Partilhar

Inteligência lógico-matemática: características, exemplos e atividades

 
Por Irene Alabau, Psicóloga. 6 novembro 2019
Inteligência lógico-matemática: características, exemplos e atividades

Tradicionalmente, a inteligência lógico-matemática, juntamente com a linguística, tem sido considerada representativa do conceito de inteligência em geral. É por isso que tem predominado no sistema educativo formal e no ambiente acadêmico. Esse tipo de inteligência é de grande complexidade e vai muito além da matemática. Além disso, se vê implicada na capacidade de raciocinar e estabelecimento de relações, entre outras. Se você quer descobrir mais sobre essa inteligência, não deixe de ler este artigo de Psicologia-Online: Inteligência lógico-matemática: características, exemplos e atividades para melhorá-la.

O que é a inteligência lógico-matemática

A inteligência lógico-matemática é uma das oito inteligências identificas pelo psicólogo Howard Gardner em sua Teoria das Inteligências Múltiplas. Essa nova concepção do intelecto desafia o conceito de unidade na inteligência, predominante no sistema acadêmico ocidental.

Inteligência lógico-matemática: definição

O que é a inteligência lógico-matemática? A inteligência lógico-matemática é a capacidade para utilizar os números de maneira efetiva, bem como aplicar análises e o raciocínio de forma adequada. Essa inteligência está relacionada com o pensamento abstrato e científico e engloba tanto a habilidade matemática como a capacidade lógica.

A matemática estuda a abstração, as relações e operações numéricas, enquanto a lógica refere-se aos processos de análise e raciocínio. Ambas as habilidades estão intimamente relacionadas, no entanto, não são inseparáveis. Assim, uma pessoa pode apresentar uma habilidade lógica muito superior à matemática e vice-versa. A inteligência lógico-matemática constitui uma habilidade complexa e é composta por cálculos matemáticos, o pensamento lógico, o raciocínio indutivo e dedutivo, a resolução de problemas, a identificação de padrões e relações, a abordagem e a verificação de hipóteses.

A inteligência lógico-matemática se manifesta desde a infância, uma vez que foi corroborado a existência de um sentido inato de quantidade e estimativa precoce. Posteriormente, o pensamento lógico, abstrato e matemático é adquirido através da aprendizagem. Essa capacidade envolve competências tanto linguísticas, viso-espaciais, de planejamento, como de memória de trabalho. A complexidade de competência dessa inteligência explica que sua localização cerebral está em diversas áreas de ambos os hemisférios, entre elas o lobo parietal esquerdo, as áreas temporais e occipitais de associação, bem como o lobo frontal.

Inteligência lógico-matemática: características

As pessoas com um alto desenvolvimento dessa inteligência apresentam geralmente uma série de características. Abaixo, listamos as principais características da inteligência lógico-matemática:

  • Domínio das noções de quantidade, tempo, causa e efeito.
  • Habilidade para encontrar uma solução do tipo lógica aos problemas. Este processo de resolução pode ser muito rápido.
  • Manuseio de números em geral e das operações matemáticas.
  • Elevadas habilidades para a análise e raciocínio.
  • Desfrutam da realização de experimentos e extração de conclusões a partir destes.
  • Capacidade para formular e verificar distintas hipóteses.
  • Habilidade para estabelecer relações e conexões entre diferentes elementos, o que está relacionado com sua capacidade de classificação e categorização.
  • Facilidade na estimativa e memória de diferentes sinais numéricos.
  • Geralmente recorrem ao uso de listas e esquemas na organização da informação.
  • Apresentam curiosidade sobre os fenômenos naturais e no seu dia a dia, realizando investigações, deduções e busca de soluções ou respostas.
  • São pessoas que geralmente apresentam um pensamento racional e uma metodologia científica que aplicam também em sua vida diária, na tomada de decisões, etc.
  • As pessoas com este tipo de inteligência são geralmente organizadas, metódicas, com capacidade de planejamento e de resolução de problemas da vida cotidiana. Também são caracterizadas por serem curiosas e inquisitivas.
  • Habilidade para o cálculo mental e monetário.
  • Facilidade e interesse pela resolução de puzzles, quebra-cabeças, problemas e desafios mentais.
  • Bom desempenho em jogos de habilidade que envolvem estratégia.
  • Desenvolvimento da metacognição, isto é, da consciência, supervisão e controle sobre os processos de pensamento e aprendizagem, assim como sobre o próprio rendimento e desempenho desses processos. Essa capacidade metacognitiva facilita a detecção de erros próprios e a extração do máximo rendimento das habilidades cognitivas.

Inteligência lógico-matemática: profissões

Pelas características da inteligência lógico-matemática, as profissões que estão associadas com essa capacidade são aquelas do campo da engenharia, da economia, da ciência e da pesquisa, da matemática, da física, da química, da contabilidade, etc.

