Partilhar

Quem é o pai da psicologia e por quê

 
Por Gemma Adsuara Arrufat. Atualizado: 16 outubro 2020
Quem é o pai da psicologia e por quê

Apesar da existência de uma grande quantidade de profissionais que participaram do desenvolvimento do que hoje em dia conhecemos como as diferentes especialidades de psicologia, existe apenas um que é considerado o precursor inicial dessa ciência como a conhecemos na atualidade.

Em Psicologia-Online, queremos que você conheça um pouco mais sobre “nosso” pai, aquele que nos deu a oportunidade de aprender essa ciência e que nos permitiu estar dia após dia contando e explicando do que se trata a psicologia. Portanto, neste artigo, você encontrará quem é o pai da psicologia e por quê.

Quem é considerado o pai da psicologia?

Whilhem Wundt é considerado por todos como o pai da psicologia. Ele tentou a carreira de fisiologia, mas não conseguiu, tendo ido por isso para o ramo da filosofia. Graças a esses dois conhecimentos criou a psicologia.

Quem foi Wilhelm Wundt e o que é a psicologia experimental

Aos 4 anos, ele se mudou com sua família para Heidelsheim, sendo sempre uma pessoa muito tímida e reservada. Após sua graduação, estudou na Universidade de Heidelberg, onde se tornou um dos primeiros estudantes de medicina de sua classe, obtendo o doutorado Summa Cum Laude, colocando o primeiro da sua promoção médica.

Depois se mudou para Berlim, onde estudou com Muller. Um ano mais tarde, voltou para a Universidade de Heidelberg como assistente de Helmholtz. Escreveu, naquela época, seu primeiro livro “Contribuições para a teoria da percepção sensorial”, estruturando nele o plano da psicologia que continuaria até o fim de sua vida. No ano seguinte, ele publicou “Lições de Psicologia humana e animal”.

O objetivo de Wundt era entender a consciência como é experimentada e também entender as leis mentais que regem a dinâmica da mesma. O conceito de vontade era algo de extrema importância para Wundt. Ele afirmou que a vontade era o conceito central com base no qual os problemas mais importantes da psicologia deveriam ser entendidos. Wundt acreditava que os homens podem decidir a que prestam atenção e, portanto, percebê-lo claramente.

O nome com o qual Wundt denominou sua abordagem da psicologia foi o voluntarismo, devido à sua ênfase na vontade, na escolha e propósito. O voluntarismo foi a primeira escola psicológica (e não o estruturalismo, que é uma escola rival iniciada por um de seus alunos).

Acreditava que a psicologia experimental poderia ser utilizada em um esforço para entender a consciência imediata, mas que era inútil para tentar entender os processos mentais superiores e seus produtos. Apenas a observação naturalista ou a análise histórica poderia ser utilizada para estudar os produtos.

Wundt acreditava que todas as ciências estavam baseadas na experiência e que a psicologia científica não era uma exceção. Porém, o tipo de experiência necessária era diferente. Enquanto outras estavam na experiência mediata, a psicologia se baseia na experiência imediata.

Para estudar os processos mentais, Wundt usou vários métodos como a introspecção. Distinguiu entre introspecção pura (a própria observação relativamente sem estrutura) e a introspecção experimental (que acreditava ser cientificamente respeitável).

A introspecção experimental utilizava instrumentos de laboratório para variar as condições e, com isso, tornar os resultados da percepção interna mais precisos. O ideal era efetuar a introspecção na forma de percepção interna, de uma maneira tão precisa como a percepção externa.

Wundt utilizou a introspecção mais ou menos como haviam utilizado os filósofos e os psicólogos, ou seja, como uma técnica para determinar se uma pessoa está experimentando uma certa sensação ou não. De fato, Wundt reproduziu muitos trabalhos que os fisiologistas haviam realizado sobre a audição, a visão e muitos trabalhos.

Em 1875, Wundt queria ensinar psicologia experimental em Leipzig, então parou de ensinar antropologia, lógica e linguagem. Em 1879, seu laboratório era muito produtivo, supervisionando as pesquisas de vários estudantes. É nessa data que é apresentado o primeiro laboratório dedicado à pesquisa psicológica, denominado Instituto Experimental de Psicologia. Em 1881, Wundt fundou a revista Estudos Psicológicos.

Representantes dos diferentes tipos de psicologia

Além do pai da psicologia moderna, também encontramos diferentes referências para cada um dos tipos de áreas ou correntes da psicologia:

Quem é considerado o pai da psicologia pré-científica

Não podemos escolher apenas um autor como o pai desta, pois todos aqueles que contribuíram com novos conceitos para o que mais tarde ficaria conhecida como psicologia científica, foram agrupados dentro dessa pré-ciência. Por isso, caberia destacar Hipócrates, Sócrates, Platão, Aristóteles, Descartes, Locke e Hume.

Quem é considerado o pai da psicologia moderna

Novamente, esse título deve ser dado a Wundt, pois foi o criador do primeiro sistema científico psicológico que se baseia no método experimental empregado atualmente.

Quem é considerado o pai da psicologia evolutiva

Jean Piaget é considerado o pai desse ramo, pois foi a primeira pessoa a estudar detalhadamente todo o desenvolvimento psicológico humano ao longo da vida. Além disso, destacou-se por seus estudos sobre a inteligência. No artigo a seguir, você encontrará a teoria do aprendizado de Piaget.

Quem é considerado o pai da psicologia industrial

Desta vez, foi um discípulo de Wundt que desenvolveu e estabeleceu as bases desse tipo de psicologia, trata-se do psicólogo Hugo Münsterberg, quem relacionou as habilidades dos funcionários com as demandas de trabalho da organização para, deste modo, aumentar a eficiência industrial.

Quem é considerado o pai da psicologia jurídica

A psicologia jurídica não nasce dos trabalhos de um único indivíduo, como estamos acostumados a ver. A raiz das intervenções de peritagem realizadas por diferentes psicólogos sobre criminosos do s.XIX, é quando se começa a falar de um tipo de psicologia judicial. No entanto, não é até 1932, quando Emilio Mira e López publicou o primeiro Manual de Psicologia Jurídica.

Quem é considerado o pai da psicologia forense

Não podemos escolher um autor fundador desse ramo da psicologia, pois essa tem sua origem dentro da psicologia jurídica. No entanto, o objetivo deste é auxiliar o direito como o conhecemos aplicando os conhecimentos e práticas psicológicas às demandas judiciais.

Quem é considerado o pai da psicologia do esporte

Coleman Griffith é o pai da psicologia do esporte, bem como o primeiro diretor de um laboratório de pesquisa no esporte.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Quem é o pai da psicologia e por quê, recomendamos que entre na nossa categoria de Biografias.

Bibliografia
  • Blasi, C. (2015). Psicología evolutiva. Universidad Jaume I.
  • Gonzalez. (2015). J. Historia de la Psicología. Universidad Jaume I.
  • Sos, R. (2015). Historia de la Psicología. Universidad Jaume I.

Escrever comentário sobre Quem é o pai da psicologia e por quê

O que lhe pareceu o artigo?

Quem é o pai da psicologia e por quê
Quem é o pai da psicologia e por quê

Voltar ao topo da página