Partilhar

Diferença entre dopamina e serotonina

Diferença entre dopamina e serotonina

Você nunca parou para pensar como funciona o nosso cérebro? É impressionante observar que as pequenas substâncias que se encontram no nosso cérebro são responsáveis pelas nossas ações e pelo nosso bem-estar.

A dopamina e a serotonina são dois dos muitos neurotransmissores que se encontram no nosso sistema nervoso. A dopamina foi reconhecida como o neurotransmissor do prazer, enquanto que a serotonina se associa à hormona da felicidade.

Esses dois pequenos neurotransmissores possuem numerosas funções no nosso organismo. Você quer saber quais são? Continue lendo esse artigo de Psicologia-Online onde explicaremos as diferenças entre dopamina e serotonina, o que são e que funções têm.

Também lhe pode interessar: O que é serotonina e para que serve

O que é dopamina

A dopamina é um transportador químico do nosso sistema nervoso central, ou seja, um neurotransmissor. Os neurotransmissores têm a função de conectar os neurônios entre eles, para que possam ser transmitidos os sinais elétricos. A dopamina é liberada pelos neurônios dopaminérgicos, sendo sintetizada pelo aminoácido tirosina. Pode ser encontrada principalmente na substância negra do cérebro e, a partir desse ponto de partida, libera-se pelas diferentes vidas que ativarão determinadas funções.

Este neurotransmissor ativa cinco recetores celulares (do D1 ao D5) e a sua ativação dá lugar às diferentes funções da dopamina no nosso organismo. Embora geralmente seja conhecida como o neurotransmissor vinculado às sensações de prazer e como ativador dos sistemas de recompensa, a dopamina tem uma grande influência no funcionamento global do cérebro, tendo implicação nos processos emocionais, cognitivos e afetivos. Além de estar vinculada à sensação de prazer, entre as suas funções também encontramos implicação na motivação, na coordenação de movimentos, na toma de decisões, na aprendizagem, na emotividade e na afetividade.

Diferença entre dopamina e serotonina - O que é dopamina

Dopamina: para que serve

A dopamina é um dos neurotransmissores mais importantes do cérebro e, por isso, se vê implicada em várias funções. A sua implicação em múltiplas funções se deve ao fato que esse neurotransmissor se encontra distribuído pelas diferentes regiões cerebrais, permitindo a sua ação em múltiplas funções com atividades muito diferentes, tais como:

  1. O movimento: a dopamina está implicada na produção dos movimentos motores e, por isso, os níveis ótimos dessa substância são necessários para o funcionamento motor. Um défice de dopamina noa gânglios basais, os quais permitem o movimento, evidenciaria o mal de Parkinson, assim como uma hiperatividade de dopamina pode produzir transtornos hipercinéticos, como os tiques nervosos.
  2. Processos cognitivos (memória, atenção e aprendizagem): a presença dessa substância no hipocampo e no córtex cerebral produz uma implicação na memória, a atenção e a aprendizagem. É por isso que, na presença de um défice de dopamina no nosso organismo, a pessoa pode experienciar uma deterioração da memória, de atenção ou dos processos de aprendizagem. É conhecido que pessoas com transtorno de défice de atenção possuem níveis inferiores de dopamina no córtex pré-frontal.
  3. Sensação de prazer: a obtenção de prazer ou de recompensa é, possivelmente, a função mais conhecida da dopamina. A substância também é segregada pelo sistema límbico, o qual permite que possamos experienciar sensações de prazer. Quando fazemos uma atividade que nos agrada, existe um incremento na liberação de dopamina, o que faz com que obtenhamos sensações de prazer e de recompensa. Do mesmo modo, existem substâncias como as drogas ou a comida e ações como o sexo que aumentam a secreção de dopamina e, por isso, existe um abuso das mesmas. Algumas drogas como a cocaína ou las anfetaminas inibem a função do organismo sobre a reabsorção da dopamina, comportando assim uma concentração de dopamina mais elevada no nosso corpo, o que causa uma maior sensação de prazer e uma crescente possibilidade de adição.
  4. Toma de decisões: se encontram elevadas quantidades de dopamina no córtex pré-frontal do cérebro, o qual se encarrega das funções executivas. Por esse motivo, um défice da substância nessa região provoca um aplanamento cognitivo, como ocorre na esquizofrenia, onde a pessoa perde a capacidade de reagir perante inputs externos, gerando grandes dificuldades na toma de decisões.
  5. Regulação do sono: a dopamina se encarrega de dizer-nos que temos sono quando passamos muitas horas sem dormir, devido à sua implicação no ritmo circadiano, com a liberação de melatonina. Por esse motivo, se encontra implicada na regulação do sono.

O que é serotonina

A serotonina, assim como a dopamina, é um neurotransmissor do nosso sistema nervoso, conhecido químicamente como 5-HT, que se encontra principalmente no cérebro, nos intestinos e nas plaquetas do sangue.

Esse hormônio é popularmente conhecido como o hormônio da felicidade, devido à sua implicação nas emoções e no estado de humor. Junto com outros neurotransmissores como a dopamina e a adrenalina, regula o nosso estado de espírito. No entanto, também tem implicação no controle do apetite, como precursor da melatonina contribui para regular o ciclo sono-vigília e intervém na libido e no desejo sexual, entre outras funções.

