Transtornos emocionais e de comportamento

Ansiedade na adolescência: razões e como tratar

 
Francielle Bechtold
Por Francielle Bechtold. 1 julho 2022
Ansiedade na adolescência: razões e como tratar

A ansiedade afeta cerca de 3,6% da população mundial de acordo com a OMS[1]. Dentro destes números, boa parte são adolescentes que enfrentam dificuldades em vivenciar essa fase de crescimento da vida, uma vez que é um momento repleto de descobertas e tomadas de decisão.

Portanto, a ansiedade na adolescência apesar de ser bastante característica devido às inúmeras mudanças que o adolescente vive, também é difícil de ser percebida pelos pais, uma vez que, os comportamentos ansiosos podem ser confundidos com comportamentos típicos da adolescência.

No artigo de hoje de Psicologia-Online nós vamos falar tudo sobre o assunto, ansiedade na adolescência: razões e como tratar. Esse será um guia completo para entender a ansiedade, os seus principais sintomas, as causas e as melhores formas de tratamento. Acompanhe!

Índice
  1. O que é ansiedade na adolescência
  2. Ansiedade entre jovens: sintomas
  3. Causas da ansiedade na adolescência
  4. Tratamento para ansiedade na adolescência

O que é ansiedade na adolescência

A ansiedade é um mecanismo de defesa do nosso organismo. É ela a responsável por acionar o sinal de alerta quando estamos em perigo. No entanto, quando a ansiedade passa a níveis patológicos, é ela que nos faz evitar situações corriqueiras por medos e pensamentos infundados.

A ansiedade é comumente vista pelo seu lado negativo, quando seus sintomas prejudicam a vida do sujeito. Na adolescência, os sinais da ansiedade podem facilmente ser confundidos com características marcantes dessa fase da vida. Portanto, é importante que os pais conheçam o tema e estejam preparados para intervir sempre que necessário.

Vale ressaltar que todos nós vivemos sentimentos de ansiedade em algum momento da vida, mas isso não significa que tenhamos transtorno de ansiedade. Um diagnóstico correto, bem como seu tratamento, deve sempre ser feito por um psicólogo.

A ansiedade pode se desenvolver entre os jovens por diferentes motivos, e se não percebida e tratada, pode vir a desenvolver outros transtornos psicológicos como a depressão levando, inclusive, à casos de suicídio. Portanto, fique atento aos sinais apontados nesse texto, e ao menor sinal de alerta, busque ajuda profissional!

Ansiedade entre jovens: sintomas

Os sintomas de ansiedade entre os jovens são muito semelhantes aos sintomas em qualquer faixa etária, no entanto, também são similares a características da adolescência.

A adolescência é um período onde o jovem está aprendendo a se relacionar com o mundo de outra forma, é um período importante de transição entre a criança e a vida adulta. É nesse período que os sinais de inteligência emocional são fortemente estabelecidos e percebidos.

Nesse período os jovens estão comumente procurando pertencer a grupos, serem aceitos pelo próximo, tem seus primeiros relacionamentos amorosos, começam a pensar no futuro, começam a sentir a pressão das responsabilidades, muitos já entram no mercado de trabalho, e passam a tomar decisões cada vez mais importantes. Certamente que todas essas situações geram ansiedade nos adolescentes, no entanto, isso não significa que deva existir um transtorno de ansiedade.

Para saber identificar os sinais de alerta para o desenvolvimento do transtorno de ansiedade, observe os principais sintomas:

  • Perda de interesse por todas as atividades;
  • Falta de vontade para desenvolver hobbies;
  • Preocupação constante com o futuro;
  • Dificuldade nos relacionamentos sociais;
  • Problemas alimentares (falta de apetite ou apetite excessivo);
  • Fadiga;
  • Insônia ou dormir em excesso;
  • Roer as unhas;
  • Arrancar os cabelos;
  • Baixa autoestima;
  • Dificuldade de concentração (refletindo em notas baixas na escola);
  • Sentimento de tristeza constante.

