Psicologia clínica

É perigoso ter um ataque de ansiedade?

 
Alejandro Garcia Mingrone
Por Alejandro Garcia Mingrone. 26 abril 2023
É perigoso ter um ataque de ansiedade?

Um ataque de ansiedade pode ser perigoso em função das características físicas e psicológicas de cada indivíduo. A gravidade desse quadro clínico costuma variar de acordo com o contexto em que acontece. As obrigações, normas, imposições, frustrações e mal-estares que enfrentamos dia após dia podem desencadear esses episódios de ansiedade aguda, e é normal se questionar o quão grave pode ser um ataque de ansiedade para as pessoas que estão passando por um.

As particularidades desse quadro clínico convidam a refletir sobre se essa sintomatologia é perigosa, e sobre quais fatores podem piorá-la. Dessa forma, neste artigo de Psicologia-Online, iremos fornecer informações se é perigoso ter um ataque de ansiedade?

Índice
  1. Quão perigoso é um ataque de ansiedade?
  2. Quando a crise de ansiedade é perigosa?
  3. É possível morrer de ansiedade?

Quão perigoso é um ataque de ansiedade?

Um ataque de ansiedade é uma resposta do organismo de temor e mal-estar que se manifesta diante de uma situação extrema na vida de uma pessoa. Neste sentido, essa doença pode se classificar dentro dos transtornos de ansiedade que estão no DSM-5[1], ou bem como surgir como um fato isolado em pessoas que tenham sido diagnosticadas com esse tipo de transtorno.

Quando é preocupante um ataque de ansiedade? Dada a transcendência que implica sua aparição, é importante mencionar qual é a sua sintomatologia:

  • Pensamentos intrusivos.
  • Medo da morte.
  • Pavor em perder o controle.
  • Angústia.
  • Dificuldade para respirar normalmente.
  • Suor excessivo.
  • Tremores corporais.
  • Palpitações.
  • Falta de ar.
  • Vômitos e/ou náuseas.

É pertinente mencionar que a presença de algum desses sintomas não implica necessariamente que o que você esteja passando seja um ataque de ansiedade. Para ter um diagnóstico correto e seguro, o melhor é que você seja avaliado por um profissional de saúde mental que considere as particularidades de cada caso. No entanto, a gravidade dos sintomas podem requerer algumas intervenções mais especializadas, tais como centros de saúde mental.

Quando a crise de ansiedade é perigosa?

Um ataque de ansiedade não se apresenta da mesma forma para todas as pessoas. Cada ser humano possui características que o fazem único e, portanto, cada um possui recursos distintos para enfrentar esses momentos. Dessa forma, uma crise de ansiedade pode, por exemplo, levar uma pessoa a ser internada, mas dependerá das características físicas e psicológicas de cada indivíduo.

A gravidade de um ataque de ansiedade costuma variar de acordo com o contexto em que acontece. Assim, é possível que uma pessoa seja internada por um ataque de ansiedade, mas será em função da intensidade dos sintomas de cada uma. Por um lado, existem pessoas que sofrem ataques de ansiedade que desaparecem sem ajuda profissional, enquanto que existem outros indivíduos que precisam de atenção médica quando passam por esse quadro clínico.

Além disso, a influência social, familiar e profissional pode determinar a incidência e gravidade dos ataques de ansiedade. Em outras palavras, as crises podem diminuir se o entorno da pessoa a acompanha e a apoia. Neste artigo você verá como controlar uma crise de ansiedade.

É perigoso ter um ataque de ansiedade? - Quando a crise de ansiedade é perigosa?

É possível morrer de ansiedade?

Como vimos anteriormente, um ataque de ansiedade é perigoso, mas não afeta as pessoas da mesma forma. Nesse sentido, cabe destacar que um ataque de ansiedade não costuma provocar a morte, visto que não existe nenhum perigo real que possa afetar notoriamente a vida da pessoa que sofre dele. No entanto, é importante compreender que esses episódios agudos de ansiedade costumam requerer tratamentos especializados como os abaixo:

  • Terapia psicológica: proporciona ferramentas para gerir o estresse e a ansiedade de uma forma mais amena. Entre as abordagens mais efetivas estão a terapia cognitivo-comportamental e a psicanálise. Além de possuírem focos teóricos diversos, ambas trabalham sobre as emoções, pensamentos e comportamentos que causam os ataques de ansiedade, para evitar maiores complicações no futuro.
  • Medicação psiquiátrica: quando os ataques de ansiedade condicionam o estilo de vida de uma pessoa, tomar ansiolíticos é necessário para ajudar a reduzir a intensidade dos sintomas. É fundamental que a ingestão desses tipos de medicamentos psiquiátricos seja realizada sob a supervisão de um profissional de saúde mental.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a É perigoso ter um ataque de ansiedade?, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Referências
  1. Asociación Estadounidense de Psiquiatría (2013). Manual Diagnóstico y Estadístico de los trastornos mentales (5ta edición). Arlington: Editorial Médica Panamericana.
Bibliografia
  • Martínez Malllen, M., López Garza, D.N. (2011). Trastornos de ansiedad. Revista Neurología, Neurocirugía y Psiquiatría, 44 (3), 101-107.
  • Navas Orozco, W., Vargas Baldares, M.J. (2012). Trastornos de ansiedad: Revisión dirigida para atención primaria. Revista Médica de Costa Rica y Centroamérica, 69 (604), 497-507.
Escrever comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 de 2
É perigoso ter um ataque de ansiedade?