Partilhar

Processos cognitivos básicos e superiores: exemplos e tipos

 
Por Marissa Glover, Psicóloga. Atualizado: 7 novembro 2019
Processos cognitivos básicos e superiores: exemplos e tipos

Quando falamos de processos cognitivos, falamos de todas as funções mentais que nos permitem receber, armazenar e processar toda a informação que nos chega do nosso ambiente. Este processo é básico e fundamental nos seres humanos uma vez que, graças a ele, podemos notar, compreender e interagir melhor com o que nos rodeia.

Todos esses processos mentais têm como fundo a implicação de milhões de neurônios que estão conectados entre eles e que nos permitem processar a informação de forma adequada. Nesse artigo de Psicologia-Online, falaremos sobre os processos cognitivos básicos e superiores: exemplos e tipos, conhecendo em detalhe em que consiste cada um deles.

Também lhe pode interessar: Tipos de fobias: explicações e exemplos

Processos cognitivos básicos

Todas as pessoas contam com certas habilidades cognitivas que permitem executar tarefas cotidianas como, por exemplo, saber em que direção vamos, identificar as mudanças que ocorrem no nosso ambiente, focar a nossa atenção onde queremos, tomar decisões simples e importantes, recordar o que temos de fazer durante o dia, reconhecer sons, calcular quanto temos que pagar quando fazemos compras, entre muitas outras ações básicas e indispensáveis na nossa vida cotidiana.

Os processos cognitivos básicos são muito importantes, já que são a base que nos permite receber a informação, armazená-la e usá-la para depois poder executar is processos cognitivos superiores.

Sensação e percepção

Se trata da forma de sentir e percepcionar o mundo através dos nossos sentidos sem esforço aparente. Podemos receber informação do que nos rodeia e também do nosso próprio corpo, o qual nos permite interpretar tudo o que percepcionamos e compreender de forma coerente e organizada o ambiente e a nossa própria realidade. Graças aos nossos sentidos, podemos conhecer os diferentes tipos de objetos que existem no mundo, entender imagens, sensações, entre muitas outras coisas, o que é um forma imediata de conhecimento.

  • Exemplo: através do sentido da vista, podemos observar uma grande quantidade de cenas visuais que nos permitem conhecer o que temos à nossa volta (objetos, pessoas, signos, símbolos, etc.). O nosso sentido de audição permite escutar uma ampla gama de sons existentes no nosso ambiente (sons, volume, timbre, etc.)

Memória

Como todos sabemos, a memória permite encontrar respostas a certas questões, como por exemplo saber a nossa própria data de nascimento, recordar eventos que aconteceram no passado, saber o que acabaram de nos dizer há um momento, entre muitas outras coisas. A memória permite analisar e ordenar a informação que recebemos do exterior para depois recuperá-la no momento em que desejamos. Cabe mencionar que existem diferentes tipos de memória como, por exemplo, a sensorial, a memória a longo e curto prazo, a memória de trabalho, a semântica, ma autobiográfica, entre outras.

  • Exemplo: um exemplos da memória sensorial pode ser identificar um odor no ambiente e que o mesmo nos recorde de algum acontecimento do passado que foi significativo para nós. Outro exemplo pode ser escutar uma canção que nos faz lembrar alguém ou algum momento específico que nos marcou de certa maneira.

Atenção

Este processo cognitivo básico faz referência à nossa capacidade de concentração em um grande número de estímulos, assim como nos que são particularmente do nosso interesse. Felizmente, não precisamos de estar sempre prestando atenção aos estímulos que surgem no nosso ambiente, uma vez que alguns se automatizam devido à sua constante repetição. Isso acontece, por exemplo, com as ações de caminhar, respirar, mastigar, entre outras. Contudo, existem ocasiões onde o nosso grau de atenção e concentração deve aumentar e isso requer um esforço consciente superior.

  • Exemplo: quando um amigo tem algo importante para contar, decidimos deixar de prestar atenção aos demais estímulos do ambiente e fazemos um esforço para concentrar-nos unicamente no que ele está falando. Outro exemplo seria quando nos pedem para apresentar um tema específico no trabalho ou na escola e temos de colocar toda a nossa concentração nisso.
Processos cognitivos básicos e superiores: exemplos e tipos - Processos cognitivos básicos

Processos cognitivos superiores

Os processos cognitivos superiores são os que se executam depois dos básicos e que se encargam de integrar a informação ao máximo com a que já possuímos previamente. Geralmente, se trata de processos conscientes e requerem um esforço mental maior para serem executados. Por isso, vamos descrever os processos cognitivos mais importantes na educação:

Pensamento

É um processo mental que se encarrega de raciocinar, tomar decisões, resolver problemas d avida cotidiana, entre muitas mais funções, devido à sua complexidade e heterogeneidade. Para poder levar a cabo todas essas ações, necessitamos criar conceitos na nossa mente, organizar as nossas ideias, agrupar objetos, pessoas, entre outros elementos.