Diferença entre dopamina e serotonina - O que é serotonina

Serotonina: função

Como a dopamina, a serotonina se encontra em diferentes regiões do nosso cérebro, causando assim a sua implicação em diferentes ações. Por esse motivo, é muito importante manter níveis adequados e equilibrados desse hormônio no nosso organismo. Vejamos quais são as funções da serotonina mais representativas:

  1. Implicação na digestão: no estômago e no intestino, é possível encontrar elevadas quantidades de serotonina, o que faz com que se veja implicada no control da função do intestino e dos seus movimentos. Os níveis elevados desse hormônio no intestino estão relacionados com o aparecimento de diarreias, enquanto que o seu défice se vincula à prisão de ventre. A sua atividade nessa região do organismo também está relacionada com o aumento ou diminuição do apetite.
  2. Regulação do humor: a serotonina é conhecida como o hormônio da felicidade porque afeta o humor, o aparecimento da ansiedade e da felicidade. Por esse motivo, os baixos níveis de serotonina foram relacionados com o aparecimento da depressão e as drogas ilegais que aumentam os seus níveis, como o ecstasy ou o LSD, provocam uma alteração no humor.
  3. Função sexual: a serotonina tem uma grande implicação no desejo sexual. Perante níveis baixos de serotonina, surge um aumento do desejo, enquanto que os níveis altos se associam à inibição do mesmo.
  4. Regulação do sono: como a dopamina, esse hormônio cumpre a sua função na regulação do sono devido à sua implicação no ritmo circadiano e controle sobre a secreção de melatonina.
  5. Temperatura corporal: a serotonina ajuda a regular a nossa temperatura corporal, realizando funções de manutenção sobre a temperatura. Esta função é muito importante, já que a variação de poucos graus da nossa temperatura corporal pode levar à morte de muitos tecidos celulares do nosso organismo.

Dopamina e serotonina: diferença

A serotonina e a dopamina, como neurotransmissores encontrados no nosso organismo, possuem um papel fundamental no nosso bem-estar e, mesmo que desempenham funções semelhantes, possuem várias diferenças entre elas:

1. A produção

A primeira diferença que deve ser estabelecida entre ambos neurotransmissores é a sua sintetização. A serotonina é sintetizada a partir do aminoácido triptófano, enquanto que a dopamina se sintetiza a partir da tirosina.

2. Estados emocionais

A dopamina tem um papel importante nas emoções enérgicas tais como a motivação, o prazer a excitação ou a euforia, enquanto que a serotonina possui o papel contrário, produzindo sensações de calma, e por isso um défice desse hormônio está relacionado com o aparecimento de ansiedade e depressão.

3. Prazer e felicidade

Embora a presença desses neurotransmissores no nosso organismo libere sensações positivas, a dopamina foi associada a sensações de prazer, enquanto que a serotonina foi relacionada com a felicidade.

4. Níveis baixos

Existe diferenças entre ambas nas consequências que se verificam no nosso organismo perante um défice das ditas substâncias. Na presença de um défice de dopamina, ocorrem alterações na memória, na aprendizagem e na concentração, no movimento e inibição do desejo sexual. Já os défices serotoninérgicos causam irritabilidade, insônia e una alta sensibilidade à dor.

5. Função corporal

Embora se tenha assinalado que os dois neurotransmissores possuem uma implicação nos movimentos corporais, o défice de dopamina foi claramente relacionado com o aparecimento de rigidez nas extremidades ou o aparecimento do mal de Parkinson, enquanto que o papel da serotonina no movimento corporal não foi definido.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Diferença entre dopamina e serotonina, recomendamos que entre na nossa categoria de Neuropsicologia.

Bibliografia
  • Bahena-Trujillo, R., Flores, G., & Arias-Montaño, J. A. (2000). Dopamina: síntesis, liberación y receptores en el Sistema Nervioso Central. Revista Biomédica, 11(1), 39-60.
  • Delgado J.M., Ferrús A., Mora F & Rubia F.J. (1997). Manual de Neurociencia. Madrid: Síntesis.
  • Estevinho, M. F., & Soares-Fortunato, J. M. (2003). Dopamina e receptores. Revista Portuguesa de Psicossomática, 5(1).
  • Lacasse, J. R., & Leo, J. (2006). Serotonina y Depresión: Una Desconexión Entre la Publicidad y Literature Cíentifica. College of Social Work Faculty Publications, 43.
  • Pedraza, C., Navarro, J., & García, F. (2005). Implicación de la dopamina en los procesos cognitivos del aprendizaje y la memoria. Psiquiatría biológica, 12(6), 232-236.
  • Rivera, J & Haddad, J. Serotonina y síndrome. Rev. Med Hond, 32,6.
  • Trueta, C., & Cercós, M. G. (2012). Regulación de la liberación de serotonina en distintos compartimientos neuronales. Salud mental, 35(5), 435-443.
  • Vargas-Barahona, L. M. (2007). Enfermedad de Parkinson y la Dopamina. BUN Synapsis, 2(2), 11-15.

Escrever comentário sobre Diferença entre dopamina e serotonina

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
A sua avaliação:
Sandrine
serotonina e dopamina onde encontrar?

Diferença entre dopamina e serotonina
1 de 3
Diferença entre dopamina e serotonina

Voltar ao topo da página