Partilhar

Não tenho vontade de viver: o que faço?

Por Anna Badia Llobet, Psicóloga e redatora. Atualizado: 13 junho 2019
Não tenho vontade de viver: o que faço?

Você sente sem vontade de viver? Não é tão estranho como parece. Não ter vontade de viver é um sintoma de depressão, transtorno que afeta mais de 300 milhões de pessoas no mundo. Por isso, neste artigo de Psicologia-Online, te ajudamos: Não tenho vontade de viver: o que faço? Te explicamos os 10 passos a realizar para mudar o estado de espírito. Experimente!

Perdi a vontade de viver: causas

Se você se encontra numa situação na qual o mal-estar é muito profundo, pode ter tido pensamentos como "não tenho vontade de fazer nada", ou até mesmo, "não tenho vontade de viver". Esta frase denota um estado emocional e psicológico que inclui:

  • Apatia: você se sente sem interesse nem motivação para fazer planos ou realizar ações.
  • Abulia: você se sente sem energia nem vontade para realizar tarefas ou atividades.
  • Cansaço:você se sente esgotado.
  • Desespero: você perdeu a esperança no futuro.

Mas por que você tem falta de vontade de viver? Não ter vontade de viver pode acontecer por diferentes razões:

  • Situação estressante. É possível que você tenha sofrido um evento muito estressante na sua vida, alguma mudança ou perda significativa e isso te leve a apresentar um transtorno adaptativo ou transtorno depressivo.
  • Situação traumática. Uma das causas de perder a vontade de viver pode ser ter sofrido uma situação traumática como por exemplo, algum tipo de abuso, maus tratos ou violência.
  • Personalidade. É possível que as vivências da sua infância te tenham levado a desenvolver determinados traços de personalidade com tendência a depressão. Esses rasgos de personalidade são a dependência, a autocrítica e o pessimismo, entre outros.
  • Bioquímica. É possível que, devido a alguma alteração orgânica, quer seja na biologia ou na química do cérebro, a regulação do estado de ânimo se veja afetada.
  • Hormônios. É possível que, devido a alterações hormonais, a regulação do seu estado de ânimo seja afetada. Os níveis de hormônios podem sofrer alterações devido à gravidez ou à menopausa, e também por disfunções em glândulas, como a tireoide, entre outras causas.
  • Doença. Outra das causas pode ser o padecimento de uma doença, em particular certas doenças graves ou crônicas.
  • Substâncias. O consumo de substâncias também pode provocar falta de vontade de viver, quer sejam medicamentos ou drogas.

Sem vontade de viver: teste de depressão

É certo que, se você está pensando "não tenho vontade de viver", provavelmente apresenta um estado de ânimo depressivo. Então, é o mesmo que ter depressão? Não necessariamente, existem muitos graus no que diz respeito ao estado de espírito. Você pode apresentar desde um estado de ânimo deprimido por uma situação complicada na sua vida, pode apresentar sintomas depressivos ou pode apresentar um transtorno depressivo. Em último caso, será necessário cumprir uma série de critérios. Dentro dos transtornos depressivos, existem diferentes tipos de transtornos com diferentes características que devem ser avaliados e diagnosticados por profissionais de saúde mental com qualificações para isso.

O que é depressão?

A depressão é uma alteração do estado de humor que afeta tanto os pensamentos como as emoções e o comportamento, sendo caracterizada pela tristeza e desinteresse. No entanto, pode se apresentar de muitas formas e com diferentes sintomas.

Síntomas de depressão

Os principais sintomas de depressão são os seguintes:

  • Tristeza
  • Choro
  • Desespero
  • Vazio
  • Irritabilidade
  • Cansaço
  • Apatia
  • Abulia
  • Anedonia
  • Problemas sexuais
  • Problemas de sono
  • Alterações de apetite
  • Culpabilidade
  • Problemas de memória
  • Problemas de concentração
  • Perda de agilidade psicomotora
  • Pensamentos sobre a morte

Teste de depressão

Existem muitos instrumentos válidos e fiáveis para detectar a depressão. O mais utilizado é o famoso Inventário de Depressão de Beck.

Se você acredita que pode ter depressão ou outro transtorno depressivo, é necessário que você consulte um profissional para que ele realize uma avaliação e diagnóstico do seu caso. Se você tem depressão, no seguinte apartado explicamos como sair de uma depressão profunda.

