Partilhar

Mães tóxicas: tipos e tratamentos

Por Nerea Babarro Rodríguez, Psicóloga. Atualizado: 3 maio 2019
Mães tóxicas: tipos e tratamentos

Muitas vezes não somos capazes de perceber quando estamos perante uma relação tóxica, nem somos capazes de reconhecer os estragos que estas relações podem causar no nosso dia a dia. Portanto, às vezes, as relações tóxicas entre mãe e filho/a podem ser devidas à personalidade tóxica da mãe. Se você quiser saber mais sobre os diferentes tipos de mães tóxicas, continue lendo este artigo de Psicologia-Online - Mães tóxicas: tipos e tratamentos.

Mãe tóxica

Nas relações tóxicas, uma ou duas partes que formam a relação sofrem mais do que desfrutam e padecem um grande desgaste emocional, pelo simples fato de permanecerem juntos e manter a relação. A gente tóxica é a que não te ajuda a crescer como pessoa e, para além disso, piora a sua vida. Em particular, as mães tóxicas são as que geram muito mal-estar nos filhos. Quer consciente quer inconscientemente, o seu estilo educativo negligente produz consequências negativas para os filhos.

Em muitas ocasiões, não identificamos as relações tóxicas, e ainda menos o dano inimaginável que podem nos causar. Como saber se você tem uma mãe tóxica? Com a finalidade de poder detectar as mães tóxicas, lhe apresentamos a seguinte lista:

  • O seu nível de estresse negativo aumenta quando está com essa pessoa.
  • A pessoa tóxica costuma fazer que você se sinta mal.
  • Ela te força a mudar a sua maneira de ser, vestir, pensar, entre outros. Devido a estas mudanças, acaba destruindo a ideia de quem é você.
  • Faz que você se sinta emocionalmente dependente.
  • Faz que você se sinta humilhado.
  • Faz que você se sinta inútil.
  • Você sente que a sua mãe te manipula.
  • Outra das caraterísticas das mães tóxicas é que a pessoa tóxica faz que você se sinta culpado(a).
  • Você sente como a pessoa absorve a sua energia.
  • Provoca que a sua autoestima diminua.

Pelo contrário, uma relação saudável provoca tudo menos isso, como por exemplo, a outra pessoa faz que você se sinta bem, sente que a pessoa te valoriza e te melhora, etc.

Para além disso, deixando de lado as características das relações tóxicas já mencionadas, também podemos detectar que relações são tóxicas pela presença repetitiva de:

  • Discussões
  • Críticas
  • Desprezo
  • Desclassificações ou insultos
  • Ameaças (normalmente ameaças de abandono, de acabar com a relação)
  • Manipulação
  • Chantagem emocional
  • Vitimismo
  • Superproteção
  • Ciúmes
  • Inveja

Tipos de mães tóxicas

Já clarificamos como são as mães tóxicas e como detectá-las mas, todas as mães tóxicas são iguais? Não, há diferentes tipos de mães tóxicas. Entre os distintos tipos que existem, podemos diferenciar 10 tipos de mães tóxicas:

1. Mãe dominadora

Este tipo de mãe tóxica é a mãe que se caracteriza por querer saber tudo sobre os seus filhos, o que fazem, onde vão, quem são os seus amigos, etc. Além disso, controla os seus filhos a um nível tão alto que não deixa que eles tomem as suas próprias decisões nem escolham o que querem ou o que devem fazer. É a mãe quem é responsável de controlar e administrar a vida dos seus filhos. Normalmente, os filhos/as de mães controladoras se sentem inseguros e indefensos perante as situações nas que a sua mãe não decide por eles, pois não estão acostumados a tomar decisões importantes.

2. Mãe super-protetora

Trata-se da mãe que se preocupa em excesso pelos filhos, tem medo do que possa acontecer alguma coisa má com eles e, portanto, tende a não deixar espaço próprio para os seus filhos. Normalmente se antecipam aos problemas porque querem solucionar todo o que possa causar algum tipo de dor ou consequência negativa para com os seus filhos.

