Partilhar

Tipos de memória humana

 
Por Marta Thomen Bastardas, Psicóloga. 5 maio 2020
Tipos de memória humana

Vários tipos de memória que têm implicações diferentes em nosso funcionamento são conhecidos. O conhecimento dos diferentes tipos de memória é muito importante, pois está presente em todas as áreas de nossas vidas, até nas ações mais simples, como lembrar o que devemos comprar no supermercado. Além disso, cada tipologia de memória pode ser estimulada e melhorada com exercícios de caráter diferente e, se somos conscientes sobre qual é a memória que mais utilizamos ou qual é a memória que menos temos trabalhado, podemos estimulá-la para fazer um uso mais produtivo dela.

Entre os diferentes tipos de memória, podemos encontrar a memória de curto prazo ou longo prazo, a memória sensorial e a operacional, entre outras. Se você estiver interesse em conhecer os fundamentos de cada tipo de memória, continue lendo este artigo de Psicologia-Online: tipos de memória humana.

Também lhe pode interessar: Como funciona o cérebro humano

Fases da memória

A memória é compreendida como a manutenção de um aprendizado determinado, sustentado no tempo desde seu armazenamento e recuperação quando necessário. Para que a memória possa executar esse processo, diferentes etapas devem ser estabelecidas. As fases da memória são codificação, armazenamento e recuperação. As fases da memória são explicadas abaixo:

  1. Codificação: na fase de codificação, a pessoa recebe um conjunto de inputs externos, que são processados e transformados em códigos verbais, visuais e/ou sensoriais aos quais atribuímos um significado.
  2. Armazenamento: uma vez que as informações recebidas tenham um significado, nessa fase são armazenadas, retidas no cérebro. Sua retenção pode ser diferente, dependendo do tipo de memória utilizada, por exemplo, se é de curto prazo será recuperada antes que se for de longo prazo, cuja mensagem ficará armazenada durante mais tempo.
  3. Recuperação: essa fase da memória consiste em extrair as informações que foram previamente dotadas de significado e armazenadas, ou seja, recuperamos as informações que estão guardadas em nossa lembrança.

Tipos de memória humana

Os tipos de memória humana são agrupados dicotomicamente de acordo com suas características. Os tipos de memória dependem da variável utilizada para fazer a classificação. As classificações mais frequentes são agrupamento de memória em função da temporalidade, o formato de codificação e a memória em função do tipo de informações armazenadas.

Os tipos de memória em função de sua temporalidade referem-se à memória de curto prazo (MCP) e à memória de longo prazo (MLP). Elas se diferenciam nas fases de armazenamento e recuperação, onde a memória de curto prazo é armazenada e recuperada durante um curto período de tempo, enquanto a memória à longo prazo se sustenta no tempo.

Por outro lado, podemos encontrar diferentes tipos de memória em função do formato de codificação da informação, entre a memória sensorial e a memória verbal. Na memória sensorial a informação recebida é codificada e compreendida através dos sentidos, referindo-se, assim, à memória visual, olfativa, auditiva e viso-espacial. No outro polo, encontramos a memória verbal, que codifica a informação em forma de palavras, orais ou escritas.

Finalmente, outro agrupamento dos tipos de memória é sustentado segundo o tipo de informação de aprendizagem, dando lugar à memória episódica, a semântica e a processual.

  • Memória episódica: refere-se à lembrança de acontecimentos específicos, como lembrar o que fizemos ontem ou o que comemos à noite. O conteúdo da informação armazenada é pessoal e/ou biográfico, por isso também é conhecida como memória biográfica.
  • Memória semântica: seu conteúdo é o conhecimento armazenado sobre fatos e conceitos, de caráter cultural ou sobre conhecimentos do mundo, bem como a compreensão do significado das palavras e do vocabulário. Por exemplo, uma lembrança semântica seria lembrar em que ano a Segunda Guerra Mundial terminou.
  • Memória processual: corresponde ao armazenamento de nossas habilidades e destrezas, por exemplo, depois que aprendemos a andar de bicicleta nunca mais esquecemos ou de amarrar os sapatos.

