Partilhar

Causas emocionais das doenças

Causas emocionais das doenças

O homem é, por natureza própria, uma unidade bio-psico-espiritual. Unidade integral de corpo, mente e espírito na qual o que acontece em cada uma dessas dimensões se repercute nas outras. O homem é um ser corporal, esta é uma realidade fácil de constatar. O nosso corpo tem exigências físicas e necessidades associadas a esta dimensão que não podem ser ignoradas: respiração, alimento, bebida, abrigo e outras necessidades que permitem o bem-estar. Claro que o biológico não explica tudo o que somos. Se continuamos avançando na nossa própria experiência como pessoas, concluímos que a nossa relação com o mundo transcende este nível, assim chegamos a descobrir que possuímos uma dimensão psicológica. Esta dimensão também tem os seus próprios requerimentos ou necessidades. Nesse artigo de Psicologia-Online, explicaremos a relação entre as doenças e as emoções: Causas emocionais das doenças.

Também lhe pode interessar: A roda das emoções de Robert Plutchik

Doenças emocionais

A maioria de nós escutou, em algum momento, o nosso médico, algum amigou ou um colega de trabalho perguntar se estamos mais estressados ultimamente. O conselho seguinte sempre é "você precisa relaxar um pouco mais, tome esse chá que é ótimo para a sua saúde, recomendo esse medicamento que ajudam a relaxar o seu sistema nervoso". Recebemos um arsenal de opções para restaurar a nossa saúde e, de certa forma, isso tem certa parte de verdade mas, ao mesmo tempo, mascara uma parte essencial da sua verdadeira causa e dimensão psicológica.

Para alcançar um discernimento melhor de todas estas opções que nos são oferecidas diariamente, é importante ter uma definição prévia de "emoção" e a que corresponde experienciá-la.

Definição de emoção

Essas são algumas definições de "emoção" de alguns autores implicados no tema:

Segundo Daniel Goleman (1995), as emoções são impulsos para a ação. De fato, segundo Sigmund Freud (1901), a emoção contém dois elementos distintos: por um lado, as descargas de energia física, por outro lado, sentimentos (percepções das ações motrizes que se produzem e sentimentos de prazer ou desagrado que dão as características essenciais a cada emoção). Quando a energia instintiva que reside no subconsciente é alta, existe necessidade de descarregá-la e conduzi-la a um nível normal. Se a descarga não se produz através dos canais apropriados (o comportamento sexual), são usadas as válvulas de segurança, ou seja, as emoções.

A concentração unilateral de energia dificulta o livre curso de ideias até que ocorra uma descarga da excitação através de ações motoras. Contudo, se a descarga da excitação não ocorre, se produzem reações anómalas, uma das quais é a conversão.

Explicado de uma forma mais simples, Goleman abre o caminho para a representação das implicações físicas ou motrizes das emoções (a execução de determinada ação). Aludir a Freud abre o caminho para o fato de que não executar determinada ação das emoções afeta o corpo com doenças físicas (a conversão). Por exemplo, alguns dos sintomas da conversão podem ser os seguintes:

  • Cegueira.
  • Surdez.
  • Incapacidade para falar
  • Paralisia localizada.
  • Hemiparesia.
  • Alergias.
  • Erupções cutâneas.
  • Tremores.
  • Parestesias.
  • Dores localizadas.

É surpreendente como uma emoção que não foi descarregada pela sua vida natural e no seu momento adequado pode se transformar em doença emocional (por exemplo, um transtorno mental como o transtorno depressivo, de ansiedade ou um transtorno por fatores de estresse).

Posteriormente, as doenças emocionais acabam se repercutindo gravemente no corpo como expôs o psicólogo Robert Ader (1990) em sua investigação da psiconeuroimunologia (PNI), referindo que existe uma sobre-ativação dos sistemas imunológico, neuroendócrino e nervoso pela cronicidade de uma emoção. Por exemplo, o estresse está relacionado com a ativação do eixo hipotalâmico-hipofisário-suprarrenal (HHS). Embora a ativação desse eixo represente uma resposta corporal normal do estresse, dirigida a manter a estabilidade conhecida como homeostase, a ativação mantida a longo prazo pode ter efeitos perigosos, aumentando o risco de algumas doenças físicas, sobretudo as provocadas por um desequilíbrio do cortisol e da tireoide.

