Psicologia clínica

Depressão reativa: o que é, sintomas e tratamento

 
Alejandro Garcia Mingrone
Por Alejandro Garcia Mingrone. 25 maio 2023
Depressão reativa: o que é, sintomas e tratamento

A depressão reativa é um dos transtornos de saúde mental que se manifesta após a experiência de um evento traumático, como a perda de um ente querido, o fim de um relacionamento, etc. Os sintomas da depressão reativa são semelhantes aos de outros tipos de depressão, incluindo tristeza, ansiedade, falta de energia, entre outros.

A incerteza e o desconforto gerados pela depressão reativa podem levar à necessidade de obter mais informações sobre esse quadro clínico. É importante ter uma compreensão clara desse transtorno para entender como ele se manifesta e como tratá-lo. Portanto, neste artigo de Psicologia-Online, falaremos sobre a depressão reativa: o que é, sintomas e tratamento.

Índice

  1. O que é depressão reativa
  2. Sintomas de depressão reativa
  3. Causas da depressão reativa
  4. Tratamento da depressão reativa e exemplos

O que é depressão reativa

A depressão reativa é um tipo de depressão que ocorre como resposta a um evento estressante na vida de uma pessoa. Esse evento pode ser uma perda significativa, como a morte de um ente querido, o fim de um relacionamento importante, perda de emprego, entre outros.

Ao contrário de outros quadros clínicos de depressão, a depressão reativa tem uma duração limitada e acaba quando o evento traumático é superado. Em termos gerais, essa condição dura alguns meses, mas pode variar de pessoa para pessoa.

De acordo com o DSM-V[1], a depressão reativa pode ser classificada dentro do grupo de transtornos relacionados a traumas e fatores estressantes. Para estabelecer um diagnóstico adequado, os seguintes critérios específicos devem estar presentes:

  • Exposição a situações traumáticas, reais ou imaginárias;
  • Lembranças persistentes;
  • Pesadelos sobre o evento estressante;
  • Angústia;
  • Evitação de estímulos associados ao momento traumático;
  • Dificuldade em se lembrar de eventos;
  • Diminuição do interesse em participar de atividades sociais;
  • Duração de um mês ou mais;
  • Prejuízo nas relações sociais, profissionais e/ou familiares;
  • As alterações não podem ser explicadas pelo uso de substâncias tóxicas e/ou medicamentos psiquiátricos.

Sintomas de depressão reativa

Como vimos, a depressão reativa é uma resposta emocional a um evento ou situação estressante na vida, como uma separação, problemas no trabalho, financeiros ou de saúde. Os sintomas da depressão reativa podem incluir:

  • Sentimentos persistentes de tristeza e desesperança;
  • Perda de interesse em atividades que costumavam ser prazerosas;
  • Mudanças no apetite e no peso;
  • Problemas para dormir ou dormir em excesso;
  • Fadiga ou falta de energia;
  • Sentimentos de inutilidade ou culpa;
  • Dificuldade de concentração ou na tomada de decisões;
  • Pensamentos negativos recorrentes sobre morte ou suicídio.

É importante levar em consideração que esses sintomas também podem estar presentes em outros tipos de depressão, por isso é essencial conversar com um profissional de saúde mental para obter um diagnóstico e um tratamento adequados.

Depressão reativa: o que é, sintomas e tratamento - Sintomas de depressão reativa

Causas da depressão reativa

As causas mais comuns da depressão reativa podem ser tanto ambientais quanto genéticas. Vejamos a seguir:

  • Fatores ambientais: podem ser qualquer situação que a pessoa não tenha sido capaz de suportar, como a perda de um ente querido ou um relacionamento significativo, problemas financeiros ou profissionais, uma doença ou lesão grave, tanto própria quanto de alguém que estimamos, mudanças importantes na vida, como se mudar para uma nova cidade ou ter um filho.
  • Fatores genéticos: as conexões neurais podem ser alteradas após a exposição a um evento estressante. Por essa razão, é importante prestar atenção se as funções cognitivas estão funcionando corretamente após passar por uma situação complexa.

É importante observar que nem todas as pessoas que passam por situações estressantes desenvolvem depressão reativa. A vulnerabilidade individual, histórico de trauma e falta de suporte também podem influenciar a probabilidade de desenvolver depressão reativa.

Tratamento da depressão reativa e exemplos

Se você quer sair de um quadro de depressão reativa, existem diversas estratégias eficazes para aliviar os sintomas desse transtorno. Descubra como tratar esse quadro depressivo com as seguintes recomendações:

  • Terapia psicológica: existem métodos terapêuticos eficazes no tratamento da depressão reativa. Quando surgirem sintomas que dificultem o desempenho das atividades diárias, é importante procurar um profissional de saúde mental para lidar com essa situação;
  • Medicação psiquiátrica: o uso de antidepressivos reduz a intensidade dos sintomas da depressão reativa, regulando os circuitos neurais e equilibrando as respostas emocionais. No entanto, é importante destacar que o uso desse tipo de medicamento deve ser supervisionado por um profissional de saúde mental, como um médico psiquiatra;
  • Escrita: escrever os pensamentos e emoções que surgem após o evento traumático pode ajudar a expressar tudo o que causa desconforto e a adotar uma nova perspectiva de vida;
  • Alimentação saudável: adotar uma dieta baseada em frutas, verduras, sementes, grãos integrais e água é fundamental para manter um bom nível de energia;
  • Exercício físico: liberar a tensão muscular por meio da prática de exercícios físicos pode liberar endorfinas, neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem-estar, além de diminuir a dor.
Depressão reativa: o que é, sintomas e tratamento - Tratamento da depressão reativa e exemplos

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Depressão reativa: o que é, sintomas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Referências
  1. Asociación Estadounidense de Psiquiatría (2013). Manual diagnóstico y estadístico de los trastornos mentales (5ta edición). Arlington: Editorial Médica Panamericana.
Bibliografia
  • Álvarez-Mon, M., Vidal, C., Llavero-Valero, M., Ortuño, F. (2019). Actualización clínica de los trastornos depresivos. Revista Medicine, 12 (86), 5041-5051.
Escrever comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 de 3
Depressão reativa: o que é, sintomas e tratamento