Memória sensorial

Na memória sensorial recebemos estímulos externos percebidos através de nossos sentidos. No entanto, a informação codificada desses inputs externos mantém uma curta duração de armazenamento. Em seguida, é eliminada, esquecida ou é transmitida para outros tipos de memória que permitam que seu armazenamento dure mais tempo. Assim, seu funcionamento é transitório, para ser armazenada posteriormente no sistema de memória de curto ou longo prazo.

A memória sensorial é aquela que nos permite acompanhar a sequência de um filme, ler um livro ou manter uma conversa, um conjunto de ações automáticas relacionadas com esse tipo de memória. A memória sensorial recebeu sua divisão em memória icônica, háptica e ecoica.

  • Memória icônica: esse tipo de memória sensorial registra a informação proveniente do sentido da visão, retendo as imagens associadas a um determinado objeto durante um curto período de tempo.
  • Memória háptica: assim como a memória icônica refere-se aos inputs visuais, a memória háptica processa os estímulos provenientes do sentido do tato, registrando inputs que se referem à dor, coceira ou calor, entre outros. Sabe-se que sua retenção é mais durável que a da memória icônica.
  • Memória ecoica: esse tipo de memória é muito poderoso e refere-se à informação percebida pelo ouvido. Seu armazenamento é de curta duração, como na memória icônica, e é muito importante pois nos permite compreender a linguagem e poder manter uma conversa.

Memória de trabalho

A memória de trabalho também é conhecida como memória operacional. Esse tipo de memória refere-se ao mecanismo que nos permite armazenar e manipular a informação guardada, além de associar a informação armazenada com outras ideias que entram com novos inputs. De modo que, opera nas ações cognitivas mais complexas, como a compreensão da linguagem e a leitura, o aprendizado ou raciocínio, o planejamento ou as habilidades lógico-matemáticas. A informação armazenada na memória de trabalho está abaixo da memória de curto prazo. No entanto, embora seu armazenamento seja de curta duração, está em atualização permanente. Se você deseja estimular essa capacidade cognitiva, você pode realizar jogos para melhorar a memória.

Memória de curto prazo

A memória de curto prazo é concebida como um tipo de memória com capacidade limitada em sua retenção da informação armazenada, ou seja, os inputs que recebemos são retidos durante um breve período de tempo, que não passa de 30-40 segundos. A memória de curto prazo tem a capacidade de lembrar de 6-7 itens e, como já comentamos, eles serão retidos em um breve espaço temporal. No entanto, se a informação for repetida ou manipulada, pode ser armazenada em outro tipo de memória, como na memória de longo prazo. Essa é a memória mais suscetível à deterioração, mas também existem estratégias para melhorar a memória de curto prazo.

Memória de longo prazo

Como comentamos anteriormente, a dicotomia da memória de curto prazo e longo prazo se diferenciam em sua temporalidade, sendo a memória de longo prazo compreendida como o tipo de memória que tem a capacidade de codificar e reter a informação durante um período de tempo mais extenso, podendo ser mantida em uma temporalidade de segundos até de anos. As memórias episódicas, semânticas e/ou processuais, expostas anteriormente, são mantidas na memória de longo prazo, nos permitindo que, com o tempo, possamos lembrar de fatos próprios, culturais ou habilidades, que seriam alguns exemplos de memória de longo prazo.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Tipos de memória humana, recomendamos que entre na nossa categoria de Neuropsicologia.

Bibliografia
  • Aguado-Aguilar, L (2001). Aprendizaje y memoria. Rev. Neurolo, 32, 372-381.
  • Areiza, R & Henao, L.M. (2015). Memoria a largo plazo y comprensión lectora. Ciencias humanas, 18, 12.
  • Arteaga, G. y Pimienta, H. (2006). Memoria operativa y circuitos corticales. Rev Fac Med Univ Nac Colomb, 54, 248-268.
  • Gramunt, N. (2001). Normalización y validación de un test de memoria en envejecimiento normal, deterioro cognitivo leve y enfermedad de Alzheimer. Facultad de Psicología, Ciencias de la Educación y del Deporte, Blanquerna. Universidad Ramón Llull. 302 pág.

Escrever comentário sobre Tipos de memória humana

O que lhe pareceu o artigo?

Tipos de memória humana
Tipos de memória humana

Voltar ao topo da página