Inteligência lógico-matemática: características, exemplos e atividades - Inteligência lógico-matemática: características

Inteligência lógico-matemática: exemplos

Para compreender melhor a inteligência lógico-matemática, apresentaremos exemplos. Algumas pessoas se destacaram ao longo da história por sua extrema inteligência lógico-matemática, são elas:

  • Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson: foram um grupo de mulheres matemáticas afro-americanas. Seus cálculos na NASA foram decisivos para a chegada à Lua. Os problemas e as operações foram realizados quase que inteiramente à mão, por isso foram apelidadas de “computadores humanos”. Além disso, tiveram que enfrentar constantemente as dificuldades de serem mulheres e negras no mundo da ciência.
  • Sofia Kovalévskaya: foi uma matemática russa de etnia cigana. Realizou grandes contribuições no campo da análise, da mecânica e das equações. Foi a primeira mulher a alcançar um cargo de professora universitária na Europa, no ano de 1881.
  • Alan Turing: foi um matemático britânico, considerado um dos precursores da computação. Trabalhou durante a Segunda Guerra Mundial na decifração dos códigos nazistas, graças ao que estimou, encurtou a duração deste período de guerra entre dois e quatro anos. Além disso, realizou grandes contribuições no campo da inteligência artificial.

Quanto aos exemplos cotidianos, as pessoas com essa inteligência apresentam uma habilidade para calcular o custo da compra ou de quanto deve ser o troco ao pagar, além de serem capazes de realizar com facilidade listas e o planejamento da agenda.

Inteligência lógico-matemática: características, exemplos e atividades - Inteligência lógico-matemática: exemplos

Inteligência lógico-matemática: atividades

A inteligência lógico-matemática não apenas é útil no campo acadêmico e da ciência, mas facilita a capacidade de se desenvolver no mundo, bem como de entendê-lo. Dada a necessidade de estimulação dessa capacidade, é interessante saber como desenvolver a inteligência lógico-matemática em adultos. A seguir, apresentamos uma série de atividades para desenvolver o pensamento lógico-matemático e jogos para estimular a inteligência lógico-matemática:

  • Realizar puzzles e quebra-cabeças: essas atividades não deveriam se limitar apenas ao estágio da infância. Atualmente, existem uma grande variedade de jogos para estimular a inteligência lógico-matemática voltados para a idade adulta que podem ajudar na estimulação e manutenção dessa capacidade.
  • Usar esquemas e listas no dia a dia: começar a fazer uso desses recursos, tanto na organização e planejamento do dia a dia, como no processo de tomada de decisões, promove o desenvolvimento de um pensamento mais lógico-matemático.
  • Realizar visitas científicas: ir à lugares como museus ou observatórios podem promover o interesse e o aprendizado nesse campo.
  • Fazer perguntas: outro dos exercícios para desenvolver a inteligência lógico-matemática é fazer perguntas sobre uma série de fenômenos do dia a dia ou do funcionamento de certos objetos aos quais nunca refletimos devido à sua vida cotidiana. Podem realizar uma série de hipóteses e, posteriormente, buscar informações sobre elas.
  • Descobrir: a aprendizagem por meio do descobrimento também é recomendável para o estímulo dessa inteligência. Um exemplo disso seria tentar intuir o funcionamento de um objeto, posteriormente desmontá-lo e realizar uma análise de suas peças.
  • Refletir: atualmente na era da informação é comum fazer uma pergunta, mas não parar para pensar sobre ela, já que podemos buscar a resposta em segundos através da tecnologia. É positivo refletir uns minutos sobre aquilo que temos abordado, tentar intuir a resposta, traçar relações ou conexões com o conhecimento que já possuímos e estabelecer mentalmente uma série de hipóteses ou deduções antes de averiguar a solução por outros meios.
  • Calcular: fazer o esforço para realizar e enfrentar pequenos cálculos do dia a dia mentalmente, como o preço da compra e o valor do troco, a distância percorrida em km ao longo de um dia, quanto cada pessoa tem que pagar em um jantar em grupo, etc, são exercícios que ajudam a desenvolver a inteligência lógico-matemática.
  • Desenvolver a curiosidade: promover a curiosidade pelos acontecimentos diários, bem como buscar os conceitos ou ideias do campo lógico-matemático que apareçam em conversas ou leituras para incorporá-los ao nosso conhecimento.
  • Realizar jogos lógicos e/ou matemáticos: atualmente existem um grande número de jogos de tabuleiro que promovem o desenvolvimento dessa capacidade, bem como jogos de estratégia e de lógica. Além disso, são uma boa escolha, já que existem opções tanto individuais como coletivas. Hoje em dia também existem uma grande quantidade de escape rooms, nas quais uma série de enigmas e problemas de lógica devem ser resolvidos em grupo.
Inteligência lógico-matemática: características, exemplos e atividades - Inteligência lógico-matemática: atividades

Teoria de Inteligências Múltiplas de Howard Gardner

A inteligência lógico-matemática é umas das 8 inteligências da teoria das inteligências múltiplas de Howard Gardner:

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Inteligência lógico-matemática: características, exemplos e atividades, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia cognitiva.

Bibliografia
  • Ferrándiz, C., Bermejo, R., Sainz, M., Ferrando, M., & Prieto, M. D. (2008). Estudio del razonamiento lógico-matemático desde el modelo de las inteligencias múltiples. Anales de Psicología/Annals of Psychology, 24(2), 213-222.
  • Gardner, H. (2003). Intelligence in seven steps. New Horizons For Learning, Creating the Future.
  • Serra-Grabulosa, J. M., Adan, A., Perez-Pamies, M., Lachica, J., & Membrives, S. (2010). Neural bases of numerical processing and calculation. Revista de neurologia, 50(1), 39-46.

Escrever comentário sobre Inteligência lógico-matemática: características, exemplos e atividades

O que lhe pareceu o artigo?

Inteligência lógico-matemática: características, exemplos e atividades
1 de 4
Inteligência lógico-matemática: características, exemplos e atividades

Voltar ao topo da página