menu
Partilhar

Não gosto do meu trabalho, o que fazer?

 
Por Gianluca Francia, Psicólogo. 28 janeiro 2021
Não gosto do meu trabalho, o que fazer?

Você não gosta do seu trabalho? Você quer transformar sua vida profissional, mas tem medo de pular no escuro? Passamos grande parte de nossas vidas trabalhando: se estamos desmotivados, decepcionados, aborrecidos, irritados, estamos perdendo uma parte importante de nós mesmos. A maioria dos trabalhadores não se queixa apenas de uma remuneração inadequada ou que o trabalho realizado não corresponde às suas aspirações e qualificações, mas também - muitas vezes, acima de tudo - do fato de trabalhar em um ambiente social pouco acolhedor e amistoso, de não se sentir parte da vida empresarial e de ter relações pouco gratificantes (ou até frias e hostis) com seus colegas e/ou seus superiores. Com este artigo de Psicologia-Online, veremos o que podemos fazer todas aquelas vezes que nos fazemos a pergunta: se eu não gosto do meu trabalho, o que eu faço?

Não gosto do meu trabalho, mas ganho bem

Talvez depois de anos de sacrifícios não tenhamos conseguido alcançar uma posição satisfatória do ponto de vista profissional, mas o aspecto econômico nos recompensa de alguma forma. Mudar de emprego não é uma opção fácil: a ideia de voltar a uma situação precária, a perspectiva de não poder pagar uma hipoteca e manter uma família, por exemplo, muitas vezes nos bloqueiam e não nos permitem realizar o que no fundo não deveria ser um sonho: encontrar uma posição de trabalho satisfatória.

O trabalho faz parte da vida: tem que trabalhar para ganhar a vida, mas não se trabalha apenas pelo salário. Trabalhar pode ser também uma fonte de alegria e satisfação, pode dar energia e acima de tudo oferecer um propósito, um objetivo; o trabalho permite aprender coisas novas e, se desenvolvido junto com outras pessoas, também pode gerar um sentimento de pertencimento.

  • Se seu trabalho é entediante, você pode transformá-lo em um jogo divertido que ocupe sua mente: você verá que o fará com mais prazer! Você se lembra de quando era uma criança e tinha que prestar atenção aos seus afazeres cotidianos? Tudo era como um jogo e, em geral, fazíamos com muito prazer, embora fosse repetitivo. Você tem que fazer tudo parecer um jogo, fazendo o melhor que puder.
  • Outra ideia para lidar com um trabalho que você não gosta é estabelecer desafios e metas que o motivem e que você goste.
  • Você pode inovar e criar novas áreas em seu trabalho profissional que você goste mais.
  • Outra coisa que você pode fazer se quer permanecer em um trabalho que não gosta agora é explorar e aprender algo que você goste e tentar incorporá-lo ou relacioná-lo com seu trabalho atual.
  • Uma ideia para lidar com um trabalho que você não gosta é criar relações sociais que contribuam e o ajude a passar as horas no trabalho de forma mais agradável e proveitosa.
  • Outra opção, se você não gosta nem um pouco deste emprego é pedir demissão e procurar outra oportunidade de trabalho.

O que fazer quando não se sente bem no trabalho

Passamos quase um terço de nossas vidas trabalhando e é compreensível que o trabalho seja muito importante para todos e todas. No entanto, a maioria das pessoas se sentem insatisfeitas com seu trabalho e só o aceitam por necessidade; são poucas as pessoas que abraçam alegremente as manhãs de segunda-feira, e mesmo aquelas que possuem um trabalho bem remunerado e potencialmente realizado, muitas não conseguem obter uma satisfação real devido às inúmeras fontes de estresse, ao clima de excessiva incerteza e competição, bem como à atmosfera social ruim em que operam.

Se você não está satisfeito com seu trabalho talvez seja porque não tenha escolhido o que fazer e seguiu uma profissão ao acaso. Você tenta ignorar os sonhos dos quais desistiu e dizer a si mesmo: "não consigo nada melhor; pode não ser o melhor, mas pelo menos eu tenho um emprego".

Ficar em um trabalho que você não gosta ou sair de um trabalho que você não gosta? Se nosso trabalho não nos faz felizes, não precisamos necessariamente mudá-lo. No entanto, o trabalho ocupa a maior parte de nossas vidas e isso nos deixa apenas duas opções para ser felizes: ou fazemos de nossa paixão nosso trabalho ou encontramos paixão no que fazemos. Isso fará uma grande diferença em nossa qualidade de vida.

