Partilhar

Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel

 
Por Nerea Babarro Rodríguez, Psicóloga. 6 julho 2020
Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel

David Paul Ausubel, criador da teoria da aprendizagem significativa, foi um psicólogo e pedagogo referência na psicologia da educação e do construtivismo. Graças a sua teoria, percebemos que a aprendizagem significativa não é algo tão simples como habitualmente pensamos. Não consiste apenas em adquirir conhecimentos através do estudo ou da experiência, mas vai mais além. Não é uma questão dicotômica (tudo ou nada, aprendemos ou não aprendemos), mas trata-se do grau de significatividade com o qual aprendemos, que depende da qualidade e da quantidade dos vínculos que estabelecemos entre os conhecimentos anteriores e o que estamos aprendendo. Em outras palavras, trata-se de um contínuo de maior e de menor significatividade.

Se você se dedica à docência, é mãe ou pai ou simplesmente se interessa pela aprendizagem desde a infância até a idade adulta, este artigo de Psicologia-Online: a teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel oferece a oportunidade de poder aprofundar sobre a aprendizagem significativa.

Também lhe pode interessar: Teoria da aprendizagem social de Bandura

Teoria da aprendizagem significativa: resumo

De acordo com a teoria de Ausubel, o aprendizado das pessoas, independentemente de sua idade, depende de sua estrutura cognitiva anterior, que está vinculada com as novas informações. Sendo as estruturas cognitivas, as representações mentais (conjunto de ideias e conceitos) que a pessoa constrói sobre uma parcela da realidade, pois remete à uma construção pessoal e, portanto, não é real.

Ausubel disse:

Se eu tivesse que reduzir toda a psicologia educativa à apenas um princípio, enunciaria este: O fator mais importante que influencia na aprendizagem é o que o aluno já sabe. Descubra isso e consequentemente ensine-o.

Por este motivo, é de suma importância conhecer a estrutura cognitiva dos alunos. Não se trata apenas de conhecer a quantidade de informações que o aluno conhece, mas quais são os conceitos e proposições que ele domina. Este fato permite uma melhor orientação da tarefa educativa, deixando para trás o conceito de “mentes em branco, tabula rasa ou começar do zero”, e levando em conta que os conhecimentos anteriores afetam a aprendizagem de novos conceitos e, portanto, você deveria aproveitar tudo aquilo anterior para beneficiar o aprendizado significativo do aluno.

O que é aprendizagem significativa

As pessoas aprendem significativamente quando um vínculo de união entre o conhecimento anterior e as novas informações que estamos aprendendo é gerado, e uma vez aprendido, passam a ficar retidas em nossa estrutura cognitiva, de modo que possam ser relacionadas posteriormente com novas informações. Portanto, os conhecimentos anteriores têm o papel de ponto de ancoragem com as novas informações.

Assim, os docentes deveriam garantir que os alunos possam estabelecer relações entre o que já conheciam anteriormente com o que devem aprender. Cabe destacar que é muito comum modificar conhecimentos anteriores à medida que novas informações são aprendidas. Ou seja, quando os conhecimentos anteriores estão vinculados aos novos, estes podem modificar informações erradas dos primeiros.

Estratégias de aprendizagem significativa

Existem diferentes tipos de estratégias de aprendizagem. Aqui vamos nos concentrar nas estratégias de aprendizagem significativa segundo Ausubel, as quais devem ter essas três condições fundamentais:

  1. O material do conteúdo de aprendizagem deve ser potencialmente significativo desde o ponto de vista lógico, referindo-se às características inerentes do material a ser aprendido e à sua natureza. Ou seja, o conteúdo deve ser apresentado de maneira ordenada, estruturada, coesa, entre outros.
  2. O conteúdo da aprendizagem deve ser potencialmente significativo desde o ponto de vista psicológico, levando em consideração os conhecimentos pré-existentes de todos e cada um dos alunos na sala de aula.
  3. Os alunos devem mostrar uma predisposição favorável para aprender significativamente.

De acordo com essas condições para a aprendizagem significativa estabelecidas por Ausubel, o papel do professor nem a interação deste com seus alunos e conteúdos não são levados em consideração. Portanto, se quiséssemos contar com seu papel dentro da aquisição da aprendizagem significativa, poderíamos dizer que é o professor quem deve apresentar o conteúdo de maneira ordenada, estrutura e coesa. Além disso, para potencializar o vínculo entre conhecimentos, o professor poderia, por exemplo, propor uma atividade para conhecer os conhecimentos de seus alunos relacionados com o novo conteúdo e, a partir daqui saber como deve organizar as informações para adaptá-la às necessidades de cada aluno. Finalmente, poderia ser benéfico que o professor promova um clima positivo dentro da sala de aula que incite aos alunos a aprender de maneira significativa.

