menu
Partilhar

Mães tóxicas: tipos e tratamentos

Por Nerea Babarro Rodríguez, Psicóloga. Atualizado: 3 maio 2019
Mães tóxicas: tipos e tratamentos

Muitas vezes não somos capazes de perceber quando estamos perante uma relação tóxica, nem somos capazes de reconhecer os estragos que estas relações podem causar no nosso dia a dia. Portanto, às vezes, as relações tóxicas entre mãe e filho/a podem ser devidas à personalidade tóxica da mãe. Se você quiser saber mais sobre os diferentes tipos de mães tóxicas, continue lendo este artigo de Psicologia-Online - Mães tóxicas: tipos e tratamentos.

Mãe tóxica

Nas relações tóxicas, uma ou duas partes que formam a relação sofrem mais do que desfrutam e padecem um grande desgaste emocional, pelo simples fato de permanecerem juntos e manter a relação. A gente tóxica é a que não te ajuda a crescer como pessoa e, para além disso, piora a sua vida. Em particular, as mães tóxicas são as que geram muito mal-estar nos filhos. Quer consciente quer inconscientemente, o seu estilo educativo negligente produz consequências negativas para os filhos.

Em muitas ocasiões, não identificamos as relações tóxicas, e ainda menos o dano inimaginável que podem nos causar. Como saber se você tem uma mãe tóxica? Com a finalidade de poder detectar as mães tóxicas, lhe apresentamos a seguinte lista:

  • O seu nível de estresse negativo aumenta quando está com essa pessoa.
  • A pessoa tóxica costuma fazer que você se sinta mal.
  • Ela te força a mudar a sua maneira de ser, vestir, pensar, entre outros. Devido a estas mudanças, acaba destruindo a ideia de quem é você.
  • Faz que você se sinta emocionalmente dependente.
  • Faz que você se sinta humilhado.
  • Faz que você se sinta inútil.
  • Você sente que a sua mãe te manipula.
  • Outra das caraterísticas das mães tóxicas é que a pessoa tóxica faz que você se sinta culpado(a).
  • Você sente como a pessoa absorve a sua energia.
  • Provoca que a sua autoestima diminua.

Pelo contrário, uma relação saudável provoca tudo menos isso, como por exemplo, a outra pessoa faz que você se sinta bem, sente que a pessoa te valoriza e te melhora, etc.

Para além disso, deixando de lado as características das relações tóxicas já mencionadas, também podemos detectar que relações são tóxicas pela presença repetitiva de:

  • Discussões
  • Críticas
  • Desprezo
  • Desclassificações ou insultos
  • Ameaças (normalmente ameaças de abandono, de acabar com a relação)
  • Manipulação
  • Chantagem emocional
  • Vitimismo
  • Superproteção
  • Ciúmes
  • Inveja

Tipos de mães tóxicas

Já clarificamos como são as mães tóxicas e como detectá-las mas, todas as mães tóxicas são iguais? Não, há diferentes tipos de mães tóxicas. Entre os distintos tipos que existem, podemos diferenciar 10 tipos de mães tóxicas:

1. Mãe dominadora

Este tipo de mãe tóxica é a mãe que se caracteriza por querer saber tudo sobre os seus filhos, o que fazem, onde vão, quem são os seus amigos, etc. Além disso, controla os seus filhos a um nível tão alto que não deixa que eles tomem as suas próprias decisões nem escolham o que querem ou o que devem fazer. É a mãe quem é responsável de controlar e administrar a vida dos seus filhos. Normalmente, os filhos/as de mães controladoras se sentem inseguros e indefensos perante as situações nas que a sua mãe não decide por eles, pois não estão acostumados a tomar decisões importantes.

2. Mãe super-protetora

Trata-se da mãe que se preocupa em excesso pelos filhos, tem medo do que possa acontecer alguma coisa má com eles e, portanto, tende a não deixar espaço próprio para os seus filhos. Normalmente se antecipam aos problemas porque querem solucionar todo o que possa causar algum tipo de dor ou consequência negativa para com os seus filhos.

3. Mãe absorvente e possessiva

É a mãe que precisa passar o máximo de tempo possível com os seus filhos e também não lhes deixa espaço, mas não por medo de que aconteça alguma coisa, mas porque precisa estar com eles e absorver o tempo o quanto puder.

