menu
Partilhar

Complexo de inferioridade: causas, sintomas e tratamento

 
Por Marissa Glover, Psicóloga. 17 agosto 2021
Complexo de inferioridade: causas, sintomas e tratamento

Todas as pessoas em algum momento se sentiram inferiores em algum aspecto diante de outra, seja porque é melhor em alguma atividade, porque é mais inteligente, por seu nível cultural e/ou educativo, pela sua aparência física, etc.

Entretanto, também temos em conta que podemos ser melhores que outras e isso não nos causa nenhum conflito. Quando uma pessoa sofre de um complexo de inferioridade está se comparando constantemente com os demais, tem a sensação que não está a altura e se sente menos valiosa e incapaz de fazer coisas que os outros podem. Esta situação provoca um deterioro significativo de sua autoestima e a ter um pobre conceito sobre ela mesma.

Ter um complexo de inferioridade provoca muita frustração pessoal e ansiedade. As pessoas que sofrem deste complexo enfrentam um grave problema que limita uma ou mais áreas de suas vidas. Neste artigo de Psicologia-Online, vamos explicar com detalhes as causas, os sintomas e o tratamento do complexo de inferioridade.

Complexo de inferioridade: sintomas

Existe uma série de características típicas que são próprias de uma pessoa que sofre deste complexo. Portanto, alguns dos sintomas do complexo de inferioridade seriam os seguintes:

  • Timidez extrema em diferentes contextos sociais.
  • Dificuldade para tomar decisões.
  • Sentimento de não estar à altura dos demais.
  • Necessidade de querer agradar aos demais.
  • Baixa autoestima.
  • Reconhecer as conquistas de outras pessoas, mas não as próprias.
  • Deixar-se influenciar pelos demais e carecer de critério próprio.
Complexo de inferioridade: causas, sintomas e tratamento - Complexo de inferioridade: sintomas

O que é complexo de inferioridade e suas causas

Um aspecto importante para começar a superar o complexo de inferioridade é conhecer quais são as suas causas. O sentimento de inferioridade pode ter sido originado, inclusive, desde a infância.

Uma criança que não recebeu o apoio e a aceitação de seus pais, apesar de seus momentos de êxito ou fracasso, e que, em vez de ter sido castigada, foi motivada a fazer melhor, terá menos possibilidades de desenvolver um complexo de inferioridade.

Entretanto, ele pode desenvolver-se por quase qualquer outra razão. As causas do complexo de inferioridade mais comuns são:

  • Por alguma característica física que não agrada a pessoa, por exemplo: o peso corporal, a altura (ser muito alto/a ou muito baixo/a), algum traço físico específico, como o tamanho e/ou forma do nariz, dos dentes, a cor da pele, etc.
  • Alguma reação de ansiedade da pessoa, por exemplo: ficar vermelho/a, suar de maneira excessiva, o odor corporal, gaguejar, ter algum tic.
  • Devido à falta de habilidades sociais, técnicas, entre outras. A pessoa não leva em conta que qualquer tipo de habilidade se desenvolve praticando-a continuamente e sente que não é apta.
  • Quando era criança foi criticada constantemente pelos pais, professores e/ou companheiros de classe.
  • Ter tido pais que não se valorizavam o suficiente.
  • Centrar-se mais nas debilidades que nas forças.
  • Ser demasiado exigente com si mesmo/a.

Complexo de inferioridade: tratamento

Depois de ter analisado algumas das principais características que as pessoas com sentimentos de inferioridade têm, assim como ter conhecido as causas mais comuns para que uma pessoa comece a senti-los, vamos dar uma série de conselhos para superar o complexo de inferioridade.

Deixe de se comparar

Um erro que cometem as pessoas com sentimentos de inferioridade é compararem-se constantemente com outras. Quando isso acontecer, há de recordar que sempre vão haver pessoas mais atrativas, inteligentes, com mais ou menos saúde, etc., assim como existem pessoas menos atrativas, menos inteligentes, com menos saúde, entre outras coisas. Entretanto, não se trata de comparar-se, mas, sim, simplesmente, de ver as coisas desde outra perspectiva, reconhecendo que cada pessoa é única e especial, apesar de seus defeitos e virtudes.

Modifique seus pensamentos

Normalmente, as pessoas com um complexo de inferioridade têm pensamentos negativos e irracionais acerca de si mesmos constantemente. O que acontece com esses pensamentos é que ao final terminam convertendo-se em emoções. Uma pessoa que pensa constantemente que não é capaz, que é inferior que outra, que sempre faz tudo mal, seguramente vai encontrar-se triste, brava consigo mesma e/ou deprimida. Por isso, a importância de mudar nossos pensamentos negativos por outros mais positivos e que nos ajudem a sentir-nos melhor.

Você pode começar por detectar em que momento aparece este tipo de pensamento e uma vez que tenha identificado, analise e modifique. Por exemplo, se tenho o pensamento "faço tudo mal, não sou apto/a para nada", em este caso se trata de um pensamento irracional, já que está generalizando. Uma pessoa não pode ser apta para tudo, mas, tampouco, para nada. Neste caso, o pensamento novo seria: não estou fazendo isso bem, por agora, não tenho habilidade suficiente para fazer isso, entretanto, tenho habilidade para fazer outra coisa" e tenha em conta que para desenvolver uma habilidade temos que praticá-la, não se alcança nada da noite para o dia.

Reduza a autocrítica

Deixe de criticar-se continuamente, porque só vai despertar em você sentimentos de mal-estar. Tenha cuidado com o que você diz para você mesmo/a, não seja tão duro, lembre que ninguém é perfeito. Mude da crítica destrutiva para a construtiva. Uma maneira de fazer isso é que cada vez que você se surpreenda criticando a si mesmo/a, imagine que esteja dizendo a mesma coisa para o seu melhor amigo ou uma pessoa muito querida. Seja seu consolo e motive-se, assim como faria com essa outra pessoa.

Não queira agradar todo mundo

Identifique suas crenças, ideias e valores e, uma vez que tenha identificado, firme-se com eles e aja em concordância com isso. Se dê conta que isso que você está fazendo agora não vai de acordo com a sua maneira de ser e analise porque está fazendo. Pode ser que descubra que muitas coisas que você está fazendo seja para ser aceito/a pelos demais e por tratar de agradá-los. Comece a mudar isso e a ser você mesmo/a, porque se você pretende agradar a todos, o que é impossível, perde o respeito por você mesmo, deixa de se aceitar como você e de ser autêntico/a.

Psicoterapia

Se você sente que o complexo de inferioridade que você tem é muito intenso, que está te limitando em uma ou mais áreas de sua vida ou, simplesmente, gostaria de receber apoio externo para superá-lo, pode procurar ajuda profissional que se encarregará do seu caso e te apoiará no processo. O objetivo da psicoterapia é te dar ferramentas para que você possa ir adiante, aumentar sua autoestima, confiança e amor a si mesmo/a para que possa encaminhar-se para uma vida com maior sentido.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Complexo de inferioridade: causas, sintomas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Crescimento pessoal e autoajuda.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Complexo de inferioridade: causas, sintomas e tratamento
1 de 2
Complexo de inferioridade: causas, sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página