menu
Partilhar

Autismo em adultos: sintomas, diagnóstico e tratamento

 
Por Equipe editorial. 15 outubro 2021
Autismo em adultos: sintomas, diagnóstico e tratamento

O autismo é uma condição neurocomportamental que afeta a capacidade do indivíduo em se comunicar e se relacionar. Esse transtorno causa à pessoa muitas limitações e, consequentemente, afeta diretamente quem está ao seu redor. Independentemente da etapa da vida em que a pessoa seja diagnosticada com essa condição, é necessário aprender a tratá-la de uma forma que a possibilite ter a melhor qualidade de vida possível.

Quais tipos de autismo existem? Quais são as características dessa condição? Você quer saber mais sobre esse tema? Nesse artigo de Psicologia-Online, vamos te ajudar a entender melhor sobre o que é o autismo em adultos, os sintomas, como fazer o diagnóstico e qual o tratamento.

Sintomas do autismo em adultos

O autismo, também chamado de Transtorno do Espectro Autista (TEA), é um transtorno no desenvolvimento neurológico, ou seja, uma disfunção neurológica. Os sintomas do autismo em adultos são manifestados basicamente pelos seguintes comportamentos ou sinais:

  • Déficit de interação social.
  • Dificuldade na linguagem e na comunicação.
  • Comportamentos e interesses repetitivos.

Essas três áreas são as mais afetadas por transtornos autistas. Quando falamos de autismo, há uma imagem clássica reproduzida nos filmes, séries e livros, que cria um estereótipo do autismo, e isso não deve ser visto como uma verdade absoluta. O autismo não é um transtorno único, mas, sim, um conjunto de questões que sofrem variações de intensidade e tipo.

Tipos de autismo em adultos

Dependendo do transtorno neurológico sofrido, os seguintes tipos de autismo podem se manifestar em adultos:

  • Síndrome de Asperger: as pessoas apresentam dificuldades de interação social, de comunicação e executam comportamentos repetitivos. Suas capacidades cognitivas e de linguagem são relativamente preservadas e algumas podem apresentar níveis de QI acima da média. Um indivíduo com síndrome de Asperger pode ter uma vida independente sem problemas.
  • Autismo clássico: as características do autismo em adultos nesses casos são a deficiência nas capacidades cognitivas e sociais, ou seja, existe um grau moderado a grave em suas dificuldades de interação social, comunicação e comportamento.
  • Autismo do tipo regressivo: indivíduos que se desenvolveram normalmente até atingirem aproximadamente um ano e meio e, aos três anos, sofreram uma regressão na linguagem e no comportamento, tornando-se autistas.

Como o autismo em adultos é diagnosticado

Se pensarmos que uma criança começa a demonstrar sinais de alguma formação irregular, então, o profissional que pode diagnosticar o autismo durante seu desenvolvimento, de acordo com a idade, seria o pediatra. Já quando pensamos na fase adulta, pode ser que o adulto com autismo tenha tido uma infância e adolescência complicadas, com sentimentos de não se encaixar nos grupos, sentir que possui interesses diferentes que a maioria, dificuldade para iniciar e manter amizades.

Portanto, esse adulto precisa de um diagnóstico para que tenha certeza de sua condição e que o possibilite entender suas dificuldades e identificar suas limitações. Nesse caso, o diagnóstico pode ser realizado por um psicólogo especializado, que realizará exames diagnósticos específicos.

Teste de autismo em adultos

Os testes diagnósticos são instrumentos utilizados para uma pesquisa que tem como objetivo direcionar as hipóteses levantadas pelo profissional. Quando um psicólogo recebe seu paciente, o teste de autismo realizado para diagnosticar o transtorno em adultos inclui os seguintes procedimentos:

  • Entrevistas com o paciente.
  • Entrevista com a família, embora nem sempre aconteça.
  • Aplicação de testes, os quais o profissional considerar necessários para concluir o diagnóstico.

Tratamento para autismo em adultos

O tratamento para autismo em adultos será diferente, conforme cada pessoa e seus sintomas. É importante saber que existem diversas metodologias para abordar isso. A seguir, veremos como tratar o autismo em adultos com medicamentos, com psicoterapia e com a terapia ABA ou Applied Behavior Analysis.

Medicamentos para o autismo em adultos

No que se refere ao tratamento de autismo em adultos, sabe-se que não existe um medicamento voltado para melhorar os sintomas do autismo, como a dificuldade de interação e comunicação. Sendo assim, existem medicamentos que são prescritos para conter alguns dos comportamentos que podem ser vistos como problemáticos, como, por exemplo, um comportamento agressivo ou uma crise de ansiedade, entre outros.

Os medicamentos utilizados para tratar o autismo em adultos são:

  • Antipsicóticos.
  • Antidepressivos: inibidores da recaptação de serotonina.
  • Estimulantes e outros medicamentos para a hiperatividade.

Há estudos que indicam que os medicamentos podem ajudar na redução do sofrimento emocional, da agressividade, da hiperatividade ou de outros sintomas. O objetivo desses tratamentos com medicamentos é ajudar os adultos com autismo.

Psicoterapia para o autismo em adultos

O comportamento do autista muitas vezes é o de não falar ou repetir várias vezes frases fora de contexto. Por isso, é importante um tratamento individualizado, de acordo com as limitações apresentadas em cada pessoa. Existem tratamentos comportamentais bastante efetivos que podem ajudar tanto crianças como adultos a superarem dificuldades.

A psicoterapia como tratamento de autismo em adultos ajuda nos seguintes âmbitos:

  • Estimular os comportamentos sociais: contato visual e comunicação funcional.
  • Estimular comportamentos acadêmicos: incentivo ao hábito de ler, escrever e fazer contas.
  • Aprender atividades rotineiras: higiene pessoal
  • Redução de comportamentos problemáticos: agressões, automutilações, agressões verbais e outras.

Terapia ABA para o autismo em adultos

Entre os tratamentos para autismo em adultos, existe a terapia ABA. Uma técnica com evidência científica para tratar os casos de autismo. Especificamente, consiste em realizar uma análise de comportamento aplicado com foco no reforço de comportamentos positivos.

Esta técnica pretende ensinar a pessoa autista, de forma intensa e individualizada, as habilidades necessárias para que ela possa adquirir independência e uma melhor qualidade de vida.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Autismo em adultos: sintomas, diagnóstico e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Bibliografia
  • American Psychiatric Association. (2014). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. Porto Alegre: Artmed.
  • Benitez, P., Albuquerque, I., Manoni, N., Ribeiro, A., Bondioli, Ri. (2020). Centro de aprendizagem e desenvolvimento: estudo de caso interdisciplinar em aba. Psicologia: teoria e prática, 22(1), 351-367.Recuperado de http://dx.doi.org/10.5935/1980-6906/psicologia.v22n1p351-367
  • Fraga, I. (2010). Autismo ainda um enigma. Revista Ciencia Hoje, 21-25
  • Institutos Nacionales de la Salud. Tratamiento con medicamentos para el autismo. Recuperado de: http://espanol.nichd.nih.gov

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Autismo em adultos: sintomas, diagnóstico e tratamento
Autismo em adultos: sintomas, diagnóstico e tratamento

Voltar ao topo da página