4. Mãe perfeccionista e exigente

Este tipo de mãe tóxica é o que têm em conta as virtudes e capacidades dos seus filhos, mas como resulta ser perfeccionista e exigente, tende a querer mais perfeição e excelência nos seus filhos. A mãe perfeccionista e exigente normalmente não vê o processo (como esforço e constância) pelo que passa o seu filho para atingir os seus objetivos, mas unicamente repara nos resultados obtidos.

5. Mãe amiga

É a mãe que se considera companheira, camarada ou amiga dos seus filhos, mas não percebe que os seus filhos não precisam de uma amiga em casa, mas precisam de uma mãe que exerça como tal, e seja um exemplo e modelo para eles, embora também possam se divertir com ela sem a necessidade de que seja a sua amiga.

6. Mãe depreciativa

Entre os tipos de mães tóxicas, encontramos este tipo de mãe que não valora as capacidades nem êxitos dos seus filhos, costuma desprezá-los, quer pelos seus atos, pelos resultados no colégio, pelos resultados no esporte, entre outros.

7. Mãe ausente

Trata-se do tipo de mãe que não está disponível, emocionalmente falando, para os seus filhos. É um tipo de mãe que está em casa, com os filhos, mas não lhes presta atenção e as crianças a veem como uma figura emocionalmente inaccessível, embora às vezes também possa haver um tipo de mãe ausente e inaccessível fisicamente, por exemplo, por um excesso de trabalho fora de casa.

8. Mãe competitiva

Este tipo de mãe tóxica é a que compete com os seus filhos, e sempre deve se sentir superior. Por exemplo, se eles conseguem atingir algum objetivo, ela tem que superá-lo com um melhor resultado e, para além disso, fazer que os filhos saibam que ela é melhor.

9. Mãe instável emocionalmente

Este tipo de mãe se caracteriza por uma instabilidade emocional, isto é, mudanças do estado emocional, fato que implica que os filhos não desenvolvam uma relação emocional estável com a sua mãe.

10. Mães manipuladoras e vitimistas

O último dos tipos de mães tóxicas, se refere às mães que manipulam, impõem regras e fazem os seus filhos se sentirem culpados se não fazem o que elas querem. Tudo gira ao seu redor, só pensam nelas e usam os seus filhos.

Mães tóxicas: psicologia e tratamento

Como lidar com mães tóxicas e como tratá-las? Lidar com mães tóxicas é muito complicado e devastador para os filhos, pelo qual é recomendável consultar um especialista que possa favorecer o trato entre a mãe e os filhos e possa adaptar o seu serviço às caraterísticas de cada situação. Normalmente, a melhor opção é se afastar, mas como sair da influência de uma mãe tóxica? Para poder lidar com mães tóxicas, é recomendado:

  • Consultar um profissional de mediação: a mediação é um procedimento de resolução de conflitos que se dirige a melhorar a comunicação entre as pessoas que se encontram em conflito (neste caso, mãe e filhos), com a finalidade de que sejam eles mesmos quem consegue encontrar uma solução para o problema. A figura do mediador/a consiste em se mostrar neutro e imparcial, e promover e facilitar a fluidez da comunicação entre as diferentes partes que formam o conflito.
  • Ir à terapia familiar: este tipo de terapia trata os problemas que se geram no contexto familiar, e demonstra ser muito útil para resolver um conflito familiar e as dinâmicas relacionais originadas no contexto familiar que são prejudiciais para os seus membros.
  • Terapia individual: por um lado, e sobretudo para as mães que são instáveis emocionalmente, quer devido a sua natureza, a um transtorno mental, à adição a sustâncias, etc. Por outro lado, a terapia individual pode ser vantajosa para poder tratar o desgaste emocional dos filhos a nível individual.

Por isso, a chave para melhorar as relações tóxicas entre mães e filhos está na comunicação. Assim, você pode buscar momentos para criar espaços de comunicação fluida e sincera.

Para além disso, nomeadamente em relação às mães, pode ser muito positivo reconhecer o tipo de mãe que você é e refletir sobre as repercussões que pode causar na relação entre mãe e filhos.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Mães tóxicas: tipos e tratamentos, recomendamos que entre na nossa categoria de Conflitos familiares.

