Partilhar

Autoliderança: o que é, características e como desenvolvê-la

 
Por Irene Alabau, Psicóloga. 9 outubro 2019
Autoliderança: o que é, características e como desenvolvê-la

A liderança é uma capacidade da qual ouvimos falar muitas vezes sendo que, através dela, uma pessoa é capaz de influenciar os demais e conseguir que trabalhem em equipo para conseguir um objetivo. No entanto, mais importante ainda, é a autoliderança, da qual nos esquecemos facilmente. Esta habilidade é necessária para obter o controle das nossas vidas e decisões, assim como para alcançar o crescimento e desenvolvimento pessoal.

Se você quer saber mais sobre essa qualidade e como treiná-la, continue lendo esse artigo de Psicologia-Online - autoliderança: o que é, características e como desenvolvê-la. Com esta informação, você aprenderá o que é a autoliderança e como aplicá-la.

O que é a autoliderança

O conceito de liderança é muito utilizado no âmbito laboral para falar de gestão de equipes de trabalho. A liderança é a capacidade de gestionar e motivar as outras pessoas. Logo, a autoliderança faz referência a esta capacidade, mas no sentido que é destinada a nós mesmos. Vejamos o que é a autoliderança em profundidade.

Definição de autoliderança

O que é autoliderança? O conceito de autoliderança é definido como a capacidade de influência intencionada e consciente sobre os próprios pensamentos, emoções e comportamentos com o objetivo de alcançar as metas pessoas que definimos para nós mesmos.

A capacidade de autoliderança é composta pelo conjunto de habilidades psicológicas que aumentam as probabilidades de ter êxito nos objetivos tanto a médio como a longo prazo, apesar da limitação de recursos e da incerteza do futuro. A autoliderança implica uma série de capacidades como a focalização da atenção nas metas, a persistência e a manutenção de motivação e disciplina. Embora não ofereçam gratificação imediata, a avaliação e monitorização das ações direcionadas a objetivos estabelecidos podem ser ajustadas quando não são ideais, assim como a planificação e priorização de tarefas.

Esta habilidade está relacionada com a inteligência emocional, já que apresenta um componente de gestão e regulação emocional, e também com a inteligência intrapessoal, uma vez que que implica uma consciência e conhecimento da nossa própria pessoa e a capacidade de usar esta informação em benefício próprio.

A importância da autoliderança reside no fato de que a pessoa tem o controle da sua própria vida e, como consequência, se sente mais poderosa e capaz. As pessoas com uma autoliderança desenvolvida tomam as suas próprias decisões de forma independente e são capazes de manter o foco em seus objetivos, o que aumenta as probabilidades de conseguir a sua execução, e assim conseguir o que se propõem e que tem importância para elas. Tudo isso se repercute em um bem-estar emocional superior, crescimento pessoal, assim como mais segurança e confiança nelas próprias.

Autoliderança: o que é, características e como desenvolvê-la - O que é a autoliderança

Características da autoliderança

Existe uma série de processos psicológicos e comportamentos de autoliderança que as pessoas com um perfil de autoliderança apresentam. Estas qualidades são conhecidas como as 5 características da autoliderança.

5 características da autoliderança

As 5 características da autoliderança são:

  • Autoconhecimento: é a autoconsciência ou capacidade de reconhecimento e identificação dos nossos próprios pensamentos e emoções, de como nos afetam e das causas que os originam. Esta habilidade compreende o conhecimento sobre os recursos disponíveis para nós, assim como as próprias limitações e a consciência sobre os nossos pontos fortes e fracos.
  • Autoestima: se refere ao conjunto de percepções, avaliações e avaliações que uma pessoa faz de si própria em relação ao seu valor, forma de ser e qualidades. Este juízo implica a própria aceitação, respeito e cuidado, o que permite uma potenciação da nossa pessoa.
  • Autonomia: é a faculdade pela qual as pessoas são capazes de estabelecer prioridades e objetivos próprios e de forma independente, de formar o seu critério pessoal, tomar decisões e assumir a responsabilidade das nossas próprias ações.
  • Autogerenciamento: é a capacidade de regular as próprias emoções (autoliderança emocional=comportamentos e recursos próprios para conduzi-los até à meta definida. Também implica ser capaz de analisar e monitorizar as ações sem ajuda externa e redirecioná-las ou ajustá-las quando é necessário.
  • Automotivação: é a habilidade para influenciar o próprio estado de humor e a perseverança para mantê-la em relação a um objetivo estabelecido. É composta por iniciativa, vontade, compromisso com os objetivos, vontade, otimismo e orientação ao objetivo.

Como desenvolver a autoliderança: 14 passos

A autoliderança apresenta muitas implicações na capacidade e bem-estar próprios, além de ser muito valorizada em diversos âmbitos, especialmente no laboral. O treinamento dessas habilidades é possível e a aplicação da autoliderança permite que elas se aperfeiçoem. Por isso, em seguida apresentamos uma série de estratégias para desenvolver a autoliderança:

  1. Conheça-se: dedique tempo a analisar as suas qualidades, os seus pontos fortes e fracos. Para facilitar essa avaliação própria, você pode pensar em situações nas quais acredita que agiu de forma competente ou adequada e em outras nas quais as suas ações podem ser melhoradas, assim como perguntar a pessoas próximas sobre as suas habilidades ou fazer algumas perguntas a você mesmo(a). Este exercício permite obter uma ideia sobre os seus recursos e limitações.
  2. Autoaprendizagem: uma vez identificadas as suas limitações e pontos a trabalhar, se recomenda trabalhar nas mesmas dentro da medida do possível através da informação e conhecimento sobre essas qualidades, assim como a busca de possíveis atividades ou tarefas que possam incrementá-las. Por exemplo, se você acredita que deve melhorar as suas habilidades sociais, pode considerar inscrever-se em atividades em grupo como esportes coletivos, teatro, associações, etc. Também é possível consultar um profissional que realize um treino em habilidades sociais.
  3. A roda da vida: é uma técnica de desenvolvimento pessoal na qual se desenha um círculo e se escrevem dez aspetos da vida nos quais você gostaria de melhorar dentro do mesmo. Uma vez selecionados, será necessário priorizar as seleções de acordo com a importância que têm na sua vida. Através dessa ferramenta, é possível realizar uma análise do presente e um foco no futuro.
  4. Estabeleça objetivos: uma vez identificados os desejos ou necessidades, é necessário abordá-los de forma operativa para que estimulem e orientem a ação relacionada. Para isso, é conveniente escrever objetivos específicos e concretos que possam ser medidos ou avaliados de alguma forma e que sejam realistas, alcançáveis através do esforço e do trabalho. Também se recomenda organizar ou subdividir o objetivo final com objetivos a curto, médio e longo prazo, já que isso permite ter uma visão mais clara na hora de realizar um plano de ação.
  5. Desenhe uma estratégia: com base na informação que você possui sobre os seus próprios recursos, qualidades e objetivos definidos, estabeleça uma ponte entre ambos, ou seja, encontre a metodologia ou ações que te aproximam das metas, mas de forma realista e com base nas suas virtudes e defeitos. Você pode realizar um brainstorming e escolher a que pareça mais plausível para você entre todas as opções.
  6. Planifique: no desenvolvimento da autoliderança, é muito útil criar planos através de ferramentas visuais como listas, esquemas e horários. A planificação deve ser realizada com base em critérios temporários e disponibilidade de recursos, tanto pessoais como materiais. Programe tendo em conta as atividades que levam menos tempo e a sua relação com os seus pontos fortes e fracos. É necessário marcar datas limite para a realização das ações estabelecidas.
  7. Focalize: para manter o foco, é mais eficaz centrar-se em uma única atividade e depois em outra, já que o cérebro consegue evitar e filtrar melhor as distrações dessa forma.
  8. Gestione as mudanças: na sua planificação e programação, você pode incluir um plano B pensando nos possíveis contratempos que podem surgir. No entanto, se mesmo assim não for possível controlá-los, tente mudar o ponto de vista e ver essa mudança como uma oportunidade.
  9. Desenvolva hábitos: quanto ao desenvolvimento e manutenção da autodisciplina e perseverança, é imprescindível desenvolver e comprometer-se com determinados hábitos e rotinas que estruturem o seu dia-a-dia.
  10. Motive-se: para manter a motivação, disciplina e perseverança, é essencial desconectar, socializar, realizar atividades gratificantes e se recompensar de vez em quando depois de grandes esforços. Dessa forma, você contribuirá para reforçar as suas próprias condutas e conseguir um equilíbrio. Considerar novos e diferentes desafios também contribuirá para a sua automotivação.
  11. Seja flexível: a autoliderança implica saber quando se deve descansar e quando ser flexível com você mesmo(a) para obter o melhor rendimento. É ainda necessário que você cultive a autoindulgência, que não se castigue e que tolere os seus erros, assim como ter sempre em conta as suas próprias emoções. Este último implica, por exemplo, que se um dia você recebe uma má notícia e fica triste ao avaliar as suas emoções, deve baixar o ritmo de exigência temporariamente e se cuidar ou realizar atividades planificadas que exigem menos esforço, caso se sinta capaz.
  12. Realize ajuste: a realização de ajustes parte tanto da monitorização e avaliação própria, como da capacidade de ser flexível. É imprescindível analisar o progresso regularmente, assim como o próprio estado de espírito, e fazer modificações na planificação inicial de forma a beneficiar o próprio bem-estar e, por isso, o nosso rendimento e alcance de objetivos.
  13. Faça uma valoração final: reflita e procure extrair a aprendizagem quando tiver chegado ao final da meta. Nessa avaliação, tente se focar no processo mais do que no resultado, identifique o que funcionou e o que não deu certo e incorpore essa nova informação nos próximos objetivos.
  14. Consulte um profissional: você pode ainda considerar a opção de recorrer a uma pessoa profissional para realizar um treino geral de autoliderança ou em algum dos seus componentes que considere necessários.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Autoliderança: o que é, características e como desenvolvê-la, recomendamos que entre na nossa categoria de Crescimento pessoal e autoajuda.

Bibliografia
  • Garza Carranza, M. T. D. L., Guzmán Soria, E., & Gallardo Aguilar, M. D. C. (2018). El autoliderazgo y la inteligencia emocional. Ciencia y sociedad.
  • Leider, R. J. (2008). 19. La tarea fundamental del liderazgo: el autoliderazgo. In El líder del futuro (pp. 217-227).
  • Palmero, F., & Martínez-Sánchez, F. (2008). Motivación y emoción. Madrid: Mc-Grawhill Interamericana de España.

Escrever comentário sobre Autoliderança: o que é, características e como desenvolvê-la

O que lhe pareceu o artigo?

Autoliderança: o que é, características e como desenvolvê-la
1 de 2
Autoliderança: o que é, características e como desenvolvê-la

Voltar ao topo da página