3. Mãe absorvente e possessiva

É a mãe que precisa passar o máximo de tempo possível com os seus filhos e também não lhes deixa espaço, mas não por medo de que aconteça alguma coisa, mas porque precisa estar com eles e absorver o tempo o quanto puder.

4. Mãe perfeccionista e exigente

Este tipo de mãe tóxica é o que têm em conta as virtudes e capacidades dos seus filhos, mas como resulta ser perfeccionista e exigente, tende a querer mais perfeição e excelência nos seus filhos. A mãe perfeccionista e exigente normalmente não vê o processo (como esforço e constância) pelo que passa o seu filho para atingir os seus objetivos, mas unicamente repara nos resultados obtidos.

5. Mãe amiga

É a mãe que se considera companheira, camarada ou amiga dos seus filhos, mas não percebe que os seus filhos não precisam de uma amiga em casa, mas precisam de uma mãe que exerça como tal, e seja um exemplo e modelo para eles, embora também possam se divertir com ela sem a necessidade de que seja a sua amiga.

6. Mãe depreciativa

Entre os tipos de mães tóxicas, encontramos este tipo de mãe que não valora as capacidades nem êxitos dos seus filhos, costuma desprezá-los, quer pelos seus atos, pelos resultados no colégio, pelos resultados no esporte, entre outros.

7. Mãe ausente

Trata-se do tipo de mãe que não está disponível, emocionalmente falando, para os seus filhos. É um tipo de mãe que está em casa, com os filhos, mas não lhes presta atenção e as crianças a veem como uma figura emocionalmente inaccessível, embora às vezes também possa haver um tipo de mãe ausente e inaccessível fisicamente, por exemplo, por um excesso de trabalho fora de casa.

8. Mãe competitiva

Este tipo de mãe tóxica é a que compete com os seus filhos, e sempre deve se sentir superior. Por exemplo, se eles conseguem atingir algum objetivo, ela tem que superá-lo com um melhor resultado e, para além disso, fazer que os filhos saibam que ela é melhor.

9. Mãe instável emocionalmente

Este tipo de mãe se caracteriza por uma instabilidade emocional, isto é, mudanças do estado emocional, fato que implica que os filhos não desenvolvam uma relação emocional estável com a sua mãe.

10. Mães manipuladoras e vitimistas

O último dos tipos de mães tóxicas, se refere às mães que manipulam, impõem regras e fazem os seus filhos se sentirem culpados se não fazem o que elas querem. Tudo gira ao seu redor, só pensam nelas e usam os seus filhos.

Mães tóxicas: psicologia e tratamento

Como lidar com mães tóxicas e como tratá-las? Lidar com mães tóxicas é muito complicado e devastador para os filhos, pelo qual é recomendável consultar um especialista que possa favorecer o trato entre a mãe e os filhos e possa adaptar o seu serviço às caraterísticas de cada situação. Normalmente, a melhor opção é se afastar, mas como sair da influência de uma mãe tóxica? Para poder lidar com mães tóxicas, é recomendado:

  • Consultar um profissional de mediação: a mediação é um procedimento de resolução de conflitos que se dirige a melhorar a comunicação entre as pessoas que se encontram em conflito (neste caso, mãe e filhos), com a finalidade de que sejam eles mesmos quem consegue encontrar uma solução para o problema. A figura do mediador/a consiste em se mostrar neutro e imparcial, e promover e facilitar a fluidez da comunicação entre as diferentes partes que formam o conflito.
  • Ir à terapia familiar: este tipo de terapia trata os problemas que se geram no contexto familiar, e demonstra ser muito útil para resolver um conflito familiar e as dinâmicas relacionais originadas no contexto familiar que são prejudiciais para os seus membros.
  • Terapia individual: por um lado, e sobretudo para as mães que são instáveis emocionalmente, quer devido a sua natureza, a um transtorno mental, à adição a sustâncias, etc. Por outro lado, a terapia individual pode ser vantajosa para poder tratar o desgaste emocional dos filhos a nível individual.

