Partilhar

Inteligência existencial: características, exemplos e como desenvolvê-la

 
Por Sara Sanchis, Psicóloga especializada em Crescimento Pessoal. 16 setembro 2020
Inteligência existencial: características, exemplos e como desenvolvê-la

A inteligência existencial faz parte das inteligências múltiplas que o ser humano possui. Apesar de não ser incluída na conceptualização original da Teoria das Inteligências Múltiplas de Howard Gardner, para autores contemporâneos constitui mais uma inteligência no grupo de inteligências que definem o ser humano.

No seguinte artigo de Psicologia-Online, vamos explicar o que é a inteligência existencial, falaremos das inteligências múltiplas e exporemos as características fundamentais deste tipo de inteligência, dando exemplos e indicando atividades que favorecem seu desenvolvimento.

O que é a inteligência emocional

A inteligência existencial também é chamada de inteligência espiritual ou transcendental, e se refere à faceta do ser humano que o leva a se aprofundar em aspectos existenciais como quem somos, qual é o propósito da vida, o que ocorre depois da morte, etc. Contempla questões tratadas geralmente no âmbito da Filosofia, mas que na verdade, são questões inerentes a todo ser humano.

Em essência, o homem tem o anseio de responder a estas questões em diferentes momentos durante o transcorrer de sua vida. No entanto, ao longo do último século, nossas sociedades fomentaram valores totalmente opostos à espiritualidade (consumismo, individualismo, materialismo, etc.), deixando a inteligência existencial esquecida. Esta carência de valores espirituais está acarretando em grandes crises existenciais pessoais e sociais, que colocam em evidência a necessidade urgente de fomentar este tipo de inteligência na sociedade, para recuperar uma visão muito mais profunda sobre o ser humano e sobre a vida.

Características da inteligência existencial

A inteligência espiritual ou existencial é caracterizada por um alto nível de desenvolvimento do restante das inteligências, pois supõe o conhecimento profundo e a transcendência final das habilidades implicadas em todas elas. Algumas de suas características mais marcantes são:

  • Interesse por temas não mundanos: origem da vida e sentido da morte, propósito de nossa existência, etc.
  • Desinteresse pelas práticas sociais normalizadas: lazer, consumo, etc.
  • Transcendência do físico e experiência de união de todos os elementos do universo como um todo.
  • Capacidade de auto-observação e observação do entorno através de uma perspectiva profunda.
  • Defesa dos valores universais: paz, amor, sabedoria, bondade, verdade, harmonia, fraternidade, etc.
  • Atitudes em concordância com estes valores e afastado dos valores que deterioram a condição humana (egoísmo, inveja, usurpação, agressividade, etc.).
  • Interesse por conhecimentos e práticas espirituais.
  • Curiosidade permanente e necessidade de crescer em nível existencial.
  • Anseio de servir e ajudar os outros, transcendendo o egocentrismo.
  • Necessidade de cuidado pessoal (alimentação, exercício físico, hábitos saudáveis, etc.) por considerar o corpo como receptáculo da alma.

Exemplos de inteligência existencial

Como exemplos de manifestação da inteligência existencial poderíamos falar dos seguintes:

  • Diante de um ataque à integridade pessoal, responder com sobriedade, detendo a agressão de uma maneira firme e clara, mas sem violência.
  • No meio de um conflito, incentivar as pessoas envolvidas a questionar o ocorrido, suas causas e suas possíveis soluções, de uma perspectiva construtiva.
  • Atração por práticas e leituras espirituais.
  • Na hora de tomar decisões, necessidade de agir em consenso com o restante das pessoas implicadas.
  • Ações solidárias, respeitosas, cuidadosas, pacíficas, etc.

Atividades para desenvolver a inteligência existencial

A inteligência existencial está presente em todas e cada uma das pessoas. Da mesma forma que acontece com o resto das inteligências, existem certas predisposições genéticas e ambientais que favorecem o maior desenvolvimento de umas inteligências sobre outras. No entanto, todas e cada uma delas podem ser estimuladas utilizando as atividades que promovem o desenvolvimento concreto das diferentes inteligências.

No caso concreto da inteligência existencial, entre as atividades que favorecem seu desenvolvimento estão:

  • A contemplação ou meditação para ascender ao conhecimento profundo das coisas.
  • Cuidado corporal, através da alimentação saudável e exercícios, por considerá-lo receptáculo temporário da alma humana.
  • Diálogo socrático, para indagar sobre questões estabelecidas, ascendendo a novas possibilidades e verdades.
  • Práticas espirituais.
  • Fomento da ação solidária e fraternal, favorecendo os laços de união que existem entre todos os seres humanos.
  • A admiração, prática e cultivo da arte como meio de acessar outras realidades e verdades, etc.

O fomento da inteligência existencial se torna imprescindível atualmente como meio para combater a falta de valores que impera em nossa sociedade, que originou uma pobreza espiritual global, causa da maioria dos males do nosso mundo.

Inteligência existencial: características, exemplos e como desenvolvê-la - Atividades para desenvolver a inteligência existencial

Tipos de inteligência

Durante muitas décadas, o conceito de inteligência foi considerado unicamente sob o prisma de quociente intelectual (QI), de modo que se entendia que a medida do QI estabelecia o nível de inteligência de uma pessoa. Recentemente, diferentes autores começaram a chamar a atenção para o fato de que a inteligência do ser humano inclui muitos outros aspectos além dos presentes no QI e começaram a desenvolver teorias a respeito.

Entre as mais conhecidas está a Teoria das Inteligências Múltiplas de Howard Gardner, que afirma que a inteligência do ser humano se manifesta através de oito formas diferentes:

  1. Linguística: capacidade de domínio da linguagem que inclui falar, escutar, ler e escrever.
  2. Musical: capacidade de interpretação e criação musical através do canto, de tocar instrumentos, criar melodias, etc.
  3. Lógico-matemática: capacidade de uso do método científico para formular problemas e verificar hipóteses através do trato analítico indutivo e dedutivo dos dados.
  4. Espacial: capacidade para criar imagens mentais a partir de estímulos sensoriais.
  5. Corporal-cinestésica: capacidade para utilizar o corpo para se comunicar com o entorno e aprender com ele, através da força, da velocidade, do equilíbrio e da flexibilidade.
  6. Naturalista-pictórica: capacidade para aplicar o método científico ao estudo e observação da natureza.
  7. Interpessoal: capacidade para interpretar e aplicar as normas intrínsecas que regulam as interações sociais.
  8. Intrapessoal: capacidade de auto-observação dirigida à compreensão de si mesmo e sua relação com seu entorno.

Recentemente, são vários os autores que consideram incompleta esta teoria ao não conter a inteligência existencial ou espiritual como um tipo de inteligência a mais dentro desta classificação que apresenta, como as outras, bases biológicas que a sustentam. Na verdade, a inteligência espiritual se localizaria no nível mais elevado, tanto que sua prática supõe transcender o resto das inteligências, nos levando a um conhecimento muito mais profundo do ser, da vida e do universo.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Inteligência existencial: características, exemplos e como desenvolvê-la, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia cognitiva.

Bibliografia
  • Ollé Borgue, A.M. (2010). Inteligencia Espiritual. Revista Global nº 36. Disponível em: http://revista.global/inteligencia-espiritual/

Escrever comentário sobre Inteligência existencial: características, exemplos e como desenvolvê-la

O que lhe pareceu o artigo?

Inteligência existencial: características, exemplos e como desenvolvê-la
1 de 2
Inteligência existencial: características, exemplos e como desenvolvê-la

Voltar ao topo da página