Você está cansado do trabalho que faz e quer correr atrás do seu sonho? Portanto, sua realização profissional depende da sua capacidade de se concentrar em seus valores internos e transformá-los em uma profissão rentável.

Renunciar ao trabalho ou não? A seguir, oferecemos algumas dicas e exercícios que o ajudarão a tomar a melhor decisão.

  • Coloque em uma balança os aspectos positivos e negativos do trabalho.
  • Avalie a importância dos aspectos positivos e negativos para você.
  • Veja se os aspectos negativos podem ser modificados.
  • Veja se há coisas que poderiam mudar: comunique seu desacordo com alguns aspectos do trabalho e proponha alguma solução.
  • Veja se podem aumentar os aspectos positivos.

Não aguento mais meu trabalho, devo sair?

Muitas pessoas estão entediadas no trabalho. A verdade é que a maioria dos trabalhos requerem tarefas repetitivas, que se renovam a cada dia e que aparentemente não dão nenhuma satisfação. Se você espera encontrar seu trabalho ideal pronto, tem uma boa chance de nunca encontrá-lo: o trabalho ideal deve ser criado, assim como muitas coisas na vida. A maioria das pessoas não encontram seu emprego ideal, não porque não tenham informações suficientes sobre o mundo do trabalho, mas porque não têm informações suficiente sobre seu mundo interior.

De fato, "Criar" o trabalho ideal requer um profundo conhecimento de si mesmo, que leva a ser mais resistente ao estresse, mais focado, é mais fácil para nós entender o que realmente queremos e por que, mas também para encontrar nosso lugar no mundo profissional.

Eu não sei o que fazer com minha vida profissional

Se você não gosta de nenhum trabalho, por enquanto, e não se vê fazendo algo, é normal que não saiba o que fazer com sua vida profissional. Aqueles que trabalham geralmente sabem muito bem o que precisam para fazer seu trabalho bem e com prazer. Às vezes, no entanto, pode não ser assim e pode ocorrer que experimente uma sensação desagradável, às vezes até difícil de expressar. Podem carecer de recursos pessoais, ou a pressão de trabalho é muito alta, ou pode haver algo mais que, mesmo temporariamente, não funcione como deveria na pessoa ou em seu trabalho.

Irritação, frustração e problemas não devem ser escondidos, pois o silêncio apenas aumenta a tensão. A irritabilidade geralmente leva a sintomas psicossomáticos, como dores de cabeça, transtornos do sono ou dificuldade para dormir. Falar sobre o que nos preocupa é importante, ajuda a ver os problemas de uma perspectiva diferente, mas acima de tudo ajuda a esclarecer o que não se deseja ou não se quer; se mantemos tudo dentro, não podemos nem mesmo esperar que os outros levem em consideração o que sentimos. Apenas falando e compartilhando problemas e preocupações podemos sentir o apoio dos outros que podem não apenas ouvir, mas nos ajudar a dar conforto. Uma vez que entenda o problema, você poderá avançar para sua solução.

Para poder trabalhar no que você gosta, primeiro você deve saber do que você gosta. Para saber como direcionar sua vida profissional, você pode realizar um teste de orientação vocacional e ler este artigo sobre como encontrar seu propósito de vida com o método japonês ikigai.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Não gosto do meu trabalho, o que fazer?, recomendamos que entre na nossa categoria de Crescimento pessoal e autoajuda.

Bibliografia
  • Amico, G. (2015). Come amare il tuo lavoro anche se non ti piace. Ebook: Onix Editoriale.
  • Baccan, M., Colombo, A. (2014). Cambio lavoro con un click. Come utilizzare internet per cercare il tuo nuovo posto di lavoro. Roma: Bruno Editore.
  • Cheli, E. (2013). L’epoca delle relazioni in crisi (e come uscirne). Coppia, famiglia, scuola, sanità, lavoro. Milán: Franco Angeli.
  • Giovannini, L. (2012). Crea il lavoro che vuoi. Milán: Sperling & Kupfer.
  • Shaufeli, W., Dijkstra, P., Borgogni, L. (2012). Engagement: la passione nel lavoro. Milán: Franco Angeli.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Não gosto do meu trabalho, o que fazer?
Não gosto do meu trabalho, o que fazer?

Voltar ao topo da página