  • Exemplo: quando queremos tomar a decisão de que carreira universitária estudar, começamos a organizar as nossas ideias e a ter pensamentos onde analisamos os prós e os contras de optar por uma determinada carreira e não por outra. Finalmente, tomamos a melhor decisão que se adapte à nossa forma de ser e aos objetivos que pretendemos alcançar na vida.

Linguagem

A linguagem é a capacidade com que contamos para emitir e compreender distintos tipos de sons e palabras que vêm do exterior, em combinação com um grande número de frases e letras, com a finalidade de entender e comunicar com as outras pessoas.

Além da linguagem verbal, também existe a linguagem corporal, que é a que usamos para comunicar com o corpo através das nossas posturas e gestos, os quais também podem ser interpretados pelo nosso interlocutor. O desenvolvimento de ambos os tipos de linguagem continua evoluindo praticamente ao longo de toda a nossa vida.

  • Exemplo: A linguagem verbal ou corporal pode ser percepcionada quando, por exemplo, uma pessoa nos conta algo que na verdade não nos interessa muito, mas não podemos pedir que deixe de falar. A pessoa pode notar que o seu discurso não nos interessa através da nossa linguagem corporal, já que provavelmente começaremos a bocejar, desviaríamos o olhar para outro lado, os nossos pés apontam para outro lugar e não para a pessoa que está falando, etc., o que indicaria falta de interesse. Descubra os tipos de comunicação não verbal nesse artigo.

Outros tipos de processos cognitivos superiores

O ser humano se caracteriza por possuir uma mente capaz de processar estímulos e gerar respostas a partir desse processamento. Os nossos processos cognitivos superiores são muito variados e existem mais tipos além da linguagem e do pensamento.

Alguns tipos de processos cognitivos superiores são so seguintes:

  • Motivação
  • Aprendizagem
  • Imaginação
  • Criatividade
Processos cognitivos básicos e superiores: exemplos e tipos - Processos cognitivos superiores

Inteligência como processo cognitivo

A inteligência é um dos principais conceitos de estudo da psicologia, pelo que uma infinidade de psicólogos ao longo do tempo foram reflexionando, argumentando e fazendo as suas próprias conclusões sobre o que é a inteligência. Finalmente, hoje em dia, é possível concluir que a inteligência não é composta apenas por um tipo de habilidade ou aptidão para poder defini-la, daí surge uma das teorias que teve maior aceitação sobre esse conceito.

As inteligências múltiplas

A teoria das inteligências múltiplas de Gardner faz referência a que, por não existir apenas um tipo de inteligência, devem ser consideradas distintas capacidades da pessoa em diferentes âmbitos. Por esse motivo, ele dividiu a inteligência nos seguintes tipos: inteligência intrapessoal, interpessoal, linguística, musical, entre outras Logo, casa pessoa pode ter algum tipo de inteligência mais desenvolvido que outras, já que também se considera que este processo mental não é estático e pode se ir desenvolvendo ao longo do tempo.

  • Exemplo: uma pessoa pode ter a inteligência musical muito desenvolvida, sendo capaz de aprender mais rápido e ler melhor as notas musicais, assim como aprender a tocar um ou mais instrumentos. Contudo, não tem a inteligência interpessoal muito desenvolvida, tendo problemas na hora de se relacionar com as outras pessoas por possuir poucas habilidades sociais.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Processos cognitivos básicos e superiores: exemplos e tipos, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia cognitiva.

Bibliografia
  • Rivas, M. R. N. (2008). Procesos cognitivos y aprendizaje significativo. Acessado a 6 de janeiro de 2019. Disponível em: http://dide.minedu.gob.pe/bitstream/handle/123456789/4809/Procesos%20cognitivos%20y%20aprendizaje%20significativo.pdf?sequence=1&isAllowed=y
  • Arranz, A. A. (2017, 18 octubre). Procesos cognitivos: Qué son y cómo podemos mejorar nuestros procesos mentales. Acessado a 6 de janeiro de 2019. Disponível em: https://blog.cognifit.com/es/procesos-cognitivos/





Escrever comentário sobre Processos cognitivos básicos e superiores: exemplos e tipos

O que lhe pareceu o artigo?

Processos cognitivos básicos e superiores: exemplos e tipos
1 de 3
Processos cognitivos básicos e superiores: exemplos e tipos

Voltar ao topo da página