Bibliografia
  • Pinto, B. (s.f.). Relaciones tóxicas. Qué son y cómo tratarlas.
  • Zarzuela, A. (2018). Cómo identificar a los distintos tipos de madres tóxicas. Guia infantil.

 

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
129 comentários
A sua avaliação:
Erica
Esse artigo mim fez perceber que sou uma mãe um pouco tóxica protejo demais minha filha mais velha ,acabo sempre indo nos lugar com ela por achar que ela n consegue ,acabo falando algumas coisas que machuca ela ,percebi isso agora ao ler esse artigo acho que sou culpada pela depressão que ela tem,e por si cortar ,mais n faço por maldade eu cobro porque amo ela e n quero que ela passe na vida o que passei ,tô muito mau agora que percebi que tô fazendo mau a ela quando na verdade quero que ela seja feliz,acho que ela ficaria melhor si eu n existisse
A sua avaliação:
Utilizador Anónimo
Nem penso em convidar a velha para o meu casamento. Sei que se vai fazer de vítima para outras pessoas, mas é o que ela merece. Tantos anos a dar-me desprezo e agora ia convidá-la para o dia mais importante da minha vida? Nem pensar...
Alexandre
A mãe da minha mulher é um capeta. Foi no meu casamento quase deu morte.
Vc está certa d+++++
A sua avaliação:
Jose Ranato
No meu caso a síndrome da mãe tóxica extrema foi agravada por agressões quando eu era bebê que deixaram cicatrizes até hoje e traumas impossíveis de ser curado. Depois seguiu-se um festival de humilhações públicas, ofensas gratuitas e sabotagem a minha vida sexual e acadêmica. Um psiquiatra famoso disse uma vez que em uma relação sem amor entre mãe e filho dá lugar a uma relação de poder, daquele que corrompe. Eu sei bem o que é isto. Aquela senhora, minha genitora tóxica, era como uma criança perversa e eu um brinquedo que ela detestava mas ela era obrigada a cuidar. E ela sabia que tinha poder absoluto sobre mim, afinal a mãe é sagrada e a família intocável ainda hoje, imaginen a cinquenta anos atras quando fui vítima dela? Provavelmente o mal nem estava diagnosticado. A única opção para quem foi vítima de uma genitora tóxica como eu e deletá-la de sua vida. Não tão outro jeito.
Anônimo
Passo por isso em casa, realmente é muito triste.

Essa relação piorou principalmente quando os meus pais se separaram. Sendo coberto de culpas constantemente e obrigado a fazer várias ações que prejudicam o meu pai, "para o bem dela".
Tudo isso piora quando ela ingere bebidas alcoólicas, as agressões passam a ser físicas, sendo assim eu apanho sem nem ter um "porquê".
A todo momento ela ameaça doar o meu cachorro, que é como um filho para mim, e muitas vezes me culpa por problemas externos, dizendo a seguinte frase: " se eu tivesse bem em casa, não aconteceria esse transtorno na rua".

Sei que a minha mãe passou por um momento difícil e espero que um dia ela melhore, só que até isso acontecer, ela faz com que esse mal caia à mim.

Complemento: A minha mãe, quando me vê triste pela situação, ainda tem a coragem de dizer que eu não tenho motivos e que eu devo parar de me fazer de vítima, porque isso faz ela ser mal vista perante olhares externos.

Sinceramente não sei se consigo aguentar por muito tempo.



A sua avaliação:
Yasmin
Minha mãe se encaixa em tudo por causa dela eu nem tenho mas vontade de viver eu só estou existindo ela me humilha me xinga me impede de viver a minha vida ela diz que a vida tbm é dela e tem que saber de tudo sempre fala que a culpa é minha sendo que é dela me fala que eu não vou ser nada na vida sempre me comparou com a minha prima pq ela sempre faz melhor que eu ela reclama de tudo que eu faço ou deixo de fazer e o pior que não é só ela e tbm minha vó e são as duas falando mal de mim todos os dias vivo com uma pessoa que não gosto é prefiro ficar dentro do meu quarto pra não ver o rosto de ngm e nem do meu irmão e a única coisa que ela faz é me comparar com as pessoas. Além de ter uma mãe tóxica eu tbm tenho uma família tóxica
A sua avaliação:
Andressa
A minha se enquadrou em 4 tipos. Pior é ter que conviver com uma pessoa dessa.
A sua avaliação:
Olinda Rosa de Azevedo Rodrigues
Gostei muito do artigo, pude refletir sobre minha postura de mãe.