Não tenho vontade de viver: o que faço?

Se você se sente profundamente deprimido, é normal que tenha pensamentos pessimistas devido ao cansaço e ao desespero. Como sair de uma depressão profunda? Se você tem o pensamento "não tenho vontade de viver", deve saber que o ser humano é desenhado para cumprir duas funções básicas:

  • A sobrevivência.
  • A continuidade da espécie.

Isso significa que o nosso organismo está preparado para garantir a sobrevivência própria e a da espécie. O nosso cérebro é como uma máquina que tem como objetivo fazer com que nos adaptemos ao ambiente sobrevivamos. Portanto, está na nossa natureza sentir vontade de viver. Sabendo isso, o que pode ser feito quando alguém se sente sem vontade de viver?

1. Faça algo que te faz sentir bem

O primeiro que devemos fazer perante um estado de humor negativo é potenciar as emoções positivas e o bem-estar. A forma mais fácil e imediata de fazê-lo é através dos sentidos. Algumas ideias para isso são:

  • Tome uma ducha relaxante. Pode ser com água fria, morna ou quente, o que você preferir.
  • Coma algo que você gosta. Um sabor agradável influencia o estado de ânimo. Com moderação, claro, e sempre seguindo uma alimentação saudável.
  • Coloque roupa confortável e agradável ao tato.
  • Faça uma auto-massagem.
  • Cheiros agradáveis. A aromaterapia defende a influência dos cheiros no estado emocional. Use uma fragrância que você goste.
  • Sorria e ria. Sim, busque um vídeo engraçado ou um humorista bom. Você também pode forçar o sorriso e o riso, já que a expressão facial influencia o processamento emocional.

2. Faça algo que você gosta

Em seguida, é importante aplicar uma técnica chamada ativação comportamental que defende que, através da conduta, podemos influenciar as emoções e os pensamentos. Portanto, a primeira coisa que você pode fazer é escolher uma atividade que você goste (sair para passear, escutar uma canção animada e dançar, cozinhar,...). Deve ser uma atividade simples, que você goste e que não exija muito esforço. Uma vez que você tenha escolhido a atividade, faça-a sem pensar. Não dê mais voltas ao assunto. Execute já. No início pode ser que você sinta preguiça mas, depois de fazer essa atividade, você vai se sentir muito melhor.

3. Planifique atividades

Quando você já tiver começado a ativar o seu corpo, pode apostar num calendário, escolher atividades que te apeteçam e marcá-las todos os dias que você esteja disponível para fazê-las. Tem o mesmo objetivo que o ponto anterior, ativar o seu corpo para que o organismo produza hormônios, cujos efeitos vão aumentar o bem-estar e melhorar o estado de ânimo. Estes efeitos também terão influência nos pensamentos. As atividades devem ser simples, sem requerer muito esforço e, sobretudo, que você goste de praticá-las. Mais tarde, você pode ir aumentando o nível de dificuldade e frequência das atividades.

4. Relacione-se

Busque interagir com os outros de forma positiva. Somos seres sociais, vivemos em sociedade e precisamos de comunicar com os demais, expressar-nos e compartilhar, mesmo que cada um o faça de forma diferente. Segundo as suas preferências e necessidades, você pode ter maior ou menor contato social, devendo sim cuidar essa área da sua vida. Procure estar rodeado de pessoas positivas, que ofereçam algo à sua vida e cuja companhia contribua para o sem bem-estar. Se você tem familiares ou amigos que reúnem estas características, passe tempo com eles e defina tempo para vê-los.

5. Se enfoque no aqui e no agora

Centre-se no presente, no que tem agota e no que pode fazer com isso. Dar voltas ao passado ou preocupar-se excessivamente pelo futuro é contraproducente. Como podemos nos enfocar no presente? Aplicando o mindfulness. Como fazê-lo?

  • Coloque os 5 sentidos no que está fazendo agora mesmo.
  • Uma coisa de cada vez.
  • Quando surgirem pensamentos sobre o futuro ou o passado, deixe-os ir e volte ao que está fazendo aqui e agora.