Por isso, a chave para melhorar as relações tóxicas entre mães e filhos está na comunicação. Assim, você pode buscar momentos para criar espaços de comunicação fluida e sincera.

Para além disso, nomeadamente em relação às mães, pode ser muito positivo reconhecer o tipo de mãe que você é e refletir sobre as repercussões que pode causar na relação entre mãe e filhos.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Mães tóxicas: tipos e tratamentos, recomendamos que entre na nossa categoria de Conflitos familiares.

Bibliografia
  • Pinto, B. (s.f.). Relaciones tóxicas. Qué son y cómo tratarlas.
  • Zarzuela, A. (2018). Cómo identificar a los distintos tipos de madres tóxicas. Guia infantil.

 

Escrever comentário sobre Mães tóxicas: tipos e tratamentos

O que lhe pareceu o artigo?
58 comentários
A sua avaliação:
Monica
É muito difícil, mas ao mesmo tempo libertador, quando você descobre que tem uma mãe tóxica. Passei a vida inteira, baixando a cabeça e fazendo tudo do jeito que a minha mãe queria e nunca estava bom. Sempre exigente, vivia me sentindo culpada e inútil, porque achava que nunca fazia nada certo. Me sentia, feia, gorda, incapaz e burra. Só depois de mais de 40 anos, que me libertei de tudo isso! Ainda hoje, ela tenta! Faz chantagem emocional, me deprecia, diz que mudei, que já não a vejo com tanta constância. Sim! Me afastei! Agora vivo minha vida independente de como ela acha que deva ser vivida. Recebo duras críticas por isso. Já não sou uma boa filha, na verdade nunca fui, nem mesmo quando fazia tudo que ela queria. Graças à Deus, com o tempo a gente adquire conhecimento e se liberta! Tenho 2 filhas moças. E procuro ser pra elas, o refúgio e companheira que sempre quis em minha mãe.
A sua avaliação:
Anna
Demorei para perceber que tenho uma mãe tóxica, achava que era culpa minha, que eu era 'soberba', que eu não valia nada, que era ruim...Aliás, ela me chamava de 'soberba' quando eu tinha uns 5 anos, nem sabia o que era isso...Meu pai morreu quando eu era criança, ele gostava muito de mim. Ela, no entanto, parece que me teve a contragosto, pois meus irmãos são bem mais velhos e um dia a ouvi comentar com uma tia sobre uma prima que já tinha 2 filhos grandes e estava grávida..'Filho nessa situação, pra quê? Poderia estar sossegada agora, foi arrumar problema'. Cresci com muita humilhação, muita culpa, não tive amigos, não ia a lugar algum, não podia fazer nada, pois se 'eu aparecesse grávida, o problema era dela'...Sempre fui fechada e retraída, a família do meu pai abusava da condição tóxica dela para jogar veneno na situação. Lembro de uma colega , quando tinha uns dez anos, que ganhou um conjunto de maquiagem da tia que vendia cosmético e maquiou as meninas da rua...Uma prima já adulta, que era vizinha dela, viu e falou para a minha mãe que eu 'parecia uma puta'...E a minha mãe não me defendeu, me deu uma bronca daquelas, 'o que os parentes iam dizer, pois eu não tinha pai e estava por aí desse jeito'...Que tipo de mãe ouve isso e não defende a filha?? Éramos apenas crianças brincando, não tinha maldade, nada, parecíamos mais palhaças...Por muito tempo achei que fui culpada pela morte do meu pai- ele morreu de câncer- pois eu 'era soberba' e Deus queria me castigar. Por que Deus faria isso com uma criança de 8 anos??? Parte da minha infância, juventude e adolescência foram uma solidão só. Solidão e medo porque tudo era motivo para humilhação, escândalos e perseguição. Cheguei até cogitar se era filha legítima mesmo. Aí, já adulta, percebi que tenho uma mãe tóxica, filha de mãe tóxica, que casou com uma pessoa excelente, mas com uma família também