Como faço para conversar ou consultar um psicólogo???
A sua avaliação:
ERICA
Eu achava que eu era uma super mãe.....ate minha filha dizer que sou toxica!
Amar....cuidar....se preocupar achei que isso era amor.
Doe demais!
Giovana
Moça, acho que se você leu o artigo, entende que amar e cuidar não é sinônimo de mãe tóxica. São diversos outros fatores que se de fato, a pessoa possa ser um pai ou mãe tóxica, são disfarçados via "amar demais" e/ou "cuidar demais".
Desejo reflexão e melhoras à sua relação com sua filha.
A sua avaliação:
Lucia
O ser mãe me sinto tão intensa e realizada que jamais e em tempo algum me vejo dentro deste espaço ,que não me encaixa. Vivo um encontro entre a minha vida e de meus filhos que mesmo que tolhendo a liberdade de cada um me vejo que estou absorvida neste mundo ...o ser mãe....è claro que as vezes me esbarro tentando e tentando adentrar ao mundo dos meus filhos...E tantas vezes me sinto impotente ...Porque eu não sou ouvida ....Sim ....O lado dos filhos ....E o lado das mães...è impossível estudar apenas um lado ....Em tudo sempre haverá de existir os dois lados ...o meio termo...para não cairmos na total resistência tão bem citada por Freud... Eu sou mãe e sim eu me preocupo ...
A sua avaliação:
Thais
Minha mãe é toxica, e eu me tornei uma mãe mais toxica que ela. No fim, me tornei o que mais desprezo e odeio, e em uma versão 2.0 dela.... Espero conseguir superar meus traumas do passado, para não agir automaticamente como ela,.. e passar todas minhas frustações para minha filha, como venho fazendo..... Muito complicado crescer com pais doentes emocionalmente, e o impressionante é ver que hoje vivem a melhor vida, sem nenhum remorso e ainda continuam a culpar crianças pelas más escolhas que fizeram na vida.... é lamentável.... e sinceramente se tivesse tido escolha, preferia ter sido deixada em um orfanato... Mas vou tentar me corrigir para não ser um câncer para minha filha, como meus pais foram para mim e minha irmã.
A sua avaliação:
Isabella
Atualmente venho estudando muito sobre, como melhorar o relacionamento com a minha... Ela tem indícios de Síndrome de Borderline, comportamento de falas, expressões sempre com muita intensidade e revivendo as mágoas passadas. Atualmente venho passando por discussões com ela, sobre o meu namoro. Minha mãe sente ciúme, faz sempre comentários com consequências negativas, e me comparando com meu Pai, ( que não foi muito presente) dizendo que eu a "largo" em casa sozinha. Não existe diálogo e nem escuta, sem distorção, do que ela queira interpretar e for benéfico a ela, para desdenhar a fala do outro . Já tentei terapia familiar, mas a terapeuta não é mais de confiança por fazer comentários uma para outra de sessões individuais. Além de fazer suposições particulares para cada uma sem um verdadeiro acolhimento e sim em tom de maledicência.
Mylena
Passo por uma situação parecida com a minha mãe, ela tem a mesma síndrome que a sua. Estou atualmente vivendo um inferno com ela pois eu, meu esposo e minha filha compramos um apto e vamos morar um pouco distante dela. O pior que a mesma obsessão que ela tinha por mim ela desenvolveu pela minha filha.
A sua avaliação:
Hehe boy
Minha mãe não é tóxica, é radiação pura não aguento mais viver com aquela desgrama 😑 se ela quiser morrer eu deixo odeio ela com todas as minhas força >:0 akela mulher só calsa problema na minha vida
maria matos
quer ver que somos irmão???? ADona Gertrudes consegue ter todos estes defeitos e ainda que eu só descobri aos 52 anos, quando ela já tem 74: ela é lésbica e nunca se assumiu. Vive um casamento de ódio e de fachada com o meu pai desde os 17 anos...é um poço de complexos e sempre me fez sentir culpada por ela ser uma merda. Espero que morra nos proximos anos, foi sofrimento demais
A sua avaliação:
:D
Minha mãe é tóxica

