menu
Partilhar

Tipos de luto e suas características

 
Por Gemma Adsuara Arrufat. 14 janeiro 2021
Tipos de luto e suas características

O luto é considerado como aquele processo psicológico e social que alguns indivíduos atravessam depois de uma perda. De acordo com a perda, segundo a relação da pessoa em luto com o defunto e segundo as estratégias e habilidades de enfrentamento que a pessoa possui, o luto terá certas características ou outras. Mesmo que cada luto seja diferente, podemos encontrar características similares em lutos com circunstâncias parecidas. Neste artigo de Psicologia-Online, te oferecemos uma lista dos diferentes tipos de lutos existentes, assim como sua explicação.

Tipos de luto

Este termo pode ter significados diferentes:

O que é o luto

  1. Dor, lástima, aflição ou sentimento.
  2. Demonstrações feitas para manifestar o sentimento que se tem pela morte de alguém.
  3. Reunião de parentes, amigos ou convidados que participam do velório, da condução do cadáver ao cemitério ou dos funerais.
  4. Há outro sentido de luto, que se refere ao combate entre dois, que alguns autores quiseram relacionar com a formação do luto e o desafio da organização da personalidade do enlutado.

A seguir, apresentamos uma lista com os diferentes lutos que um indivíduo pode experimentar e que, posteriormente, definiremos com mais detalhes. No entanto, cabe indicar que qualquer tipo de luto que não siga um processo sadio, será conhecido como luto patológico, já que acaba fazendo com que a pessoa que o sofra desenvolva uma doença.

Lista dos tipos de luto:

  1. Antecipado;
  2. Crônico;
  3. Ausente ou atrasado;
  4. Congelado ou inibido;
  5. Desautorizado;
  6. Distorcido;
  7. Ambíguo;
  8. Exagerado ou eufórico;
  9. Mascarado;
  10. Em meninos e meninas;
  11. Psiquiátrico.

Luto antecipado

A pessoa que vive este tipo de luto, começa a sentir a dor da perda antes desta realmente acontecer. O sujeito tem consciência de que vai viver tal perda de modo irremediável dentro de um curto espaço de tempo, e dessa forma começa a experimentar todos os processos psicológicos de modo antecipado. É característico de pessoas que possuem familiares com doenças em fases terminais.

Luto crônico

Os sujeitos permaneceram no luto da perda durante muitos anos, fazendo surgir em seu interior sentimentos de desesperança. Caracterizam-se por serem praticamente incapazes de refazer sua vida, ficando completamente presos no passado. Sua vida gira em torno da pessoa falecida.

Luto ausente ou atrasado

Nega-se a morte de pessoa com a qual há um vínculo afetivo devido a uma esperança infundada de retorno. Os sujeitos com este tipo de luto geralmente sofrem de quadros clínicos intensos de ansiedade, pois a evolução do luto normal fica estagnada na primeira fase.

Luto congelado ou inibido

Também conhecido pelos especialistas como luto adiado. As pessoas que sofreram uma perda não dão sinais de dor ou sofrimento durante as fases iniciais do luto. Considera-se que a pessoa percebe suas emoções dolorosas, e apresenta uma dificuldade para expressá-las e para reagir à perda.

Luto desautorizado

Este luto é sofrido por pais cujos bebês faleceram durante a fase perinatal. Se diferencia do restante dos lutos pela proximidade temporal entre o nascimento e a morte. As pessoas que experimentam este tipo de luto, geralmente são caracterizados por comportamentos de choque, insensibilidade, deslumbramento e dificuldades para viver normalmente.

Luto distorcido

Manifesta-se nos indivíduos que sofrem com uma reação desproporcional diante da perda pois, normalmente, ocorre quando a pessoa experimentou um luto recentemente e, por azar, encontra-se novamente diante de uma situação de luto.

Luto ambíguo

Dentro deste luto, podemos encontrar duas manifestações diferentes:

  • Na primeira delas, o sujeito é consciente de que a pessoa está ausente fisicamente, mas não psicologicamente. É característica naqueles casos nos quais não se sabe se a pessoa está viva ou morta, e sim desaparecida.
  • A situação contrária. As pessoas consideram os indivíduos presentes fisicamente, mas ausentes psicologicamente. Considerada muito comum em familiares de pessoas idosas com demências.

Luto exagerado ou eufórico

Este tipo de luto pode ser expressado ou vivido de três formas diferentes:

  • Caracterizado por uma reação intensa à perda do ente querido.
  • Negando a morte da pessoa, onde o indivíduo age como se a pessoa continuasse viva.
  • Aceitando a morte da pessoa, mas com a certeza de que foi em benefício dela.

Luto mascarado

A pessoa que sofreu a perda desenvolve certos sintomas (somatizações), os quais produzem dificuldades e sofrimento, no entanto, estes não são associados pela pessoa à perda da pessoa com a qual tinha um vínculo.

Luto em crianças

Este tipo de luto depende da idade do menor, já que, por consequência dela, terão ou não certa compreensão da situação que estão vivenciando.

Se se encontra em torno dos dois anos, a criança percebe o sentimento de separação com a pessoa que faleceu, no entanto, não compreende o significado da morte, pois não possui em seus recursos o conceito de morte propriamente dito.

A partir dos quatro e até o seis anos, mais ou menos, começam a desenvolver uma compreensão limitada da morte. Muitos destes consideram que uma pessoa que morreu poderá voltar à vida posteriormente. Nesta etapa, uma criança que sofre um processo de luto pode perder o controle de algumas funções, como o controle do esfíncter.

entre os seis e os nove anos podem compreender o que é a morte e suas consequências. No entanto, há de agir com cautela pois, nesta idade podem se desenvolver na criança sentimentos de culpa.

Luto psiquiátrico

Este luto gera no sujeito transtornos psiquiátricos reais, os quais podem ser:

  • Histérico: a pessoa se identifica com o falecido, chegando a apresentar os mesmos sintomas que levaram este à morte.
  • Obsessivo: acabam desenvolvendo uma depressão grave e prolongada, com base na culpa que a pessoa sente.
  • Maníaco: alterna quadros de excitação psicomotora completa e humor explosivo com quadros depressivos.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Tipos de luto e suas características, recomendamos que entre na nossa categoria de Crescimento pessoal e autoajuda.

Bibliografia
  • Cabodevilla, I. (2007). Las pérdidas y sus duelos. Anales del sistema sanitario de Navarra (Vol. 30, pp. 163-176). Gobierno de Navarra. Departamento de Salud.
  • López, I. M., Arbelo, C. G., & Guisado, M. D. M. S. (2016). Duelo por muerte perinatal, un duelo desautorizado. Revista Española de Comunicación en Salud, 7(2), 300-309.
  • Varela López, L. L., Reyes Monroy, C. A., & García, J. (2017). Tipos de duelo y estrategias de afrontamiento.
  • Vargas Solano, R. E. (2003). Duelo y pérdida. Medicina Legal de Costa Rica, 20(2), 47-52.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Tipos de luto e suas características
Tipos de luto e suas características

Voltar ao topo da página