Partilhar

Efeitos das drogas no sistema nervoso

 
Por Marta Thomen Bastardas, Psicóloga. 6 maio 2020
Efeitos das drogas no sistema nervoso

Os motivos pelos quais as pessoas decidem consumir uma substância podem ser diversos, no entanto, entre todos eles, o desejo de conseguir um efeito imediato que os induza a determinados efeitos produzidos pelas alterações causadas pela substância em nosso sistema nervoso é semelhante. No entanto, o imediatismo de seus efeitos procurados em seu consumo pode se tornar consequências permanentes que podem nos acompanhar ao longo de toda nossa vida.

Quais são as drogas que afetam o sistema nervoso? Quais efeitos as drogas têm no cérebro? É muito importante conhecer os diferentes efeitos das drogas no sistema nervoso e as possíveis consequências que podem gerar a curto e longo prazo. Se você quer conhecê-los cuidadosamente, continue lendo este artigo de Psicologia-Online.

Também lhe pode interessar: Classificação das drogas e seus efeitos

Efeitos das drogas no sistema nervoso

O que são as drogas?

Para que uma substância possa ser considerada uma droga, ela deve ser uma substância que, administrada por qualquer via de administração, pode modificar uma ou mais funções de nosso sistema nervoso central (prazer, redução da dor, desinibição, estimulação, alteração perceptiva, ou superação do desempenho físico ou intelectual, etc.) e pode produzir um estado de dependência física e/ou psicológica e produzir uma tolerância, onde os efeitos são cada vez menores.

Efeitos das drogas

Quais efeitos as drogas têm sobre o sistema nervoso? As drogas alteram o funcionamento cerebral, modificando a produção, liberação ou degradação dos neurotransmissores cerebrais de tal maneira que ocorra uma modificação no processo natural de intercomunicação neuronal.

A modificação dos neurotransmissores, produzidos em excesso, produz mudanças em nosso cérebro como consequência do desequilíbrio químico produzido. No entanto, devemos ter em mente que os diferentes efeitos das drogas no sistema nervoso central serão diferentes em função da droga consumida. Vejamos quais são as diferenças entre os diferentes grupos de substâncias de acordo com a classificação das drogas da OMS.

 

Drogas depressoras

O que são as drogas depressoras?

As drogas depressoras do sistema nervoso central têm a função de deprimir e desacelerar nosso sistema nervoso central, deprimindo primeiro suas funções superiores do SNC e, posteriormente, do sistema nervoso autônomo, causando uma dormência geral e progressiva de nosso cérebro.

Efeitos das drogas depressoras

  • Relaxamento
  • Paz interior
  • Bem-estar
  • Sedação
  • Apatia
  • Diminuição da tensão
  • Tranquilidade
  • Harmonia consigo mesmo

Tipos de drogas depressoras

Dentro das drogas depressoras, podemos encontrar três grandes famílias, que produzirão diferentes efeitos sobre o funcionamento de nosso sistema nervoso:

  1. O ópio e seus derivados (codeína, heroína, metadona, etc.): em geral produzem um estado de relaxamento, indiferença, tranquilidade, incapacidade de concentração e euforia.
  2. O álcool e seus derivados: em doses baixas, produz uma aparente capacidade estimulante, desinibidora e eufórica. No entanto, seu efeito depressor aumenta com as doses, produzindo sono, coma e parada cardiorrespiratória.
  3. Os hipnóticos e sedativos: produzem em nosso sistema nervoso um estado de relaxamento e sonolência ou sono.

Drogas estimulantes

O que são as drogas estimulantes

As drogas estimulantes do sistema nervoso central aceleram o funcionamento normal do cérebro, causando um estado de ativação. Essa aceleração cerebral produz consequências sobre o funcionamento do sistema nervoso.

Efeitos das drogas estimulantes

  • Euforia
  • Desinibição
  • Baixo controle emocional
  • Irritabilidade
  • Agressividade
  • Diminuição da fadiga
  • Diminuição do sono
  • Excitação motora
  • Inquietação

Tipos das drogas estimulantes

Dentro das drogas estimulantes, podemos encontrar três grandes famílias que produzirão diferentes efeitos sobre o funcionamento de nosso sistema nervoso:

  1. A coca e a cocaína: inibe as sensações de fadiga, sono e fome, facilita as sensações de vigor, lucidez e onipotência.
  2. As anfetaminas: são substâncias sintéticas, relacionadas com à adrenalina e à efedrina. Produzem uma sensação de alerta, de energia, de euforia, de aumento da atividade e da comunicação, de perda do apetite e do sono.
  3. O tabaco e seu princípio ativo, a nicotina: os efeitos subjetivos buscados pelo consumidor são uma combinação dos efeitos excitantes e dos depressores. Neste artigo, você pode encontrar mais detalhados os efeitos da nicotina no sistema nervoso.

Drogas alucinógenas ou perturbadoras

O que são as drogas alucinógenas?

As drogas alucinógenas produzem importantes efeitos no sistema nervoso, reconhecidas principalmente por seu envolvimento na distorção produzida sobre a percepção e as sensações.

