Partilhar

Noam Chomsky e a teoria da linguagem

 
Por Claudia Pradas Gallardo. 25 agosto 2020
Noam Chomsky e a teoria da linguagem

Noam Chomsky é um linguista americano famoso por suas investigações psicológicas sobre a linguagem e um dos grandes pensadores da idade moderna. Desde o início de sua carreira, Chomsky foi um personagem bastante polêmico por suas inclinações políticas e sua carreira renomada como ativista das campanhas socialistas.

Entre muitos artigos e livros publicados, Chomsky é conhecido no mundo da psicologia por sua famosa teoria de aquisição da linguagem. Em tal teoria linguística, afirma que nascemos com uma capacidade inata para falar e que nosso processo de aquisição se baseia em aprender as estruturas da linguagem e da gramática. Quer saber mais sobre Noam Chomsky e a teoria da linguagem? Então recomendamos que você continue lendo este artigo de Psicologia-Online.

Também lhe pode interessar: Teoria da aprendizagem social de Bandura

Noam Chomsky: biografia e ideologia

Avraham Noam Chomsky nasceu em 1928, na Filadélfia, Estados Unidos. Filho de imigrantes ucranianos, Noam decidiu orientar sua vida e carreira ao estudo da linguística. Estudou filosofia, linguística e matemática na Universidade da Pensilvânia e, anos depois, foi nomeado professor emérito no Instituo de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

Em 1949, Noam se casou com Carol Schatz, mais conhecida como Carol Chomsky, uma renomada linguista que conduziu seus estudos de aquisição da linguagem paralelamente aos de seu marido. Em 1957, Noam Chomsky publicou o primeiro livro que revolucionou o modo em que a comunidade científica interpretava a linguagem: Estruturas Sintáticas. A partir deste momento, foi realizando publicações, estudos e livros relacionados com a mesma temática.

Por outro lado, Noam Chomsky tem uma reputação forte como ativista e crítico do sistema capitalista. Sua ideologia muitas vezes foi criticada por simpatizar com ideias próprias do socialismo. Se posicionou contra a Guerra do Vietnã e, desde então, continuou publicando obras políticas com críticas duras ao sistema atual.

Noam Chomsky e a teoria da linguagem - Noam Chomsky: biografia e ideologia

A teoria de desenvolvimento da linguagem de Noam Chomsky

A teoria de Chomsky também é conhecida como biolinguística. Nela é afirmada a existência de certas estruturas em nossa mente que permitem tanto a produção da linguagem como o fato de compreender uma mensagem, seja qual for o idioma.

Como se adquire a linguagem segundo Chomsky?

Em sua primeira publicação: Estruturas Sintáticas (1957)[1], Noam Chomsky propõe uma teoria revolucionária. Nela, o famoso linguista afirma que existe um elemento chamado Dispositivo de Aquisição da Linguagem ou LAD (language acquisiton device) na mente do ser humano que facilita, de forma inata, o conhecimento de estruturas básicas da linguagem materna.

Desta forma, a relativa semelhança no aprendizado da linguagem entre diferentes culturas e a facilidade de aprender o idioma nativo na infância, se devem à capacidade inata de compreender estruturas comuns da linguagem como SVO (Sujeito - Verbo - Objeto).

A teoria linguista de Chomsky

Assim, a teoria da linguagem de Chomsky considera que uma criança não aprende a linguagem por exposição e imitação, mas sim que aprende a relacionar seu conhecimento inato das estruturas sintáticas da linguagem, com o limitado conjunto de palavras (também conhecido como léxico) que contém seu idioma nativo. Esta teoria, que marca o início de uma nova concepção da linguística, foi revisada e modificada pelo próprio Chomsky, até chegar na teoria da Gramática Universal (UG).

Noam Chomsky e a teoria da linguagem - A teoria de desenvolvimento da linguagem de Noam Chomsky

A teoria da gramática universal

Segundo o linguista Noam Chomsky, existe um conjunto limitado de regras e características comuns na construção de todas as línguas, conhecido como Gramática Universal (Universal Grammar), inato ao ser humano. Desta forma, existe "certa estrutura mental formada por um sistema de regras e princípios que gera e relaciona representações mentais de vários tipos[2].

Assim, a aquisição das regras básicas da linguagem é inconsciente, e a Gramática Universal estabelece o estado inicial de uma criança em seu processo psicológico de aprendizagem. Quando a criança recebe informação das palavras que contém o idioma materno, constrói um léxico específico no qual aplica o conjunto de características da Gramática Universal. Assim, desde seu nascimento, a Gramática Universal permite a uma criança conhecer de forma inconsciente que existem palavras que se comportam como verbos, outras como substantivos, e que existe um conjunto limitado de possibilidades de ordenar estas características para formar uma oração.

Modificações da teoria: um enfoque mais aberto

Alguns anos depois, Noam Chomsky afirmou que seria possível oferecer um enfoque naturalista à sua teoria. Graças a tal enfoque, fica evidente que o objetivo da teoria inatista não é reduzir a aquisição a um fato meramente biológico, mas unir os princípios do pensamento cognitivo com o estudo anatômico e fisiológico. De forma geral, o enfoque naturalista tem como objetivo procurar até que ponto a essência da linguagem e sua aquisição dependem de operações mentais inatas.