6. Questione as suas crenças

Depois dos primeiros pontos, você terá conseguido diminuir o mal-estar e poderá pensar com maior clareza. Recorde que as emoções influenciam o pensamento e a conduta e, quando estamos muito tristes ou cansados, os pensamentos estão condicionados por esse estado. Uma vez que você tenha saído desse ciclo vicioso, poderá ter pensamentos mais objetivos, e esse será o momento de restruturar os seus pensamentos. Detecte as suas distorções cognitivas. Você tem pensamentos como "não faço nada bem", "os outros são melhores que eu" ou "tudo me sai mal"? Pois chegou a hora de questionar esses pensamentos: é mesmo isso que você pensa, de verdade? De certeza que não. No entanto, pensar dessa forma tem repercussões no seu sistema de crenças e, logo, no seu comportamento e no seu estado anímico.

Esse ponto apresenta certa complexidade. Por isso, se você não pode fazê-lo sozinho, é totalmente normal e recomendado que consulte um profissional.

7. Encontre o sentido da sua vida

Reflita sobre que coisas são importantes para você, que coisas te apaixonam, que coisas você faz bem, etc. Qual o sentido da sua existência? O que é que você quer oferecer ao mundo, à sociedade, à sua família, ao seu trabalho, à sua equipe de montanhismo, por exemplo? Essa resposta é muito pessoal. Para encontrá-la, você pode usar o método ikigai.

8. Estabeleça metas

Que coisas você gostaria de experimentar? Quer aprender algo novo? O que você quer conseguir nos próximos meses? As metas e objetivos devem ser claras, específicas, realistas e alcançáveis. Estabelecer uma meta, ter força de vontade e cumprir, gerará satisfação e sensação de bem-estar em você. Além de se repercutir na sua autoestima, melhorar as suas habilidades e capacidades, sua ideia de você mesmo e sua percepção de auto-eficácia.

9. Mantenha hábitos saudáveis

Procure manter um estilo de vida saudável implementando hábitos e rotinas saudáveis. Quando você está triste e desanimado, é normal que não tenha vontade de fazer nada, que não cozinhe, que não pratique esporte, que não cuide de você. Contudo, pense que se você se alimenta mal, não faz exercício, não cuida de você, etc, é provável que isso acabe piorando o seu estado de espírito. Além disso, também será mais propenso a sofrer de alguma outra doença.

10. Cuide de você mesmo(a)

Durante todo este processo, cuide de você. Como fazer isso?

  • Procure se conhecer. Pratique o autoconhecimento para poder usar as suas forças.
  • Respeite-se a si mesmo. Seja honesto com você mesmo e respeite as suas decisões, as suas preferências, etc.
  • Seja assertivo. Expresse a sua opinião de forma respeitosa, mas expresse. Sobretudo, aprenda a dizer que não.
  • Seja amável com você mesmo. Pratique a auto-compaixão, você não é perfeito, mas ninguém o é. Tente julgar-se menos e tratar-se bem, como trataria um amigo.
  • Agradeça. Pratique o agradecimento pelo que você tem, ao invés de se queixar pelo que não tem. A vida depende da perspetiva que você lhe dá.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Não tenho vontade de viver: o que faço?, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Bibliografia
  • Labrador, F. J., Vallejo, M. Á., Matellanes, M., Echeburúa, E., Bados, A., & Fernández-Montalvo, J. (2003). La eficacia de los tratamientos psicológicos. Infocop, nº 84, 2003.
  • Pérez Álvarez, M., & García Montes, J. M. (2001). Tratamientos psicológicos eficaces para la depresión. Psicothema, 13 (3).

Escrever comentário sobre Não tenho vontade de viver: o que faço?

O que lhe pareceu o artigo?
27 comentários
A sua avaliação:
Jéssica
Eu tenho 27 anos e sou depressiva desde os 12 anos. Sou de uma família muito desestruturada. Pai agressivo e alcoólatra, desenvolvi bloqueios sociais, auto imagem distorcida, baixa estima, já passei por seis psicólogos e quatro psiquiatras e não consigo ter auto estima ou esperança no futuro. Todos os namoros que tive foram abusivos e fracassados. Eu me formei, mas depois de formada veio o desemprego. Ou seja, sou uma verdadeira fracassada que não gosta da vida, que não vê sentido na vida. Pq a vida não tem sentido nenhum. Não acredito em casamento, não quero ter filhos pq não quero trazer ninguém pra esse mundo cão, então não vejo o porque de nada aqui nesse mundo.
Administrador Psicoblog PT
Oi Jéssica! Não desespere, você mesma é o seu motivo para viver. Recomendamos que você siga os passos do artigo para recuperar a sua felicidade e determinação, assim como obter ajuda de um profissional da psicologia para te orientar semanalmente e acompanhar o seu caso específico.