Dicionário de causas emocionais das doenças

Em seguida, apresentamos algumas das doenças que podem ser influenciadas por uma causa emocional segundo Joan Marc Vilanova i Pujó, que recompilou no Dicionário bio-emocional (2016) propostas sobre a bio-descodificação e bio-neuro-emoção (ou, em termos mais simples, as causas emocionais das doenças):

  • Surdez. Estão originadas por um conflito de separação ou por sentir-se agredida(o). O que me dizem ou o que escuto agride o que penso ou sinto. Quero separar-me dessas palavras injuriosas e que me incomodam na compreensão da minha vida. A surdez também representa para Marc uma negativa que pode ser proveniente de escutar alguém há muito tempo atrás.
  • Incapacidade para escutar (afonia). Este problema apresenta-se depois de um choque afetivo que sacode a sensibilidade da pessoa, que logo se força demasiado para falar, mesmo quando não expressa tudo o que seu coração deseja dizer. Este esforço excessivo cria angústia e deixa um vazio. Finalmente, os sons acabam por extinguir-se.
  • Paralisia. Frequentemente relacionada com a fuga porque tem um medo que me paraliza. A paralisia apresenta-se em pessoas que vivem uma situação demasiado difícil e da qual querem escapar, ou seja, querem evitar essa situação ou uma pessoa determinada. É o meio ideal para conseguir ajuda e que outro se encarregue de tudo. Dessa forma, não precisam enfrentar a situação ou a pessoa indesejada sozinhas.
  • Alergias. Frequentemente relacionadas com a ira ou frustração frente a uma pessoa ou evento associado ao produto que provoca a alergia. O sentido biológico da alergia é de colocar a pessoa a salvo em relação ao "agressor".
  • Dores em geral. Segundo este autor e as teorias que segue, a dor está relacionada com o sentimento de culpa.

A dor e as emoções

A manifestação das emoções no corpo é algo mais estudado e debatido, mas saber identificar com que emoções cada uma delas está relacionada causa muitas dúvidas no momento da sua exploração clínica.

Reações do corpo às emoções

Em seguida, apresentamos algumas manifestações de dor físico e sua relação emocional correspondente:

  • As dores nos ombros e nas costas estão relacionadas com as cargas emocionais como a culpa e a vergonha. Nesses casos, pode existir uma comorbilidade com alguma condição da pele como síndrome de Addison ou vitiligo.
  • A dor no peito está relacionada com emoções de tristeza, temor e aflição.
  • As dores nas mãos e pulsos se relacionam com o isolamento onde predominam emoções de tristeza, medo, ressentimento, incerteza e cautela.
  • As dores no pescoço estão relacionadas com a falta de perdão que, frequentemente, se apresentam de forma recorrente a algum tipo de alergia. Também estão associadas aos problemas na expressão emocional.
  • As dores de cabeça estão relacionadas com o estresse crônico ou elevado que pode surgir como resposta de adaptação à angústia, desespero ou medo.

Emoções e saúde

Perante grandes problemas econômicos, divórcios, problemas sociais ou estresse diário como a sobrecarga familiar, podemos sentir angústia, ansiedade e/ou tristeza. O nosso corpo reage e produz uma resposta de estrese que, a longo prazo, pode provocar alterações no nosso corpo e maus hábitos como alteração dos horários de sono ou consumo de algum tipo de substância que também prejudica a nossa saúde. No entanto, não são os acontecimentos estressantes em si que provocam os problemas, mas sim a forma de avaliar e enfrentá-los. Nem todas as pessoas interpretam o que acontece com elas da mesma forma.

Compreender as nossas próprias emoções e a sua repercussão psicológica e fisiológica permite que sejamos capazes de escutar e expressar sem amplificar ou subestimar tudo o que sentimos. O autoconhecimento e a atribuição de espaço para escutar as nossas emoções servem como métodos preventivos para muitas doenças. Em suma, é de vital importância que cada pessoa tenha o poder e o tempo para identificar as potenciais causas emocionais das doenças que estão prejudicando o próprio bem-estar.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Causas emocionais das doenças, recomendamos que entre na nossa categoria de Emoções.

Bibliografia
  • D. Goleman. (1995). La inteligencia emocional. Editorial Vergara. México D.F.
  • Freud, S. (1901). Psicopatología de la vida cotidiana. Alianza editorial. Madrid.
  • Ader, R. (1990). Psychoneuroimmunology. 2a edición. San Diego: Academic Press.
  • Vilanova i Pujó, J. M. (2013). Diccionario de biodecodificación. Barcelona.

Escrever comentário sobre Causas emocionais das doenças

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
A sua avaliação:
Miquelle
Conteúdo excelente. Realmente o emocional e subconsciente move nosso corpo e mente e é bem difícil controlar. Além de chá, meditação e ajuda profissional é mudança total.

Causas emocionais das doenças
Causas emocionais das doenças

Voltar ao topo da página