Partilhar

6 emoções básicas segundo a psicologia

 
Por Marta Menéndez, Psicóloga. 21 maio 2019
6 emoções básicas segundo a psicologia

Normalmente costumamos acreditar que as emoções são irracionais e que conduzem a uma má tomada de decisão, o que, por sua vez, pode levar a concluir que as emoções não servem de nada. No entanto, esse é um grave erro. As emoções tem um papel muito importante na vida dos seres humanos pois ajuda a modular o comportamento e agir rapidamente nas situações necessárias. Nesse artigo de Psicologia-Online, vamos explicar quais são as 6 emoções básicas segundo a psicologia.

Também lhe pode interessar: A psicologia das cores segundo Eva Heller

Lista de emoções básicas do ser humano

As emoções mais significativas são denominadas como emoções básicas:

  • Surpresa
  • Nojo
  • Medo
  • Felicidade
  • Tristeza

Essas emoções são parte do desenvolvimento natural de cada ser humano e são iguais para todos, independente do entorno individual. Em geral, são processos relacionados com a evolução e adaptação, tendo um fundo neutral inato e universal. Além disso, possuem um estado emocional associado característico que pode ser chamado de sentimento.

Segundo a psicologia de Ekman, existem 6 emoções básicas do ser humano. No entanto, graças às novas tecnologias de neurociência, sabe-se que o nojo e a ira procedem de uma emoção em comum e que a surpresa e o medo compartilham uma expressão facial base. Por isso, podemos afirmar que, na verdade, existem 4 emoções básicas. Contudo, nesse artigo vamos diferenciar as emoções básicas que propôs a teoria psicológica de Ekman.

6 emoções básicas segundo a psicologia - Lista de emoções básicas do ser humano

Emoções básicas: nojo

Segunda a teoria de Ekman, o nojo é uma das emoções básicas. Implica a sensação de repulsa ou evitação da possibilidade (real ou imaginária) de ingerir substâncias perigosas com propriedades contaminantes. A sensação subjetiva é de grande desagrado e uma forte aversão ao estímulo ofensivo. Os efeitos fisiológicos centrais se manifestam em diferentes problemas gastrointestinais e náuseas. Também há um aumento geral de atividade no corpo.

O nojo como uma emoção negativa também é refletido no aumento da frequência cardíaca e respiratória, tensão muscular e a resposta da condutância da pele. A função adaptativa da repugnância é rejeitar qualquer estímulo que possa ser tóxico. As náuseas e o incômodo ajudam que o sujeito evite ingerir coisas que são nocivas ao corpo. No entanto, com o tempo, essa emoção adquiriu caráter social também rejeitando estímulos sociais tóxicos.

Emoções básicas: surpresa

Segundo a psicologia, podemos definir surpresa como a reação provocada por algo inesperado, novo ou estranho. Em outras palavras, ocorre quando surge um estímulo no sujeito que ele nunca havia pensado anteriormente. A experiência subjetiva que acompanha a surpresa é uma sensação de incerteza. Com relação as reações fisiológicas, normalmente se observa uma diminuição na frequência cardíaca e um aumento do tônus muscular. A respiração é mais profunda, o tônus sobe e o sujeito faz vocalizações espontâneas.

O proposito da surpresa é esvaziar a memória do trabalho de toda a atividade residual para poder enfrentar o estímulo inesperado. Para isso, a surpresa ativa os processos de atenção junto com o comportamento relacionado a explorar e a curiosidade. Dependendo da qualidade do estímulo inesperado, a alegria (positiva) ou a ira (negativa) na maioria das vezes segue essa emoção.

Emoções básicas: medo

É a emoção mais estudada pelos investigadores em humanos e animais. O medo é um estado emocional negativo e adverso que implica uma alta ativação produzida para evitar e escapar de situações perigosas. A experiência do medo é de alta tensão, junto com a preocupação pela saúde e segurança de si mesmo. Os sintomas fisiológicos correlacionados mostram uma rápida elevação da ativação e preparação para enfrentar uma situação de perigo, a atividade cardíaca dispara e a respiração acelera.

A respiração se torna superficial e irregular. O medo é um legado evolutivo que tem um evidente valor de sobrevivência. Essa emoção básica é útil para preparar o corpo e provocar comportamentos de sobrevivência na presença de situações potencialmente perigosas. Também ajuda a aprender novas respostas de proteção.