A equipe de Psicologia-Online está torcendo por você, não desista!
Amigo sincero
Não sei se você tem algum sentimento de culpa sobre isso, mas não tenha mesmo.
A vida não tem sentido. Por que teria? As pessoas querem viver numa fantasia acreditando que existe um propósito mágico ou divino para tudo, a dor, o sofrimento... Tudo bobagem. Nascemos por consequência do ato de outras pessoas. Não temos controle sobre isso. Não há um destino incrível reservado para você ou para mim. Só o acaso.
Aceite isso e você será livre. E talvez perceba que pode aproveitar melhor o tempo entre seu nascimento e sua morte. Viva sua vida nos seus termos. Se nada é bom para você hoje, fuja. Empregue seu tempo e seu esforço para traçar e executar seu plano de fuga do inferno.
Ninguém poderá julgar você.
Fuja para longe.
A sua avaliação:
davi
na verdade perdi tudo so me resta morrer a vida nao faz sentido
Administrador Psicoblog PT
Oi David! Sempre existe um motivo para viver, mesmo que você não esteja vendo exatamente qual é agora. Recomendamos que você aposte nessas 10 dicas para recuperar o ânimo e voltar a ser feliz. Um abraço da equipe de Psicologia-Online, estaremos torcendo por você!
A sua avaliação:
PJ
Eu tive depressão a 5 anos atrás..nesse mxm ano fpi um ano conturbado..minha Avó Materna sofreu 3 meses no Hospital antes de morrer..eu fikei uns 5 pra 6 meses na cama dentro de casa..parei de trab..ñ queria + comer,tomar banho..escovar dentes ñ nada..só fazia uma força enorme pra dirigir qnd mimha mãe precisava..pra levar as coisas pra ela no hospital..disseram q enviaram o Espírito da morte pra mim que aonde eu ia o Vulto preto me acompanhava..ñ que eu nao acredite..eu acredito..muitas gente orou por mim eu fiz força pra ir ma igreja..eu quase me enforquei..
+ graças a Deus nesse mim amo eu cansei tinha uma relação de 7 anos..
E hj tenho uma filha pequena.. 5 anos de casado..
Rstpu desempregado a 3 meses e to me sentindo perdido de novo..Eu Amo a minha família..sei lá..acho quem tem tendência pra isso..acho que tem que se tratar pela vida inteira..pra ñ deixa a moral cair..Sei que a vida é linda..q tem várias oportunidades lá fora..só que emprego já nao é fácil como antes..complicado..é triste a realidade no Brasil Atualmente..parece que ñ tem emprego pra todo mundo..Eu perdi um primo irmão..muito chegado..a gente sempre tomava uma cervejinha..qnd a pressão d mulher tava forte na cabeça..beber socialmente..tentei falar d Deus convidava ele pra igreja..p ki ele se entregou a bebidas as drogas..e ele se sentia cansado..so dizia ki tava cansado a mais ou menos 6,7 meses..e deixaram ele ficar sozinho em ksa..n a mulher dele tava aguentando ele..cm 3 filhos..e ele ñ podia ficar sozinho em ksa..e infelizmente..ele tava fazendo uso d medicamentos do Caos..drogas bebidas..e pra garantir acendeu churrasqueira deixo da kit Net ki ele vivia..e veio a obto..
Enfim..ñ é só a questão do emprego no meu caso..+ tenho medo do futuro..ainda + com filha..medo d passar dificuldades..por isso temos o futuro em casar..formar familia..pq sozinho a gente se vira melhor..
Enfim foi bom ler esse relatos..e acredito que pra sair dessa tem que trabalhar a mente cm um profissional..e tratar tbm o interior o espiritual..
Boa noite a Todos
A sua avaliação:
Graziela
Preciso de ajuda
A sua avaliação:
Marco
Tenho 60 anos. Professor universitário. Tenho um caso na familia.
Noto que a psicologa mentora deste site não tem respondido aos comentários. Deveria faze-lo.
Sugiro que participem uma terapia em grupo aí na sua cidade.
Por hora, aqui, sugiro que montem um grupo de WhatsApp e troquem informações sobre o assunto.
