Partilhar

Glândula pineal: função, doenças e sintomas

Por Marissa Glover, Psicóloga. 19 julho 2019
Glândula pineal: função, doenças e sintomas

Como bem sabemos, é comum ouvir que o cérebro é o grande mistério, já que tem uma infinidade de funções e características que até agora não foi possível terminar de estudar. Uma das partes do cérebro que é interessante conhecer e investigar é a glândula pineal ou epífise, que também é chamada de "terceiro olho" no contexto do espiritismo, e que se localiza no interior do cérebro da maioria das espécies invertebradas. Descartes chamou esta glândula de "morada da alma", uma vez que acreditava que essa era a fonte de poder do nosso cérebro.

Nesse artigo de Psicologia-Online, falaremos sobre a glândula pineal: função, doenças e sintomas. Conheça todos os detalhes sobre essa glândula pineal em formato resumo.

Glândula pineal: função

Consiste numa glândula bem pequena, de tamanho aproximado de um grão de arroz, que começa a aparecer e desenvolver-se a partir da semana 7 da gestação até aos 2 anos de idade. Contudo, o seu peso vai aumentando até à adolescência. A glândula pineal está intimamente relacionada com a saúde mental e, entre as suas principais funções, se encontra a produção de melatonina.

A glândula pineal também é chamada de reguladora dos ciclos e se encarrega de executar diferentes funções no corpo. A principal função da glândula pineal é produzir melatonina. A melatonina é um hormônio encarregue de regular o processo do sono e é, em simultâneo, produzida pela serotonina. Em seguida, descrevemos todas as funções da epífise com mais detalhe:

  • Regular o ritmo circadiano do corpo. Como mencionado anteriormente, por ser encarregada de produzir a melatonina, envia ao corpo os sinais que fazem com que nos sintomas cansados ou com sono a determinadas horas do dia, assim como mais ativos e em alerta.
  • Regula as emoções. Ajuda a evitar que ocorram alguns distúrbios do sono ou distúrbios depressivos. Esta glândula também faz que se gerem determinados hormônios como as endorfinas, que se encarregam de aumentar a nossa felicidade e bem-estar emocional em geral.
  • Metabolismo ósseo. É fundamental para aumentar a massa óssea e evitar que surjam doenças como a osteoporose.
  • Maturação sexual. É muito importante na hora de estabelecer quando vai ser o início da puberdade, uma vez que a atrasa para que a passagem de criança a adulto se gestione corretamente. Resumidamente, regula o início da maturação e a motivação sexual de cada indivíduo.
  • Pigmentação da pele. A melatonina que esta glândula produz está relacionada com o tom da pele de muitas espécies.
  • Funções mentais. Foi comprovado que a glândula pineal tem relação com a concentração e a memória, tendo um efeito sobre as funções cognitivas das pessoas.
Glândula pineal: função, doenças e sintomas - Glândula pineal: função

Glándula pineal: doenças

Quando a glándula pineal não funciona de forma correta, podem aparecer determinadas doenças na pessoa afetada, entre as quais se encontram as seguintes:

  • Transtornos mentais. Os principais transtornos mentais que podem aparecer nesse caso seriam os transtornos do sono por se encontrarem alterados no ritmo circadiano da pessoa. Por outro lado, também se encontram os transtornos depressivos ao não fornecer ao cérebro endorfinas suficientes que, como já vimos, são os hormônios encarregados pelo bem-estar psicológico e pela felicidade.
  • Osteoporose. Um funcionamento deficiente na produção de massa óssea daria lugar ao aparecimento de doenças como esta, deteriorando seriamente os ossos.
  • Tumores ou cistos na glândula pineal.
  • Défice nas funções cognitivas.
Glândula pineal: função, doenças e sintomas - Glándula pineal: doenças

Glândula pineal: sintomas de transtornos relacionados

Quando temos algum transtorno ou problema relacionado ou a glândula pineal, podemos detectá-lo se prestamos atenção a um conjunto de sintomas que podem estar indicando que algo está errado. Alguns dos sintomas que indicam problemas ou doenças na glândula pineal são:

  • Experienciar mudanças repentinas no ritmo circadiano ou de sono, o que pode ser notado quando surgem problemas de sono como encontrar-se muito ativo e não conseguir descansar o suficiente, estar cansado o tempo todo, etc.
  • Náuseas, dores de cabeça que podem ser confundidas facilmente com a cefaleia, tremor e até vómitos.
  • Osteoporose
  • Mudanças frequentes no ciclo menstrual e na ovulação nas mulheres.
  • Experienciar um desequilíbrio emocional que provoca mal estar e insatisfação.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Glândula pineal: função, doenças e sintomas, recomendamos que entre na nossa categoria de Neuropsicologia.

Escrever comentário sobre Glândula pineal: função, doenças e sintomas

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
A sua avaliação:
Marisa
O que é glandula pineal calcificada?

Glândula pineal: função, doenças e sintomas
1 de 3
Glândula pineal: função, doenças e sintomas

Voltar ao topo da página