Estratégias de aprendizagem significativa: construir estruturas cognitivas

Como construir estruturas cognitivas? A forma ideal de explicar como construímos nossas estruturas cognitivas é dada pelo mecanismo de equilíbrio de Piaget, que tem por conceitos principais a assimilação, a acomodação, a adaptação e o equilíbrio. O processo de aprendizagem é o que facilita a construção dessas estruturas e, portanto, dá lugar ao mecanismo de equilíbrio de Piaget da teoria de aprendizagem de Piaget.

Possuímos estruturas cognitivas em qualquer idade e em relação a qualquer conteúdo de aprendizagem, embora estas possam ser pobres, errôneas ou insuficientes, mas há algum ponto de conexão entre conhecimento anterior e novas informações.

Com o conhecimento anterior, somos confrontados com novos conteúdos para aprender. Diante de tudo isso, há um processo de assimilação, no qual é criado um vínculo entre o conhecimento anterior e o novo conteúdo. Mas há situações em que nenhum vínculo de união é encontrado, portanto, neste caso, estaríamos em um desequilíbrio cognitivo, sem obter uma aprendizagem significativa. Isso produz desconforto e ansiedade, por isso e, a fim de reduzir ou eliminar esses sentimentos, inicia-se um processo de acomodação, que consiste em começar a criar novos esquemas, modificar os anteriores, ampliá-los, reestruturá-los, eliminá-los, e assim por diante. Em outras palavras, trata-se de uma reestruturação das estruturas cognitivas. Por outro lado, se encontramos conhecimentos anteriores que encaixem com as novas informações, haverá uma aprendizagem significativa, que levará, como Piaget mencionava, à um reequilíbrio maior, ou seja, à um nível superior.

É necessário enfatizar que não existe acomodação sem assimilação, pois a acomodação é uma reestruturação da assimilação e, o equilíbrio entre estas é a adaptação.

Piaget não enfatiza sua teoria sobre a aprendizagem significativa, segundo ele, trata-se de aumento de conhecimento. Neste sentido, se dá apenas um aumento de conhecimento (aprendizagem significativa) quando o esquema de assimilação apresenta uma acomodação.

Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel - Estratégias de aprendizagem significativa: construir estruturas cognitivas

Exemplos de aprendizagem significativa

A seguir, mostramos situações que podemos tomar como exemplos de aprendizagem significativa, para entender melhor o que é esse tipo de aprendizagem, tanto em crianças como em adultos.

Exemplos de aprendizagem significativa em crianças

Em uma sala de aula infantil começam a trabalhar as verduras. No conhecimento anterior de uma criança aparece que os brócolis é uma verdura de cor verde, e pode generalizar esse conhecimento erroneamente para todas as verduras, pensando que todas são verdes. Quando a professora explica que a couve-flor é uma verdura, o aluno modifica seus esquemas (acomodação) para acrescentar que as verduras não são todas de cor verde e inclui todas as que a professora menciona.

Por outro lado, se o aluno soubesse que existem muitas verduras de diferentes cores e uma delas é branca, redonda e com algumas folhas verdes, quando a professora descreve a couve-flor, o aluno encontrará um vínculo de união entre o conhecimento anterior e o novo, de modo que apenas modificará o nome daquela verdura da qual sabia as características, mas não o nome, dando lugar a um aprendizado significativo.

Exemplos de aprendizagem significativa em adultos

Em uma sala de aula teórica de autoescola estão falando sobre os sinais de trânsito. Na placa aparece um sinal de perigo vacas, e automaticamente, os conhecimentos anteriores de uma aluna se vinculam ao que ela vê nesse sinal. Pois, em seus conhecimentos anteriores encontram-se, separadamente, as características físicas de uma vaca e, que um triângulo em circulação significa perigo. Portanto, aprende de maneira significativa que aquele sinal se refere a estar em perigo, porque pode colidir em vacas no caminho e, portanto, deve controlar sua velocidade.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia cognitiva.

Bibliografia
  • Ausubel, D. (1983). Teoría del aprendizaje significativo. Fascículos de CEIF, 1, 1-10.
  • Moreira, M.A., Caballero, M.C. y Rodríguez, M.L. (orgs.). (1997). Actas del Encuentro Internacional sobre el Aprendizaje Significativo. Burgos, España. pp. 19-44. Traducción de Mª Luz Rodríguez Palmero.

 

Escrever comentário sobre Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel

O que lhe pareceu o artigo?

Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel
1 de 2
Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel

Voltar ao topo da página