Divulguem o grupo aqui neste site.
Um de vocês precisa ser o líder do grupo. Quem se habilita?
Nota: Acima das nuvens sempre brilha o SOL. É necessário, então, transpassar a nuvem que é leve e volúvel. Você só precisa de orientação. Nos conte depois como foi a sua transposição. Te aguardamos.
(Mrossi2605@gmail.com)
A sua avaliação:
Tânia Regina Anastácio de Moraes camargo
Preciso de ajuda
A sua avaliação:
Caio
Gostaria de saber mais sobre as pessoas que sentem essas coisas, digo, eu sou uma delas, porém não sei muito o que fazer.
Eu me sinto exatamente como o artigo retrata, porém ainda executo minhas atividades diárias, me levanto, me alimento, vou ao trabalho, sou uma pessoa cordial e tento transmitir coisas boas a terceiros. Mas não sinto nada além de dor, não vejo sentido nas coisas e consequentemente perdi a vontade de viver, parece muito mórbido e é, e eu não me mato por ignorância, eu não sei o que vem depois e acho que ninguém sabe, então com toda certeza não vou me matar para correr o risco de ir pra um lugar onde eu vou ficar pior do que já estou, assim eu fico sem escolhas, eu não consigo ver sentido na vida, e não me mataria, queria conhecer pessoas que retratam esse mesmo vazio, essa mesma ausência de emoções e sentimentos (bons) e que não vêem a hora de partir para deixar de sentir toda essa dor.
Gostaria muito de conversar com pessoas que sentiam isso a tempos atrás e hoje são normais, acho que é a maneira mais eficaz de buscar um tratamento, nada melhor do que alguém que já esteve no seu lugar e melhorou para dizer como foi isso, como ela aguentou e conseguiu passar por tudo sem desistir, claro que não há resposta absoluta, a felicidade de uns e outros não são um padrão para a sua, mas ouvir de alguém que já sofreu essa indiferença quanto a vida como eles começaram a melhorar seria perfeito para alguém que ainda tem esperanças como eu.
A sua avaliação:
Roseli Oliveira
Parece que muitas pessoas sentem o vazio e a vida perdeu todo o sentido,nada mais importa meu caso é o mesmo,tenho 38 anos,sou solteira atualmente,mas já fui casada,ainda não me encontrei nesse mundo tão imenso cheio de tantas possibilidades,eu vejo tudo sem cor,acordar não importa,comer ou dormir eu só queria que essa tristeza saísse de dentro de mim,Deus sabe o quanto eu suplico para que essa tristeza acabe,porque isso é um mal que me consome todo dia,gostaria de convidar aqueles que comentaram aqui que se quiserem entrar em contato para conversar eu serei muito grata,visto que muitas pessoas passam por isso meu e-mail roselideoliveirasouza@gmail.com
eliete
este vazio que sinto me consome queria dormir e nao acordar mais
A sua avaliação:
Ana Paula
Hoje eu perdi minha avó, estou numa tristeza profunda é muito dolorosa . To muito triste por não ter passado tempo com ela .E ver ela num caixão foi horrível pra mim. To muito arrependida de não ter dado mais atenção a ela .estou com uma vontade de morrer de tanta culpa q eu sinto
A sua avaliação:
sara
tenho 19 anos e não sei o que acontece comigo, faz algum tempo que não tenho vontade de fazer nada, não quero sair só quero ficar em casa sozinha, não sinto vontade de sexo, ir à faculdade ou sair com as amigas coisa que eu gostava já não sinto vontade, me sinto desanimada o tempo inteiro, me sinto inútil e burra nunca sou boa em nada, me sinto com autoestima baixa
Ruan
Nao consegue achar razoes para isso nao é, se pergunta " por que eu deveria" nao ta sozinha somos 2 eu ach0, nem ia falar nada mais eu pensei que seria legal vc saber que existe alguem como vc

Não tenho vontade de viver: o que faço?
Não tenho vontade de viver: o que faço?

Voltar ao topo da página