Partilhar

Pais tóxicos: características e como lidar com eles

 
Por Sara Sanchis, Psicóloga especializada em Crescimento Pessoal. 25 maio 2020
Pais tóxicos: características e como lidar com eles

No seguinte artigo de Psicologia-Online, discutiremos sobre as características dos pais tóxicos, de como suas condutas prejudicam gravemente seus filhos e formas para lidar com estas situações de abuso. Se o tema lhe interessa, continue lendo para conhecer como são os padres tóxicos e saber como lidar com eles.

Também lhe pode interessar: Como lidar com uma pessoa bipolar

Pais tóxicos e filhos codependentes

Os pais tóxicos são pessoas que sofreram grandes carências emocionais em sua infância, e devido a elas, não puderam se desenvolver de maneira saudável. São precisamente estas carências afetivas que os levou, para sobreviver, a desenvolver certas condutas negativas dirigidas a seus filhos, as pessoas mais vulneráveis.

Tratam-se de pessoas com altos graus de instabilidade emocional e passividade/agressividade que, com suas condutas negativas, anulam seus filhos e os convertem em pessoas codependentes. Os filhos e filhas interiorizam que não são válidos e se desconectam de si mesmos (dissociação). Sem conseguir atender suas próprias necessidades, buscam atender as dos outros, mas tornam-se viciados nelas, já que consideram o único meio de satisfação pessoal.

Características dos pais tóxicos

Existem vários tipos de pais e mães tóxicos: abusivos fisicamente, verbalmente, emocionalmente e sexualmente, viciados em substâncias, imaturos, rígidos, com transtornos de personalidade, superprotetores, etc. Muitos deles podem apresentar vários destes padrões comportamentais, pois em muitas ocasiões, um reforça o outro. Por exemplo, possivelmente um pai ou uma mãe viciado/a em substâncias agride de diversas maneiras; pais com transtornos de personalidade, rígidos e imaturos também podem incluir em seu comportamento abusos de todos os tipos.

As características presentes em todos estes padrões de comportamento surgem das próprias carências afetivas que os levam a agir destas maneiras, tentando preencher o vazio interno que sentem. Deste modo, são pessoas:

  • Egocêntricas: consideram apenas suas próprias necessidades, incapazes de sentir empatia das necessidades de seus filhos. Na maioria dos casos, buscam abafá-las de forma inconsciente, já que em geral nem podem reconhecê-las.
  • Instabilidade emocional, que os leva a alternar entre estados de ira e embotamento.
  • Autoritários, críticos e manipuladores: só se sentem seguros quando tudo funciona como eles querem. Quando isto não ocorre, ativam suas respostas emocionais agressivas.
  • Dependentes de seus filhos: o desequilíbrio em suas relações sociais adultas e em suas próprias gestões emocionais, faz com que tratem inconscientemente seus filhos como caprichos para suprir suas próprias necessidades, e assim se veem dependentes deles (e os convertem em codependentes: seus cuidadores).
  • Pouco afetivos: não receberam nenhuma base emocional afetiva, e por isso são incapazes de oferecer uma a seus filhos e filhas. E frequentemente isto faz com que os filhos sintam que esse pai ou mãe não os amam.

Como lidar com os pais tóxicos

Em nosso entorno familiar obtemos o conhecimento sobre nós mesmos, sobre os outros e sobre o mundo. De maneira inata, uma criança espera cuidado e proteção de seus pais, e o que aprendemos em nosso seio familiar, interiorizamos como a forma que tudo deve funcionar. Deste modo, em uma família com pais tóxicos, as crianças assumem que não são válidas e creem que as relações de afeto se baseiam em controle e poder, assim como foi com elas.

As crianças vítimas de pais tóxicos têm dificuldade de aceitar a verdade sobre o drama que viveram. Quando tomam consciência deste fato, é importante que busquem ajuda para fortalecer sua autoestima e, com isso, modificar a forma de se comportar com seus pais. Para interromper uma relação tóxica, os filhos precisam:

  1. Impor limites a seus pais
  2. Respeitarem-se a si mesmos: lidar com pais tóxicos em uma posição de respeito a si mesmos
  3. Distanciar-se deles, nos casos onde a sua mudança de comportamento não gere nenhum efeito no comportamento de seus pais

1. Como impor limites a pais tóxicos

Impor limites aos pais tóxicos é imprescindível para interromper a relação de abuso. Se a pessoa não sente que é suficientemente forte para fazer isso sozinha, é recomendável que peça ajuda para amigos, familiares ou até mesmo profissionais:

  • Não permitir nenhum abuso físico, verbal ou emocional.
  • Expor e validar as próprias necessidades e ideias, diferenciando-as das de seus pais.
  • Mostrar-se afetuoso e sensível frente as necessidades de seus pais, respeitando nossos limites (não é fácil, pois o tratamento recebido gera, em algumas ocasiões, muita raiva contida).
  • Expressar-se com calma e respeito, sendo um exemplo vivo de outro modo de convivência familiar.

2. Como lidar com pais tóxicos

Nos casos onde a mudança de atitude dos filhos ou filhas não surte efeitos no comportamento dos pais tóxicos, e não é possível afastar-se deles (no caso de menores, por exemplo), é apropriado:

  • Evitar ao máximo o contato direto com eles.
  • Não sucumbir ao seu autoritarismo, mas não ativá-lo, como estratégia apaziguadora.
  • Manter um cuidado pessoal físico, psicológico e emocional que nos mantenha fortes diante das dificuldades.
  • Pedir ajuda e refúgio para pessoas e profissionais de confiança.

3. Como distanciar-se de pais tóxicos

Nos casos graves de abuso, é recomendável distanciar-se o quanto antes dos pais tóxicos para não seguir prejudicando nossa autoestima. No caso de menores, é importante que algum familiar ou amigo próximo possa intervir e afastar a criança deste entorno através dos Serviços Sociais e outras instituições públicas ou privadas.

No caso de completar a maioridade, o próprio jovem pode ir embora de casa. Para prosseguir, também poderá ser assessorado e auxiliado pelos Serviços Sociais e por qualquer instituição de ajuda social para menores.

Se você é uma criança que vive uma situação de abuso em sua casa, ou se conhece alguém que está vivendo esta situação, peça ajuda. É importante interromper o quanto antes este abuso para frear as sequelas psicológicasPAISO que estas experiências causam. Você pode sair daí. Fique tranquilo, tudo ficará bem!

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Pais tóxicos: características e como lidar com eles, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Bibliografia
  • Canales, J. (2014). Pais tóxicos. Grupo Planeta Spain.
  • Iriondo, J. (2018) " O que você herdou e tomou de seus pais?".

Escrever comentário sobre Pais tóxicos: características e como lidar com eles

O que lhe pareceu o artigo?

Pais tóxicos: características e como lidar com eles
Pais tóxicos: características e como lidar com eles

Voltar ao topo da página