tóxica...O pouco dinheiro que o meu pai nos deixou foi para satisfazer os gastos do meu irmão mais velho e sua esposa, a minha mãe nunca pensou em mim, no meu futuro. Nunca disse NÃO para ele, nunca disse: 'manda a sua mulher trabalhar porque esse dinheiro é para criar a sua irmã'. Às custas do meu trabalho consegui estudar e se houve 2 coisas que me seguraram nessa vida foram o meu estudo e os meus bichos, senão já teria desistido há tempos. Hoje ela é idosa, tem mil problemas de saúde e os bonitos dos meus irmãos a empurraram para mim. Está um pouco melhor, mas sei que é por conveniência, porque precisa de mim. Os dois lixos e suas vadias esposas não fazem nada, só o social básico e ainda reclamam que eu 'não considero a família'. Que família??? É muita hipocrisia para o meu gosto. Ainda choro muito de vez em quando, mas graças a Deus me libertei da família do meu pai, moramos bem longe e não dou confiança. No entanto, quando penso no passado, ainda dói...ainda dói ela ter me feito desfazer uma grande amizade quando tinha uns 18 anos porque 'iriam pensar que eu era sapatona'...ainda dói quando eu penso que ela me jogou na cara que um namorado 3 (TRÊS) anos mais novo do que eu iria 'me ver como a mãe dele'...Mãe com 3 anos???? Enfim, ela sempre me jogou para baixo e esse comportamento acabou com a minha autoestima e confiança. Aguentei muito bullying em um emprego que tive e hoje me pergunto o porquê...Mas eu sei: nunca pude reagir, fui criada na coerção, na culpa, na humiliação moral. Chegava ao ponto de nem tomar água na casa de parentes para evitar 'vão achar que vc tá morrendo de fome'. Com o tempo a gente cresce e, graças a Deus, consegue se livrar de alguns. Da minha mãe, eu não consegui. Vou fazer a minha obrigação e cuidar dela até onde der, mas mantenho- ou procuro manter- uma relação light. Ela não sabe o que se passa comigo, não falo nada, me limito a comentar programas de televisão, noticiários e acabou. Quando dá um estresse e jogo na cara dela o que ela e a família do meu pai faziam, ela diz que eu 'imagino coisas, que nunca aconteceu nada disso'. Não sei se é esquec
A sua avaliação:
Joy
Quero muito desabafar e não tenho ninguém.
Tenho 17anos, não tive meu pai ausente na minha vida, e minha mãe é tóxica. Sai de casa aos 16anos, mas ainda assim, me sinto manipulada por ela por não ser maior de idade. Ela quer as coisas do jeito dela, na hora dela, e se faz de vítima e faz chantagem emocional. Por muito tempo, não entendia exatamente o pq era tratada assim. Nunca tive uma conversa com ela de mãe pra filha, pq ela nunca me escutava e sempre me criticava. Tive crises depressivas na minha fase de pré adolescente, e fui colocando na minha cabeça que isso era frescura minha, e que eu não tinha nada. Tive diversas crises de ansiedade. Mas nunca fui no psicólogo, pq minha mãe dizia "tem Jesus, pra que psicólogo" kkkk. Achei que se eu distânciando dela, tudo sairia melhor. Mas me sinto uma inútil, sinto que devia correr atrás das minhas coisas, mas não consigo. Eu sempre passei por tudo sozinha, sem ninguém aí meu lado, então sempre custumo dizer que Jajá eu melhorou e tudo acaba por um tempo, msm tudo voltado dps.
A sua avaliação:
Eliziane Benato
Minha mãe é assim, sofro muito desde pequena .
Meu pai acabou falecendo com 47 anos de idade ,tumor na cabeça. Vai fazer 2 anos agora dia 19 de outubro.
