menu
Partilhar

O que é vício: definição e porque acontece

 
Por Bryan Longo. 6 março 2021
O que é vício: definição e porque acontece

O vício é uma perda de controle caracterizada pela prática compulsiva do comportamento, onde há prejuízo ou piora da qualidade de vida da pessoa devido às consequências negativas da prática do comportamento vicioso.

No vício existe negação ou autoengano que se apresenta como uma dificuldade para perceber a relação entre o comportamento vicioso, o deterioramento pessoal e o uso, apesar das consequências. No seguinte artigo de Psicologia-Online, te daremos a oportunidade de entender o que é vício, sua definição e porque acontece.

Também lhe pode interessar: Tipos de vícios e suas consequências

O que é vício

A descrição de vício é um tanto controversa, já que diferentes sociedades têm um critério diferente para avaliá-lo. Por isso começaremos descrevendo alguns conceitos implicados nos vícios, para assim poder diferenciá-los:

  1. O uso de uma substância não tem nenhuma significação clínica, nem social, ou seja, o termo "uso" significa simplesmente utilização sem efeitos médicos, sociais e familiares. É um consumo isolado, episódico, ocasional e sem nenhum ritmo de habitualidade, sem tolerância nem dependência.
  2. O hábito seria o costume de consumir uma substância por termos nos adaptado a seus efeitos. Há, portanto, um desejo do produto, mas se deseja de uma maneira urgente. Não existe uma tendência de aumentar a dose, nem se sofre transtornos físicos ou psíquicos importantes quando a substância não é obtida. A busca da substância é limitada e nunca significa uma alteração comportamental.
  3. O abuso consiste no consumo de uma droga que prejudica ou ameaça prejudicar a saúde física, mental ou o bem-estar social de um indivíduo. Trata-se de um uso inadequado por sua quantia ou finalidade.
  4. A dependência foi definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1964 como um estado de intoxicação periódica ou crônica produzida pelo consumo repetido de uma droga natural ou sintética e caracterizada por um desejo dominante para continuar consumindo a droga e obtê-la de qualquer forma. Na dependência existe uma tendência a incrementar a dose e pode haver síndrome de abstinência por retirar o consumo da droga. No seguinte artigo você encontrará como as drogas são classificadas e quais são seus efeitos.

 

Vício: definição

Segundo a OMS, um vício consiste no consumo repetido de substância psicoativas que causam no consumidor um desejo compulsivo de consumir e uma grande dificuldade para interromper o consumo. No entanto, o termo utilizado para isso é dependência. Atualmente, os vícios comportamentais também são considerados, como o jogo patológico.

Nos vícios estão presentes os sintomas cognitivos que se observam no deterioramento das funções executivas, que são as capacidades que nos permite desenvolver um comportamento eficaz e socialmente adaptado. Dentro delas se encontram a definição de meta, o planejamento e programação, a inibição de comportamentos, a memória, a estimação temporal e o raciocínio abstrato. Estas funções se relacionam com os lóbulos pré-frontais e são necessários para um funcionamento social diário eficaz e adequado.

Também se pode aludir dentro do aspecto cognitivo os pensamentos ou ideias intrusivas tipo obsessivas no sujeito viciado. Estas ideias são involuntárias, invasivas, repetitivas e perturbadoras que se mantêm ou permanecem por longos períodos apesar das tentativas de escapar deles (por exemplo, as imagens repetidas do consumo).

Os sintomas comportamentais são outros dos aspectos que se apresentam nos vícios que surgem provavelmente como resposta ao aspecto cognitivo. Estes sintomas se observam nos comportamentos como a busca imperiosa da substância, o uso das substância apesar de suas consequências com o propósito de aliviar a ansiedade produzida pelos pensamentos intrusivos ou com o objetivo de reduzir os sintomas fisiológicos (suor excessivo, dores de cabeça, inquietação motora/tremores, nistagmo, problemas de sono, aumento ou redução da frequência cardíaca, náuseas, vômitos, pupilas dilatadas, calafrios, apertar os dentes, boca seca, o aumento da percepção dos sentidos, tontura, entre outros).

Sintomas de um vício

Os sintomas de um vício podem ser organizados da seguinte maneira:

1. Controle deficitário

A pessoa que consome grandes quantidades da substância ou que chega a fazer durante um período mais extenso do que o planejado, acaba expressando falta de controle para abandonar o consumo apesar de suas tentativas e desejos constantes. A pessoa emprega grande parte de seu tempo para conseguir consumir ou se recuperar os efeitos da substância. Estas pessoas também expressam sentir ansiedade intensa por consumir a substância.