Efeitos das drogas alucinógenas

  • Alteração do estado de consciência
  • Alteração do pensamento
  • Alteração do humor
  • Distorção sobre a percepção e as sensações

Tipos de drogas alucinógenas

Dentro das drogas psicodélicas, podemos encontrar duas grandes famílias, que produzirão diferentes efeitos sobre o funcionamento de nosso sistema nervoso:

  1. Cannabis: produz alterações da percepção como euforia, desinibição, diminuição da memória, da capacidade de atenção, certo grau de confusão e sonolência, hilaridade e relaxamento.
  2. Os alucinógenos: essa substância produz uma interrupção entre a interação de nossas células nervosas e o neurotransmissor serotonina, causando alterações sobre a percepção, o que podem dar lugar à alucinações e/ou delírios, o comportamento, o humor, diminuição do apetite, mudanças na temperatura corporal e sobre o comportamento sexual, hiperatividade e confusão mental.

Consequências dos vícios

As consequências geradas pelo consumo temporal e prolongado dessas substâncias podem ser muito diversas e podem alcançar elevados níveis de gravidade. Os efeitos de um consumo ocasional são diferentes que as consequências de ser viciado. As consequências dos vícios incluem tanto consequências físicas do consumo de drogas como os efeitos psicológicos e sociais das drogas. Cada grupo de substâncias e cada substância determinada poderia causar numeráveis consequências diferenciadas entre elas, no entanto, apontaremos as consequências dos vícios mais frequentes e comuns:

1. Danos cardiovasculares

Algumas das famílias de drogas, como a cocaína, podem ocasionar danos cardiovasculares. Seu consumo agudo produz um aumento significativo da pressão arterial e da frequência cardíaca, que pode ser acompanhada de um aumento da temperatura corporal. Essas alterações cardiovasculares são responsáveis pelas principais complicações agudas que podem ocorrer, entre as quais destacam-se a hemorragia cerebral e o infarto do miocárdio, devido à sua gravidade. Essas complicações podem causar sequelas permanentes de particular importância quando os afetados são jovens.

2. Alterações do sistema nervoso

As drogas podem produzir alterações graves no sistema a curto e longo prazo, que se manifestam na esfera neurológica e psiquiátrica. Neste sentido, os consumidores crônicos frequentemente apresentam deterioração da memória e da capacidade de concentração, irritabilidade, aumento da ansiedade e perda da motivação. No nível psiquiátrico, a incidência de transtornos psicóticos e, em particular, de sintomas paranoicos também é elevada.

3. Tolerância sobre os circuitos de recompensa

As drogas produzem uma hiperatividade nos circuitos de recompensa de nosso organismo, causando sensações como euforia, aumento de motivação, da atividade sexual, aumento das interações sociais,… No entanto, quando a pessoa se adapta à substância, sua sensibilidade diante dessas ações diminui, causando dificuldades para sentir prazer sem o consumo da substância, por isso, grandes dificuldades foram observadas na esfera sexual, por exemplo, a causa de disfunções sexuais tais como a disfunção erétil, a impotência ou a anorgasmia.

4. Alteração sobre o humor

As alterações sobre o humor são muito frequentes no consumo de substâncias. As mudanças do humor podem ocorrer com o consumo da substância ou a consequência de sua abstinência. No entanto, em muitas ocasiões, o consumo prolongado dessas substâncias pode causar uma mudança permanente na personalidade da pessoa, que não está relacionada com o consumo ou a falta desse.

5. Aumento de desconforto

A abstinência da substância à qual a pessoa é viciada produz sensações de irritabilidade, ansiedade, estresse e/ou inquietação e, por isso a pessoa volta a consumir. Com o tempo e com o aumento do consumo, esse circuito é cada vez mais curto, fazendo com que a pessoa sinta sempre esse desconforto e seu consumo deixa de ser para alcançar um estado de relaxamento ou de euforia, pois consome para aliviar esse desconforto.

6. Afeta em todas as áreas

Umas das consequências frequentes do vício em drogas é ter problemas em outras áreas. Além de eliminar (ou diminuir) o consumo de substâncias, problemas adicionais devem ser abordados. Porque diante do consumo de substâncias é normal que apareçam problemas nas áreas trabalhistas, jurídicas, familiares, sociais e/ou econômicas.

É muito frequente que o consumo de substâncias leve a pessoa a ter problemas familiares, causando um distanciamento do núcleo familiar. Isso também acontece nas relações sociais ou no trabalho, diante da falta de interesse do consumidor ou da diminuição do rendimento, você pode perder o emprego ou estabelecer um isolamento, por exemplo.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Efeitos das drogas no sistema nervoso, recomendamos que entre na nossa categoria de Dependências.

Bibliografia
  • Corominas, M., Roncero, C., Bruguera, E., & Casas, M. (2007). Sistema dopaminérgico y adicciones. Rev Neurol, 44(1), 23-31.
  • García, J., Brugué, M & Gutierrez, M. (2003). Manual de evaluación y tratamiento de drogodependencias. Ars Médica: Barcelona.
  • Glockner, J. (2011). Drogas y conducta. Elementos: Ciencia y Cultura, 19, 59-64.
  • INABA, B. S., COHEN, W. E., & Pi, W. E. (1991). Drogas, estimulantes depressores, alucinógenos. Rio de.
  • Kramer, J. F., Cameron, D. C., & World Health Organization. (1975). Manual sobre la dependencia de las drogas: compilaci'on basada en informes de grupos de expertos de la OMS y en otras publicaciones de la OMS.
  • Simón, C. J. R. P., & Rodríguez, B. L. F. (2002). Consideraciones generales sobre drogas de abuso. Medisan, 6(4), 58-71.

Escrever comentário sobre Efeitos das drogas no sistema nervoso

O que lhe pareceu o artigo?

Efeitos das drogas no sistema nervoso
Efeitos das drogas no sistema nervoso

Voltar ao topo da página