6 emoções básicas segundo a psicologia - Emoções básicas: medo

Emoções básicas: felicidade

De todas as emoções básicas segundo a psicologia, a felicidade é, talvez, a mais positiva. As pessoas associam diretamente a felicidade com prazer e alegria. É uma resposta à resolução de algum objetivo pessoal ou depois de atenuar uma situação negativa, por exemplo. Não parece ser mais do que o reflexo do estado interno, no entanto, a felicidade é um dos sistemas corporais que nos move para a ação.

Também é uma recompensa pelo comportamento que traz benefícios. Quando é alcançada alguma meta, surge a felicidade. Graças a esse sentimento de felicidade, as pessoas repetem esse comportamento para voltar a sentir prazer, esses podem ser motivadores naturais. A nível fisiológico, é observado um aumento da frequência cardíaca e uma melhor frequência respiratória. Além disso, o cérebro libera mais endorfina e dopamina.

6 emoções básicas segundo a psicologia - Emoções básicas: felicidade

Emoções básicas: tristeza

De todas os tipos de emoções básicas segundo a psicologia, a tristeza é, provavelmente, a mais negativa. Essa emoção implica uma diminuição do estado de ânimo, assim como uma redução significativa da atividade cognitiva e de conduta.

Apesar da má reputação que recebe essa emoção, cumpre papéis que são muito importantes, inclusive mais importantes que o resto das emoções básicas. O propósito da tristeza é atuar em situações pelas quais o sujeito se encontra impotente ou não pode tomar nenhuma ação direta, um exemplo é a perda de um ser querido. A tristeza reduz os níveis de atividade, ou seja, o corpo trata de economizar recursos e evita esforços sem necessidade. A tristeza também tem um papel de autoproteção. Gera um filtro perceptivo que concentra a atenção em um estímulo prejudicial. E, o mais importante, empurra as pessoas a buscar apoio social, o que ajuda a sair de uma situação depressiva.

Emoções básicas: ira

A ira surge quando um indivíduo se encontra em situações que produzem frustração ou aversão. A experiência da ira é desagradável, vem acompanhada de um sentimento de tensão que impulsiona a reagir. É uma emoção multifacetada e, em muitos casos, ambígua. É ambígua porque nem sempre é justificada e o objeto nem sempre é claramente identificado. A nível fisiológico, é observado um aumento excessivo da ativação e da preparação para a ação.

É observado um aumento da atividade cardíaca, tônus muscular e a frequência respiratória, além de uma elevação significativa de adrenalina no sangue. Isso, por sua vez, aumenta a tensão cognitiva. A ira tem uma clara função evolutiva pois oferece os recursos necessários para lidar com as situações frustantes.

Quando é preciso enfrentar algum tipo de perigo ou superar um desafio, gastar esses recursos para aumentar a ativação ajuda a ter êxito. Se não alcançar a meta depois de sentir ira, então passa a sentir tristeza. Isso significa que busca resolver o problema utilizando outras ferramentas.

Emoções básicas e secundárias

Sejam positivas, negativas ou neutras, todas as emoções têm um propósito que ajuda na sobrevivência. Por outro lado, também podem ser perigosas, ou seja, podem colocar as pessoas em situações perigosas ou dominar o comportamento. Nesses casos, a regulação emocional é especialmente importante pois faz o possível para evitar negatividade quando as emoções estão no limite.

Emoções básicas e secundárias: diferenças

Neste caso encontramos disparidade de opiniões, alguns estudiosos afirmam que as emoções secundárias são as que derivam das emoções básicas (por exemplo, a ansiedade pode ser a mistura do medo com outro tipo de resposta emocional). Por outro lado, outros psicólogos afirmam que a diferença principal entre as emoções básicas e secundárias reside na complexidade das emoções básicas desenvolvidas ao longo do tempo e séculos de evolução humana.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a 6 emoções básicas segundo a psicologia, recomendamos que entre na nossa categoria de Emoções.

Escrever comentário sobre 6 emoções básicas segundo a psicologia

O que lhe pareceu o artigo?

6 emoções básicas segundo a psicologia
1 de 4
6 emoções básicas segundo a psicologia

Voltar ao topo da página