Triste
A sua avaliação:
Roberto
Tenho 33 anos e uma história conflituosa com a minha mãe. Eu não tive pai presente, e cresci com minha mãe, minha vó e irmã. Minha mãe sempre terceirizou tudo: minha vó cuidava de mim quando era criança, minha irmã pagava as contas da casa. A minha mãe perdeu emprego logo que nasci e nunca mais procurou emprego. Assim que fiz 17 anos tive que pagar as contas minhas e dela. Me formei e tenho um bom emprego, mas ela sempre exigiu cada vez mais financeiramente de mim e da minha irmã. Além de não fazer nada em casa, eu como homem desde os 6 anos que faço tudo. Com o tempo, e ela tendo uma vida na qual nem pra ir na esquina fazer compras ela precisava, começaram a surgir doenças de idade. Hoje ela de fato não pode fazer mais nada sozinha, e preciso morar com ela, a diferença é que talvez tenha que largar o emprego para cuidar dela. Não consigo me ver longe, casando e fazendo uma família. Além de tudo, temos eu e minha irmã dívida alta no plano de saúde. Sinto que ela exigiu sempre demais de nós, mas nunca ofereceu o que uma mãe precisaria dar, sinto que sou mais pai dela do que ela minha mãe. Parece que os outros sempre devem fornecer praticamente tudo a ela, e ela não deve satisfação a ninguém. Não sei como sair desse ciclo.
A sua avaliação:
Ronaldo Cabral
Com certeza existe mães tóxicas, o relacionamento familiar por vezes é bastante difícil, a convivência é desgastante mas acima desses problemas precisa existir algo chamado caridade. A caridade desmancha o ódio, o rancor e o ressentimento. Teste esse exercício de caridade, releve críticas, perdoe cada patada que levar, mostre-se um filho(a) compreensivo e benevolente. Se formos severos demais sem sombra de dúvidas todas as mães se encaixarão em um ou mais desses critérios, mas se formos benevolentes não importa se ela esta em todos ou nenhum, pois acima de tudo essa pessoa é sua mãe e o amor releva todos os defeitos.
Fernanda
Ronaldo, isso não funciona. Não é simples como você pensa.
Achei suas afirmações irresponsáveis, pois colocam ainda mais peso sobre os ombros dos filhos que têm mães tóxicas.

Tenho 40 anos de idade, sou cristã, financeiramente independente, e tento essa sua receita há anos.

Minha é mãe tóxica, apesar de partilhar da mesma fé que eu. Sempre achei anormal nossa relação, mas só entendi que era pela toxicidade dela aos meus 25 anos de idade. Ela diz que eu SOU A MELHOR FILHA DO MUNDO, a filha que toda mãe gostaria de ter. Mas, basta ficar insatisfeita com alguma coisa pra me chamar de ingrata, sem amor, e dizer que QUER VIVER LONGE DE MIM.
Tenta controlar tudo na minha vida: o que eu como, com quem me relaciono, o que eu falo com as pessoas, como penteio meu cabelo e até o que eu sinto (ela diz que sabe o que estou sentindo - ela "advinha" - e que não devo sentir isso). Mesmo durante os nove anos em que estive casada, e que moramos em casas separadas, ela agia assim.
Uma das frases dela: "mãe pode tudo".

Defeitos todos os seres humanos têm. Toxicidade vai muito além disso.

Amo a minha mãe. Por isso, e pelos meus valores cristãos, continuo tentando me relacionar com ela.
Fernanda
Complementando:

Você disse: "acima de tudo essa pessoa é sua mãe".
Essa afirmação é absurda! Ser mãe não coloca ninguém acima de tudo. O filho não é um objeto ou propriedade da mãe; o filho é um ser humano, com todos os direitos que isso representa.

O amor NÃO releva tudo. Isso é HUMANAMENTE impossível.

