Partilhar

O que é projeção na psicologia: definição e exemplos

 
Por Bryan Longo. 31 agosto 2020
O que é projeção na psicologia: definição e exemplos

Eventualmente, como conclusão de uma extensa jornada de conflitos emocionais, podemos perguntar a nós mesmos(as): "por que não consigo ficar tranquilo com ninguém?". É possível que brigas constantes, isolamento, evasão social e outros eventos interpessoais frustrados não sejam causados pelo mais evidente (os outros), mas sim por conflitos que presentes em nosso inconsciente desde há muitos anos. Conflitos tão dolorosos, vergonhosos, frustrantes e imorais que negamos a assumi-los, sendo que a melhor alternativa é enxergá-los nos outros: a projeção. Neste artigo de Psicologia-Online te explicamos o que é projeção na psicologia: definição e exemplos.

Também lhe pode interessar: Tipos de motivação na psicologia

O que é a projeção

A projeção é um termo de psicanálise. A definição de projeção a descreve como um mecanismo que consiste em atribuir a outra pessoa algo que acontece com si mesmo. A projeção é uma forma de funcionamento observada em pessoas que atribuem a outro o que está acontecendo com elas mesmas, normalmente de forma inconsciente. A projeção não permite o contato consigo mesmo nem com os outros. Por exemplo, muitas pessoas que utilizam a projeção consideram que todas as outras pessoas possuem defeitos, mas elas não.

Em psicologia, utilizamos a projeção para detectar determinados traços do caráter, como as motivações, os problemas e frustrações. As tendências projetivas das pessoas se desenvolvem de maneira forte em pessoas de tipo paranoico. Algumas das pessoas com esta patologia manifestam uma tendência a julgar constante os outros, são muito sensíveis e capazes de perceber o inconsciente dos outros e, ao interpretá-lo, se esquecem de seu próprio inconsciente. Nos casos graves, a projeção leva à deformação viciosa ou a uma falsa imagem da realidade (delírio paranoico). Em alguns casos, a projeção bem canalizada pode gerar criações artísticas ou científicas incríveis.

A projeção como mecanismo de defesa na psicologia

Hermann Hesse (1919) expressava algo parecido com a teoria da projeção como um mecanismo de defesa, e o fez com a seguinte frase:

Quando odiamos alguém, odiamos em sua imagem algo que está dentro de nós.

A projeção é um dos mecanismos de defesa mais utilizados contra as ameaças materiais externas, imputando a responsabilidade de nossos próprios traços, sentimentos e comportamentos a outra pessoa ou ambiente. O indivíduo atribui a outras pessoas as próprias carências, virtudes ou defeitos, incluindo até mesmo seus próprios conflitos internos de ambivalência.

A projeção como mecanismo de defesa geralmente opera em situações de conflitos afetivos/emocionais ou de conflitos internos, onde acaba se atribuindo ao ambiente (pessoas ou coisas) os próprios sentimentos, pensamentos ou impulsos que são incômodos ou inaceitáveis para a pessoa. Além do conteúdo negativo, também se transmite tudo aquilo que garante e assegura a continuidade do narcisismo, a manutenção dos vínculos intersubjetivos, os processos de conservação: identificações, mecanismos de defesa, ideais, dúvidas e certezas.

Assim, entendemos que a projeção pode funcionar como resistência a enfrentar o contato com a própria identidade, atribuindo assim aos outros as emoções que nós mesmos sentimos.

A projeção como mecanismo de defesa nos faz cuspir ou expelir sobre o mundo as vivências, emoções ou traços da personalidade que desejamos desalojar de nós mesmos pelo fato de serem inaceitáveis. Tudo o que é relativamente gratificante é aceito pelo eu - como algo que pertence a ele - mas tudo que se mostra doloroso e pouco gratificante é considerado como algo alheio a você.

Exemplos de projeção

A frustração que caracteriza uma pessoa que cria projeções de si mesma nos outros desaparece quando começa a acreditar que seus defeitos, deficiências e fracassos são compartilhados pelos outros, ou que são os outros que provocam estes fracassos, deficiências (ou qualquer coisa que não desejam ter). A seguir te damos alguns exemplos de projeções psicológicas:

Roubar e acreditar que os outros também roubariam

Pessoas que pensam de determinada forma (por exemplo, justificando um ato de corrupção) acreditam que os outros pensam da mesma forma. Por exemplo, o dono de uma loja rouba alguns gramas de cada quilo do produto que vende e, quando vai comprar em outra loja, será o cliente mais desconfiado.

Pensar em ser infiel e ter medo de que seu(sua) namorado(a) o seja

Em um relacionamento, um dos dois começa a apresentar sintomas de ansiedade (por exemplo, diz se sentir inseguro e sem esperança), como consequência de ideias constantes de infidelidade de seu(sua) namorado(a), que várias vezes tentou deixar claro e evidente de que esta infidelidade não é real. Através de uma análise, se descobre que esta pessoa com sintomas de ansiedade também não foi infiel, mas que existem muitas pessoas que pareceram atraentes para ela e com as quais ela tem muita vontade de ter relações sexuais. Sua própria consciência - e respeito pelo(a) namorado(a) - não permite que o faça. Além desta projeção, a pessoa também projeta sua insegurança sobre seu físico e personalidade, se comparando com as pessoas próximas de seu(sua) namorado(a) que ela considera atraentes.

Repreender os filhos por comportamentos que a própria pessoa tem

Outro exemplo de projeção muito frequente é a dos pais para com os filhos. Por exemplo, o pai demanda e reclama constantemente sobre o comportamento da criança, que vai contra os princípios que ensinou para ela, assim como os fracassos que esta criança possa ter. Todas essas coisas que são as mesmas que o pai não conseguiu superar e os mesmos princípios que ele em várias ocasiões transgrediu, tanto em sua juventude quanto no momento atual.

Como evitar as projeções

Os mecanismos de defesa implicam um comportamento defensivo que a personalidade utiliza para manter o equilíbrio, ou seja, uma regulação da pressão e da empolgação.

Com este comportamento defensivo, o organismo pretende alcançar um ajuste ou adaptação que dissolva todo tipo de insegurança, frustração, perigo, pressão ou ansiedade. No entanto, o comportamento defensivo não soluciona os conflitos, apenas se limita a restringir a capacidade de atuação do eu diante dos objetos perturbadores.

As projeções são conflitos ou elementos internos que se colocam para fora em uma tentativa de dissolução, mas que, evidentemente, provocam o efeito contrário: a sustentação das frustrações e pressões. É importante uma análise minuciosa e dirigida por um profissional para determinar quais são esses elementos internos que provocam essa inconsistência com o ambiente.

Como lidar com as projeções psicológicas? Observar e meditar se existem conflitos constantes com a família, amigos, namorado(a) e trabalho, ajudará a encontrar e determinar se, na verdade, o que gera e desenvolve essa instabilidade é algo conosco mesmo.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a O que é projeção na psicologia: definição e exemplos, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia cognitiva.

Bibliografia
  • Hermann Hesse. (1919). Demian. Alianza de novelas.

Escrever comentário sobre O que é projeção na psicologia: definição e exemplos

O que lhe pareceu o artigo?

O que é projeção na psicologia: definição e exemplos
O que é projeção na psicologia: definição e exemplos

Voltar ao topo da página