2. Deterioramento social

O sujeito viciado perde ou expressa um deterioramento em suas relações sociais (amigos e família), levando-o também ao não cumprimento de suas responsabilidades, sejam acadêmicas, profissionais ou na família. Mantêm o consumo apesar de que este possa produzir problemas em seu círculo social, até mesmo ignoram que o consumo os levou a abandonar as atividades que antes gostavam de fazer.

3. Consumo de risco

O sujeito viciado mantém o consumo, mesmo que isto o exponha a acidentes, possa causar ou exacerbar doenças físicas ou psicológicas.

4. Aspectos fisiológicos

Nos vícios é importante mencionar a presença de tolerância e abstinência:

  • A tolerância pode ser explicada como o aumento considerável da dose ou quantidade da substância para conseguir os efeitos desejados, ou como uma considerável redução do efeito quando se consome a dose habitual (por exemplo, com duas latas de cerveja o sujeito já não percebe ou não consegue os efeitos que quando começou a consumir percebia, portanto precisa consumir mais, já que o organismo do sujeito viciado poderia ser considerado como acostumado e tolera melhor a dose).
  • A abstinência se apresenta quando o consumo habitual e prolongado é interrompido e as concentrações da substância no sangue diminuem, e o sujeito manifesta sintomas físicos, cognitivos e comportamentais variáveis em cada substância. Neste período é possível que o sujeito consuma a substância para aliviar os sintomas.

Erros de diagnóstico

O DSM 5 (2013) explica que a aparição de uma tolerância e de uma abstinência farmacológicas, esperáveis e normais durante o tratamento médico implicou em um diagnóstico errôneo de vício, até mesmo quando apenas esses sintomas aparecem. As pessoas cujos sintomas apenas aparecem como resultado do tratamento médico, isto é, a tolerância e a abstinência como parte do tratamento médico prescrito, não deveriam receber o diagnóstico baseando-se unicamente em tais sintomas. No entanto, os medicamentos que foram prescritos podem ser tomados de forma inapropriada e, portanto, poderia se diagnosticar um transtorno por consumo de substâncias se se apresentam, além disso, outros sintomas comportamentais da busca compulsiva da substância.

O que é vício: definição e porque acontece - Erros de diagnóstico

Por que o vício é produzido?

Uma das grandes causas dos vícios que se expõe na psicanálise é a baixa tolerância à frustração, que se forma devido a exposição constante ao prazer proporcionado por pelos pais. Seremos sujeitos incapazes de tolerar a dor ou a frustração que certamente irá aparecer na vivência diária, portanto o consumo de uma substância irá produzir em mim uma esperança para pular esse período inevitável de dor ou frustração da vida.

Essa exposição ao prazer constante que minhas experiências na infância me levaram, onde eu chorava e me faziam minhas vontades, ou em onde eu me sentia frustrado e solucionavam o problema para mim, formou em minhas células ou uma estrutura em minha neuroquímica. Cada vez que me faziam a vontade meu sistema se ativava de recompensa e dopamina era produzida, o neurotransmissor associado aos vícios.

Os neurotransmissores sendo substâncias em nosso corpo podem se converter em um vício, se ao ter um aumento de dopamina há prazer, vou precisar repetir a uma e outra vez esta sensação que essa substância me produz inconscientemente: buscarei ativamente algo que reproduza minha experiência infantil de evasão da frustração e evocação do prazer.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a O que é vício: definição e porque acontece, recomendamos que entre na nossa categoria de Dependências.

Conselhos
  • Se você acha que é viciado em alguma substância, reconhecer que você tem um problema é o primeiro passo para conseguir ajuda.
  • Comunique a seus amigos a sua decisão de deixar de consumir a substância em questão.
Bibliografia
  • American Psychiatric Association. (2013). Manual diagnóstico y estadístico de los trastornos mentales (DSM 5). Editorial Panamericana.
  • Organización Mundial de la Salud. (1994). Glosario de términos de alcohol y drogas. [online] Disponible en: https://www.who.int/substance_abuse/terminology/lexicon_alcohol_drugs_spanish.pdf [Recuperado el 28 de octubre de 2019].

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

O que é vício: definição e porque acontece
1 de 2
O que é vício: definição e porque acontece

Voltar ao topo da página