Partilhar

Neurotransmissores: tipos, função e classificação

 
Por Marissa Glover, Psicóloga. Atualizado: 29 julho 2019
Neurotransmissores: tipos, função e classificação

Graças ao funcionamento do nosso sistema nervoso, podemos ter consciência do nosso mundo interno e externo, conseguimos aprender e atribuir um significado a tudo o que nos acontece, o que vemos, podemos aprender e executar essas aprendizagens de forma eficaz. O sistema nervoso se encarrega de coordenar e integrar todas as atividades dos distintos sistemas do nosso corpo. Quando falamos de neurotransmissores, falamos de substâncias químicas geradas pelo corpo que se encarregam de emitir sinais (informação) de um neurônio a outro através de um processo chamado de sinapse. O neurotransmissor é liberado através das vesículas mediante um impulso nervoso, depois atravessa o que é conhecido como o espaço pré-sináptico para, finalmente, interagir com o neurônio pós-sináptico modificando o seu potencial de ação, provocado determinada resposta fisiológica.

Neste artigo de Psicologia-Online, explicaremos o que são neurotransmissores: tipos, função e classificação.

O que são neurotransmissores

Os neurotransmissores são biomoléculas que se encarregam de transmitir a informação de um neurônio para outro que se encontram unidos através de uma sinapse (união intercelular que se encarrega da transmissão da informação entre uma célula e outra através de impulsos elétricos), na qual o neurônio pré-sináptico é o que se encarrega de emitir a informação, e o neurônio pós-sináptico de recebê-la.

Neurotransmissores: tipos, função e classificação - O que são neurotransmissores

Função dos neurotransmissores

A função principal dos neurotransmissores é inibir ou excitar a atividade da célula pós-sináptica, ou seja, dependendo do tipo de receptor, os neurotransmissores podem potenciar ou diminuir o seu funcionamento. É importante mencionar que o efeito que os neurotransmissores exercem nos neurônios pode ser a curto prazo (durante poucos segundos) ou a longo prazo (durante meses e até anos).

As investigações que se realizam sobre os neurotransmissores são muito importantes, já que graças a elas podemos conhecer mais sobre vários dos processos cognitivos superiores nos quais estão implicados, por exemplo, a memória, o pensamento, a atenção, a linguagem, a aprendizagem, etc.

Tipos de neurotransmissores

1. Dopamina

A dopamina é um dos tipos de neurotransmissores mais populares, uma vez que está relacionada com a sensação de bem-estar, prazer e relaxamento. A dopamina tem origem numa zona do cérebro conhecida como substância negra e cumpre uma função muito importante no controle do nosso sistema músculo-esquelético, pelo que coordena o movimento.

Por ser também essencial para o correto funcionamento do sistema nervoso central, desempenha um papel chave no comportamento humano, é por isso que é conhecido como o neurotransmisor da felicidade.

Outra das funções importantes que este tipo de neurotransmissor cumpre é que, ao produzir um efeito despolarizador nos neurônios, faz com que exista uma excelente comunicação entre eles, o que favorece a aprendizagem, a atenção e a memória. Saiba mais sobre o que é dopamina e para que serve nesse outro artigo de Psicologia-Online.

2. Serotonina

Este tipo de neurotransmissor também cumpre uma função como hormônio.Se encontra localizado em diferentes seções do sistema nervoso central e a sua função principal é regular a atividade de outros neurotransmissores.

A serotonina está diretamente implicada em diversos processos como a digestão, a regulação dos níveis de ansiedade e estresse, a regulação térmica corporal, o sono, o apetite, o estado de humor e o desejo sexual.

Você pode ver mais informação no artigo O que é serotonina e para que serve.

3. Noradrenalina

Este tipo de neurotransmissor também é conhecido como o hormônio do estresse e, assim como a serotonina, cumpre uma função dupla (neurotransmissor e hormônio). A noradrenalina se encarrega de ativar o sistema nervoso simpático e se associa com a frequência cardíaca e certos processos encarregues da atenção e da produção de uma resposta ao estresse.

4. Adrenalina

Este neurotransmissor, que é muito similar à noradrenalina, se encarrega de desenvolver mecanismos de sobrevivência quando nos encontramos em perigo real ou até imaginário. Também cumpre algumas reações fisiológicas como a respiração e a pressão arterial.

5. Glutamato

É o principal neurotransmissor excitatório do sistema nervoso central. O glutamato está relacionado com o neurotransmissor GABA e tem um papel muito importante nos processos de memória e sua recuperação, entre outros processos mentais.

6. Ácido gama-aminobutírico (GABA)

Este tipo de neurotransmissor se encarrega de deter ou inibir a ação de alguns neurotransmissores excitatórios. O objetivo dessa ação é evitar que tenhamos certas reações de medo e ansiedade exagerados e que apenas provocam mal-estar.

7. Acetilcolina

Este neurotransmissor se encontra em diferentes zonas do sistema nervoso central, na sinapse de glândulas e em músculos. Se encarrega de estimular os músculos, ativar os neurônios motores, favorecer os processos de memória e associação e ainda o sono e a vigília.

Classificação dos neurotransmissores

A classificação dos neurotransmissores é a seguinte:

  • Aminoácidos: são compostos orgânicos que representam uma grande quantidade de funções do organismo e que se combinam para formar proteínas. Se encarregam, basicamente, de manter a energia e o oxigênio, pelo qual são consideradas essenciais para o processamento do metabolismo.
  • Purinas: são compostos químicos que se encarregam, principalmente, de transportar informação atuando como mensageiros químicos.
  • Gasotransmissores: são um dos compostos químicos mais importantes, já que realizam múltiplas funções como, por exemplo, ser o maior composto vasodilatador de todo o organismo.
  • Peptídeos: se encontram distribuídos por toda a membrana que cobre o encéfalo e se encarregam de emitir uma resposta para o exterior.
  • Acetilcolina: a acetilcolina é o único neurotransmissor da sua classe, sendo do tipo excitatório e executando, em algumas ocasiões, alguma função inibidora.
Neurotransmissores: tipos, função e classificação - Classificação dos neurotransmissores

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Neurotransmissores: tipos, função e classificação, recomendamos que entre na nossa categoria de Neuropsicologia.

Bibliografia
  • Gomes, T., & Silva, T. (2005). Fisiología del sistema nervioso autónomo (SNA). Hospital del Mar–Esperanza. Disponível em: http://www.scartd.org/arxius/fisio_sna05.pdf
  • Martinez, C. M. (2018, 26 junio). Tipos de Neurotransmisores: Cuando la química no te deja sentirte bien. Acessado em 26 de dezembro, 2018. Disponível em: https://blog.cognifit.com/es/tipos-de-neurotransmisores/
  • Clasificación de Neurotransmisores. (2018, 12 marzo). Acessado em 26 de dezembro, 2018. Disponível em: https://www.clasificacionde.org/clasificacion-de-neurotransmisores/

Escrever comentário sobre Neurotransmissores: tipos, função e classificação

O que lhe pareceu o artigo?

Neurotransmissores: tipos, função e classificação
1 de 3
Neurotransmissores: tipos, função e classificação

Voltar ao topo da página