Como é possível observar, muitas dessas características são também típicas da adolescência, portanto, é fundamental que os pais estejam cada vez mais presentes e observadores com os comportamentos do adolescente nessa fase da vida.

Causas da ansiedade na adolescência

Como sabemos, a adolescência é um período marcado pela transição da criança para a vida adulta. É nessa fase que inúmeras responsabilidades caem sobre o adolescente. Agora ele já é responsável pelos próprios atos e rapidamente passam a cobrar situações e comportamentos totalmente diferentes da fase de criança.

Essa é uma fase repleta de confusão e mudanças que, se não compreendidas adequadamente, podem gerar muito estresse, transtornos de ansiedade e depressão.

As causas da ansiedade entre jovens podem ser muitas:

  • Preocupação com a aparência;
  • Dificuldade em pertencer a grupos sociais;
  • Decepções amorosas e/ou dificuldades nestes relacionamentos;
  • Preocupação com o futuro profissional;
  • Crises de identidade;
  • Descobrimento do corpo como um todo, suas limitações e desejos;
  • Vivências de bullying;
  • Problemas familiares (separação dos pais, brigas, e ambiente familiar desestruturado);
  • Ansiedade frente às mudanças necessárias (cidade, escola).

Além disso, as causas também podem estar relacionadas com problemas familiares e genéticos. Portanto, um adolescente que vive com pais ansiosos, sempre preocupados com o futuro, com as finanças e as necessidades do lar, pode desenvolver ansiedade mais facilmente.

A ansiedade pode afetar os adolescentes em maior ou menor grau, no entanto, ela deve sempre ser reconhecida e tratada, uma vez que pode desencadear depressão, que é hoje uma das grandes causas de suicídio na adolescência.

Tratamento para ansiedade na adolescência

A ansiedade entre os jovens apresenta sintomas bastante característicos da ansiedade geral, e portanto, as formas de tratamento são as mesmas. Ou seja, é necessário um acompanhamento psicoterapêutico e, por vezes, a introdução de medicamentos para os casos mais graves.

No entanto, nessa fase, os jovens precisam especialmente do apoio e amparo dos pais, por isso é extremamente importante que os pais reconheçam as suas necessidades emocionais e estejam preparados para supri-las. Uma boa prática é buscarem formas de estarem mais envolvidos na vida um do outro, e construírem momentos saudáveis de lazer em conjunto.

Para isso, temos algumas sugestões:

  • Pratiquem algum esporte: muitos adolescentes podem não gostar de praticar esportes devido ao desconforto que sentem em relação ao seu corpo nessa fase. Portanto, sugira atividades que possam fazer juntos dentro de casa, ou uma caminhada, por exemplo. Além disso, a prática de exercícios físicos é fundamental para os adolescentes.
  • Conversem muito: ter um espaço para conversarem, um ambiente familiar saudável fará toda a diferença na vida do adolescente. Para isso estejam abertos a ouvir sem julgar, entender as necessidades e buscar compreender a fundo as queixas e necessidades do adolescente. Muitas vezes, a única coisa que o adolescente precisa é sentir que é ouvido e compreendido.
  • Marquem presença: muitas crianças e adolescentes sentem falta dos pais, seja por trabalharem fora durante todo o dia, ou por viverem em casas separadas. Porém, é fato que, a presença dos pais faz toda a diferença na vida de um sujeito, por isso, marquem presença de verdade.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Ansiedade na adolescência: razões e como tratar, recomendamos que entre na nossa categoria de Transtornos emocionais e de comportamento.

Referências

[1] ONU News. 2022. Saúde mental. Disponível em: <https://news.un.org/pt/tags/saude-mental> Acesso em 9 de junho de 2022.

Bibliografia

Renata Ribeiro Alves Barboza Vianna; et. al. 2009. Transtornos de ansiedade na infância e adolescência: uma revisão. Pepsic. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s1808-56872009000100005> Acesso em 9 de junho de 2022.

Escrever comentário
O que lhe pareceu o artigo?
Ansiedade na adolescência: razões e como tratar