A teoria Linguística de Chomsky: linguagem e pensamento

De forma definitiva, segundo a teoria inatista de Chomsky, a linguagem é uma característica que todos os seres humanos possuem, até mesmo antes de nascer. Esta teoria é completamente contrária ao behaviorismo de Skinner, já que nesta teoria se afirma que a linguagem é adquirida através da aprendizagem e da repetição.

Segundo a teoria linguística de Chomsky, a aquisição da linguagem se baseia em princípios como os seguintes:

  • Somente a espécie humana pode aprender a se comunicar através do aprendizado da linguagem.
  • Imitar e repetir não são elementos que interferem na aquisição da linguagem.
  • Quando uma criança começa a emitir sons, não o faz por repetição ou por ter aprendido, mas pela ativação de seu dispositivo de aquisição.
  • O desenvolvimento da linguagem é uma propriedade que atua independentemente da inteligência.

Críticas da teoria de Chomsky: linguagem e pensamento

  • Não explica como se produz nem como se percebe a linguagem em um ambiente real e cotidiano. Seus estudos se concentram em cenários controlados e irreais.
  • Muitos especialistas afirmam que é uma teoria simples e reducionista e que não leva em conta fatores muito importantes, como a aprendizagem e o entorno social.
  • As provas empíricas que sustentam esta teoria não são suficientes, as ideias de Noam Chomsky e sua teoria de aquisição da linguagem são de teor muito abstrato e, mesmo que tentem explicar processos tão importantes como a aquisição da linguagem, precisam de mais estudos que provem sua validade.
Noam Chomsky e a teoria da linguagem - A teoria Linguística de Chomsky: linguagem e pensamento

Noam Chomsky: livros

Podemos diferenciar duas linhas editoriais de forma clara: seus ensaios políticos e seus estudos sobre linguística. A seguir, destacaremos suas obras mais emblemáticas, classificadas por temática e seguindo uma ordem cronológica.

Livros sobre a teoria da linguagem de Chomsky

  • 1955: Logical Structure of Linguistic Theory (inédito até 1975).
  • 1957: Syntactic Structures (Estruturas Sintáticas).
  • 1965: Aspects of the Theory of Syntax (Aspectos da Teoria da Sintaxe).
  • 1965: Cartesian Linguistics (Linguística cartesiana).
  • 1968: Language and Mind (Linguagem e Mente).
  • 1968: Sound Pattern of English (com Morris Halle).
  • 1970: Current Issues in Linguistic Theory.
  • 1972: Studies in Semantics in Generative Grammar.
  • 1975: Reflections on Language (Reflexões sobre a Linguagem).
  • 1977: Essays on Form and Interpretation (Ensaios sobre Forma e Interpretação).
  • 1980: Rules and Representations (Regras e Representações).
  • 1981: Lectures on Government and Binding: The Pisa Lectures.
  • 1984: Modular Approaches to the Study of Mind.
  • 1986: Barriers (Barreiras).
  • 1986: Knowledge of Language: Its Nature, Origin, and Use. (Conhecimento da Linguagem: Sua Natureza, Origem e Uso).
  • 1995: The Minimalist Program (O programa minimalista).

Noam Chomsky: livros e ensaios políticos

  • 1996: Rollback (Como se reparte o bolo. Políticas dos EUA no final do milênio)
  • 1997: A Vila Global
  • 1997: Class Warfare (Luta de Classes).
  • 1997: World Orders, Old and New (Novas e Velhas Ordens Mundiais).
  • 2002: Propaganda and the Public Mind (A Propaganda e a Opinião Pública)
  • 1983-1999: The Fateful Triangle: The United States, Israel, and the Palestinians (O triângulo fatal)
  • 2003: Luta de Classes
  • 2006: A natureza humana: justiça versus poder, debate com Michel Foucault
  • 2007: Failed States: The Abuse of Power and the Assault on Democracy. (Estados falidos. O abuso de poder e o ataque à democracia).
  • 2008: Interventions (Intervenções)
  • 2013: On Anarchism (Notas sobre o Anarquismo)
  • 2016: Who rules the world (Quem manda no mundo?)
  • 2017: Requiem for the American Dream (Réquiem para o sonho americano)

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Noam Chomsky e a teoria da linguagem, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia cognitiva.

Referências
  1. Chomsky, N. (1980). Rules and representations. Oxford: Blackwell.
  2. White, L., & White, L. (2003). Second language acquisition and universal grammar. Cambridge University Press.
Bibliografia
  • Chomsky, N. (1957). Estructuras Sintácticas, ed. Siglo XXI.
  • Birchenall, L. B., & Müller, O. (2014). The linguistic theory of Noam Chomsky: from beginning to present. Lenguaje, 42(2), 417-442.
  • Análisis de la teoría de Chomsky de Vegas, M. (2018).

Escrever comentário sobre Noam Chomsky e a teoria da linguagem

O que lhe pareceu o artigo?

Noam Chomsky e a teoria da linguagem
1 de 4
Noam Chomsky e a teoria da linguagem

Voltar ao topo da página