Seja mais responsável ao publicar uma opinião.
Anna
Desculpe, mas, como filha de mãe tóxica, não dá para fingir que nada aconteceu e relevar todas as patadas, o desprezo, as cobranças infundadas e demais problemas que deixaram cicatrizes profundas....Ninguém está falando aqui para desprezar a mãe, agir violentamente ou qualquer coisa do tipo, mas, assim como qualquer um que sofre violência, não dá para fingir que não aconteceu nada...Não foi uma bronca quando você tinha 10 anos, foram anos e anos de abuso moral. Tenho uma mãe tóxica que foi empurrada para morar comigo e que, na minha casa, ainda diz: você parece uma retardada conversando com o cachorro' ou 'a casa do seu irmão é um luxo só, aqui parece um barraco perto dela'- esse irmão não a quer nem no portão...Aguentei muita coisa desde criança, consegui me libertar dela, consegui o meu canto, mas aí a velhice chegou e os dois filhinhos amados dela não a quiseram e jogaram a responsabilidade toda para mim. Não é fácil, não tem muito o que fazer, mas não dá pra aguentar desprezo, crítica e chantagem emocional na sua própria casa...
Roberto,não largue o seu emprego, às vezes o trabalho é a única coisa que nos mantêm de pé. A única coisa que penso é que tudo dia isso vai passar, é o que me dá um pouco de esperança ainda.
A sua avaliação:
valeria
Aim, gente, eu sou a mãe! Fui mãe aos 23 anos, de uma linda princesa. O bebê mais lindo e incrível do mundo. Ela era meu nundo, dia apos dia, me dedicava inteiramente e exclusivamente a ela. Fui mãe, pela 2º vez, aos 27 anos, de um lindo príncipe, gente...sem exagero algum, sem mentiras, o menino mais lindo, dos meus sonhos. Foi uma gravides ao qual eu não queria, cheguei até traçar um plano para abortar, antes dos 3 meses. Falhei! Graças ao bom Senhor! As vezes quando eu olho pra ele, meu coração dói, só de lembrar, o que eu pensei e planejei em fazer. Quando ele nasceu, eu fiquei super preocupada, que ela viesse a se sentir deixa da de lado, ou que achasse, que amaria mais o menino do que a ela. Era do tipo que tirava várias fotos, vários filmes caseiros, para guardar os momentos de bebes, e crianças. Tenho tantas fotos dela, e filme que não consigo contar, e dele tmb. Todos os dias, desde que ela nasceu, eu falo que a amo, e vice versa. Para mim, é tão importante, que eles sentem meu amor, que eles saibam o quão são importantes e amados. Não sei explicar. E vida que seguiu. Após alguns anos, eu comecei a assistir os videos, rever né, eles estavam grandinhos. Mas ali, eu percebi, dolorosamente, o quanto eu falhei com minha princesa. Juro que na época eu não percebi, minha atenção estava voltada totalmente pro menino, que me cegou. Ela em quase todos os videos "dele", aprendendo a andar, a falar etc... Sempre tentando me chamar a atenção. "-Olha mamãe, eu" "-Mamãe e eu!!!" -mãe ,mamãe...." Que doloroso foi ter me dado conta. Porque eu não vi isso
?Como eu pude fazer aquilo? E pior, eu me puxo as memórias, e não percebo momento algum, ao qual, eu sinto mais amor a ele, do que a ela. Isso me fez abrir os olhos e me corrigir. Hj tento o melhor para deixar visível o amor, atenção, e todo o resto, para ambos. Ela esta com 13 anos, ele com 10. Eu estou me policiando para não ser uma mãe toxica, porém ao ler esses comentários, me auto-avaliei, e percebo que tenho muito o que melhorar. Com ela, com ele, de diferentes formas, porem com exageros semelhantes kkkk não sei como colocar. Quero tanto que eles tenham uma voda plena, incrível. Porém a preguiça deles, a falta de interesse, me enlouquece. Isso me faz ser uma mãe terrível. Ela é ótima, ela é ótimo, porém, tem esse porém kkk gente. Não sei, nós que somos mães temos que respirar, 1 milhão de vezes se precisar. Porque não é fácil. Educar, está tão difícil. Eu já cheguei a ser extremamente grossa com minha filha, pela cobrança de estudos e