Meus avós paternos e pai podiam fazer de tudo e nada estava bom p ela ,sempre tinha q achar algo p brigar ou era terreno ,muro ,desejando a morte p eles e queria q eles descesse- sem pelo o barranco de vassoura , meu pai era puta ,viagem q meu pai fazia a trabalho e muitas outras coisas assim como querer tirar meus avós da própria casa e tereno que conquistaram pois falava q era dela. Passaram a vida inteira sofrendo com minha mãe e minha tia paterna as duas n são muito diferentes. Minha tia ela é laudada de bipolar e esquizofrênica já tentou muitas vezes se matar e nunca conseguiu, n aceita erros e sempre está certa chega a matar qualquer um ,meus avós e pai sofreram muito com ela e fora minha mãe.
Ainda me lembro de quando voltei de SP da cirugia e minha tia acabado de sair dó pinel e foi a escola onde trabalhavam juntas nesse tempo,a procura um molho de chave q ela tinha pedido p minha mãe levar a escola antes de se internada no pinel e havia parado na mão de um aluno,as duas acabaram brigando lá e minha tia venho descontar em mim jogando uma pedra grande no vidro da sala lá de casa,e ela sabia q eu sempre chegava da escola e ia dormir no sofá da sala, mas por sorte eu tinha ido ao banheiro essa hora , espirou estilhaços em minha perna mas n foi nada de mais (morávamos ao lado dos meus avós ainda esse tempo, mas tivemos q sair de lá, n dava mas) n fazia nem um mês q havia feio a cirugia meu pai estava viajando nesse dia.
Minha mãe sempre tinha q achar algo p implicar com alguém, um dia antes de meu avô falecer ela foi na beira da cerca e jogou a toalha de banho na cerca xingando meu avó q estava descendo p sair e mandando ele levar p o cemitério e no mesmo dia a noite ele foi pescar p aliviar a tristeza e acabou falecendo de infarto caindo no tanque do jeito q ela queria, pois teve a coragem de falar p a minha avó paterna, na mesma hora q chegou a notícia que queria estar viuva igual ela sem o mala de meu pai.
Eu n gostava de briga e todo santo dia ela achava algo p brigar com meu pai os avós, eu ficava quieta e minha escapatório era fugir p a casa de meus avós paternos q era ao lado de casa pois eles deram metade do lote deles p meu pai fazer a casa, minha mãe acabou engravidando de mim antes de casar e aquele tempo era o maior pecado engravidar antes de casar mas sempre falou p mim q queria pia.
Teve muitas vezes q meu pai queria se separar dela pois n aguentava mas viver a vida sofrendo e fazendo meus avós sofrer me arrependo pq n deixei ele ir embora talvez fosse melhor p ele ou pior. Começava a dar muitas crises em mim e minha mãe acabou engravidando da minha irmã depôs de 12 anos após ter eu, p poder segurar o casamento e de medo de meu pai achar outra pois ela era ciumenta doentio além do mais.
Desde meus 5 anos de idade até os 16 anos que foi quando tive q fazer uma cirugia muito grande na cabeça com risco de vida (perder a fala e andar, ficar em cadeira de roda, sequelas ou morrer) mas tinha q arriscar na cirugia ou morria com as crises (crise convulsiva atômica) cheguei a entrar 3 vezes em coma ,meu pai me levava p o hospital o mas rápido possível desviando carros, chegando 15 minutos ou 30 hora p morrer. Aqui em Curitiba q é a cidade onde morro n quiseram fazer a cirugia falavam q n ia dar certo e só apenas em SP q teve um médico abençoado q quis fazer e eu era a primeira criança q ele ia pegar na vida dele.
Depôs da cirugia graças a Deus fiquei bem ,nunca mas tive convulsões.
Mas sofro até hj com a perca de meu pai q foi recentemente e com o sofrimento q passo com minha mãe ela fala q é dela e me manda p a rua sendo q aqui são dois terrenos ,um meu pai ganhou de herança de meus avós e o outro comprou do tio dele, ele trabalhou a vida inteira as vezes levou agente viajar a passeio mas até niss
A sua avaliação:
Anonimo
