melhor você admirar do que invejar o outro, o parabenize pela conquista e pelo sucesso que obteve, assim você poderá superar a inveja, isso pode chegar a ser saudável para o ouvinte ou o leitor se ele puder analisar melhor essas frases.

Como superar a inveja

Uma pessoa que experimenta a inveja patológica não é capaz de admirar, porque lhe falta amor. Para admirar alguém, é preciso amá-la antes. Você ama aquilo que vê, ama as características que talvez você não possua, e isso pode ser algo muito maravilhoso. O que nos dizem essas frases de superação é que sentindo que admiramos a outra pessoa nos fará sentir parte dela (um fenômeno de projeção), o reconhecimento também diz respeito a ela. Esse processo de felicitações massivas e de personalidade lisonjeira indica falta de ideais, falta de amor próprio e per se aos demais.

A inveja não se transforma ao parabenizar ou elogiar o outro. A admiração somente pode acontecer quando somos capazes de amar e, para poder amar, devemos aprender a valorizar as habilidades, qualidades, ideais e estilo próprio que cada um de nós possui (o amor próprio).

Você pode mudar seu diálogo interno para esse pensamento: "vou tentar fazer o que ele fez, vamos descobrir se eu também consigo isso da mesma forma que ele conseguiu, aprendi com ele a fazer melhor para poder ter sucesso, não vou destruir o que me ensinou a crescer". Isso é amor.

Existem pessoas que afirmam que o autoconhecimento é relativamente supérfluo e que isso não irá fazer nenhuma diferença no que estamos sentindo. O fato é que ninguém pode escolher como se sentir em determinado momento, mas pode influenciar na forma como entende esse sentimento, e a compreensão do que somos pode modificar e reestruturar o que sentimos, incluindo a inveja.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a O que é inveja na psicologia, recomendamos que entre na nossa categoria de Crescimento pessoal e autoajuda.

Bibliografia
  • M. Klein. (1957). Envy and gratitude [Envidia y gratitud]. Londres, Case conference.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

O que é inveja na psicologia
1 de 2
O que é inveja na psicologia

Voltar ao topo da página