interesses e tal. Ela decorou tudo que fiz, tudo que falei. Hj tento ter paciência e calma, e com muito amor, reverter esse parecer dela. Ele, eu tenho um exagero tão grande de proteção, tenho tanto medo que acontece algo ruim. Seja na escola, sei lá. Tenho que dar asas a ele, ensinar a voar. Meu Deus!!! Olha... que difícil ser mãe. Não vou generalizar, cada mãe é diferente da outra. Sim eu falho de tantas formas, como me comporto, como me expresso, enfim... Mas eu me policio para ser uma boa mãe. Nunca, jamais, gostaria que minha filha, ou meu filho, escrevessem algo assim de mim. Ser, mãe, ser pai, ser filho, enfim... tem que ter parceria. diálogo, não adianta se remoer e não se abrir. Fale, se imponha, quero que eles exijam, cobrem... Respeitem, exigem respeito. Tenho tantas falhas, gostaria de ter alguma crítica sobre minha mãe. Mas eu não tive uma. Ela faleceu quando eu ia completar 3 anos, eu aprendi a ser mãe, por mim mesmo, não tive uma para se espelhar, no bem ou mal. Aprendi errando, acertando... algo assim. Eu acho que erro mais, do que acerto! Mas de uma coisa eu sei, eu não quero ser toxica para eles, não quero que meu amor seja toxico. Vou melhorar!
Liciana
Nossa! É como se você estivesse decrevendo a minha história, com os meus filhos.
Lidiane
você está em um ótimo caminho, pois reconhece isso e está tentando mudar... queria tanto que minha mãe lesse isso e não falasse que crio coisas na minha cabeça :(
A sua avaliação:
Patrícia
Bom tá na cara que minha mãe é tóxica e pronto acabou! : /
A sua avaliação:
Sarah
Minha mãe é a 1,2,4,6 e 10 desde que eu entrei na escola com 6 anos mais ou menos ela me denigre sempre falando "seja mais como sua prima" ou "aquela mãe tem motivo de se orgulhar da filha já eu não" sempre foi assim e com o tempo foi me colocando mais pra baixo dizendo que eu não presto, deveria nunca ter nascido e que sou um lixo. Quando eu tava no 8 ano quando descobri minha depressão e hoje vivo deprimida por causa dela! Sempre querendo saber com quem ando, olhando minhas conversas e me proibindo de viver minha vida! Sinceramente não aguento mais.
A sua avaliação:
Ana
Não aguento mais viver com minha mãe. Ela me humilha, me desmerece e faz chantagem emocional o tempo todo. Eu sou uma filha boa, estudo muito, trabalho e ainda faço as coisas de casa. Mas para ela nada é suficiente! Se eu passar um dia fora de casa ela diz q passou mal e a culpa é minha. Se eu for contra o que ela diz, ela joga praga na minha vida e liga pra todas as pessoas pra se fazer de vítima. Estou muito cansada! E o pior é que ela depende de mim, não tem renda nenhuma... Não sei o que fazer, não posso sair de casa, mas ficar em casa está sendo insustentável. Ela diz que odeia ter filhos, que é o maior arrependimento dela. Me sinto culpada por existir e muito triste, queria q tudo isso acabasse.
Equipe editorial (Editor/a de Psicologia-Online)
Oi, Ana. Mais do que falar com alguém, um acompanhamento profissional te ajudaria muito a administrar todos esses sentimentos em relação à sua história. O CVV (Centro de Valorização da Vida) também pode te orientar. Basta ligar gratuitamente para 188.
Um abraço!
A sua avaliação:
rafael
tenho uma mãe 1,6,7,9 e 10. Ela consegue me jogar lá pra baixo, ela tem depressão(eu acho), mas não quer tratar ou procurar ajuda, sempre as mesmas desculpas e mesmos culpados.
A sua avaliação:
Maria eduarda
Minha mãe não muda estou cansada tenho raiva da minha própria vida seria melhor se eu não existisse!
Equipe editorial (Editor/a de Psicologia-Online)
Oi, Maria. Você precisa conversar com alguém de confiança sobre o tema e procurar ajuda profissional o quanto antes. O CVV (Centro de Valorização da Vida) também pode te orientar. Basta ligar gratuitamente para 188.
Um abraço!

Mães tóxicas: tipos e tratamentos
Mães tóxicas: tipos e tratamentos

Voltar ao topo da página