Eu tenho apenas 14 anos e estou afundando, agora na quarentena é cada vez pior, meus pais são separados e minha mãe diz que precisa ficar comigo o tempo todo porque se sente muito sozinha, e quando ela discute comigo por algo bobo começa a me insultar gravemente, além de tudo ainda diz que posso confiar nela e contar tudo mas quando conto ela sai contando pra todo mundo, eu preciso muito escapar disso e não consigo... eu quero ir embora mesmo amando muito ela
A sua avaliação:
Lua
infelizmente minha mãe é tóxica, eu a amo tanto e sei que ela me ama, mas sinceramente isso tá me prejudicando, sempre fiz tudo que ela queria, mesmo não sendo do meu agrado, mas fiz, me tornei tecnica e bacharel em sistemas e ainda assim sempre tem uma nova critica, tenho quase 25 anos e tenho um namorado, ela quer controlar totalmente a minha vida, se não é do agrado dela as minhas decissões ela já quer me manipular e me fazer sentir culpada, agora está doente de câncer e eu que cuido, quero tomar uma atitude mas fico preocupada, minha irmã mais velha tambem acaba me fazendo me sentir mal, diz que a gente tem que ter paciência e tal, mas eu tô no meu limite, parece que quer que seja prisioneira das escolhas dela, que eu nunca me afaste, vontade de ir embora de uma vez, viver minha vida, mas não quero magoa-la, ela está me sufocando.
A sua avaliação:
Nathalya
agora eu sei pq a minha mãe não tem amigas pq ela e tóxica gronsa com todo mundo só ficar xingando os outros sem motivos ir ficar destruindo a autoestima dos outros ir ameaçando os outros .O meu pai não faz nada a respeito disto tipo ele até que falar alguma coissa mais mesmo assim não ajudar muito tipo tem a minha irmã mais velha ela sempre me protege eu tenho medo dos meus pais principalmente da minha mãe ela vive falando coissas pra mim todos os dias que destrói a minha autoestima ir tipo eu não posso fala as coisas que ela já fez comigo pra minhas melhores amigas pq irria aruina a reputação da minha mãe pq meu pai já esteve em uma polêmica muito séria ir a minha mãe já me ameaçou com faca a minha mãe já me bateu ir hoje em dia eu tenho muito muito mais muito talma do que ela fez comigo ir de tudo que ela falar
A sua avaliação:
Breno
Eu tenho 15 anos, e eu percebo que as minhas capacidades sao grandes (Raciocinio : Xadrez/ Artistico: Musica e Piano/ Fisicamente: Acadedmia/ e Colegialmente: Aprende e Raciocina muito rapido), porem eu sinto que quando faço algum ato, ou um resultado em alguma coisa, Meus pais, principalmente minha mãe me elogia e tal, mas quando acontece isso, me sinto desanimado para continuar, como se aquilo iria me fazer uma obrigação, nao como hobbie
Alguem sente isso tb?
A sua avaliação:
Alexandra
pessoal vamos criar um grupo... quem quiser me mande email o seu contato.
clessia_ale@hotmail.com
A sua avaliação:
Alexandra
Isso é mto sério e pouco comentado. Vejo tantas garotas e garotos que sofrem ou sofreram com essas agressões. Mães totalmente despreparadas, sem domínio próprio e jogam em seus filhos suas frustrações. Eu vivi isso e são danos que Deus pode curar e liberta dessa maldição. Eu jamais faria isso com meus filhos pois sei o dano que causam na vida deles .
Minha história da um belo livro para contar, pois sofri demais e não tenho ninguém que podia contar naquela época. As vezes me pego pensando no passado e vejo que foi um milagre de eu estar viva, bem e não ter problemas psicológico. Agradeço a Deus .. mais tem muitos que não conseguem se liberta dessas mães problemática que na minha opinião teriam que ser interditadas ou internadas . Só sabem disso quem passou por esse trauma. É uma triste realidade que assola gerações e gerações.

Mães tóxicas: tipos e tratamentos
Mães tóxicas: tipos e tratamentos

Voltar ao topo da página